RSS

A hipocrisia da “sociedade capitalista”

17 ago

nuncadantes/HRP

O Post é sobre os últimos acontecimentos em Londres.

No título que eu dei, sociedade capitalista está em aspas porque pessoalmente acho que não é um problema do capitalismo.

O capitalismo apenas permite ao homem ter a posse de bens e fazer o que quer com ele, inclusive ganhar mais dinheiro.

O capitalismo não diz a ninguém para sonegar impostos, fazer maracutaias, superfaturar, ou abandonar os mais pobres ao, Deus dará.

A nossa sociedade é virtual, o ladrão responsável pelo órgão público (primeiro ministro, deputado, ministro etc) vai para a TV e trata a coisa superficialmente.

Nos acontecimentos de Londres fica bem claro esta situação, nada vai mudar, só vai ter mais repressão.

Ué, mas eles não gostam da monarquia?

Ah, então é isto, eles só escolhem o barão que querem. O resto é igualzinho a monarquia.

 

——————————————-

Nuncadantes sugeriu:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-vandalismo-do-jovem-david-cameron

Por Luiz Lima

Amig@s,

O que o primeiro-ministro inglês fazia antes de se tornar um guardião da moral e dos bons costumes? Vejam aí:

Quando David Cameron partia vitrinas
por Marco D’Eramo

Membros do Bullington Club. Numa cidade inglesa um bando de jovens parte uma vitrina, foge na noite e dirige-se a correr para o jardim botânico. A polícia segue-os, apanha alguns com seus telemóveis e põe-nos no calabouço.

O problema é que não se trata de um episódio ocorrido nestes dias. E que os jovens detidos não são desordeiros sub-proletários. Não, o episódio verificou-se há 24 anos em Oxford e os 10 jovens eram todos membros do Bullington Club, uma associação estudantil oxfordiana com 150 anos de idade, famosa pelas suas travessuras estudantis, suas bebedeiras e por considerar a vandalização de lojas e restaurantes como a melhor das distracções. Os problemas com donos de restaurantes, comerciantes e de denúncias à polícia são resolvidos com algumas indemnizações generosas vindas das gordas carteiras paternais. Algumas horas antes, os dez bravos jovens fizeram-se retratar nos degraus de uma grande escada, todos em uniforme do clube, roupa de recepção a 1000 libras esterlinas (1150 euros) cada uma. Dentre eles destaca-se um jovem David Cameron e um, também imberbe, Boris Johnson.

Acontece que hoje Cameron é o primeiro-ministro conservador e Johnson é presidente conservador da Grande Londres. E que tanto um como outro trovejam contra os vândalos que destroem as propriedades privadas. Tanto um como outro defendem a linha dura, a mão de ferro. Cameron quer recorrer ao exército e censurar as redes sociais; Johnson quer aumentar os efectivos da polícia. Sem sequer a menor compreensão por quem não faz outra coisa, no fundo, senão emular os seus gestos de outrora.

Mas, evidentemente, é característico da mentalidade de um filho do papá considerar que os outros não podem – e não devem – permitir-se aquilo que lhes foi permitido, a eles, por direito de nascimento e de extracção social.

David Cameron. David Cameron nasceu em 1966, filho de um pai agente da bolsa e de uma mãe filha de um baronete: o actual primeiro-ministro gosta de divulgar que é o descendente ilegítimo do rei Guilherme IV e da sua amante Dorotéia, e portanto que é um parente longínquo da rainha Elisabeth II. Snob típico, Cameron foi enviado aos sete anos para Heatherdown, escola elementar frequentada também pelos príncipes Andrew e Edward, escola cuja atitude de classe era sem equívocos: nos dias de excursão, as toilettes portáveis eram designadas por “Ladies”, “Gentlemen” e “Chauffeurs”. E quando Margaret Thatcher foi eleita primeira-ministra, a escola celebra isso com uma partida de cricket improvisada de alunos contra professores. No liceu, Cameron foi enviado à mais prestigiosa escola privada da Inglaterra, Eton (despesas anuais de escolaridade: 27 mil libras esterlinas, cerca de 31 mil euros), o cadinho da classe dominante (Boris Johnson também foi seu colega de classe em Eton): é divertido que na Grã-Bretanha as escolas privadas sejam chamadas de escolas públicas (public schools). Ali o jovem Cameron foi surpreendido em vias de colar e, como punição, teve de copiar 500 linhas de latim. Depois de Eton seguiu-se, naturalmente, a Universidade de Oxford e seu clube, o Bullington. Como perfeito snob, Cameron casou-se depois com Samantha Gwendoline Sheffield, cujo pai é um baronete proprietário de terras e cujo padrinho é visconde. Samantha Gwendolina trabalha na célebre casa de produtos de luxo Smyrne, da Bond Street, e recebeu o prémio de Melhor Desenhadora de Acessórios concedido pelo British Glamour Magazine.

Quando se recuperam das suas asneiras estudantis, os filhos do papá geralmente fazem uma bela carreira: Boris Johnson tornou-se director do Spectator (ainda que a sua carreira cambaleie com as suas aventuras de mulherengo inveterado, apesar de casado). Cameron tornou-se director de Assuntos Corporativos na Carlton Communication, uma sociedade de media absorvida a seguir pela Granada plc para constituir a ITV plc.

Em 2006, quando Cameron vence o congresso Tory e torna-se líder do partido conservador, tem apenas 38 anos. E é muito naturalmente que, no governo sombra que forma (o primeiro-ministro na época era Tony Blair), três dos membros são antigos alunos de Eton (Old Etonians). Mas no grupo dos seus colaboradores mais próximos, pelo menos 15 são Old Etonians. E passa-se o mesmo quando, em Maio de 2010, Cameron ganha (pela metade) as eleições e torna-se primeiro-ministro à testa de uma coligação com os neoliberais dirigidos por Nick Clegg: também aqui o núcleo duro do governo é constituído por aristocratas, etonianos ou oxfordianos, como o actual o ministro da Economia George Gideon Osborne, também ele nobre, herdeiro do baronato Osborne, também ele diplomado em Oxford, e também ele, é claro, antigo membro do Club Bullington.

Como se dizia outrora: o bom sangue não mente. A classe (social) tão pouco.

O original encontra-se em http://www.ilmanifesto.it/area-abbonati/in-edicola/manip2n1/20110812/man… , a versão em francês em
http://www.legrandsoir.info/quand-david-cassait-les-vitrines-il-manifest…

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .

——————————-

HRP sugeriu:

http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/telegraph-ha-algo-cheirando-mal-no-reino-unido.html

16 de agosto de 2011 às 21:17

Telegraph: Há algo cheirando mal no Reino Unido

por Luiz Carlos Azenha

Estou entre os que acreditam ser uma bobagem chamar a derrubada de Hosni Mubarak de “revolução do Facebook”. Ou atribuir o quebra-quebra londrino ao BBM, o mensageiro do Blackberry. Nada disso teria acontecido se não houvesse demandas sociais subjacentes. No caso do Egito, falta de comida, de emprego e de democracia. No caso da Inglaterra, gente que não tem compromisso com o status quo. Volto ao visionário John Kenneth Galbraith, que ainda nos anos 80 falava do surgimento de uma sociedade paralela no entorno das grandes metrópoles, resultante das políticas do então presidente Ronald Reagan do “there is no free lunch in America”. Você tritura os sindicatos, destrói empregos, criminaliza os movimentos sociais e depois espera que as pessoas apresentem suas demandas de forma organizada e politizada? Fora dos sindicatos e dos movimentos sociais organizados… é o fascismo.

Mas, voltando ao Facebook, ao Twitter e ao Blackberry, não há como negar que as pessoas conversam entre si muito mais nos dias de hoje do que num passado não muito longínquo. Quando desembarquei em Nova York, em 1985, para ser correspondente da TV Manchete,  uma transmissão de imagens via satélite para o Brasil, de dez minutos, custava 1.500 dólares. Hoje, via internet, é de graça.  Nos anos 80, quando trabalhei na TV Globo de Bauru, se a emissora não enviasse uma equipe de reportagem a uma cidade da região para cobrir uma manifestação era como se o protesto não tivesse acontecido; hoje, os próprios manifestantes sobem o vídeo no You Tube e dispõem desta e de outras ferramentas inclusive para pautar a mídia convencional.

Meu ponto: é uma mudança extraordinária em pouquíssimo tempo. E pode contribuir para abrir um imenso fosso entre a linguagem hierarquizada do poder e a linguagem das ruas, maior ainda da que já existe. O exemplo deste descompasso vimos na Grécia, no Chile, na Espanha. As instituições obedecem a ritos e ritmos divorciados de sociedades altamente conectadas e ansiosas por transparência, respostas e resultados.

Colhi um pequeno exemplo disso no jornal britânico Telegraph, que publicou um artigo que teve uma imensa repercussão nas mídias sociais do país. É um artigo que não teria um centésimo da repercussão que teve se a capacidade das pessoas de distribuí-lo não fosse tão grande quanto é. Não importa se você concorda ou não com o conteúdo. Eu, por exemplo, acho que o texto é moralista e simplificador. Mas foi lido por centenas de milhares de pessoas, a maioria das quais não comprou o jornal. Elas não tiveram de ir atrás do artigo, o artigo veio até elas.

Não é por acaso que a polícia britânica simplesmente considerou fechar o twitter durante os distúrbios de Londres ou que as sentenças mais pesadas dadas até agora na Inglaterra foram para dois jovens acusados de “organizar” quebra-quebras via Facebook. Na falta de compreensão, na incapacidade ou na falta de vontade política para lidar com as questões de fundo, a culpa é, literalmente, do messenger.

Fiquem com o artigo:

The moral decay of our society is as bad at the top as the bottom [A decadência moral de nossa sociedade é tão grave no topo quanto na base]

By Peter Oborne

August 11th, 2011

David Cameron, Ed Miliband e toda a classe política britânica se juntaram ontem para denunciar os amotinados. Eles naturalmente estavam certos ao dizer que as ações dos saqueadores, incendiários e assaltantes eram abomináveis e criminosas, e que a polícia deveria receber mais apoio.

Mas havia também algo muito falso e hipócrita sobre o choque e o ultraje expressos no parlamento. Os deputados falaram sobre os terríveis eventos da semana como se não tivessem nada a ver com eles.

Não posso aceitar que seja este o caso. Na verdade, acredito que a criminalidade em nossas ruas não pode ser dissociada da desintegração moral dos escalões mais altos da moderna sociedade britânica. As últimas duas décadas testemunharam um terrível declínio dos padrões da elite governante britânica. Tornou-se aceitável que nossos políticos mintam e enganem. Uma cultura quase universal de egoísmo e ganância surgiu.

Não foram apenas os jovens ferozes de Tottenham que se esqueceram que tem tanto deveres quanto direitos. Assim é também com os ricos ferozes de Chelsea e Kensington. Alguns anos atrás, minha mulher e eu fomos a um jantar numa mansão no oeste de Londres. Um segurança vigiava o lado de fora da rua e houve muita conversa sobre uma “divisão norte-sul” , que eu aceitei literalmente por um tempo até me dar conta de que os donos da casa estavam se referindo a uma divisão entre os que moravam ao norte e ao sul da Kensington High Street.

A maioria das pessoas desta rua caríssima estavam tão desenraizadas e distantes do resto do Reino Unido quanto os jovens homens e mulheres desempregados que causaram tantos danos terríveis nos últimos dias. Para eles, a repulsiva revista do Financial Times chamada “Como gastar” é uma bíblia. Eu arriscaria dizer que poucos deles se importam em pagar impostos se puderem evitá-los e que menos ainda sentem algum tipo de obrigação com a sociedade que apenas algumas décadas atrás era “natural” para os ricos e os de cima.

Ainda assim celebramos as vidas vazias de gente que vive assim. Algumas semanas atrás, li uma nota em um jornal dizendo que o magnata dos negócios Sir Richard Branson estava pensando em transferir seu quartel-general para a Suiça. A medida foi descrita como um golpe em potencial contra o ministro das finanças George Osborne, porque resultaria na redução da arrecadação de impostos.

Não consegui deixar de pensar que num mundo são e decente, tal mudança seria um problema para o Sir Richard, não para o ministro. As pessoas notariam que um importante e rico homem de negócios estava fugindo dos impostos britânicos e pensariam mal dele. Em vez disso, ele foi condecorado e é amplamente bajulado. O mesmo é verdadeiro quanto ao brilhante varejista Sir Philip Green. Os negócios do Sir Philip nunca sobreviveriam sem a famosa estabilidade política e social do Reino Unido, sem nosso sistema de transporte para despachar suas mercadorias ou nossas escolas para educar seus trabalhadores.

Ainda assim Sir Philip alguns anos atrás transferiu um bilhão de libras [equivalentes a 2,6 bilhões de reais] em dividendos offshore e parece que não está nem um pouco disposto a pagar por isso. Por que ninguém se irrita e o responsabiliza? Eu sei que ele emprega caros advogados tributaristas e que tudo o que faz é legal, mas tem de enfrentar questões éticas e morais tão grandes quanto as colocadas para o jovem bandido que invadiu uma das lojas de Sir Philip para furtá-lo?

Nossos políticos — apoiados como fariseus na perna de trás, ontem, no Parlamento — são tão ruins quanto o Sir Philip. Eles já demonstraram que estão preparados para ignorar a decência e, algumas vezes, para violar a lei. David Cameron está feliz em ter alguns dos piores exemplos no ministério. Considerem por exemplo o Francis Maude, que é encarregado de enfrentar o desperdício no setor público — o que os sindicatos dizem que é eufemismo para guerrear contra trabalhadores de baixa renda. Ainda assim o sr. Maude ganhou milhares de libras ao violar o espírito, embora não a lei, na ajuda de custo dada aos parlamentares.

Muito se falou nos últimos dias da cobiça dos saqueadores por bens de consumo, inclusive pelo deputado de Rotherham, Denis MacShane, que afirmou com justeza, “o que os saqueadores queriam eram alguns minutos no mundo do consumo da Sloane Street”. Isso dito por um homem que usou 5.900 libras [o equivalente a 15.400 reais] de sua ajuda de custo para comprar oito laptops. Naturalmente, como um parlamentar, ele obteve os computadores legalmente, usando dinheiro público.

Ontem, o veterano deputado Gerald Kaufman pediu ao primeiro-ministro para avaliar como os saqueadores poderiam ser “reconquistados” pela sociedade. Sim, este é o mesmo Gerald Kaufman que pediu o reembolso de 14,301.60 libras [equivalentes a 37 mil reais] em três meses, inclusive 8,865 libras [equivalentes a 23 mil reais] por um aparelho de TV da Bang & Olufsen.

Ou considere o deputado de Salford, Hazel Blears, que tem pedido medidas duras contra os saqueadores. Eu acho difícil fazer qualquer distinção entre os golpes de Blears na ajuda de custo e na sonegação de impostos e os roubos na cara dura perpetrados pelos saqueadores.

O primeiro-ministro não demonstrou sinal de que entendeu que alguma coisa cheirava mal ontem no debate do Parlamento. Ele falou em moralidade, mas como algo que só se aplica aos muito pobres: “Vamos restaurar uma sensação de moralidade e responsabilidade — em toda cidade, em toda rua, em toda casa”. Ele parece não ter entendido que isso deveria ser aplicado também aos ricos e poderosos.

A verdade trágica é que o sr. Cameron em pessoa é culpado de não passar no teste da moralidade. Fazem apenas seis semanas ele apareceu sorridente na festa de verão da News International [a empresa de Rupert Murdoch], embora o grupo de mídia estivesse àquela altura não apenas sob uma, mas duas investigações policiais. Mais notadamente, ele deu uma posição de destaque no governo ao ex-editor do tabloide News of the World Andy Coulson, embora soubesse àquele altura que Coulson tinha se demitido depois que atos criminosos foram cometidos por subordinados. O primeiro-ministro desculpou a incapacidade desprezível de Coulson alegando que  “todo mundo merece uma segunda oportunidade”. Foi interessante que ontem ele não falou sobre uma segunda chance, quando prometeu punição exemplar para os amotinados e saqueadores.

Este duplo padrão de Downing Street [sede do governo britânico] é sintomático dos duplos padrões que existem no topo de nossas sociedades. Deveria ficar claro que a maioria das pessoas (inclusive, eu sei, os leitores do Telegraph) continuam a acreditar em honestidade, decência, trabalho duro e em colocar de volta na sociedade tanto quanto se tira dela.

Mas há os que não pensam assim. Certamente, os assim chamados jovens ferozes não se importam com decência e moralidade. Mas também os ricos e poderosos venais — muitos de nossos banqueiros, jogadores de futebol, homens de negócio e políticos.

Naturalmente, a maioria deles é inteligente e suficientemente rica para obedecer as leis. O mesmo não pode ser dito dos jovens homens e mulheres, sem esperança ou aspirações, que causaram a confusão e o caos nos últimos dias. Mas os amotinados tem esta defesa: eles estão apenas seguindo o exemplo das figuras respeitadas de nossa sociedade. Vamos considerar que muitos dos jovens de nossas metrópoles nunca foram treinados em valores decentes. Tudo o que conhecem é a barbárie. Nossos políticos e banqueiros, por outro lado, estiveram em boas escolas e universidades e tiveram as melhores oportunidades na vida.

Alguma coisa terrivelmente errada aconteceu no Reino Unido. Se vamos confrontar os problemas expostos na semana que passou, é essencial levar em conta que eles não existem apenas nos núcleos habitacionais.

A cultura da ganância e da impunidade que temos testemunhado em nossas telas de TV se estende até as sedes de empresas e ao ministério. Chega à polícia e a boa parte de nossa mídia. Não é apenas a juventude danificada, é o Reino Unido em si que precisa de reforma moral.

http://blogs.telegraph.co.uk/news/peteroborne/100100708/the-moral-decay-of-our-society-is-as-bad-at-the-top-as-the-bottom/

 
41 Comentários

Publicado por em agosto 17, 2011 em Uncategorized

 

41 Respostas para “A hipocrisia da “sociedade capitalista”

  1. JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

    agosto 19, 2011 at 9:43 am

    Olha a analise e os dados sobre o velho continente e a “America” da juventude , hoje:

    http://www.viomundo.com.br/humor/revista-esquerdista-fala-em-guerra-de-classes-mundial.html

     
  2. Proftel

    agosto 18, 2011 at 5:42 pm

    A Europa hoje é um barril de pólvora, 20% de desemprego na Espanha, Grécia pendurada, Irlanda então nem se fala (aqui perto há um distrito de Pirenópolis onde 80% do pessoal tinha familiares trabalhando em frigoríficos na Irlanda, a maioria já voltou.
    O nome do distrito é Radiolândia, sempre que ia lá abastecia a geladeira com carne da boa, a última vez que estive lá foi em março (R$ 14,00 o preço do ” filé minhão” ou qualquer carne de primeira, 12 o quilo da de segunda).
    Taí uma “currutela” interessante, é “fim de linha”, fica a 5Km da rodovia, você chega lá e parece que está num bairro nobre de qualquer cidade, cada casa caprichada que precisa ver kkkk – há uma com telhado cor-de-rosa (acho que para melhor visualizar no Google Earth).

    🙂

     
  3. Patriarca da Paciência

    agosto 18, 2011 at 12:35 pm

    Meu caro, jesuseraComunista,

    Concordo com quase tudo que você diz. Sua interpretação de Marx é bem parecida com a que faço.

    E Jesus não só era comunista como foi o verdadeiro criador do comunismo.

    As muitas religões que que se utilizam do nome de Jesus pouco tem a ver com os verdadeiros

    ensinamentos de Jesus.

     
    • alfalante

      agosto 18, 2011 at 10:23 pm

      Patriarca

      Sem sombra de dúvida.

      Seja bem vindo.

       
  4. BRANCALEONE

    agosto 17, 2011 at 10:06 pm

    Volta e meia me aparecem com este papo de que o capitalismo está indo embora, que isso e que aquilo porque Marx disse assim ou assado e que finalmente está na hora do povaréu (comunistamente chamado de proletariado) assumir as rédeas da humanidade…
    Históricamente, cada vez que o povaréu “tomou as rédeas” as coisas descambaram pra anarquia (vide Revolução Francesa) – a própria revolução russa apenas trocou o Tzar por Stalin e a nobreza tzarista foi substituida pela nobreza comunista…
    De qualquer maneira pode-se até tentar o comunismo mas o grande problema do marxismo é a sua dependencia em ser gerido por humanos mortais e comuns que são seres com vaidades, ganancias, necessidades e desejos – características opostas ao comunismo. Talvez se os administradores comunistas fossem seres superiores, honestérimos, competentíssimos e incorruptivilissimos até que podia funcionar mas de uma forma ou de outra, em pouco tempo estaríamos num beco sem saída mais ou menos como o de agora.
    Bom, os líderes comunistas sempre poderão recorrer a muros, gulags, tropas, tanques e outros métodos tão ou mais criminosos que os métodos capitalistas e assim prolongar a agonia do populacho.
    Uns acreditam que a salvação da humanidade depende de fatores como soliedaridade, amor social e desapego às coisas materiais – Bom, convenhamos que então a sociedade está f… já que estas características nos tornariam alguma coisa meio bovina, meio colméia sem nenhum dos traços que tão orgulhosamente nos distinguem dos demais seres do planeta.
    Pode ser lindo e romântico imaginar um mundo habitado por uns 10 bilhões de seres da mesma espécie convivendo harmoniosamente sem brigar por comida, água, combustível, moradia e emprego mas é óbviamente e ululantemente impossível.
    Pode até ser que o capitalismo acabe mas com a mais absoluta certeza ele não será substituido pelo comunismo. Comunismo é antinatural e principalmente anti-humano.

     
  5. Jesus era Comunista

    agosto 17, 2011 at 8:57 pm

    Exatamente o que eu estou falando.

    Estão desviando dinheiro do trabalhador mas não é para isto ou para aquilo. é pura ganância.

    Ao receber menos o mercado diminui, exatamente o que estou falando.

    Veja:

    —————————————————-

    ” motivam-se pelos custos mínimos, para economizar e fazer caixa, mas isso implica menos dinheiro nas mãos dos empregados, o que significa que eles terão menos dinheiro para gastar, o que repercute na diminuição da receita das companhias. ”

    ———————————————

    Ou seja o mercado diminui.

    O sucesso do capitalismo tem que ser via fraternidade, o capitalismo tem que se preocupar em remunerar cada vez mais o trabalhador. É um bom investimento, porquê acaba voltando para o capitalista.

    ——————————————

    MARX:

    “Em certa altura o capitalismo pode destruir a si mesmo. Isso porque não se pode perseverar desviando a renda do trabalho para o capital sem haver um excesso de capacidade [de trabalho] e uma falta de demanda agregada. Nós pensamos que o mercado funciona. Ele não está funcionando. O que é racional individualmente … é um processo autodestrutivo”.

    ————————————————————–

    Exatamente o que eu estou falando.

    Agora vem o melhor, sendo inevitável a postura desta primeira fraternidade, para a própria sobrevivência do capitalismo, a população vai começar a ter mais cultura e entender que com quanto mais fraternidade mais lucrativo será para todos.

    O bem estar do meu vizinho – é o meu bem estar.

    E o capitalismo terá acabado.

    Maktub

     
  6. Chesterton

    agosto 17, 2011 at 8:24 pm

    AÊÊÊÊÊE^Gurizada medonha!

     
    • Jesus era Comunista

      agosto 17, 2011 at 9:06 pm

      Chegou quem estava faltando

       
  7. nuncadantes

    agosto 17, 2011 at 8:23 pm

    Jesuseracomunista,

    Nunca Marx esteve tão atual e certeiro…

    Nouriel Roubini: “Karl Marx estava certo”

    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=18266&boletim_id=984&componente_id=15824

    A crítica de Marx em vigor, agora
    Dentre outras teorias, Marx argumentou que o capitalismo tinha uma contradição interna que, ciclicamente, levaria a crises e isso, no mínimo, faria pressão sobre o sistema econômico. As corporações, disse Roubini, motivam-se pelos custos mínimos, para economizar e fazer caixa, mas isso implica menos dinheiro nas mãos dos empregados, o que significa que eles terão menos dinheiro para gastar, o que repercute na diminuição da receita das companhias.

    Agora, na atual crise financeira, os consumidores, além de terem menos dinheiro para gastar devido ao que foi dito acima, também estão motivados a diminuírem os custos, a economizarem e a fazerem caixa, ampliando o efeito de menos dinheiro em circulação, que assim não retornam às companhias.

    “Karl Marx tinha clareza disso”, disse Roubini numa entrevista ao The Wall Street Journal: “Em certa altura o capitalismo pode destruir a si mesmo. Isso porque não se pode perseverar desviando a renda do trabalho para o capital sem haver um excesso de capacidade [de trabalho] e uma falta de demanda agregada. Nós pensamos que o mercado funciona. Ele não está funcionando. O que é racional individualmente … é um processo autodestrutivo”.

     
  8. JesuseraComunista

    agosto 17, 2011 at 6:50 pm

    Surf

    Não acredito que você fale isso. Cara não tem nada a ver com o que você ta falando, você encasquetou essa dialética broxolista capitalista, que não consegue ver mais nada?

    Roda o lado B, quer dizer, do ponto de vista da dialética.

    Capitalista sem lucro não existe, não é ser bonzinho, é permitir que o mercado aumente, mas o mercado, não é o CEASA, mercado é gente.

    Gente precisa de dinheiro, e capitalista precisa de gente o dinheiro é consequência do uso de gente.

    No people, no money.

    Se a ganância dos caras chega ao ponto de não comprar a comida para a galinha dos ovos de ouro ela morre. É assim nos USA.

    Eles não permitem imposto para os ricos, só para os pobres, o mercado está ruindo.

     
    • surfando na jaca

      agosto 17, 2011 at 8:11 pm

      Caboclo, tu é ruim de entendimento. Agora vc. vem com consumo e capitalismo. Vc. fala isso porque está inserido no mercado, mas quem já está fora permanecerá e a exclusão pode aumentar. Por outro lado, não tem capitalismo com pleno emprego e sem crises periódicas,devido à própria natureza desse sistema, que é especulativo. A demanda não se equilibra sempre com a oferta, já que regula (desregula) é o mercado. Mas no momento, a luta é essa, gerar emprego e crescer o consumo. Acontece que já falei que o capitalismo não pode remunerar decentemente o trabalho sem cortar nos lucros. Vide a Zara com o trabalho escravo. A questão mais complicada é como fazer alguém ser estimulado ao trabalho sem criar diferenças sociais gritantes. Outra coisa,não fui eu que escrevi, mas os barbudos.

       
    • surfando na jaca

      agosto 17, 2011 at 8:13 pm

      Vejo tudo com os olhos qua vida me deu. Zóios cansados e interrogadores.

       
  9. surfando na jaca

    agosto 17, 2011 at 6:26 pm

    Carecão de Jesus, ser fraterno com o próximo é querer que ele tenha as mesmas condições de vida do que vc. Então, se o capitalista for fraterno estaremos no comunismo. Engels contava a história do socialismo utópico dando um exemplo de um empresário inglês que resolveu ser bonzinho. Criou uma fábrica com custos elevados para o conforto da mão de obra. Resultado: faliu! O produtor no capitalismo precisa repassar seus custos para a mercadoria e como os dele eram elevados, a margem de lucro não permitiu que mantivesse o paraíso capitalista da fraternidade. Sabe o que acho,que vc. é muito simplificador nesse papo de fraternidade e ame o próximo. Além do que, muitos empregos não pedem estudo e precisam ser realizados. Essa é outra falácia: resolver as injustiças só pela educação. Olha para o futuro, careca de Jesus! Mas para ser socialista é preciso ser fraterno com a humanidade.

     
  10. surfando na jaca

    agosto 17, 2011 at 5:05 pm

    O futuro me absolverá. O restolho dessa direitada vai ser sepultada pelo trem da História. Esse Broncão vai ser olhado como nós olhamos para os traficantes de escravos do século XIX. O futuro me pertence, o resto ficará sem futuro e será ridicularizado pelos que virão. Os que ficam nesse mantra “o comunismo faliu” verão, ou melhor , não verão, as gerações de nossos bisnetos reerguer a bandeira do socialismo, quem sabe. Um dia ela chegará ou seremos destruídos pela barbárie, pelos Broncões do capitalismo.

     
    • JesuseraComunista

      agosto 17, 2011 at 6:05 pm

      Surf

      A fraternidade é se importar com o próximo, sem ela não teremos igualdade nem liberdade.

      Se o capitalista não passar a ter fraternidade, vai matar a galinha dos ovos de ouro. Que é o que está acontecendo.

      Não dar chance ao povo, a igualdade da educação, a igualdade de comida, é diminuir mercado é diminuir o potencial de mais gente a ser explorada. Povo sem dinheiro não faz parte do mercado, povo sem dinheiro é marginal, é povo querendo fazer invasão de supermercado.

      O que faliu o comunismo foi a falta de fraternidade e achar que o comunismo tem que ser universal, no peito e na marra.

       
      • JesuseraComunista

        agosto 17, 2011 at 6:06 pm

        Parece replay do que eu falava no blog do jornalista

         
      • surfando na jaca

        agosto 17, 2011 at 6:24 pm

        Carecão de Jesus, ser fraterno com o próximo é querer que ele tenha as mesmas condições de vida do que vc. Então, se o capitalista for fraterno estaremos no comunismo. Engels contava a história do socialismo utópico dando um exemplo de um empresário inglês que resolveu ser bonzinho. Criou uma fábrica com custos elevados para o conforto da mão de obra. Resultado: faliu! O produtor no capitalismo precisa repassar seus custos para a mercadoria e como os dele era elevado, a margem de lucro não permitiu que mantivesse o paraíso capitalista da fraternidade. Sabe o que acho,que vc. é muito simplificador nesse papo de fraternidade e ame o próximo. Além do que, muitos empregos não pedem estudo e precisam ser realizados. Essa é outra falácia: resolver as injustiças só pela educação. Olha para o futuro, careca de Jesus!

         
  11. JesuseraComunista

    agosto 17, 2011 at 4:18 pm

    Brancaleone,

    só chegou um comentário mesmo.

    Se os caras não tivessem feito isso nós não estaríamos sabendo o que acontece no porão do Castelo da realeza, achando que tudo lá é maravilhoso e lindo e nós é que somos uma merda com esse governo petista.

     
    • surfando na jaca

      agosto 17, 2011 at 5:07 pm

      Mando comentário e cai a canexão. Coisa dessa direitaiada. O futuro me absolverá. O restolho dessa direitada vai ser sepultada pelo trem da História. Esse Broncão vai ser olhado como nós olhamos para os traficantes de escravos do século XIX. O futuro me pertence, o resto ficará sem futuro e será ridicularizado pelos que virão. Os que ficam nesse mantra “o comunismo faliu” verão, ou melhor , não verão, as gerações de nossos bisnetos reerguer a bandeira do socialismo, quem sabe. Um dia ela chegará ou seremos destruídos pela barbárie, pelos Broncões do capitalismo.

       
  12. BRANCALEONE

    agosto 17, 2011 at 3:43 pm

    Cada vez que mando um comentário, cai a conexão e é só no Alfalante – deve ser coisa da comunistaiada…
    Por isso pode até ser que meu comentário saia duplicado. Acabei de mandar um que caiu e to mandando outro e numa destas aparecem os dois aí…

    Mas vamos lá…
    Absolutamente nada contra cidadãos que se organizam e saem às ruas protestando contra ou a favor qualquer coisa. Pode ser parada gay, nazi-fascitas, feministas, contra policiais assasinos ou os cambau que seja. Direito é direito e não se discute.

    MAS AS HORDAS DE F. DA P. QUE SAIRAM PELAS RUAS INGLESAS SAQUEANDO E MATANDO TINHA MAIS É QUE TER SIDO ABATIDAS Á BALA!!!

    O fato deles serem “pobrezinhos vitimados pelo capitalismo e pela globalização” não dá a eles o direito de incendiar e roubar a meno é claro que seja dado aos capitalistas e globalizados o direito de atirar nestes cretinos quando eles se aproximarem de seus estabelecimentos…

    Uns e outros acharam muito bonito e justo o que a canalhada fez pelas rua inglesas. Uns pobres diabos destituidos de noção até consideraram isso uma forma de “protesto” quando na verdade não passou de um imenso arrastão criminoso.

    Imensos discursos pró-vãndalos brotaram pela internet e como sempre, a culpa é da direita…

    Tivessem estes crapulazinhos incendiários feito esta esbórnia em algum dos atualmente extinto “paraísos proletários” certamente seriam metidos em vagões de gado e remetidos para os cafundós de algum gulag, onde trabalhariam na marra até a morte em nome de algum “plano quinquenal”.

    E antes que eu esqueça – “Deus salve a Rainha”!!!!

     
  13. JesuseraComunista

    agosto 17, 2011 at 3:15 pm

    Pior que Marx śo dois …

    1. Nascerá do capitalismo em desagregação, pois um sistemae conômico-social só pode ser suplantado quando se torna indequado para as novas forças que emergem dele próprio, ou seja, dos trabalhadores que são maioria. E o que Marx não viu, do esgotamento dos recursos naturais.

    Já aconteceu na Rússia.

    O COMUNISMO FALIU!

    Por falta de fraternidade os chipas lá voltaram a ser capitalistas.

    2. A nova sociedade não pode ser miserável, pois terá de ser a superação do capitalismo.

    Puras palavras sem sentido REAL.

    3. Não poderá ser uma ditadura de qualquer espécie. Marx sempre condenou ditaduras e governos militaristas, como os jacobinos. Será a democracia da maioria contra o capital, e chamou de ditadura do proletariado,mas não poderia ser uma ditadura política como entendemos.

    Quanta babaquice pelo amor…..

    4.Precisará de um Estado que administre a transição para o igualitarismo comunista. Esse éo problema de um governo socialista ser democrático quando é atacado pelas forças do capitalismo. O socialismo real, stalinista etc, sempre viveu ameaçado e combatendo o mundo capitalista desde a revolução bolchevique. Isso só serápossível quando as forças do capitalismo estiverem inoperantes.

    Tadinho do Marx – não soube nem colar do Jesus

    5. O socialismo deverá ser hegemônico no sistema mundial. O socialismo real foi um regime de periferia do capitalismo, a começar pela Rússia czarista.

    Eu fico com pena do Marx, sem sacanagem, pobre mente pouco prática.

    Quando um país der certo o resto vai correr para se dar bem, não fossemos nós macacos.

    6. A fraternidade entre os seres homens, mulheres e GLS só será possível na própria luta e com a superação da barbárie capitalista, que adota o mercado concorrencial como filosofi

    Que besteira, se os capitalistas não se tornarem fraternos eles vão acabar com o mercado, acabando o capitalismo.

    Se os comunistas não forem fraternos vão se lascar, como o que aconteceu na Rússia.

    7. Todo processo histórico de superação de uma sociedade não se fez de forma rápida,mas secular, até que um sistema apodreça leva muito tempo. Mas nós somos seres de nossa existência e queremos realizar nossos sonhos. Então, é lutar contra o sistema para ele ir desmanchando mais rápido. Por isso não vejo fim do socialismo real=fim do socialismo. E nem será assim, pois o socialismo já nasceu dessa desagregação do capitalismo. Na luta mortal entre capital e trabalho.

    Quanta babaquice, já foi provado o contrário

    8. Por isso, considero minhas crenças como inabaláveis diante de qualquer jumentície dita, xingada ou vivida.

    Todo burro empaca, fazer o quê?

     
    • surfando na jaca

      agosto 17, 2011 at 3:34 pm

      Carecão, seus comentários são bestiais. Não farei réplica, pois o que lhe falta é leitura. Seria desgastante seguir em frente com isso. Não tenho tempo. Mas veja que seus argumentos são de fundo do não gosteie coitadinho da burrice de Marx. Nem dá para levar em consideração esse bestiário. Essa fraternidade boiolista sua é que não sei o que é. Diga-me, vc. imagina que o assistencialismo resolverá as mazelas do capitalismo? Ou é fraternidade de sair abraçando os outros pela rua? A história do socialismo só começou. A revolução francesa também derrotou a república e o igualitarismo pequeno-burguês dos jacobinos, o Napoleão foi derrotado e as monarquias acharam que tinham ganhado o jogo, mas logo depois a república se sagrou vitoriosa e segue até nossos dias. Processo histórico não é coisa para mentes pequenas ou Paulo Coelho.

       
      • JesuseraComunista

        agosto 17, 2011 at 4:14 pm

        Vamos ver, não nós, os descendentes.

        A revolução francesa era pela:

        igualdade, liberdade

        depois, como viram que esse troço só não ia dar em nada se não tivesse o fundamental colocaram:

        FRATERNIDADE

        Aí ficou:

        LIBERDADE, IGUALDADE, FRATERNIDADE

        LIBERTÉ, EGALITÉ, FRATERNITÉ

        Até hoje não conseguimos nem chegar perto de nenhum dos três objetivos.

        Maktub

         
        • surfando na jaca

          agosto 17, 2011 at 5:03 pm

          O futuro me absolverá. O restolho dessa direitada vai ser sepultada pelo trem da História. Esse Broncão vai ser olhado como nós olhamos para os traficantes de escravos do século XIX. O futuro me pertence, o resto ficará sem futuro e será ridicularizado pelo que virão. Os que ficam nesse mantra “o comunismo faliu” verão, ou melhor , não verão, as gerações de nossos bisnetos reerguer a bandeira do socialismo, quem sabe. Um dia ela chegará ou seremos destruídos pela barbárie, pelos Broncões do capitalismo.

           
  14. JesuseraComunista

    agosto 17, 2011 at 3:07 pm

    Esse tal de Marx era um enrustido.

    Copiou mal, colou mal, pensou mal.

    Tudo isso aí que você falou é pura e simples bobagem (heheheheheeheh – quem quiser que segure)

    Eu tinha um mestre que me disse o seguinte:

    ” Tudo na natureza é simples. Quando estamos descobrindo algo novo na ciência as teorias são complicadíssimas, a medida que os fatos vão sendo entendidos, ela vai-se tornando simplíssima, como tudo na natureza”

    Essa baboseira ai dita ou dialéctica broxista materialista não faz o menor sentido.

    Fraternidade basta.

    Quando começarmos a ter fraternidade tudo vai dar certo e quanto mais der certo mais seremos fraternos e ao nos tornarmos essencialmente fraternos (exemplo deste estado máximo de fraternidade: você fazendo cafuné na Confetti e Memento ajudando) o comunismo já estará instalado.

    Maktub

     
    • surfando na jaca

      agosto 17, 2011 at 3:10 pm

      Tu estás chegado a um quibe cru, companheiro Carecão. Para com essa droga de ler só Paulo Coelho!

       
      • JesuseraComunista

        agosto 17, 2011 at 3:34 pm

        Maktub é apenas uma expressão que significa :

        Está escrito

        Você é que está com disritmia cerebral e confunde tudo.

         
  15. surfando na jaca

    agosto 17, 2011 at 2:52 pm

    Repetindo:
    Carecão de Jesus, eu não vou dizer que vc. desandou na maionese, porque o FDA qualquer hora chega aqui para detoná-lo. Se vc. estudasse a história do socialismo, veria que seu discurso já foi registrado no século XVIII, no mínimo,se não recuarmos até a revolução inglesa. Mas o socialismo real fez a teoria socialista regredir até seu discurso. É claro que os capitalistas adoraram o fim da Guerra Fria. Nós vamos aprender a criar um nova sociedade e ela terá os seguintes aspecto já descritos por Marx, só na base da lógica dialética do materialismo historico:
    1. Nascerá do capitalismo em desagregação, pois um sistemae conômico-social só pode ser suplantado quando se torna indequado para as novas forças que emergem dele próprio, ou seja, dos trabalhadores que são maioria. E o que Marx não viu, do esgotamento dos recursos naturais.
    2. A nova sociedade não pode ser miserável, pois terá de ser a superação do capitalismo.
    3. Não poderá ser uma ditadura de qualquer espécie. Marx sempre condenou ditaduras e governos militaristas, como os jacobinos. Será a democracia da maioria contra o capital, e chamou de ditadura do proletariado,mas não poderia ser uma ditadura política como entendemos.
    4.Precisará de um Estado que administre a transição para o igualitarismo comunista. Esse éo problema de um governo socialista ser democrático quando é atacado pelas forças do capitalismo. O socialismo real, stalinista etc, sempre viveu ameaçado e combatendo o mundo capitalista desde a revolução bolchevique. Isso só serápossível quando as forças do capitalismo estiverem inoperantes.
    5. O socialismo deverá ser hegemônico no sistema mundial. O socialismo real foi um regime de periferia do capitalismo, a começar pela Rússia czarista.
    6. A fraternidade entre os seres homens, mulheres e GLS só será possível na própria luta e com a superação da barbárie capitalista, que adota o mercado concorrencial como filosofia.
    7. Todo processo histórico de superação de uma sociedade não se fez de forma rápida,mas secular, até que um sistema apodreça leva muito tempo. Mas nós somos seres de nossa existência e queremos realizar nossos sonhos. Então, é lutar contra o sistema para ele ir desmanchando mais rápido. Por isso não vejo fim do socialismo real=fim do socialismo. E nem será assim, pois o socialismo já nasceu dessa desagregação do capitalismo. Na luta mortal entre capital e trabalho.
    8. Por isso, considero minhas crenças como inabaláveis diante de qualquer jumentície dita, xingada ou vivida.

     
  16. JesuseraComunista

    agosto 17, 2011 at 1:47 pm

    HRP

    Fico preocupado já que, assim me parece, temos pensamentos semelhantes.

    A minha pergunta é:

    O que podemos fazer para mudar o contexto?

    Se eu retratar um relógio como um simples relógio ele teria tanta atenção quanto pintar um relógio derretido?

    No caso nem procuro retratar o relógio como derretido. Eu sei que nossa sociedade é composta de seres humanos, sei também que mesmo se achando lindos e inteligentes, na realidade são míopes quanto a realidade. Os caras veem uma revolta e só querem baixar o pau, quando na realidade eles, nós, sociedade, é que a provocamos ao não darmos a mesma oportunidade a todos.

    Se eu falar, vamos implantar o comunismo, eu estaria me igualando a eles na miopia, porque o comunismo requer fraternidade.

    Ora, a turma culpa o capitalismo pela situação, mas para sobreviver o capitalismo deveria ser mais fraterno que é, porque senão ele vai acabar, porque na realidade, parece que o mundo capitalista está falindo como faliu o Czar lá na Rússia.

    A merda estava tão feia que os caras implantaram o comunismo que deu jeito até os caras começarem a ter. Quando começaram a ter endoidaram. Obrigaram os outros a virarem comunistas e tudo o mais que aconteceu. Então o comunismo faliu, pelo mesmo motivo que o capitalismo vai falir.

    Porque?

    Porque o cara que tem não precisa ser fraterno. E não sendo fraterno não há regime que dê jeito.

    Precisamos ser fraternos, nos preocupar com quem não tem.

    Veja o caso do Brasil, o Lula implantou aí esses planos de ajuda, o que aconteceu, a turma com um pouco mais dinheiro começou a comer, comprou um fogãozinho e o que aconteceu, a economia bombou porque ?

    Porque o mercado aumentou.

    O pobre ganhou?

    Muito, pelo menos a barriga encheu.

    O capitalista ganhou?

    Foi o que mais ganhou. Tudo volta para ele.

    Então qual é a conclusão?

    Que se os capitalistas forem fraternos, todos ficam bem e eles muito mais.

    Então vamos nos transformar primeiro em fraternos.

    Todo mundo vai ganhar.

    Surf qual é a anáĺise vista pela ótica dialética exorcista materialística?

     
    • JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

      agosto 17, 2011 at 2:26 pm

      Eu costumo pensar que tudo é questão de solidariedade, amor, respeito, e caridade.
      Rasteiro pensar que podemos só com livros e teorias mudar o espirito do homem, dando-lhe destinos e sonhos ou novos comportamentos. Dentro de cada um há o livre arbitrio e uma personalidade, mutante em evoulução
      As grandes mudanças nossas , interiores, sempre serão por nossa vontade.
      Hoje o homem é torto, e precisa aprender com os erros.
      Um erro é o capitalismo, como o foi e é a tentativa do “comunismo perneta, que foi o da URSS.
      Mas a tese de Marx é certa, rumamos para um mundo socialista, aonde os desejos em demasia, a busca pelo poder, pelas posses se esvairá, e viveremos em harmonia.
      Mas demora!
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

       
      • JesuseraComunista

        agosto 17, 2011 at 2:50 pm

        É com certeza, mas é sofrido, milhões de crianças, e adultos morrem de fome, Os capitalistas são umas bestas, o mercado está diminuindo.

        Sem dúvida do ponto de vista da estatística parece mesmo que a coisa melhora, mas quem sente a dor da cacetada no lombo é o que salvaria da desgraça o capitalista.

         
    • JesuseraComunista

      agosto 17, 2011 at 2:38 pm

      Se pensar bem, o que o Lula fez foi o que falta ao capitalismo, ser fraterno. Com o dinheiro dos impostos ele permite a maioria da população melhorar de vida.

      Se os capitalistas já tivessem feito isto eles estariam como estão agora a muito mais tempo.

      Essa medida implica em que?

      A massa que não consumia agora consome aumentando o mercado, aumentando o mercado acontece o que?

      O cara que não tem emprego se torna empregado, e não precisa mais da ajuda.

      Agora, os capitalistas não abrem mão de um tostão e se tornam tão míopes que vão decretar o caos, porque cada vez diminuem mais o mercado.

      É o que acontece nos USA, taxação só para pobre, diminuindo o mercado. O rico não é taxado, arrocho nos salários, o que o Michael Moore estava falando aqui nestas páginas o outro dia etc então se há arrocho nos salários o faturamento das empresas diminui, o lucro diminui, então mais arrocho nos salários, mais diminuição do mercado e por aí vai, mais os trambiques e os USA estão virando URSS, aja cacetete para dar no povo daqui a pouco.

      A usura dos caras estão acabando com o mundo capitalista. Estes capitalistas não tem nem ideia do que acontece.

       
    • surfando na jaca

      agosto 17, 2011 at 2:50 pm

      Carecão de Jesus, eu não vou dizer que vc. desandou na maionese, porque o FDA qualquer hora chega aqui para detoná-lo. Se vc. estudasse a história do socialismo, veria que seu discurso já foi registrado no século XVIII, no mínimo,se não recuarmos até a revolução inglesa. Mas o socialismo real fez a teoria socialista regredir até seu discurso. É claro que os capitalistas adoraram o fim da Guerra Fria. Nós vamos aprender a criar um nova sociedade e ela terá os seguintes aspecto já descritos por Marx, só na base da lógica dialética do materialismo historico:
      1. Nascerá do capitalismo em desagregação, pois um sistemae conômico-social só pode ser suplantado quando se torna indequado para as novas forças que emergem dele próprio, ou seja, dos trabalhadores que são maioria. E o que Marx não viu, do esgotamento dos recursos naturais.
      2. A nova sociedade não pode ser miserável, pois terá de ser a superação do capitalismo.
      3. Não poderá ser uma ditadura de qualquer espécie. Marx sempre condenou ditaduras e governos militaristas, como os jacobinos. Será a democracia da maioria contra o capital, e chamou de ditadura do proletariado,mas não poderia ser uma ditadura política como entendemos.
      4.Precisará de um Estado que administre a transição para o igualitarismo comunista. Esse éo problema de um governo socialista ser democrático quando é atacado pelas forças do capitalismo. O socialismo real, stalinista etc, sempre viveu ameaçado e combatendo o mundo capitalista desde a revolução bolchevique. Isso só serápossível quando as forças do capitalismo estiverem inoperantes.
      5. O socialismo deverá ser hegemônico no sistema mundial. O socialismo real foi um regime de periferia do capitalismo, a começar pela Rússia czarista.
      6. A fraternidade entre os seres homens, mulheres e GLS só será possível na própria luta e com a superação da barbárie capitalista, que adota o mercado concorrencial como filosofia.
      7. Todo processo histórico de superação de uma sociedade não se fez de forma rápida,mas secular, até que um sistema apodreça leva muito tempo. Mas nós somos seres de nossa existência e queremos realizar nossos sonhos. Então, é lutar contra o sistema para ele ir desmanchando mais rápido. Por isso não vejo fim do socialismo real=fim do socialismo. E nem será assim, pois o socialismo já nasceu dessa desagregação do capitalismo. Na luta mortal entre capital e trabalho.
      8. Por isso, considero minhas crenças como inabaláveis diante de qualquer jumentície dita, xingada ou vivida.

       
  17. JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

    agosto 17, 2011 at 1:37 pm

    Um Cão Andaluz.
    Uau!
    Cinema de verdade.
    Saudade imensa de Luis Buñel.
    Dos meus tempos de Cine Independencia, Roxy,Gonzaga, e da turma cinéfila da minha Santos.

     
  18. JesuseraComunista

    agosto 17, 2011 at 1:11 pm

    HRP

    Corretíssimo.

    ——————————–

    Visão surrealista

    As características deste estilo: uma combinação do representativo, do abstrato, do irreal e do inconsciente. Entre muitas de suas metodologias estão a colagem e a escrita automática. Segundo os surrealistas, a arte deve se libertar das exigências da lógica e da razão e ir além da consciência cotidiana, buscando expressar o mundo do inconsciente e dos sonhos.

    No manifesto e nos textos escritos posteriores, os surrealistas rejeitam a chamada ditadura da razão e valores burgueses como pátria, família, religião, trabalho e honra. Humor, sonho e a contralógica são recursos a serem utilizados para libertar o homem da existência utilitária. Segundo esta nova ordem, as ideias de bom gosto e decoro devem ser subvertidas.

    A escrita automática procura buscar o impulso criativo artístico através do acaso e do fluxo de consciência despejado sobre a obra. Procura-se escrever no momento, sem planejamento, de preferência como uma atividade coletiva que vai se completando. Uma pessoa escreve algo num papel e outro completa, mas não de maneira lógica, passando a outro que dá sequência. O filme Um Cão Andaluz, de Luis Buñuel, por exemplo, é formado por partes de um sonho de Salvador Dalí e outra parte do próprio diretor, sem necessariamente objetivar-se uma lógica consciente e de entendimento, mas um discurso inconsciente que procura dialogar com outras leituras da realidade.

    Salvador Dalí e René Magritte criaram as mais reconhecidas obras pictórias do movimento. Dalí entrou para o grupo em 1929, e participou do rápido estabelecimento do estilo visual entre 1930 e 1935.

    Surrealismo como movimento visual tinha encontrado um método: expor a verdade psicológica ao despir objetos ordinários de sua significância normal, a fim de criar uma imagem que ia além da organização formal ordinária.

    Em 1932 vários pintores Surrealistas produziram obras que foram marcos da evolução da estética do movimento: La Voix des Airs, de Magritte, é um exemplo deste processo, onde são vistas três grandes esferas representando sinos pendurados sobre uma paisagem. Outra paisagem Surrealista deste mesmo ano é Palais Promontoire, de Tanguy, com suas formas líquidas. Formas como estas se tornaram a marca registrada de Dali, particularmente com sua obra A Persistência da Memória, na qual relógios de bolso derretem

     
  19. JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

    agosto 17, 2011 at 1:04 pm

    As vezes esse blog torna-se surrealista!
    Vai entender!

     
  20. surfando na jaca

    agosto 17, 2011 at 12:33 pm

    E mais essa: Por três vezes, equipes de fiscalização do governo federal flagraram trabalhadores estrangeiros submetidos a condições análogas à escravidão produzindo peças de roupa da badalada marca internacional Zara, do grupo espanhol Inditex. Confiram no blog do Sakamoito.
    Capitalismo não é incompatívelcom a escravidão. Se liga, galera!

     
  21. JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

    agosto 17, 2011 at 12:24 pm

    Lendo os dois textos e lendo ainda o Surf me veio a lembrança dos contatos que tive com politicos e o que me passaram quanto a eles em nossas conversas:
    Capazes de tudo quando o seu destino politico está em jogo.
    O que os ingleses colhem hoje, mesmo querendo impor uma versão erroneo para o surgimento destes movimentos e protestos no Reino Unido, é o fruto da insensibilidade politica e social, fora ser també tudo consequencia dos anos a fio de politicas neoliberais e do financismo que a Inglaterra escolheu como pratica “progressista” tornando -se hoje o grande centro europeu de negociatas como nos provaram os tombos da crise dos derivativos de 2008!
    Paz e vida longa a voces terrestres, comprei passagem na primeira nave estelar e volto a Vulcano ainda hoje!

     
    • JesuseraComunista

      agosto 17, 2011 at 12:55 pm

      HRP

      Broncão é que tá certo, esta lenga lenga nossa apesar de correta, não interessa em nada os orangotango$ do poder e os chipanzés não tem a menor visão de nada.

      E fica tudo como dantes no quartel de Abrantes.

      A tal democracia só serve para escolher o barão.

       
  22. surfando na jaca

    agosto 17, 2011 at 12:12 pm

    Muito bom os posts sobre a barbárie capitalista. E não uso aspas, porque capitalismo é parte da barbárie, de nosso atraso mental e social. Já demonstrei por A mais B porque afirmo isso. Podem me chamar do quiserem, mas o fato é que não há conciliação possível entre trabalho e capital, ou seja, a exploração do trabalho através dos baixos salários será sempre parte do sistema capitalista de lucro e desses nababos da acumulação, que nem sabem mais o que comprar com tanto dinheiro, enquanto neguinho morre de fome na periferia explorada pelo capitalismo. Barbárie também no uso dos recursos naturais, já que é preciso produzir mercadorias a todo o custo, ainda que sejam supérfluos amparados no marketing e simbolização de status, como tem sido essa indústria de gadgets de informática. Barbárie por se guiar pelas leis do lucro, chamadas de mão invisível do mercado, ainda que contra os seres humanos.

     
    • JesuseraComunista

      agosto 17, 2011 at 12:50 pm

      Carácoles pensei que tinham pego você na Fazenda, graças, estás a salvo.

      Eu pedi para enaltecer o sistema, não para chutar, que este troço tá mais para adversário de Tysson nos bons tempos.

       

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: