RSS

O Boiolismo dialético pela análise do materialismo histórico

15 ago

SURFANDONAJACA

Carecão de Jesus, sou pela liberdade, cada um use a melância que desejar. Inclusive isso me lembrou de um filme vagabundo que assisti por engano com uma antiga namorada. O Cláudio Cavalcanti, se não me engano, dava um créu numa melância, enquanto nós nos olhávamos sem saber o que dizer, já que era nosso primeiro encontro. Sobre o boiolismo dialéctico preciso de muita inspiração, mas estou assoberbado (gosto sempre de usar essa palavra no trabalho, causa efeito de erudição e a pessoa nem me pergunta a razão. Mesmo que não esteja fazendo nada, a palavra assoberbado já significa um esforço de trabalho justificável.) com minhas tarefas cotidianas. Ou seja, o bicho tá pegano! Não quero ser substituído por um gringo desses desempregado que estão migrando para a bolsa da Dilminha. Que mundo mais globalizado, tchê! Mas não se preocupe, que o que queria escrever sobre o assunto é que é coisa normal o boiolismo. E se for doença, só não é mais antiga que Adão e Eva, mesmo assim, ninguém sabe se Adão era tão convicto, já que só tinha a Eva para escolher. E na realidade, existem muitos tipos de boiolismo dialéctico: o transformista, o hermafrodita, o operado, o bissexual que segue a lei de Gérson, o boiolismo formal e conservador que deseja continuar barbado e odeia mulheres, o boiolismo desengaiolado, o engaiolado como o bunker do Guilherme Firula e o boiolismo enrustido, que causa muitos problemas familiares e sociais, como é o caso do Bolsonaro. Mas veja que o fenômeno é antigo. Os gregos por exemplo, ferozes guerreiros como os atenienses, desprezavam as mulheres e gostavam de se encoxarem, numa prática estranha de sexo e até difícil de imaginar, mas que vcs. podem tentar entender chamando o vizinho ou alguém próximo, mas é bom afastar a mobília antes, que isso deve ser complicado sem um tratado grego sobre o assunto. Por isso, o boiolismo nas forças armadas nada mais é do que um preconceito, já que se trata de longa tradição. Até mesmo os mais militaristas, como os nazistas foram grandes adeptos do boiolismo enrustido ou assanhado: Ernst Röhm, o chefe da SA e Göering levava jeito. Assim, podemos dizer que existe uma grande proximidade entre o nazismo,o militarismo e o boiolismo. Afinal quem gosta de viver cercado por homens e sua catinga insuportável? Mas é misticismo o que algumas lideranças gays defendem: que todo ser humano é gay ou que todo ser homem inteligente desliza no quiabo. Na realidade, os gays foram sempre minorias em todas as sociedades e em todas eles existem e existirão. Não registro tampouco esse boiolismo acentuado entre os prêmios Nobel. Einstein por exemplo era pegador, embora sempre estivesse sempre desligado de tudo, afora suas equações. Poderiam dizer que se trata de um distúrbio do capitalismo, segundo os mais ortodoxos do materialismo histórico. Mas nas tribos indígenas, distantes do capitalismo, os antropólogos verificaram que também a presença do boiolismo, mas sempre como minoritário, já que uma função importante do sexo é a procriação. Foi com base nela que o preconceito se instalou em muitas religiões, como a judáica-católica. Mas tudo isso não passa de uma confusão e ignorância. O boiolismo é inerente ao ser humano e deve ser respeitado na liberdade que cada um faz com o que a natureza lhe deu, desde que não queira usar o que nao lhe pertence e não lhe deram.

E faria um adendo: o boiolismo é uma questão racial? Tempos atrás, um historiador e militante incondicional do baitolismo acusou o Zumbi, ídolo máximo da luta racial no Brasil, de ser conhecido no reduto por suequinha. Essa é a questão, os ufanistas da prática às vezes se exaltam na defesa da causa. O movimento negro quase linchou o tal historiador, o que foi mais um exemplo de boiolismo enrustido. Um intelectual negro, estudioso do quibundo e das quibundas, desmascarou a barafunda. Havia sido ignorância do historiador que não era versado nessas línguas que o Pai Angola domina. Suequinha, o apelido do Zumbi, não tinha nada a ver com a mulherada fácil que aqui aportava para rodar bolsinha, mas significava o mesmo que Fantasma na língua do gibi já conhecido, ou seja, o fantasma que anda ou coisa assim. Isso tudo não elimina a existência de boiolismo de todos os tipos entre negros, brancos, amarelos, vermelhões, comunistas, nazistas, bolsonaros etc. Afinal é coisa ainda pouco explicada, cerebral e hormonal, e não pode ser encarado como doença. Isso seria o mesmo que classificar um talento qualquer como doença. Dizem também que todo artista sensível é chegado ao boiolismo, no entanto o maior gênio da pintura do século XX, só andava de cuecas para não perder tempo entre uma pintura e uma bimbada tradicional, entre sexos opostos.
Creio que resumi tudo que tinha para escrever sobre esse assunto colorido.

Outros pensamentos do autor –

Respondendo ao Fred sobre o preconceito com o boiolismo, digo e afirmo que só não é enrustido quem não se irrita com o boiolismo. Pelo materialismo dialético e histórico (em Cuba j;a descobriram isso e se atualizaram), o boiolismo simplemsnte existe, é um fato histórico. E só as mulheres podem ser homofóbicas, sem entrar na questão do sapatismo dialéctico. Só aqueles prejudicados com o boiolismo podem se queixar sem ser boiolistas enrustidos, isso é dialetico. Pois todo homem deveria gostar e apoiar o boiolismo, pela lei da oferta e da procura sobraria mais mulher. Assim o sapatismo também só pode aplaudir o boiolismo alastrante. Simples assim, a dialética explica facilmente esses problemas.

 
44 Comentários

Publicado por em agosto 15, 2011 em Uncategorized

 

44 Respostas para “O Boiolismo dialético pela análise do materialismo histórico

  1. Proftel

    agosto 18, 2011 at 12:36 am

    Surf:

    Sei que você falou sobre o “boiolismo” de modo genérico, não especificou o “boiolismo” feminino.

    Antigamente ficava feliz ao saber o tanto que boiolas haviam aumentado, pensava assim: “-ôba, sobra mais muié prá nóis….” .

    Hoje em dia percebo que a coisa não é bem assim, há muito mais casal boiola feminino que masculino….

    Fazer o quê né?

    Nada como ser de outra geração e se conformar com a vida caseira.

    🙂

     
  2. Alfalante

    agosto 16, 2011 at 4:20 pm

    Qual será nosso próximo post?

    Quem se habilita?

     
  3. Alfalante

    agosto 16, 2011 at 12:34 pm

    Na mitologia grega, Ganimedes era um príncipe de Tróia, por quem Zeus se apaixonou. Nas imediações de Tróia, o jovem cuidava dos rebanhos do pai, quando foi avistado por Zeus. Atordoado com a beleza do mortal, Zeus transformou-se em uma águia e raptou-o, possuindo-o em pleno vôo. Ganimedes foi levado ao Olimpo e, apesar do ódio de Hera, substituiu a deusa Hebe e passou a servir o néctar aos deuses, bebida que oferece a imortalidade, derramando, depois, os restos sobre a terra, servindo aos homens. Em homenagem ao belíssimo jovem, Zeus colocou-o na constelação de Aquário. Sobre a etimologia da palavra Ganimedes Robert Graves propõe, em Os Mitos Gregos, que a palavra seja formada de duas palavras gregas: γανύησθαι ganýesthai que significa regozijar-se, estar repleto de alegria, mais μῆδηα médea que quer dizer as partes pudendas do homem ou as suas nudezas, dando uma possível tradução como aquele que se regozija na virilidade.

    ————————————————-

    Na mitologia grega, Tirésias (em grego, Τειρεσίας) foi um famoso profeta cego de Tebas – famoso por ter passado sete anos transformado em uma mulher. Era filho do pastor Everes e da ninfa Chariclo.

    Certa vez ao ir orar no monte Citorão, Tirésias encontrou um casal de cobras venenosas copulando, e ambas voltaram-se contra ele. Ele matou a fêmea, e imediatamente tornou-se uma mulher.

    Anos depois, indo orar no mesmo monte Citorão, encontrou outro casal de cobras venenosas copulando. Matou o macho e tornou-se novamente um homem.

    Por Tirésias ter se tornado tão ciente a respeito de ambos os sexos, ele foi chamado para decidir a questão levantada por ocasião de uma discussão entre Zeus e Hera sobre se é o homem ou a mulher quem tem mais prazer na relação sexual. Mas ele sabia que a sua decisão iraria sobre ele o deus derrotado.

    Hera dizia que o homem é quem tem mais prazer, Zeus dizia que é a mulher. Tirésias decidiu a questão: “se dividirmos o prazer em dez partes, a mulher fica com nove e o homem com uma.” Hera, furiosa por sua derrota, cegou Tirésias por vingança. Mas Zeus, compadecido e em recompensa por Tirésias ter dado a ele a vitória, deu-lhe o dom da mántis, a previsão.

    Uma versão alternativa do mito de Tirésias conta que este ficou cego ao ter visto Atena se banhando nua em uma fonte.

    —————————————————–

    Você pode baixar na internet, A Divina Comédia é uma obra de domínio público e está a disposição para ser baixada gratuitamente, clique no link abaixo e faça o download (PDF) – A divina Comédia
    http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=2203

    ——————————————————-

    O Banquete, também conhecido como Simpósio (em grego antigo: Συμπόσιον, transl. Sumpósion) é um diálogo platônico escrito por volta de 380 a.C.. Constitui-se basicamente de uma série de discursos sobre a natureza e as qualidades do amor (eros). O Banquete é, juntamente com o Fedro, um dos dois diálogos de Platão em que o tema principal é o amor. A interpretação de Leo Strauss e de Stanley Rosen destaca o aspecto tragicômico deste diálogo, que é, na verdade, a resposta de Platão às acusações da Cidade contra a filosofia.

    Tò sumpósion, em grego, é em geral traduzido como O Banquete, mas, no sentido atual, equivaleria a uma festa mundana, em que quase sempre se bebe mais do que se come. Trata-se, pois, de uma orgia festiva na casa de Agaton, poeta trágico ateniense. Sócrates é o mais importante dentre os homens presentes. Entre outros, também ali estão Aristodemo, amigo e discípulo de Sócrates; Fedro, o jovem retórico; Pausânias, amante de Agaton; o médico Eriximaco; Aristófanes, comediante que ridicularizava Sócrates, e o político Alcibíades.

    O exagero cometido na festa do dia anterior, sobretudo o excesso de bebida, fatigara os convidados de Agaton. Pausânias propõe, então, que, em lugar de beber, ficassem ali a conversar, a discutir ou que cada um fizesse algo “diferente”. A proposta de Pausânias é aceita por todos. Eriximaco sugere que fossem feitos elogios a Eros: os convidados deveriam fazer discursos para louvar o amor. Sócrates intervém, ponderando que, antes de falar sobre o bem que o amor causa e seus frutos, deveriam tratar de definir o que é o amor. Diz que, na sua juventude, fora iniciado na filosofia do amor por Diotima de Mantinea, que era uma sacerdotisa. Diotima lhe ensinou a genealogia do amor.

    O primeiro a discursar sobre o assunto é Fedro, seguido por Pausânias, que afirma que há mais de um Eros, dividido entre bem e mal, real e divino. Após, segue Eriximaco: segundo ele, o amor não exerce influência apenas nas almas, mas dá, ainda, harmonia ao corpo.

    O próximo a discursar é Aristófanes, que começa seu discurso advertindo que sua forma de discursar será diferente. Faz de imediato uma denúncia da insensibilidade dos homens para com o poder miraculoso de Eros, e sua consequente impiedade para com um deus tão amigo. Para conhecer esse poder, ele diz que é preciso antes conhecer a história da natureza humana e, dito isto, passa a narrar o mito da nossa unidade primitiva e posterior mutilação. Segundo Aristófanes, havia inicialmente três gêneros de seres humanos, que eram duplos de si mesmos: havia o gênero masculino masculino, o feminino feminino e o masculino feminino, o qual era chamado de andrógino. Nas palavras do poeta:

    É então de há tanto tempo que o amor de um pelo outro está implantado nos homens, restaurador da nossa antiga natureza, em sua tentativa de fazer um só de dois e de curar a natureza humana. Cada um de nós portanto uma téssera complementar de um homem, porque cortado com os linguados, de um só em dois; e procura cada um o seu próprio complemento.

    Assim, aqueles que foram um corte do andrógino, sejam homens ou mulheres, procuram o seu contrário. Isto explica o amor heterossexual. E aquelas que foram o corte da mulher, o mesmo ocorrendo com aqueles que são o corte do masculino, procurarão se unir ao seu igual. Aqui Aristófanes apresenta uma explicação para o amor homossexual feminino e masculino. Quando estas metades se encontram, sentem as mais extraordinárias sensações, intimidade e amor, a ponto de não quererem mais se separar, e sentem-se a vontade de se “fundirem” novamente num só. Esse é o nosso desejo ao encontramos a nossa cara metade.

    O amor para Aristófanes é, portanto, o desejo e a procura da metade perdida por causa da nossa injustiça contra os deuses. O último a elogiar o amor foi Agaton, o anfitrião do banquete. Ao contrário dos que o precederam, Agaton não se propõe enaltecer os benefícios que Eros faz ao homem, mas sim cantar o próprio deus e a sua essência, passando em seguida a descrever-lhe o dote. Após toda essa longa lista de virtudes atribuídas a Eros, nota-se o quanto o poeta se distancia de sua proposta inicial e de seu preceito metodológico.

    Finalmente chega a hora de Sócrates discursar, e ele fala que, sendo o Amor, amor de algo, esse algo é por ele certamente desejado. Mas este objeto do amor só pode ser desejado quando lhe falta e não quando o possui, pois ninguém deseja aquilo de que não precisa mais.

    O que deseja, deseja aquilo de que é carente, sem o que não deseja, se não for carente.

    Aqui, na fala de Sócrates, Platão coloca seu apontamento crucial sobre o conceito de amor, onde, o que se ama é somente aquilo que não se tem. E se alguém ama a si mesmo, ama o que não é. O objeto do amor sempre está ausente, mas sempre é solicitado. A verdade é algo que está sempre mais além: sempre que pensamos tê-la atingido, ela se nos escapa entre os dedos. Essa inquietação na origem de uma procura, visando uma paixão ou um saber, faz do amor um filósofo. Sendo o Amor, amor daquilo que falta, forçosamente não é belo nem bom, visto que necessariamente o Amor é amor do belo e do bom. Não temos como desejar aquilo que temos. No mesmo diálogo, Platão ainda fala sobre a origem de Eros (através do mito narrado por Diotima de Mantinéia a Sócrates). Eros teria a natureza da falta justamente por ser filho de Recurso e Pobreza.

    Platão deixa entrever em O Banquete, que Eros deve ser pensado em termos relacionais, não em termos absolutos. Não se deve compreender o amor como absoluto, mas como relativo, pois é amor de alguma coisa. O amor estabelece relação entre quem ama e aquele que é amado, assim como a opinião certa medeia sabedoria e ignorância.

    No texto, Platão retira de Eros (Amor) a condição de deus, e transforma-o em um selo, um intermediário entre os deuses e os mortais (o amor como ligação). Segundo relatos do texto de Platão e de alguns de seus companheiros, o amor é um dos maiores bens do homem (junto com o inteligência e a sabedoria); não é nem bom nem mal em si mesmo, como prática. No diálogo, existe também uma explicação e a naturalização do amor bissexual e do amor homossexual. Platão relaciona o amor com a verdade, pois quando se ama não é somente exercer o poder sobre alguém ou demonstrar força, mas trata-se de saber ser correspondido, ou seja, trata-se da verdade.

    Para alguns intérpretes, o conceito de amor em Platão em O Banquete é irracional e explicado pela natureza.

     
  4. Batman

    agosto 16, 2011 at 12:01 pm

    Robim, o Coringa veio cheio de força, parece até o JEC – Jesus era Comunista – cheio de dicas da WIKIPEDIA.

    Acho que o surfandonajaca vai ter que se transformar no Super Jaca e chamar a Super MeMento para ajudar a combater esse Super Coringa.

    Deixa o pau quebrar quando ele tiver cansado agente acaba com ele.

     
    • surfando na jaca

      agosto 16, 2011 at 2:12 pm

      Batman, vc. acha que tudo isso que o FDA escreveu veio da Wikipédia? Que insinuação maledicente!

       
      • Batman

        agosto 16, 2011 at 2:43 pm

        Superjaca

        Eu?

        VC é que tá falando isso. Eu tô falando do bo;;; epa do JEC

         
  5. FDA

    agosto 16, 2011 at 11:23 am

    Caro Surfando,

    Já que estamos na troca de leituras, lhe sugiro para aprofundar seu conceito “boiolismo dialéctico” pela análise do “materialismo histórico” marxista, de fazer uma leitura dos mitos gregos e sua influência na vida quotidiana grega:

    • O mito do amor entre Zeus e Ganimedes: Apollodore, Apollonios de Rhodes, Aristophane : a Paz; Homère, Iliade; Pindare, Odes, Platon, Les Lois, Phèdre; Théognis de Mégare, Poèmes élégiaques (v. 1345). O Banquete de Platão e os dialogos socraticos;

    • A questão da Homossexualidade na sociedade espartana;

    • O mito de Tirénsias; Tirénsias na Divina Comedia de Dante Alighieri:

    O Cristianismo institucional e a questão da marginalidade da Homossexualidade: 313, Constantino decreta o Cristianismo como Religião do Império. 343, primeiros textos de Lei proibindo o Homossexualismo. Théodose (379-395) decreta a pena de Morte para os Homossexuais.

    Vc vera que, se no fundo do problema a “dialética explica facilmente esses problemas”, ela não justifica a questão fundamental do problema: o Tolerância vs Intolerância Humana..

    A questão é então de saber se vc, com suas simplificações simplistas e simplifiantes não contribui a Tolerar o que há de Intolerável nesta questão: a discriminação e o preconceito sexual?

    Bye, vou ver o filme Planeta dos Macacos, vi a primeira serie nos anos 70, quero ver o que hà de novo nesta nova serie, pensarei com certeza a Vc, suas macaquices como sua téoria do materialismo historico…

    Francamente…

     
    • surfando na jaca

      agosto 16, 2011 at 12:01 pm

      Ora vejam só. FDA, está pensando que vai visitar a família e dar pipocas aos macacos vendo esse remake? Nada disso, vc. não conseguiu apreender o cerne da questão, que não é intolerância versus tolerância, que nada diz. É uma intolerância muito particular, que só a reconstrução histórica das práticas sexuais e culturais elucidam. Já afirmei isso e vc. vem apenas acrescentar mais informações ao que já escrevi. Isso é ser um aproveitador. Sua contribuição seria original se tivesse uma abordagem diferente da minha. Mas não, só está tentando realizar o que não pude. Ou seja, construir a tese e aprofundá-la com mais exemplos. Componha-se, FDA!

       
  6. Batman

    agosto 16, 2011 at 10:50 am

    Robim, o Coringa usa uma técnica subliminar para nos confundir.

    Diz que o pensamento do confrade é errado, depois fala a mesma coisa.

    Aí dá uns exemplos diferentes e diz que ele é O Bão.

    Indivíduo extremamente pernicioso.

     
  7. Batman

    agosto 16, 2011 at 10:33 am

    O Coringa ataca de novo.

    Eu e meu amigo Robim, teremos trabalho em breve.

     
  8. JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

    agosto 16, 2011 at 9:55 am

    Caros comentaristas:
    Homossexualidade é sim um grande dramapara aquele que o é, por mais que ele próprio diga que está bem com sua condição.
    É um tema que pode ser explorado pelo aspecto espiritual(o Surf torçe o naso!).
    Um conflito com a condição corporal e a escola espiritual.
    Uma cruz?
    Uma prova?
    Mas o certo é que lá de cima não nos dão carga que não possamos carregar, e só se falha caso queiramos.
    Mas…….Não dá impressão vendo certas pessoas da comunidade gay e seus comportamentos, que eles estão afim de uma “hegemonia gay”???
    KKKKKKKKKKKKKKKK

     
    • JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

      agosto 16, 2011 at 9:56 am

      Caros comentaristas:
      Homossexualidade é sim um grande drama para aquele que o é, por mais que ele próprio diga que está bem com sua condição.
      É um tema que pode ser explorado pelo aspecto espiritual(o Surf torçe o naso!).
      Um conflito com a condição corporal e a escolha espiritual.
      Uma cruz?
      Uma prova?
      Mas o certo é que lá de cima não nos dão carga que não possamos carregar, e só se falha caso queiramos.
      Mas…….Não dá impressão vendo certas pessoas da comunidade gay e seus comportamentos, que eles estão afim de uma “hegemonia gay”???
      KKKKKKKKKKKKKKKK

       
      • Jesus era Comunista

        agosto 16, 2011 at 10:10 am

        HRP

        Só são gays, todos temos mais ou menos os mesmos defeitos, e a tentativa de hegemonia é comum aos homens. Um sentimento bem primitivo, que só traz conflito.

         
        • JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

          agosto 16, 2011 at 10:17 am

          Pois é.
          Na verdade nem defeito digo que é.
          A personalidade independe desse conflito.
          Inteligencia idem, e óbvio , não me dão pena, só são diferentes.
          Capazes de serem bons pais, bons amigos, e bons seres humanos em geral , na média da humanidade.

           
          • Jesus era Comunista

            agosto 16, 2011 at 10:29 am

            Defeito que eu falo é da tentativa de ser hegemônico.

             
            • JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

              agosto 16, 2011 at 11:49 am

              É isso.
              Eu piso em ovos em certos assuntos , tipo cautela, “direção defensiva”, por que a turma anda armada por aí , procurando polemica nas palavras dúbias de uma frase mal pensada!
              KKKKKKKK…

               
              • Jesus era Comunista

                agosto 16, 2011 at 1:23 pm

                heheheheeh

                É certos assuntos são perigosos.

                Mas acho que estamos indo bem.

                 
    • surfando na jaca

      agosto 16, 2011 at 11:05 am

      HRP, lembro sempre de um homofóbico que começava sua defesa assim, tipo o Broncão: Eu não sou preconceituoso. Eu até tenho um amigo que é homossexual, blá,blá,blá…
      Ou seja, esse “até” revela tudo. Mas a realidade é que convivo e sou amigo de vários adeptos do boiolismo assumidéssimo ou enrustidéssimo. Confesso que o cara resolvido melhora de estado psíquico e social em 100%. Já os enrustidos são amargos e maledicentes, odeiam a si e ao mundo por extensão. Não considero isso pecado, um karma ou estigma de vidas passadas. É a realidade natural da espécie e um problema cultural, em que o boiolismo foi estigmatizado pela sociedade judáico-cristã vitoriosa, como escrevi pelo método do materialismo histórico e o FDA confirmou. Nunca vi tamanha injustiça como a que aconteceu com um desses meus amigos assumidos e alegres, se ele me permite esse desrespeito a sua memória em comentar o fato. Falecendo esse meu amigo, de cultura exuberante, seu parceiro se viu reduzido a uma existência precária, pois a família que o desprezara e rompera os laços com meu amigo falecido, ficara com todos os seus bens materiais. Uma injustiça tão flagrante que cheguei a me revoltar ao ver seu patrimônio ser alienado logo após o falecimento. Acredito que muitos casos assim devam acontecer. A liberdade é nosso maior bem e por isso insisto em participar desse espaço virtual.

       
      • JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

        agosto 16, 2011 at 11:51 am

        Familias e familias.
        Por isso não pretendo deixar nada para filho ou parentes.
        Construam a vida!
        Eduquei, paguei e vi esforço.
        Trabalhem e vivam.
        Lembra do “Parente é serpente”?
        SENSACIONAL!

         
        • surfando na jaca

          agosto 16, 2011 at 2:10 pm

          Também não é assim, HRP! Se vc. construiu sua vida com base no patrimônio de seus pais, o que é o comum e mesmo que não tenha sido um grande patrimônio, por que prejudicar seus filhos? Que diabos de pai eres tu? Ou vc. acredita que todo nós nascemos com as mesmas condições materiais e que o capitalismo é justo por dar condições iguais a todos no mercado? Esse foi o testamento do Che, que acreditava que a maior herança era a igualdade e âmparo que a revolução socialista dera a todos em Cuba.

           
          • JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

            agosto 17, 2011 at 5:18 am

            Sem exagerar Surf.
            Os filhos necessitam de desafios.
            Mas nada a ver com capitalismo X socialismo.

             
  9. FDA

    agosto 16, 2011 at 3:11 am

    Caro Surfando,

    Tem coisas que não podemos deixar passar senão tornamo-nos cumplices da desinformação ou da intolerância planetária que reina no mundo atual.

    É por essa razão que decidi de reagir a seu post. Algumas precisões sobre o seu conceito “boiolismo dialéctico” pela análise do “materialismo histórico” marxista. Sinceramente, o marxismo não necessitava disso. Seu problema é a reconstrução do “fenômeno” do que é hoje conhecido como “homossexualismo”.

    Dizer que trata-se de um “fenômeno” antigo é pura falácia. O que hoje vc designa “boiolismo” seria o que, de maneira geral, designa-se como “Homossexualismo”.

    Ora, de acordo com a história dos povos, o homossexualismo, especialmente o masculino, sempre existiu. Várias civilizações antigas cultivaram a prática homossexual: romanos, egípcios, gregos e assírios e mesmo os ameríndios.

    Na Grécia antiga tal comportamento social, e, não “fenomenal” como vc pretende, chamava-se “Paideia”, ou seja, prática educativa ou da formação do Homem grego.

    Portanto, “os gregos por exemplo, ferozes guerreiros como os atenienses”, nunca “desprezavam as mulheres”.

    Muito pelo contrário, os gêneros eram bem definidos: Homem é Homem, e, Mulher é Mulher. A Instituição do “casamento” na Grecia Antica era uma regra cidadã!

    Alcibíades que tinha uma paixão louca por Sócrates. Releia o “Banquete” de Platão e veras. Segundo Plutarco, Alcibíades era de uma beleza fenomenal, maravilhoso, escancarado, afeminado, mais obedeceu a regra cidadã.

    Aristóteles teve uma paixãozinha por Alexandre. Mas nada o impediu de casar e construir uma família. Alexandre, dito o Grande, amava loucamente Bogoas. Mas nem por isso ele deixou de se casar com Roxane.

    Outra coisa: a relação entre soldados espartanos era um costume norteado em uma politica de vingança: o soldados que via seu amante morto por um inimigo, era capaz de sacrificar sua própria vida para vinga-lo.. Na Roma Antiga as relações entre Homens eram valorizadas a condição que eles obedeçam a regra do “Casamento” e da “Procriação”.

    Em 313, com o Cristianismo, a “relação entre homens” tornou-se uma relação contra natureza. Logo um crime. O homossexualismo passou a ser considerado uma perversão, uma anomalia.

    Não posso argumentar aqui todas as falácias da sua teoria do “boiolismo dialéctico” pela análise do “materialismo histórico”. Essa síntese mesmo sendo esquemática já mostra suas falácias…

    A questão é de saber se vc não esta confundindo “teoria dos Gêneros” (Americana: Gender studies ) defendida por Sociólogos, Filósofos, Antropólogos, Cientistas políticos, etc; cuja a qual pretende que hoje em dia existe uma confusão dos gêneros sexuais Masculinos e Femininos. Logo o sexo Homem ou Mulher não é um fato de nascimento mas uma escolha.

    Em 1949, Simone de Beauvoir afirmava que “ não se nasce Mulher”: “torna-se Mulher” (On ne naît pas femme : on le devient)!

    Outra coisa: seu conceito de “boiolismo dialéctico” pela análise do “materialismo histórico” ignora a questão Constitucional que aponta como um dos fundamentos do Estado Democrático de Direito a dignidade da pessoa humana (art. 1º, III),

    Portanto, a Constituição Federal exalta a igualdade de todos perante a lei, sem distinção de qualquer natureza (art. 5º, caput)!

    Portanto, oriente-se Surfando……

    Fui……..

     
    • surfando na jaca

      agosto 16, 2011 at 8:55 am

      Ora, ora. FDA, vc. não tinha sumido daqui? que bom que era brincadeirinha. Tudo que vc. escreveu e sentiu só veio a acrescentar mais informações sobre o assunto. Considero complementos eruditos sobre o assunto. Indico-lhe o livro Pornéia, que ilustrará seus estudos nesse campo. Como disse, não tive tempo para aprofundar minhas anotações e não sou tão entendido do assunto. Quanto a questão constitucional, diria mais, ignoramos os direitos humanos. Mas não se tratava de cuidar do assunto no aspecto legal e formal. Era divagações amealhadas em leituras desconexas. Mas fique à vontade para discorrer sobre o assunto com maior profundidade. Esse seu FUI era com urgência? Estavas apertado e voltará?
      Um bom dia a todos e a todas.

       
      • surfando na jaca

        agosto 16, 2011 at 8:58 am

        Corrigindo: Ora, ora. FDA, vc. não tinha sumido daqui? Que bom que era brincadeirinha. Tudo que vc. escreveu e sentiu só veio a acrescentar mais informações sobre o assunto. Considero complementos eruditos às minhas pobres considerações. Indico-lhe o livro Pornéia, que ilustrará seus estudos nesse campo. Como disse, não tive tempo para aprofundar minhas anotações e não sou tão entendido na matéria. Quanto à questão constitucional, diria mais, ignoramos os direitos humanos. Mas não se tratava de cuidar do assunto no aspecto legal e formal. Eram divagações amealhadas em leituras desconexas. Mas fique à vontade para discorrer sobre o assunto com maior profundidade. Esse seu FUI era com urgência? Estavas apertado e voltará?
        Um bom dia a todos e a todas.

         
        • surfando na jaca

          agosto 16, 2011 at 10:46 am

          Sempre erro em alguma coisa: voltarás. A escrita psicografada e corrida tem desses problemas.

           
    • Jesus era Comunista

      agosto 16, 2011 at 9:35 am

      FDA

      Festa programada para sua volta.

      Você traz o borbulhante?

      Beijão na careca.

       
    • JesuseraComunista

      agosto 16, 2011 at 5:09 pm

      Não aprendeu ainda o que é fenômeno.

      Complicado…

       
  10. BRANCALEONE

    agosto 15, 2011 at 10:59 pm

    Offtopic descarado,.

    Li por aqui em algum lugar que existe a suspeita que a Glogo usa a grana arrecadada pelo Criança Esperança para deduzir imposto de renda…
    E eu pergunto – E dai????
    Afinal de contas, que grandes m… o governo ia fazer com o que a Globo deveria pagar e não paga?
    Bem ou mal algumas entidades de verdade recebem alguns trocados o que já é muito, mas muito mais que o governo faria.
    E de certa maneira a Globo tem lá suas despesas com a campanha, cede horários, pessoal, artistas, etc.
    E com certeza não constitui crime pois algum tributarista genial descobriu alguma brecha na legislação. A Globo tem inimigos demais para dar uma moleza destas.
    E porque ninguem reclama da Record, que foi comprada com dinheiro de dízimo (isentaço de tudo!!!) e das demais vigarices praticadas em nome de algum deus?
    De qualquer jeito a grana que a Globo ia ser desencaminhada mesmo para algum Denit ou Turismo ou alguma outra maracutaia qualquer
    E vai uma pergunta – Quantos de nós aqui ajudam de algum jeito alguma entidade filantrópica honesta?

     
    • Jesus era Comunista

      agosto 16, 2011 at 12:17 am

      Não ajudo mais, se eu tiver que ajudar alguém vou em quem precisa e ajudo.

      Chega de atravessador, tem sempre um trambique, veja Teresópolis, veja o Sudão, nego se lasca em ajudar alguém do outro lado do mundo e o intermediário vai vender o que você doou no Supermercado.

      Natureza humano ou sistema?

      Eu contribuía para os cegos, deficientes, crianças com câncer, um dia vi um dos dirigentes com uma p… camionete importada. Liguei pra todo mundo e disse, se não botar na internet cada centavo que entra e cada centavo que sai, não dou mais. E nunca dei mais. Porquê não põe?

       
      • surfando na jaca

        agosto 16, 2011 at 12:24 am

        Concordo plenamente, Fred, e vou dormir.

         
        • Jesus era Comunista

          agosto 16, 2011 at 12:31 am

          Boa noite Surf vou nessa também

           
    • alfalante

      agosto 16, 2011 at 2:13 pm

      Broncão, aqui é liberdade total, tem essas frescuras não.

       
  11. BRANCALEONE

    agosto 15, 2011 at 10:47 pm

    Bom, em tempos de patrulhagens por parte dos hipocritamente corretos, a mais leve critica, comentário ácido ou um leve leve trocer de nariz ao homosexualismo ou as cotas racistas na universidades faz com que hordas ululantes de gente sem o que fazer acusem de homofobia ou de membro da Klan…
    Eu admito que o homosexualismo para mim é estranho e francamente fora das regras naturais mas exerço meu incomodo de forma silenciosa e dentro do meu direito. afinal, se eles podem decidir serem gays eu posso decidir não gostar disso e desde que eu não me degenere num skinhead homófobo e assassino tudo bem…
    A coisa anda dum jeito que o cidadão, o ser individual é obrigado a gostar (ou fazer de conta que gosta) dessa ou daquela opção de alguma minoria. e coitado dele se não fizer isso!!!! A patuléia babbacamente correta cai matando!!!

     
    • surfando na jaca

      agosto 15, 2011 at 11:13 pm

      É o que eu sempre digo, o enrustidismo descarado, uma contradição em termos, se evidencia nesses momentos: se eles podem decidir serem gays eu posso decidir não gostar disso. Ou seja, traduzindo pela dialética hegeliana, o Broncão quis dizer: fiquem machos meus queridos, senão eu zango! E que papo bobo esse negócio de Globo e Record. Então a suposta falcatrua de uma invalida a da outra? Os direitobas sempre condenam essa lógica quando se fala no mensalão do FHC. Para a Globo está valendo? Vai tomar (calma) seu guspe de satanaiz para ver se melhora de raciocínio.

       
  12. JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

    agosto 15, 2011 at 9:48 pm

    Surf , voce anda tomando energético mais da conta!
    KKKKKKKKKKKKKK…….

     
  13. Jesus era Comunista

    agosto 15, 2011 at 9:19 pm

    Na realidade minha teoria é uma desconfiança.

    Uma das coisas que me deram uma boa visão da nossa passagem por este planeta foi o estudo científico da origem do homem.

    Há 4 milhões de anos houve uma modificação genética num dos seres deste planeta. Pessoalmente acredito que não foi uma única modificação houve uma série delas complementada pela mais importante, a que permitiu este ser ficar em pé sobre as duas pernas e deixar livre as mãos.

    Não era um homem como o de hoje, não falava, a fêmea media cerca de 1,20 m.

    Com esta capacidade de ficar em pé sobre os dois membros inferiores ele adquiria mobilidade e com os membros superiores livres podia atacar e se defender.

    Depois de alguns milhões de anos de modificações genéticas, elas são extremamente lentas, estamos aqui, mas nos pensamos como seres prontos desde sempre. No entanto 80 anos, que é nosso ciclo de vida, significa um tempo infinitamente pequeno na evolução humana.

    Quem nos assegura que não continuamos em evolução, claro que estamos nos modificando a cada nascimento.

    Somos uma sopa de genes, que possibilita alguns bilhões de combinações, imaginando que estes genes se modificam diferentemente de indivíduo para indivíduo.

    Estamos engatinhando em estudos genéticos. Mas na realidade somos um caldeirão de genes.

    Na natureza existem vários tipos de reprodução da espécie, porque não estaremos evoluindo para uma diferente da atual?

    Então discutir o homossexualismo é um problema para a ciência, nós devemos apenas nos amar do modo que acharmos melhor, mas principalmente nos amar do ponto de vista de que somos seres da natureza e não há motivo para discriminação entre nós. Discriminação é o resultado da ignorância científica.

     
  14. Proftel

    agosto 15, 2011 at 7:13 pm

    Surf:

    Texto excelente (como sempre), preciso ler com mais atenção para comentar.

    No momento são sete da noite d’um daqueles dias que a gente não deveria ter saido da cama… . Mental e fisicamente detonado além d’otras “cositas más” que aconteceram durante o dia… .

    Vou nessa, só liguei o computador pra passar por aqui e dar um “alô”.

    🙂

     
    • surfando na jaca

      agosto 15, 2011 at 8:14 pm

      Proftel, o pior pecado é o da ingratidão, como já afirmei, mas o puxasaquismo é quase irmão da ingratidão. Se vc. nem leu como pode dizer que tá bene? Agora mesmo, acabei de ler matéria que no RS uns enrustido espancaram um transsexual. É o problema dessa gente, estão agredindo a concorrência.

       
    • Jesus era Comunista

      agosto 15, 2011 at 8:51 pm

      Vai descansar Proftel, boa noite, depois da escuridão tem sempre um novo dia.

       
  15. Jesus era Comunista

    agosto 15, 2011 at 4:33 pm

    Bem, sobre o problema abordado pela dialética materialista histórica

    ===========================================

    (po… Surf ser seu discípulo é fo…, toda hora tenho que ir na Wiki –

    Dialética (AO 1945: dialéctica) (do grego διαλεκτική (τέχνη), pelo latim dialectĭca ou dialectĭce) é um método de diálogo cujo foco é a contraposição e contradição de ideias que leva a outras ideias e que tem sido um tema central na filosofia ocidental e oriental desde os tempos antigos.

    “Aos poucos, passou a ser a arte de, no diálogo, demonstrar uma tese por meio de uma argumentação capaz de definir e distinguir claramente os conceitos envolvidos na discussão.” )Aristóteles considerava Zenão de Eleia (aprox. 490-430 a.C.) o fundador da dialética. Outros consideraram Sócrates (469-399 AEC)”. (Konder, 1987, p. 7).

    Um dos métodos diáleticos mais conhecidos é o desenvolvido pelo filósofo alemão Hegel (1770-1831). )

    (Pelo mnos entendi graças a vós no comentário do open, que ser ou se apresentar como erudito é transformar o simples em complexo falando a mesma coisa só que com palavras não usuais – obrigado mestre)

    =================================

    se apresenta um problema importantíssimo já ligeiramente abordado por você:

    a preservação da espécie.

    Em sendo natural o homossexualismo, como pode ir de encontro a preservação da espécia?

    Eu tenho minha teoria, e tu grande mestre?

     
    • surfando na jaca

      agosto 15, 2011 at 6:21 pm

      Sua pergunta tem cabimento. Sendo apenas analista histórico do fenômeno, diria que trata-se mais de argumento do que de realidade. Caso contrário, não existiriam atenienses, não existiria a família Bolsonaro etc. Mas todo enrustido sempre acusou o boiolismo de ameaçar a reprodução da espécie. No fundo, creio, que se trata de justificação para o medo de ficar sem os seus bofes. Todo enrustido, como todo baitolo, luta pelo aumento da população macha. Quanto à dialética, a que uso é hegeliana. Temos a afirmação que se apóia numa negação e a síntese de ambas é a resposta dialética. É preciso estudar para saber das coisas, Carecão de Jesus. Já sabia que esse post não renderia comentários, pois o pessoal enrustido é grande e os outros possuemmo medo de se comprometer com o assunto.

       
      • Jesus era Comunista

        agosto 15, 2011 at 6:53 pm

        Suf

        Veja bem, não devemos nos importar com comentários. Este assunto precisa ser discutido, foi assim que o homossexualismo passou de tabu para quase um consenso. No entanto não está de todo resolvido.
        Há ainda excessos, tanto do lado dos homossexuais, que acusam gratuitamente pessoas que não tem a menor tendência de serem homofóbicos, como aconteceu comigo e dos que ainda são homofóbicos.
        Na minha opinião só o fato de haver a dialética sobre o assunto, no mínimo o torna mais natural.

         
  16. Jesus era Comunista

    agosto 15, 2011 at 4:09 pm

    Mas uma coisa eu não entendo, porque os homossexuais, não deixam passar um segundo e vão logo proclamando o hétero de homofóbico?

    Será que pensam que os que não gostam de rodar o lado B do disco são homofóbicos?

    Porque a palavra homofobia dentro do nosso contexto social significa:

    ” Homofobia (homo, pseudoprefixo de homossexual[1], fobia do grego φόβος “medo”, “aversão irreprimível”[2]) é uma série de atitudes e sentimentos negativos em relação a lésbicas, gays, bissexuais e, em alguns casos, contra transgêneros e pessoas intersexuais. As definições referem-se variavelmente a antipatia, desprezo, preconceito, aversão e medo irracional.[3][4][5] A homofobia é observada como um comportamento crítico e hostil, assim como a discriminação[3][4] e a violência com base em uma percepção de orientação não-heterossexual. Em um discurso de 1998, a autora, ativista e líder dos direitos civis, Coretta Scott King, declarou: “A homofobia é como o racismo, o anti-semitismo e outras formas de intolerância na medida em que procura desumanizar um grande grupo de pessoas, negar a sua humanidade, dignidade e personalidade.”[6] Em 1991, a Anistia Internacional passou a considerar a discriminação contra homossexuais uma violação aos direitos humanos.[7]

    Entre as formas mais discutidas estão a homofobia institucionalizada (por exemplo, patrocinada por religiões[8] ou pelo Estado[9]), a lesbofobia, a homofobia como uma intersecção entre homofobia e sexismo contra as lésbicas, e a homofobia internalizada, uma forma de homofobia entre as pessoas que experimentam atração pelo mesmo sexo, independentemente de se identificarem como LGBT.

    Duas palavras são originárias de homofobia: (adj.) homofóbica e homofóbico (n.), termos designados para pessoas que apresentam atitudes homofóbicas ou que pensam dessa maneira. ”

    Essa é a definição para homofobia da WIKI

    Mas indo na própria WIKI achei lá:

    homo – Homo is the genus that includes modern humans and species closely related to them. The genus is estimated to be about 2.3 to 2.4 million years old,[1][2] evolving from australopithecine ancestors with the appearance of Homo habilis. Specifically, H. habilis is assumed to be the direct descendant of Australopithecus garhi which lived about 2.5 million years ago. However in May 2010, H. gautengensis was discovered, a species believed to be even older than H. habilis.[3]

    The most salient physiological development between the two species is the increase in cranial capacity, from about 450 cc (27 cu in) in A. garhi to 600 cc (37 cu in) in H. habilis. Within the Homo genus, cranial capacity again doubled from H. habilis through H. Ergaster or H. Erectus to H. heidelbergensis by 0.6 million years ago. The cranial capacity of H. heidelbergensis overlaps with the range found in modern humans.

    The advent of Homo was thought to coincide with the first evidence of stone tools (the Oldowan industry), and thus by definition with the beginning of the Lower Palaeolithic; however, recent evidence from Ethiopia now places the earliest evidence of stone tool usage at before 3.39 million years ago[4]. The emergence of Homo coincides roughly with the onset of Quaternary glaciation, the beginning of the current ice age.

    All species of the genus except Homo sapiens (modern humans) are extinct. Homo neanderthalensis, traditionally considered the last surviving relative, died out about 24,000 years ago, while a recent discovery suggests that another species, Homo floresiensis, discovered in 2003, may have lived as recently as 12,000 years ago. The discovery of Denisova hominin, announced in March 2010, may reveal it to be yet another past species in the genus.

    e

    fobia –

    Fobia (do Grego φόβος “medo”), em linguagem comum, é o temor ou aversão exagerada ante situações, objetos, animais ou lugares.

    Ser hétero é o que afinal? Homofóbico?

    Eu não sou homofóbico neste contexto lá de cima, pois entendo o fenômeno como explicado no outro comentário mas fico p… quando o cara vem me chamar de homofóbico.

    Será que os homossexuais sabem o que significa a palavra homofobia?

     
  17. Jesus era Comunista

    agosto 15, 2011 at 3:25 pm

    Eu faço minhas, suas palavras, não as que se referem a citações de pessoas, mesmo porquê não abordo a questão com tanta experiência como o autor.

    Do meu ponto de vista posso acrescentar que conheci nos meus tempos de Anglo Americano, lá na praia de botafogo, um professor espetacular, talvez o meu melhor professor se os outros me permitirem possível injustiça.

    Ele lecionava física e era um bom judeu, e tinha uma sabedoria que como garoto me embasbacava, dava uma aula maravilhosa, com uns aparelhos em que fazia experiências que me deliciavam até em sonho.

    Logo no primeiro dia de aula me abriu as portas da verdade com uma frase simples mas que me ilustrou toda a verdade do mundo:

    ” Fenômeno é tudo o que acontece na natureza ”

    Carácoles, acabava ali todos os meus preconceitos, começava ali uma vida sem preconceitos.

    Porquê? Por que a partir daí não mais existia o extraordinário, o diferente, o diferenciado.

    Esse negócio de chamar Ronaldo de fenômeno é uma redundância, pois cada um de nós somos um fenômeno, pois acontecemos na natureza.

    Aqui aproveito para agradecer ao super mestre, professor Markenzon, não me lembro talvez corretamente o nome por ser meio complicado, mas foi o inspirador para descobrir minha profissão que é definida como Física + bom senso. Com certeza está no céu, já que teve que me aturar como aluno, um beijão na testa e meu reconhecimento.

    Nada é extraordinário, tudo é normal – O homossexualismo existe, então pronto, é como se fosse qualquer outra coisa existente na natureza, nada de fenômeno como normalmente é interpretado.

    E portanto quem não aceita o homossexualismo, não deveria aceitar o amanhecer, os bichos, nós mesmos e tudo o mais.

    Agora, todo fenômeno tem sua história tem suas origens, como tudo na natureza, assim como procuramos explicar e tentar entender a origem do homem, dos animais, do espaço, de tudo, cientificamente procura-se explicar o homossexualismo. Mas isso é outra história

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: