RSS

Independent: Como Israel se vinga de meninos que atiram pedras

28 ago

Proftel

(sugestão do HRP)

How Israel takes its revenge on boys who throw stones

Friday, 26 August 2011, no jornal britânico Independent

O menino, pequeno e frágil, está lutando para ficar acordado. Sua cabeça pende para o lado, a certa altura caindo sobre o peito. “Levanta a cabeça! Levanta!”, grita um dos interrogadores, estapeando o menino. Mas ele a essa altura não parece mais se importar, porque está acordado por pelo menos doze horas desde que foi tirado de casa e separado dos pais às duas da manhã, sob a mira de uma arma. “Eu gostaria que vocês me soltassem”, ele choraminga, “assim eu poderia dormir um pouco”.

Durante o vídeo, de quase seis horas, o palestino Islam Tamimi, de 14 anos de idade, exausto e amedrontado, é continuamente pressionado, a ponto de começar a incriminar homens de sua vila e a tecer lendas fantásticas que, acredita, seus tormentadores querem ouvir.

Estas imagens raras, vistas pelo Independent, oferecem uma janela num interrogatório israelense, quase um rito de passagem que centenas de crianças palestinas acusadas de atirar pedras enfrentam todo ano.

Israel tem defendido fortemente seu comportamento, argumentando que o tratamento dados aos menores melhorou vastamente com a criação de uma corte militar juvenil dois anos atrás. Mas as crianças que enfrentaram a dura justiça da ocupação contam uma história bem diferente.

“Os problemas começam muito antes de as crianças serem trazidas para o tribunal, começam com a prisão delas”, diz Naomi Lalo, uma ativista do No Legal Frontiers, um grupo israelense que monitora os tribunais militares. É durante os interrogatórios que o destino da criança  “é decidido”, ela diz.

Sameer Shilu, de 12 anos, estava dormindo quando soldados derrubaram a porta da frente da casa dele uma noite. Ele e o irmão mais velho sairam do quarto com os olhos embaçados para encontrar seis soldados destruindo a sala-de-estar.

Checando o nome do menino na carteira de identidade do pai, o oficial israelense parecia “chocado” quando viu que precisava prender uma criança, disse o pai de Sameer, Saher. “Eu disse, ‘ele é muito jovem: por que você o quer?’ ‘Eu não sei’, ele respondeu”. Vendado e com as mãos dolorosamente atadas por algemas plásticas nas costas, Sameer foi colocado em um Jeep, com o pai gritando que não tivesse medo. “Nós choramos, todos nós”, o pai diz. “Eu conheço meus filhos; eles não atiram pedras”.

Nas horas que antecederam o interrogatório, Sameer foi mantido vendado e algemado, sem poder dormir. Eventualmente levado para um interrogatório sem um advogado ou parente presente, um homem o acusou de participar de uma demonstração e mostrou imagens de um menino atirando pedras, dizendo que era ele.

“Ele disse, ‘este é você’ e eu disse que não era eu. Então ele me perguntou, ‘quem são eles?’ e eu disse que não sabia”, Sammer conta. “A certa altura, o homem começou a gritar comigo, me agarrou pelo colarinho e disse ‘eu vou jogar você pela janela e te bater com um pau, se você não confessar’”.

Sameer, que se disse inocente, teve sorte; ele foi solto algumas horas depois. Mas a maior parte das crianças é amedrontada a ponto de assinar uma confissão, sob ameaça de violência física ou contra as famílias, como a da retirada das permissões de trabalho.

Quando uma confissão é assinada, os advogados geralmente orientam as crianças a aceitar um acordo e a servir uma sentença de prisão, mesmo que não sejam culpadas. Alegar inocência quase sempre representa longas ações no tribunal, durante as quais a criança quase sempre fica presa. Sentenças em favor das crianças são raras. “Numa corte militar, você deve saber que não deve procurar por justiça”, diz Gabi Lasky, uma advogada israelense que representou crianças.

Existem muitas crianças palestinas em vilas da Cisjordânia sob a sombra do Muro israelense da separação ou de assentamentos judaicos em terras palestinas. Onde grandes protestos não-violentos se deram como forma de resistência, existem crianças que atiraram pedras e patrulhas de Israel nessas vilas são comuns. Mas advogados e grupos de defesa dos Direitos Humanos protestam contra a política de Israel de tornar alvo as crianças de vilas que resistem à ocupação.

Na maioria dos casos, crianças de até 12 anos de idade são arrancadas da cama à noite, algemadas e vendadas, ficam sem dormir ou sem comida, são submetidas a longos interrogatórios e então forçadas a assinar confissões em hebreu, um idioma que poucas tem capacidade de ler.

O grupo de Direitos Humanos B’Tselem concluiu que “os direitos dos menores são severamente violados, que a lei quase sempre fracassa na proteção de seus direitos, e que os poucos direitos dados a eles sob a lei não são implementados”.

Israel alega que trata os menores palestinos no espírito de sua própria lei para jovens mas, na prática, este é raramente o caso. Por exemplo, crianças não deveriam ser presas à noite, advogados e parentes deveriam estar presentes durante os interrogatórios e é preciso ler os direitos para as crianças presas. Mas Israel trata isso como comportamento recomendando, não como exigência legal, e os direitos das crianças são frequentemente violados. Israel considera jovens israelenses como crianças até 18 anos, enquanto palestinos são vistos como adultos a partir dos 16 anos de idade.

Advogados e ativistas dizem que mais de 200 crianças palestinas estão em prisões israelenses. “Se você quer prender estas crianças, se quer julgá-las”, diz a srta. Lalo, “tudo bem, mas faça isso de acordo com a lei de Israel. Dê a elas os seus direitos”.

No caso de Islam, o menino do vídeo, a advogada dele, srta. Lasky, acredita que o vídeo é prova de sérias irregularidades no interrogatório.

Em particular, o interrogador não disse a Islam que ele tinha direito de ficar calado, e o menino foi ouvido sem a advogada, que tentou vê-lo mas não conseguiu. Em vez disso, o interrogador pediu a Islam que contasse tudo a ele e aos colegas, sugerindo que se fizesse isso ele seria solto. Um interrogador sugestivamente socou uma das mãos, fechada, na palma da outra.

Ao final do interrogatório Islam, chorando entre soluços, sucumbiu aos interrogadores, aparentemente dando a eles o que queriam ouvir. Numa página de fotografias, a mão do menino se moveu sobre as imagens, identificando moradores da vila que mais tarde seriam presos por protestar.

A srta. Lasky espera que a divulgação do vídeo mude o tratamento das crianças presas nos territórios ocupados, em particular na forma como são usadas para incriminar outros, o que advogados alegam é o principal objetivo dos interrogadores. O vídeo ajudou a conseguir a soltura de Islam, do presídio para prisão domiciliar, e pode levá-lo a ser inocentado das acusações de atirar pedras. Mas, neste momento, um Islam silencioso não acredita em sua sorte. A metros de sua casa em Nabi Saleh fica a casa de uma prima, cujo marido está preso à espera de julgamento junto com uma dúzia de outros com base na confissão do menino.

A prima é magnânima. “Ele é uma vítima, ele é apenas uma criança”, diz Nariman Tamimi, de 35 anos, cujo marido, Bassem, de 45 anos, está na prisão. “Não devemos culpá-lo pelo que aconteceu. Ele estava sob enorme pressão”.

A política de Israel tem sido bem sucedida num sentido: criar medo entre as crianças e evitar que elas participem de futuras manifestações. Mas as crianças ficam traumatizadas, sujeitas a pesadelos e a molhar a cama à noite. A maioria acaba perdendo o ano escolar, ou abandona a escola.

Os críticos de Israel dizem que a política em relação às crianças palestinas está criando uma nova geração de ativistas com os corações cheios de ódio contra Israel. Outros dizem que ela mancha o caráter do país. “Israel não tem nada que prender estas crianças, julgá-las ou oprimí-las”, a srta. Lalo diz, com os olhos marejados. “Elas não são nossas crianças. Meu país está fazendo muitas coisas erradas e as justificando. Nós deveríamos servir de exemplo, mas nos tornamos um estado opressor”.

Números de crianças detidas

7000. O número estimado de crianças palestinas detidas e processadas pelos tribunais militares israelenses desde 2000, de acordo com relatório do Defesa Internacional de Crianças Palestinas (DCIP)

87. Porcentagem de crianças submetidas a alguma forma de violência física durante a custódia. Cerca de 91% tiveram os olhos vendados em algum momento da detenção.

12. A idade mínima de responsabilidade criminal, conforme estipulado pela Ordem Militar 1651.

62. Porcentagem das crianças presas entre meia-noite e 5 da manhã.

Fonte:

http://www.viomundo.com.br/denuncias/independent-como-israel-se-vinga-de-meninos-que-atiram-pedras.html

 
98 Comentários

Publicado por em agosto 28, 2011 em Uncategorized

 

98 Respostas para “Independent: Como Israel se vinga de meninos que atiram pedras

  1. surfando na jaca

    agosto 30, 2011 at 10:38 am

    HRP, esse FDA é um vampirão. Se me dissesse que foi a Tapiti e viu lindas praias de águas claras, eu diria que sim. São invejáveis e de águas de um azul belíssimo, mas a ilha de domínio imperialista francês é uma miséria também, come-se cachorro etc e tudo caro para turismo de ricaço. Só dá para lamber com os olhos. Aliás, hoje saiu matéria sobre o crescimento da miséria na França e a concentração de renda pelos mais ricos. Depois acontece quebra-quebra e o pessoal do FDA vem com aquela cara lavada dizer que é vandalismo.

     
  2. Jesus era Comunista

    agosto 30, 2011 at 10:21 am

    Bem melhor

     
  3. Proftel

    agosto 30, 2011 at 9:30 am

    Pessoal:

    Haviam dois comentários aguardando liberação, já estão “no ar”.

    Ontem serviço pesado, cheguei em casa tão cansado que nem liguei computador.

    Só agora consegui um tempinho pra passar aqui.

    Estarei inserindo outro post daqui a pouco.

    🙂

     
  4. Patriarca da Paciência

    agosto 30, 2011 at 8:50 am

    Afinal, há ou não há um PIG no Brasil?

     
    • JOSE MARIO HRP

      agosto 30, 2011 at 9:13 am

      Alguns negam, outros a veem, sempre nas noites de lua cheia!

       
  5. JOSE MARIO HRP

    agosto 30, 2011 at 8:43 am

    Putz , postei com outro nick e aí veio a moderação!

     
  6. JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

    agosto 30, 2011 at 8:43 am

    http://noticias.r7.com/blogs/hildegard-angel/2011/08/26/joe-wallach-o-bem-amado/

    http://www.advivo.com.br/blog/gilberto-cruvinel/xodo-dos-marinho-joe-wallach-diz-que-saneou-financas-da-tv-globo

    Bailes da saudade para os fundadores da moderna PIG!
    Cia, Time Life, Marinhos, seus agentes e financistas…..samba do crioulo doido que estabeleceu o “Império do Mal”! midiático!
    , ou a continuação(aprimoramento) do golpe de 64?

     
  7. Patriarca da Paciência

    agosto 30, 2011 at 8:22 am

    Proftel, gostaria de propor mais um post.

    O tema seria: Afinal, há ou não há um PIB no Brasil?

    como base o texto do Kotscho:

    Ao voltar de Barretos (ver post anterior), o meu correio eletrônico já estava entupido de mensagens de amigos e leitores comentando e me pedindo para comentar a reportagem da revista “Veja” sobre as “atividades clandestinas” do ex-ministro José Dirceu, um dos denunciados no processo do “mensalão”, que tramita no Supremo Tribunal Federal e ainda não tem data para ser julgado.

    Só agora, no começo da tarde de segunda-feira, consegui ler a matéria. Em resumo, como está escrito na capa, sob o título “O Poderoso Chefão”, ao lado de uma foto em que Dirceu aparece de óculos escuros e sorridente, a revista faz uma grave acusação:

    “O ex-ministro José Dirceu mantém um “gabinete” num hotel de Brasília, onde despacha com graúdos da República e conspira contra o governo da presidente Dilma”.

    Para justificar a capa, a revista publica dez reproduções de um vídeo em que, além de Dirceu, aparecem ministros, parlamentares e um presidente de estatal entrando ou saindo do “bunker instalado na área vip de um hotel cinco-estrelas de Brasília, num andar onde o acesso é restrito a hóspedes e pessoas autorizadas”.

    Nas oito páginas da “reportagem” _ na verdade, um editorial da primeira à última linha, com mais adjetivos do que substantivos _ não há uma única informação de terceiros que não seja guardada pelo anonimato do “off” ou declaração dos “acusados” de visitar o bunker de Dirceu confirmando a tese da “Veja”.

    Fiel a uma prática cada vez mais disseminada na grande mídia imprensa, a tese da conspiração de Dirceu contra o Governo Dilma vem antes da apuração, que é feita geralmente para confirmar a manchete, ainda que os fatos narrados não a comprovem.

    Para dar conta da encomenda, o repórter se hospedeu num apartamento no mesmo andar do ex-ministro. Alegando ter perdido a chave do seu apartamento, pediu à camareira que abrisse o quarto de Dirceu e acabou sendo por ela denunciado à segurança do hotel Naoum Plaza, que registrou um boletim de ocorrência no 5º Distrito Policial de Brasília, por tentativa de invasão de domicílio.

    Li e reli a matéria duas vezes e não encontrei nenhuma referência à origem das imagens publicadas como “prova do crime”, o primeiro dos mistérios suscitados pela publicação da matéria. O leitor pode imaginar que as cenas foram captadas pelas câmeras de segurança do hotel, mas neste caso surgem outras perguntas:

    * Se o próprio hotel denunciou o repórter à polícia, segundo “O Globo” de domingo, quem foi que lhe teria cedido estas imagens sem autorização da direção do Naoum?

    * Se foi o próprio repórter quem instalou as câmeras, isto não é um crime que lembra os métodos empregados pela Gestapo e pelo império midiático dos Murdoch?

    * As andanças pelo hotel deste repórter, que se hospedou com o nome e telefone celular verdadeiros, saiu sem fazer check-out e voltou dando outro nome, para supostamente entregar ao ex-ministro documentos da prefeitura de Varginha, são procedimentos habituais do chamado “jornalismo investigativo”?

    As dúvidas se tornam ainda mais intrigantes quando se lê o que vai escrito na página 75 da revista:

    “Foram 45 horas de reuniões que sacramentaram a derrocada de Antonio Palocci e durante as quais foi articulada uma frustrada tentativa do grupo do ex-ministro de ocupar os espaços que se abririam com a demissão. Articulação minuciosamente monitorada pelo Palácio do Planalto, que já havia captado sinais de uma conspiração de Dirceu e de seu grupo para influir nos acontecimentos que ocorriam naquela semana (6,7 e 8 de junho, segundo as legendas das fotos) _ acontecimentos que, descobre-se agora, contavam com a participação de pessoas do próprio governo”.

    A afirmações contidas neste trecho provocam outras perguntas.

    * Como assim? Quem do governo estava conspirado contra quem do governo?

    * Por acaso a revista insinua que foi o próprio governo quem capturou as imagens e as entregou ao repórter da “Veja”?

    * Por que a reportagem/editoral só publica agora, no final de agosto, fatos ocorridos e imagens registradas no começo de junho, no momento em que o diretor de redação da revista está de férias?

    Só uma coisa posso afirmar com certeza, depois de 47 anos de trabalho como jornalista: matéria de tal gravidade não é publicada sem o aval expresso dos donos da empresa ou dos acionistas majoritários. Não é coisa de repórter trapalhão ou editor descuidado.

    Ao final da matéria, a revista admite que “o jornalista esteve mesmo no hotel, investigando, tentando descobrir que atração é essa que um homem acusado de chefiar uma quadrilha de vigaristas ainda exerce sobre tantas autoridades (…) E conseguiu. Mas a máfia não perdoa”.

    http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/

     
    • Patriarca da Paciência

      agosto 30, 2011 at 8:23 am

      Caramba Proftel,

      O tema seria, afinal, há ou não há um PIG no Brasil?

       
  8. FDA

    agosto 30, 2011 at 3:55 am

    Obrigado

    Surfista por essas palavras tão sinceras:” Tenho a obrigação de agradecer o belo clip que o FDA colocou aqui. Maravilhosa cantora, canção e imagens”.

    Claro que vc não é “obrigando” à agradecer nada. Mas que seria de vc sem os “agradecimentos” que fazem parte das civilidades humanas, vc seria mais um “animal” nesta selva brasileira, não é mesmo?

    Não vou responder a suas falácias do tipo “essas praias mal recortadas, abruptas, são mesmo nostálgicas, não possuem a vida das nossas”!

    Pura ignorância sua, ou, quem sabe falta de conhecimento seu sobre a beleza natural francesa, ou, vai ver que é falta de viagens mesmo ,ou, quem sabe puro recalque tupiniquim…Poxa, surfista vê se gasta um pouco desse dinheiro pelo o qual vc trabalha tanto, né! Uma sugestão para suas próximas viagens:

    http://www.google.fr/search?q=images+de+tahiti&hl=fr&biw=1280&bih=643&prmd=ivns&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ei=o31cTuL7Go2gOpzE7cwC&sqi=2&ved=0CBwQsAQ

    Pura maravilha francesa, estou indo para lá em setembro… Venha! Vamos dar um rolé por essas ilhas maravilhosas…

    Enfim, a cantora Mônica Passos não é uma “maravilhosa cantora”, ela é simplesmente uma cantora fantástica, extraordinária que o publico Brasil não merece… Melhor mesmo é que ele faça seu trabalho aqui, para que “Nos” franceses possamos admira-la, respeita-la como ela merece…

    Para finalizar, uma boa noticia que vem do congresso europeu de cardiologia atualmente em Paris. Pesquisadores confirmam um estudo importante: uma forte consumação de chocolate reduz os riscos de doenças cardiovasculares. Uma forte consumação de chocolate reduz de 30% os riscos de AVC ou Ataques cardíacos como também o aparecimento de um diabete! Confiram aqui:

    http://www.escardio.org/Pages/index.aspx

    Outra boa noticia: o bom humor também ajuda a diminuir os riscos de problemas cardío-vasculares. Rir seria um excelente exercício para reduzir os riscos de morte cardiovascular! Como sei que tem muito leitor frustrado, invejoso e mal caráter neste blog, mando-lhes uma video de piada brasileira e uma outra em francês:

    Bom, sobre o chocolate, o ideal seria de consumir chocolate Suíço, Belga ou do Lenôtre, visto que o chocolate brasileiro é um veneno, um “matador para uma pessoa fina”…Quando ao humor de Jérémy Ferrari, para rir como esse tipo de humor, o brasileiro têm que fazer um “sacré” trabalho intelectual, como eles não gostam de trabalhar fisicamente nem ouso imaginar intelectualmente..

    Bye!

     
    • surfando na jaca

      agosto 30, 2011 at 9:50 am

      Não se trata de falácia, mas de biodiversidade. Fazer o que? Vai ler um pouco sobre o assunto que vc. chegará a mesma conclusão. Sinceramente, já viajei bastante, atualmente resisto mais a vida de hotel. Acho que vc. está bem enganado mais uma vez com esse treco de tupiniquim, mas o que é de gosto é regalo da vida. Falar a verdade, nunca consegui me banhar em praia no exterior. Olhava para aqueles piqueniques de gringo, para os leões marinhos e aquela água fria em pleno verão. Abruptas, sim. Areia escura. Bom para passeio.

       
  9. surfando na jaca

    agosto 29, 2011 at 6:48 pm

    Tenho a obrigação de agradecer o belo clip que o FDA colocou aqui. Maravilhosa cantora, canção e imagens. Essas praias mal recortadas, abruptas, são mesmo nostálgicas, não possuem a vida das nossas.
    Dans la rue, aux musiques mortes
    C’est fini, la mer, c’est fini
    Sur la plage, le sable bêle
    Comme des moutons d’infini…
    Quand la mer bergère m’appelle

     
  10. surfando na jaca

    agosto 29, 2011 at 1:11 pm

    Vc. está de brincadeira comigo! Vou acabar me aborrecendo. Desde jovem participei da luta contra a ditadura, onde conheci gente bem de valor, enquanto vc. era udnista saudosista. Onde vc. estava nesse tempo, FDA, caboclo enrolador, quando eu corria dos meganhas pelo aterro do Flamengo e centro do Rio? Onde vc. estava quando explodiram as bombas do Rio Centro e a gente com medo, sem saber o que tinha sido aquela explosão? Onde vc. estava quando pedíamos pelas diretas já, na Cinelândia e na Candelária? Não me lembro de vc. virando a noite na frente da Câmara na Cinelândia acompanhando o resultado da votação indireta. Nunca lhe vi em nenhuma dessas lutas, mas sei quem lá estava. Todos nós nos conhecíamos e tínhamos medo. Vc. está me aborrecendo. Isso é cafajestice! Nós, com vc. junto, é o cacete!

     
  11. FDA

    agosto 29, 2011 at 12:53 pm

    Ora, ora Surfista..

    Vc tem mais é que lutar mesmo pelo seu país….Ou seja, continuar a luta que “Nos” resistentes da Ditadura Militar que vc não conheceu, começamos para vc e deixamos de herança para vcs..

    Se vc faz “política” hoje, foi por que pagamos muito caro o preço da Politica de antes, foi ao preço de prisões, de tortura no DOPS..

    Portanto essa luta não foi vc que começou mais se vc pode fazer hoje, foi por que Nos começamos ..

    Portanto é seu DEVER de continuar “trabalhando” “para melhorar seu país”….

    Mas saiba que esse pais de Hoje não era o Mesmo de Antes e o que ele sera Amanhã depende de vcs..

    Se liga Surfista…

     
  12. surfando na jaca

    agosto 29, 2011 at 12:51 pm

    Vou repetir e tchau.Não temos os mesmos valores. Eu luto pelo meu país. Estou sempre junto ao movimento popular. Faço política e trabalho para melhorar meu país. Outra coisa, Léo Ferré era anarquista e um grande intérprete. Preferia um clip com o próprio careca cabeludo cantando. Vai tomar seu haldol, FDA. Quem anda fugindo do Brasil é vc. Nunca me vi tendo outra cidadania. Sou do sol, do samba, do futebol, do café e de tudo que não presta também por aqui. Não me vejo num país sem florestas, sem chuvas torrenciais, sem praias de areias brancas. Não quero a arte dos homens, que será sempre artificial, seus prédios, seus museus etc. Quero é um país melhor, seu destrambelhado.

     
  13. FDA

    agosto 29, 2011 at 12:30 pm

    Caro Surfista,

    Prefiro “limpar” minha “consciência” dando o que é meu, mesmo que seja para “tapar o sol com a peneira” do que ficar peneirando o sol sem fazer nada.. Ou fazer aquela linha que vc estão fazendo aqui: fugir da realidade brasileira para ir ao encontro de outras realidade.. Ou alimentar um desejo perverso de “ vontade de mandar dinheiro para o Alcaida” para a ONG do Bin Laden…

    Sakou que não temos os mesmos valores? Mas nada de pânico ouça aqui essa música da extraordinária cantora Mônica Passos que interpreta uma canção do comunista Léo Ferré

    La marée, je l’ai dans le cœur
    Qui me remonte comme un signe
    Je meurs de ma petite sœur, de mon enfance et de mon cygne
    Un bateau, ça dépend comment
    On l’arrime au port de justesse
    Il pleure de mon firmament
    Des années lumières et j’en laisse
    Je suis le fantôme jersey
    Celui qui vient les soirs de frime
    Te lancer la brume en baiser
    Et te ramasser dans ses rimes
    Comme le trémail de juillet
    Où luisait le loup solitaire
    Celui que je voyais briller
    Aux doigts de sable de la terre

    Rappelle-toi ce chien de mer
    Que nous libérions sur parole
    Et qui gueule dans le désert
    Des goémons de nécropole
    Je suis sûr que la vie est là
    Avec ses poumons de flanelle
    Quand il pleure de ces temps là
    Le froid tout gris qui nous appelle
    Je me souviens des soirs là-bas
    Et des sprints gagnés sur l’écume
    Cette bave des chevaux ras
    Au raz des rocs qui se consument
    Ö l’ange des plaisirs perdus
    Ö rumeurs d’une autre habitude
    Mes désirs dès lors ne sont plus
    Qu’un chagrin de ma solitude

    Et le diable des soirs conquis
    Avec ses pâleurs de rescousse
    Et le squale des paradis
    Dans le milieu mouillé de mousse
    Reviens fille verte des fjords
    Reviens violon des violonades
    Dans le port fanfarent les cors
    Pour le retour des camarades
    Ö parfum rare des salants
    Dans le poivre feu des gerçures
    Quand j’allais, géométrisant,
    Mon âme au creux de ta blessure
    Dans le désordre de ton cul
    Poissé dans des draps d’aube fine
    Je voyais un vitrail de plus,
    Et toi fille verte, mon spleen

    Les coquillages figurant
    Sous les sunlights cassés liquides
    Jouent de la castagnette tans
    Qu’on dirait l’Espagne livide
    Dieux de granits, ayez pitié
    De leur vocation de parure
    Quand le couteau vient s’immiscer
    Dans leur castagnette figure
    Et je voyais ce qu’on pressent
    Quand on pressent l’entrevoyure
    Entre les persiennes du sang
    Et que les globules figurent
    Une mathématique bleue,
    Sur cette mer jamais étale
    D’où me remonte peu à peu
    Cette mémoire des étoiles

    Cette rumeur qui vient de là
    Sous l’arc copain où je m’aveugle
    Ces mains qui me font du fla-fla
    Ces mains ruminantes qui meuglent
    Cette rumeur me suit longtemps
    Comme un mendiant sous l’anathème
    Comme l’ombre qui perd son temps
    À dessiner mon théorème
    Et sous mon maquillage roux
    S’en vient battre comme une porte
    Cette rumeur qui va debout
    Dans la rue, aux musiques mortes
    C’est fini, la mer, c’est fini
    Sur la plage, le sable bêle
    Comme des moutons d’infini…
    Quand la mer bergère m’appelle

     
    • surfando na jaca

      agosto 29, 2011 at 12:39 pm

      Não temos os mesmos valores. Eu luto pelo meu país. Estou sempre junto ao movimento popular. Faço política e trabalho para melhorar meu país. Outra coisa, Léo Ferré era anarquista e um grande intérprete. Preferia um clip com o próprio careca cabeludo cantando. Vai tomar seu haldol, FDA. Quem anda fugindo do Brasil é vc. Nunca me vi tendo outra cidadania. Sou do sol, do samba, do futebol, do café e de tudo que não presta também por aqui. Não me vejo num país sem florestas, sem chuvas torrenciais, sem praias de areias brancas. Não quero a arte dos homens, que será sempre artificial, seus prédios, seus museus etc. Quero é um país melhor, seu destrambelhado.

       
  14. surfando na jaca

    agosto 29, 2011 at 11:49 am

    Prezado lampreiudo FDA, fico pensando se quando contribuo com Ongs, lar do não sei o que etc se realmente o dinheiro chega a essas crianças e se não estou mantendo é mais um ramo de negócio. Não vai ser com caridade que se resolverá esse grave problema, mas avançando na distribuição de renda. Quando se fala em taxar as grandes fortunas, até uns miseráveis iludidos pelo capitalismo, como um otorrinolaringologista de Botafogo, um gaúcho seboso afrescalhado ou um penetra da high society como o Guilherme Firula, gemem e se revolvem de raiva. Enquanto isso, o Eike Batista e nossa gangue da elite financeira, muito bem representada no Congresso, ri e revira os olhinhos. Podemos resolver muito dos nossos problemas, mas somos um fiasco como sociedade organizada e nossa elite corrupta é simplesmente eficaz na manutenção desse inferno social. Pois bem, vá fazer sua ordem de pagamento para limpar sua consciência, tapar o sol com a peneira. Bye.

     
    • surfando na jaca

      agosto 29, 2011 at 11:51 am

      Sim, nossa elite é de sociopatas. Nem tenho dúvidas!

       
    • JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

      agosto 29, 2011 at 12:02 pm

      Alguém aí poderia me dizer qual é o país das américas com a maior concentração de renda?
      Depois algumas coisas ficarão mais “compreensíveis”.
      Na verdade pobreza se vai com emprego bem remunerado, chances iguais, inclusão social, leis equilibradas, eleições, educação realista, arrecadação fiscal equilibrada e desenvolvimento do mercado interno.
      O FDA sabe que nossa “civilização”,os brasileiros com acesso a o conhecimento somos elitistas e insensiveis, mas só porque não conseguimos resolver nossos graves problemas, não temos direito de opinar quando se executa um plano cruel e premeditado como o de Israel em relação aos palestinos?
      Francamente……

       
  15. FDA

    agosto 29, 2011 at 10:28 am

    Caro Surfista,

    Vc têm razão: ver “essas crianças nas ruas” brasileiras é uma vergonha para espécie brasileira..

    Na verdade, não temos como resolver um problema desses….Também acho!

    Mas…Bom, agora vou ter que deixa-los: vou ter que mandar uma ordem de pagamento para uma ONG brasileira que se ocupa de menores abandonados do centro de São Paulo..Aqueles que vivem na rua ali na Praça da Republica, no Largo do Arouche ou perto da Estação da Luz…

    Precisamente na cidade onde mora o José Mario HRP!

    Ironia do destino, esse cidadão afirma falar Inglês, francês, alemão, e tutti quanti.. Mas parece incapaz de dar um pouco de seu tempo para ajudar essa ONG que se encontra ali no abrigo para crianças e adolescente abandonados em Santa Cecilia…

    Bem que eles estão precisando de voluntários para ensinarem línguas a esses adolescentes! Eles poderiam assim ter uma oportunidade trabalhar durante a Copa do Mundo!

    Mas que fazer, né, enquanto Nos (europeus) estamos enviando dinheiro para as ONGS brasileiras trabalharem com as crianças e adolescentes brasileiros abandonados que vivem nas ruas, os brasileiros estão preocupados com os adolescentes e crianças palestinianas…

    Muito engraçados esse pais e esse povo!

    Bom vou ter que mandar essa ordem de pagamento…bye

     
  16. surfando na jaca

    agosto 29, 2011 at 10:14 am

    FDA, seu velhote animal, já lhe respondi e lhe dedico um clip da Elis. Acho até que vc. não merece, mas é a resposta correta para sua ignorância e complexo de vira-latas. Agora vou trabalhar, seu destrambelhado. Comporte-se! Não se esqueça do haldol!

     
  17. FDA

    agosto 29, 2011 at 9:06 am

    Na boa, Jose Mario…

    Vc, que sabe muito bem o que é travessar uma fogueira vital, deveria saber também que não é por que vc travessou uma fogueira que incêndio ou o fogo se consumiu..

    Pena que ai no Brasil não exista, que eu saiba, o que aqui na França chamamos de Educação terapêutica: viver com uma certa flama que nos consome pouco a pouco o resto de energia vital que nos resta…

    Se existisse esse tipo de trabalho terapêutico ai no Brasil, vc saberia que o Ódio, a frustação, a revolta, o cinismo, etc, ou qualquer excessividade emocional ou psicológica são fontes poderosas para acordar uma metástase..

    Se ligue, viu!

    Aproveite do tempo que lhe resta viver para fazer algo de útil e benéfico na sua vida ao invés de ficar ai destilando ou incitando ódio entre povos…

     
    • JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

      agosto 29, 2011 at 9:37 am

      Me rogando praga cara?
      KKKKKKKKKKKKKKKKKK…..quem me chamou de otário e vomitou merda foi voce!
      Eu não estou te levando a sério…..
      Dei uma gritadinho e voce miou!
      Deixa estar que o que me espera virá e não há como fugir.
      Não sei se minha vida é medíocre ou não mas não te invejo.
      Simplesmente respeitar é básico, mas rompido o limite as coisas mudam…..mudaram!
      E Israel , não pode continuar com seu comportamento indecente.
      Tchau!

       
  18. FDA

    agosto 29, 2011 at 8:27 am

    Francamente Jose Mario,

    Que vc seja um otario isso não é novidade; é muito otário para afirmar que “Israel é um grande estelionatário. Tungou 70% das terras dos palestinos delimitadas pelos acordos de 48 pela própria ONU!”

    E os Portugueses, os Espanhões e Ingleses são o Que? São bonzinhos quando eles roubaram as terras ameridigenas que hoje vc esta desfrutando?

    Muito imbecil quando afirma que “Somos tão simplistas em noissas considerações, diante dos dramas dessa pobre gente sem terra e futuro que só me dá nojo!”

    Vc têm nojo também dos grandes latifundiários que privam os “sem terra” ai no Brasil?

    Mas que seria de suas imbecilidades sem as suas otarices?

    Se exista um “ raça tão raza de sentimentos ou inteligencia básica” pode-de então questionar o que seriam deles sem vc?

    Afinal, o reconhecimento do que é “raso” “de sentimentos ou inteligencia básica” só pode ser feito por alguém de Razo e de inteligencia básica como vc, senão não existiria nem o “raso” muito menos “ sentimentos ou inteligência básica!”, não é meso?

     
  19. FDA

    agosto 29, 2011 at 7:36 am

    Francamente…

    Assim não dá! Pego meu “Jet Privée” para passar um “Week-End” maraaaaaaaaaaaaaaaaavilhosooooooooo à Arcachon, lugar fantástico no sudeste da França.

    Enfin um lugar onde pode-se ir a praia sem ter que enfrentar aquela massa populaça, massa de vendedores ambulantes, de “kengas”, kengalhas, e outras coisitas mais como encontramos no Nordeste Brasileiro (Natal, Fortaleza, Recife, Bahia, etc). Confiram aqui:

    http://www.google.fr/search?q=images+d'arcachon&hl=fr&biw=1280&bih=643&prmd=ivns&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ei=2V5bTrLDPIPd4QSjoPSsBQ&sqi=2&ved=0CDMQsAQ

    E de volta a Paris, que vejo no blog do Proftel? Mais um post “sugestão do HRP”!

    Sinceramente gostaria muito que o HRP me explicasse se ele têm o síndroma de Jean Valjean.
    Aquele super herói de Victor Hugo que como Jesus de Nazaré decidiu de carregar toda a “miséria” do mundo e toda a miséria da humanidade ou se é simples voyeurismo mediático. Historia de fazer algo de sua vida desocupada e sem sentido….

    O que há de pior neste tipo de informação é sempre tem um pra afirmar descaradamente: “Eu não posso ler essas coisa. Tenho logo vontade de mandar dinheiro para o Alcaida, começo a achar o Bin Laden um cara injustiçado etc. Meu Deus”!

    Manda Miserável, teu dinheiro a Alcaida..Mas não esquece que no Centro do Rio de Janeiro esta cheio de “crianças” abandonadas que são constantemente exterminadas. Viu, seu Otario!

    Sera que o Surfando já esqueceu da “chacina da Candelária” em 1993? Será que o Surfando se revoltaria com o fenômeno do extermínio de meninos de rua, no Brasil, aqueles que aconteceram entre 1985 e 1995?

    Sera que o Surfando se insurge vendo toda essa criançada no centro do Rio, sera que ele sabe que esse tipo de ação é resultado da ação sociais e individuais, de grupos de extermínio, da omissão do Estado e da indiferença da sociedade civil em relação ao problema do menor brasileiro?

    Ah, mas claro: melhor ver o problema no pais dos outros, não é mesmo?

    Que os Direitos Humanos B’Tselem conclua que “os direitos dos menores são severamente violados, que a lei quase sempre fracassa na proteção de seus direitos, e que os poucos direitos dados a eles sob a lei não são implementados”, isso é fato! E dai, bando de otários?

    Por que os Direitos Humanos do Brasil ainda não chegou a conclusão que “os direitos dos menores” que vivem jogados, abandonados no centro de São Paulo, precisamente, rua na Praça da Republica ou no Largo do Arouche, são “severamente violados” na sua dignidade humana?

    Por que a lei brasileira “quase sempre fracassa na proteção de seus direitos” dos menores de rua?

    Como digo sempre: é melhor, é muito mais confortante, é muito mais seguro, de ver o que se passa no pais dos outros que de olhar o que se passa no próprio Pais…

    Acordem! I have one thing to say… You better work , Bitch…

     
    • JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

      agosto 29, 2011 at 8:38 am

      E os Portugueses, os Espanhões e Ingleses são o Que? São bonzinhos quando eles roubaram as terras ameridigenas que hoje vc esta desfrutando?

      Eu sei que eles são ou foram um mal , mas nem por isso nem por morar aonde moro hoje aprovo o que fizeram.
      Ademais não tratamos aqui de expiar culpas dos nossos antepassados mas de corigir em tempo essa tunga demoniaca!
      E , ainda , otário é voce e todos os afetados como voce, tua familia e quem mais vier até , para trás e para frente, a quinta geração , seu recalcado chato de galochas!

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK ……raso ou razo é o o que eu penso! ……….
      Em tempo:
      Latifundiários?
      Não esses caras que fazem o Brasil agro motivo de loas de quase todo mundo , que destroem o cerrado e a amazonia?
      É eles são uns merdas e daí?
      Vai dar para eles!
      Sinto cheiro de fracassado aqui no blog!

       
    • surfando na jaca

      agosto 29, 2011 at 10:04 am

      FDA chegou chutando o pau da barraca. Ora, deixe de diatribes desembestadas! Meninos da Candelária e violação de direitos humanos por Israel com criancinhas palestinas. São dois temas diferentes e com causas diferentes e a única coisa coincidente são criancinhas. Digo-lhe mais, seu furibundo tranqueirudo de uma figa, estive nas manifestações na Candelária. Agora, vejo essas crianças nas ruas e fico com vergonha de nossa espécie. Não tenho como resolver um problema desses. Não sou o Estado, não sou o inventor do capitalismo e nem tenho recursos para dar casa e comida para essa criançada. A única vez que vi alguma ação do Estado em prol deles foi com os Cieps. Quanto à Israel, só tenho mesmo a lastimar. Israel é um enclave, que não se sustentará semos EUA, embora tenha armamento nuclear escondido. Considero que o país foi criado e existe. A única solução será a convivência pacífica, antes que aquilo lá exploda numa guerra nuclear. FDA, vai rodar sua ranzinice no raio que os parta! Ora bolas, é muito complexo de vira-latas. Aquelas praias horríveis da Europa ou EUA, sem ambulantes, mas de areia grossa e estreita, água fria, radioativa, ventania, uma droga completa. Enquanto no Brasil, nos litorais afastados das hordas de trambiqueiros e gente que gosta de se aglomerar, temos praias paradisíacas, de areais claras, com dunas, água morna, pode-se pescar etc. Sabe o que é isso? Desconhecer o país em que se reside. O Brasil não conhece o Brasil… E assim, alguma coisa se preserva de gente como vc., um tremendo filimbusteiro. Aqui para vc.:

       
  20. JOSE MARIO HRP SANTISTA FELIZ!

    agosto 29, 2011 at 6:25 am

    Alex ou Fred….dois comentarios sobre moderação!

     
    • Proftel

      agosto 29, 2011 at 7:23 am

      HRP:

      Liberado,

      🙂

       
  21. JOSE MARIO HRP SANTISTA + ou - FELIZ!

    agosto 29, 2011 at 6:23 am

    Bom dia, vejo que as mais diversas opiniões foram explicitadas aqui nesse tema, e o Alex frisou que eu não comentara, e por isso aqui vai.
    Não posso falar mais nada porque se voce prende e tortura 7000 crianças é por que voce está muito além dos limites do que se possa admitir em matéria de truculencia.
    Nós sabemos que as praticas da CIa e de Israel são inspiradas umas nas outras.
    Israel é um grande estelionatário.
    Tungou 70% das terras dos palestinos delimitadas pelos acordos de 48 pela própria ONU!
    Israel não esconde sua anschluss (somente da terra e não das pessoas que viram por isso párias).
    Israel usa métodos proibidos por Genebra e ONU.
    E o que resta a palestinos são foguetinhos e pedras!
    Ou não?

    Discutam se tem ou não, direito de de se defender, mas que direito seria esse diante da ilegalidade que gerou a agressão que sofre?
    Somos tão simplistas em noissas considerações, diante dos dramas dessa pobre gente sem terra e futuro que só me dá nojo!
    E ainda há que aguentar essa ou esse populacho direitista vendo petista em todo canto e até de baixo da cama……eita raça tão raza de sentimentos ou inteligencia básica!

     
  22. Patriarca da Paciência

    agosto 28, 2011 at 11:44 pm

    Brancaleone,
    Para você a situação do Rio de Janeiro se equipara à Palestina?
    Pelo que tem aparecido nos noticiários, parece que são cinco crianças que andam assaltando lojas no Rio.
    Já na Palestina “7000. O número estimado de crianças palestinas detidas e processadas pelos tribunais militares israelenses desde 2000, de acordo com relatório do Defesa Internacional de Crianças Palestinas (DCIP).”
    A diferença é imensa!
    Em apenas 8 anos do governo Lula, 32 milhões de brasileiros saíram da miséria extrema.
    Por que não seria possível retirar da miséria extrema os 16 milhões de brasileiros que ainda se encontram nessa situação?
    Fraternida universal eu também acho que seja coisa para séculos, mas oferecer um mínimo de dignidade para as pessoas que nos cercam é perfeitamente possível

     
    • surfando na jaca

      agosto 28, 2011 at 11:52 pm

      Essa era a resposta certa. Obrigado, Patriarca.

       
  23. Fred Schmidt

    agosto 28, 2011 at 10:04 pm

    Surf

    Uma vez me encontrei na internet com um cara. O papo que rolou foi o seguinte:

    Surfando na Jaca:

    “Pois muito bem, a fraternidade é um elemento importante nessas comunidades, porém me parece que não é possível impor um sentimento por via das instituições de estado.”

    Fred:

    Exatamente isto. Não se pode impor a fraternidade.
    Fraternidade é uma evolução social. tem que ser aprendida, desenvolvida. Não se pode impor a fraternidade. Por isso o “comunismo” Russo, o de Marx, não funcionou.
    As pessoas querem o comunismo, defendem o comunismo.
    Mas é um sistema muito além das possibilidades humanas no momento.
    Precisaríamos desenvolver a fraternidade a um nível muito elevado para que desse certo.

    Surfando na Jaca:

    “O que li de Marx, e acho que não foi pouco, me faz pensar que essa questão da fraternidade, do mundo dos sentimentos não fazia parte de quem queria racionalizar a mudança de estruturas sociais. Porém, sempre tem um porém, Marx falava em fraternidade entre os homens no comunismo, etapa que só seria alcançada com a abolição das sociedades por distinções de classes”

    Fred:

    Pronto.
    O erro de Marx ta aí.
    O grande problema é que precisa-se primeiro ter fraternidade, depois vem o comunismo.
    E te digo mais.
    O comunismo é o estágio máximo da fraternidade.
    O grande erro é querer colocar o comunismo antes da fraternidade.
    O comunismo virá naturalmente quando o homem usar da fraternidade como usa o sabonete e a escova de dentes.

    Surfando na Jaca:

    “A maluquice está na gente. Uma sociedade fraterna só pode ser construída com a abolição das desigualdades sociais. O estado existe para punir aqueles que afrontam a ordem estabelecida, sempre foi assim. Nunca irá deixar de existir gente biruta, maníacos de todo o gênero e qualidade. Eis o problema da raça humana.”

    Fred

    Eu digo que a abolição das desigualdes sociais só será possível por intermédio da fraternidade.
    É essa a minha proposta de evolução social la no Copacabana Way of Life.
    Não é: “Uma sociedade fraterna só pode ser construída com a abolição das desigualdades sociais. ”
    É exatamente ao contrário:
    A abolição das desigualdades sociais só poderá ser construída com a fraternidade.

    Surfando na Jaca:

    “Concordo contigo. Só a fraternidade irá salvar a humanidade da barbárie. O individualismo açulado (voltei à letra a do Aurélio) pelo capitalismo será a desgraça para a sobrevivência da espécie humana.
    A humanidade precisa de fraternidade, sem dúvidas.”

    Fred:

    Fraternidade não é ajuda humanitária.
    Fraternidade é um sentimento especial que leva o indivíduo a querer o bem do próximo, a ajudar, se possível, o próximo, a amar o próximo.
    Voce não dá ajuda humanitária a seu filho.
    Você o ama.
    Fraternidade é , QUASE COMO, cada um achar que seu próximo é seu filho.

    Surfando na Jaca

    O nosso diálogo me fez pensar nessa questão da fraternidade. Acredito que seja essa a mensagem maior do cristianismo. Quando olharmos para uma criança largada nas ruas com o sentimento de que é nosso filho, a humanidade estará redimida e o capitalismo abolido. Para que possamos ajudar o próximo temos que sair do nosso própio conforto, repartir nossos bens. Isso só quando acharmos que somos reponsáveis e todos forem iguais, sem regalias a alguns. É mais fácil começar por pequenas mudanças possíveis, combatendo os males em nosso pequeno círculo de vida. Nossas vidas são curtas para tantas tarefas. Como agir sabendo que não veremos e nem saberemos que alcançaremos os nossos fins. É como plantar uma árvore para os nossos bisnetos comerem as frutas.”

     
    • surfando na jaca

      agosto 28, 2011 at 10:27 pm

      Nessa época, Fred, eu era mais palavroso. Mas as intensões são as mesmas. Como é difícil aplicar essas regrasmesmo em nosso pequeno círculo…

       
      • surfando na jaca

        agosto 28, 2011 at 10:29 pm

        Se não causarmos dor aos nossos semelhantes já seria uma coisa fantástica. Penso sempre no menor passo.

         
      • Fred Schmidt

        agosto 28, 2011 at 10:34 pm

        Com certeza.

        Por isso, tudo fica do jeito que está.

        Aí é a dificuldade da sociedade evoluir.

        Brancaleone vai chegar aqui e dizer que ajuda os outros mais do que nós.

        E até é possível.

        Porque na realidade não fazemos nada mesmo, nosso cuidado com nosso conforto nos impede.

        Mas o que falta a Brancaleone é acreditar que todo homem pode ser fraterno, mesmo ele o sendo.

         
        • surfando na jaca

          agosto 28, 2011 at 11:02 pm

          Não, não fica do jeito que está. E nem estou sem fazer nada bom aos meus semelhantes. Talvez isso fale mais de vc., de um peso na consciência malhada e calejada. Embora todos carreguemos essa mauvaise conscience. Não posso me julgar, que me julguem os outros. Os que conviveram e convivem comigo. Nunca fui traíra. Sempre puderam contar comigo. Só não sou a Madre Teresa de Calcutá. Vivi a fraternidade da militância socialista. De comungarmos as mudanças da sociedade. No final, deu em nada e eu não venci, mas não me sinto vencido tampouco. I have a dream. E quem tem um sonho não dança, já dizia o Cazuza..

           
          • Fred Schmidt

            agosto 28, 2011 at 11:12 pm

            Não tenho a menor dúvida de que tenho um peso na consciência em não fazer nada, porque pouco neste caso é nada.

             
            • surfando na jaca

              agosto 28, 2011 at 11:22 pm

              Fred, tinha um tio que sempre me contava uma história. Era uma vez numa floresta tropical… Num belo dia, de muita secura, o fogo se alastrou por toda mata. Ali viviam milhões de animais, que vendo aquele fogaréu, começaram a fugir. No meio do caminho, reparavam um tico-tico que ía e vinha até a margem de um rio. Molhava o bico e despejava aquelas gotículas sobre o fogo. A bicharada começou a rir, era muito pouco. Era nada. Mas o tico-tico, altivo e respondendo à zombaria, explicou sua atitude aparentemente estúpida. Estou fazendo a minha parte, se vcs. também participarem, poderemos dominar o fogo. Às vezes o pouco pode significar muito.

               
      • surfando na jaca

        agosto 28, 2011 at 11:14 pm

        intenções. Desculpem-me.

         
        • Fred Schmidt

          agosto 28, 2011 at 11:39 pm

          Não estou dizendo que o que você fez ou faz é pouco. Estou confessando que o pouco que faço é nada. Daí a minha dor de consciência.

           
          • surfando na jaca

            agosto 28, 2011 at 11:49 pm

            Vc. não leu com atenção a historinha. Carecão, vc. está muito angustiado, cheio de angú ou coisa parecida.

             
            • Fred Schmidt

              agosto 29, 2011 at 12:30 am

              É um assunto que realmente me emociona.

              É verdade, li com mais calma agora.

              Precisamos molhar o bico, e apagar o fogo, sem dúvida.

              Perdão.

              Beijo na careca

               
  24. Fred Schmidt

    agosto 28, 2011 at 9:32 pm

    Estou vendo a Record:

    Gisele Bunchen e o marido foram o casal de celebridades que mais ganhou US $ nos USA.

    Ela 70.000.000, ele 50.000.000 US $ – Total 120.000.000,00 US $

    Ele tomando porrada segurando uma bola e ela mostrando roupas.

    Quanto estarão ganhando os cientistas que estudam a cura da Aids e do câncer?

    Quantas crianças, jovens, adultos, velhos estão morrendo pelo mundo afora, de fome!

    O que tem a ver a Gisele e o marido com isto. Nada.

    É verdade. Nada.

    Talvez até ela ajude a muitos a sobreviver, fazendo alguma ação social.

    Mas não tem nada de errado aqui?

    Desde que não seja nossos filhos a morrerem de fome é tudo normal, é assim mesmo. Nós não temos nada a ver com isso.

    Os que estão morrendo de fome que se cuidem.

    COMO?

     
    • surfando na jaca

      agosto 28, 2011 at 9:48 pm

      Carecão, se vc. aprofundar essa linha de pensamento, vai acabar mais marxista do que eu. Bjs na careca.

       
      • Fred Schmidt

        agosto 28, 2011 at 9:56 pm

        É só isso que você tem para me responder?

         
        • surfando na jaca

          agosto 28, 2011 at 10:17 pm

          Veja que os orientais costumam resumir seus grandes dilemas em poucas palavras. A simplicidade de um argumento curto pode ser um caminho mais amplo que um discurso de muitas horas. Veja que escrito pequeno e profundo: “O bom vizinho olha além das circunstâncias externas e distingue aquelas qualidades intrínsecas que fazem de todos os homens seres humanos e, portanto, irmãos.”

          – The good neighbour looks beyond the external accidents and discerns those inner qualities that make all men human and, therefore, brothers.

          – Strength to love – página 29, Martin Luther King (Jr.),

           
          • Fred Schmidt

            agosto 28, 2011 at 10:22 pm

            Esta foi a conclusão dele após 29 páginas e você entendeu o que ele sintetizou após ler 29 páginas.

            Beijo na careca

             
  25. Fred Schmidt

    agosto 28, 2011 at 8:51 pm

     
    • surfando na jaca

      agosto 28, 2011 at 9:04 pm

      Esse casal de japoneses é bem simpático. A música é legalzinha.

       
    • Proftel

      agosto 28, 2011 at 9:15 pm

      Somos todos “sonhadores”.

      Até a Duda gostou do vídeo.

      🙂

       
      • Fred Schmidt

        agosto 28, 2011 at 9:58 pm

        Essa Duda é esperta.

        Quero saber o que a Tia acha. 🙂

         
  26. BRANCALEONE

    agosto 28, 2011 at 7:44 pm

    Lá vou eu de novo…

    Hoje são pedras e amanhã serão granadas…

    O que vou escrever a seguir poderia ser um post, mas vai como comentário.

    O Estado de Israel existe e pronto. Se justo ou não, se legal ou não é irrelevante já que ele está lá e lá vai permanecer. O Estado Palestino existe, mal à morte, anárquico e fratricida e descaradamente útil a interesses pouco nobres e muito rendáveis dos países árabes vizinhos. Só
    os néscios podem aventar a possibilidade que este estado de coisas mude.
    O caos palestino é mantido já que é deste caos que muitos “líderes” dos rezbolás, hamas e similares obtém grana e prestígio. Se Israel acabar certamente a Palestina mergulhará numa guerra civil infinda e sangrenta já que a única coisa que mantém a integridade palestina é o ódio de todos a Israel.
    A prisão e tortura destes meninos constituem sim um crime, mas convenhamos que pouco reste a Israel fazer. Deixar agressões sem revide transformaria Israel numa espécie de Rio de Janeiro ou São Paulo onde criminosos de 12 anos roubam, assaltam e matam acobertados por estatutos que asseguram a impune ausência do estado na solução do problema.
    De maneira alguma estou apoiando a reação israelense mas não creio que algum de nós se israelense fosse faria diferente se lá estivesse.
    Num paralelo fácil e óbvio citei as cidades brasileiras onde hordas de menores agem de forma parecida com diferença de que aqui nada se faz nem bom nem de ruim para pelo menos se tentar resolver o problema.
    É fácil atribuir a existência dos meninos palestinos e brasileiros às tais “causas sociais e econômicas” como se isso fosse um sentenciamento à impunidade e não solução do problema. Nós da direita acusamos a esquerda e os liderecos palestinos que insuflam o ódio. O pessoal da esquerda acusa o capitalismo globalizante, os banqueiros judeus e é claro, Os Protocolos de Sião…
    Por lá são pedras e amanhã granadas. Por aqui são facas e amanhã treisoitão.
    E o pior é que vai ficar pior. Tem gente, muita gente de todas as raças, crenças e ideologias que lucra com isso…

     
    • surfando na jaca

      agosto 28, 2011 at 8:14 pm

      Broncão, nao entendi muito aonde vc. quer chegar. A criançada tem que ser tratada assim mesmo? É isso? Quem usa Os Protocolos dos sábios de Sião é aquele pessoal que anda proliferando pelo Sul, que vc. parece gostar. Estranho seu comentário.

       
      • BRANCALEONE

        agosto 28, 2011 at 8:29 pm

        Surf.
        Tem razão. Fiquei pendurad na idéia.
        Já que é para assumir posição lá vai.
        Sim, creio que Israel precise sim tomar atitudes de revide. Talvez não tão extremadas que sejam criminosas mas não tão covardes que estimulem a continuidade das ações do meninos.
        E cá para nós, creio que os meninos existem face a covardia dos adultos ou seja, os marmanjos mandam as crianças atacarem sabendo que elas serão reprimidas porque isso dá espaço na imprensa e provoca peninha.

         
        • surfando na jaca

          agosto 28, 2011 at 9:15 pm

          Broncão, vc. é patológico ou pato-lógico. A questão é a paz e a determinação em obtê-la. Se vc. fosse um garoto palestino garanto que gostaria de jogar pedras em israelenses. E não se sentir tocado por essas barbaridades, é sóciopatia.

           
          • BRANCALEONE

            agosto 28, 2011 at 10:30 pm

            Se eu fosse um menino palestino ia jogar pedras sim. Se eu fosse um soldado israelense ia revidar sim. Simples, humano e é claro, triste.

             
      • Fred Schmidt

        agosto 28, 2011 at 8:41 pm

        Bem, eu entendo perfeitamente o pensamento do Brancaleone que basicamente é o seguinte:

        – Podem falar o que quiserem, tem um monte de interesse envolvido, e vai continuar tudo do jeito que está, ou pior ainda.

        Entendo. É assim mesmo, por enquanto ele está certo.

        O pensamento:

        “A prisão e tortura destes meninos constituem sim um crime, mas convenhamos que pouco reste a Israel fazer. Deixar agressões sem revide transformaria Israel numa espécie de Rio de Janeiro ou São Paulo onde criminosos de 12 anos roubam, assaltam e matam acobertados por estatutos que asseguram a impune ausência do estado na solução do problema. ”

        tem suas razões.

        Aqui como lá, nossas ações de resposta são baseadas em agressões repressivas. Não nos perguntamos:

        Por quê?

        “É fácil atribuir a existência dos meninos palestinos e brasileiros às tais “causas sociais e econômicas” como se isso fosse um sentenciamento à impunidade e não solução do problema. Nós da direita acusamos a esquerda e os liderecos palestinos que insuflam o ódio. O pessoal da esquerda acusa o capitalismo globalizante, os banqueiros judeus e é claro, Os Protocolos de Sião…

        A única coisa que não entendo no Brancaleone é a negação da possibilidade de se resolver as ” causas sociais e econômicas ”

        Isso é que eu não entendo.

        É lógico que uma mudança de comportamento da humanidade. passar a usar a fraternidade, ou seja, se importar com o próximo, seria uma evolução da espécie, talvez maior que quando o homem passou a se comunicar pela fala.

        E é tão simples a atitude, mas não conseguimos fazê-la.

        Mas como a música do John Lennon pŕeconiza, um dia acontecerá.

        É a única saída.

        Muitos já visualizam como a única saída. A maioria não.

        Mas evolução da humanidade é lenta. Fazer o quê?

         
        • JOSE MARIO HRP SANTISTA + ou - FELIZ!

          agosto 28, 2011 at 9:22 pm

          Não Fred, a coisa é mais profunda e tange a perda de limites!
          Israel usurpou as terras palestinas sem qualquer pruridos!

           
        • BRANCALEONE

          agosto 28, 2011 at 10:59 pm

          Fred,
          A solução das causas “sociais e econômicas” é impossível.
          O conjunto mundial de mudanças exigiria atitudes impensáveis e impraticáveis e não por questões direitistas ou esquerdistas mas simplesmente por ser muita, mas muita gente e muita, mas muita miséria.
          Somos 7 bilhões de humanos e aumentando . É pouca farinha e neste caso, cada um pensa no seu pirão.
          A fraternidade e importar-se com o próximo só é possível quando se tem a saciedade individual e os humanos normais nunca estão saciados.
          E quando se atribui tudo a causas sociais e econômicas já está implicito que o problema não tem soluçao. Culpar estas causas é cômodo porque tira do individual a possibilidade de solução e atira-se tudo às costas de um coletivo impalpável mas xingável e culpável
          Veja a questão dos menores infratores brasileiros – Até que resolvam as desigualdades sociais e econômicas, se dê educação a estas crianças, se arrume emprego aos pais delas e o povo pare de reeleger indefinidamente sarneys, mallufs, collors e similares, terão se passado uns 200 anos (sendo otimista!!!)- isso se a taxa de natallidade dos carentes ficar em ZERO e em 200 anos serão milhões de palestininhos e brasileirinhos atirando pedras, assaltando e sendo mortos por isso…
          Pessoalmente eu penso assim – O paciente está com violenta hemorragia. Precisamos interromper a hemorragia para depois irmos atrás das causas. Se ficarmos discutindo as causas enquanto o paciente sangra, o paciente vai morrer…

           
          • Fred Schmidt

            agosto 29, 2011 at 12:23 am

            Brancaleone

            Desculpe a demora, não vi sua resposta, só agora.

            É isso, exatamente isso.

            Só que o pensamento da fraternidade, que é o que vai resolver o problema, ou melhor, todos os problemas, precisa começar a se tornar real.

            Pessoalmente, eu acho que ninguém vai estancar a hemorragia, só a nossa fraternidade vai resolver os problemas.

            O governo nem ninguém sozinho vai dar escola, comida e casa a esses bilhões de humanos marginais e incapazes de sobrevivência na sociedade em que estamos.

            Se cada um dos habitantes se conscientizar de que a fraternidade é que vai resolver, só vai ficar faltando começarmos a pô-la em prática.

            Só todos unidos, poderemos resolver este problema.

            Esta é a minha luta, por isso falo tanto em fraternidade.

             
    • Proftel

      agosto 28, 2011 at 9:20 pm

      Brancaleone, também não entendi porra nenhuma, “sisprique” “please”.

      Talvez o “gospe do véio Satanáis” esteja obturando seu teclado…

      🙂

      Já adianto por aqui, vou dormir, Duda já está em casa e as portas trancadas.

      Té manhã prôceis.

      🙂

       
    • Patriarca da Paciência

      agosto 28, 2011 at 11:41 pm

      Brancaleone,
      Para você a situação do Rio de Janeiro se equipara à Palestina?
      Pelo que tem aparecido nos noticiários, parece que são cinco crianças que andam assaltando lojas no Rio.
      Já na Palestina “7000. O número estimado de crianças palestinas detidas e processadas pelos tribunais militares israelenses desde 2000, de acordo com relatório do Defesa Internacional de Crianças Palestinas (DCIP).”
      A diferença é imensa!
      Em apenas 8 anos do governo Lula, 32 milhões de brasileiros saíram da miséria extrema.
      Por que não seria possível retirar da miséria extrema os 16 milhões de brasileiros que ainda se encontram nessa situação?
      Fraternida universal eu também acho que seja coisa para séculos, mas oferecer um mínimo de dignidade para as pessoas que nos cercam é perfeitamente possível.

       
  27. surfando na jaca

    agosto 28, 2011 at 7:12 pm

    Tudo bem, Tia . O Mengão empatou jogando com menos um e com nosso freguês. Um dos jogos mais chatos que assisti.

     
  28. Proftel

    agosto 28, 2011 at 5:56 pm

    O FDA está sumido.

    Não sei se é porque o verão de França está muito bom (e ele se divertindo com a Confetti por lá) ou se é por conta de o termos achado com página e tudo aqui:

    http://www.maryandmax.com/

    Há uma terceira opção, ele talvez esteja em vôo pra Sampa, sabem como é né? Acompanhar a “posse” do PD na Folha (informação sigilosa veiculada pelo HRP num canto aí).

    Bom, sei lá, ele faz falta aqui.

    🙂

     
  29. Proftel

    agosto 28, 2011 at 5:25 pm

    Pessoal….

    Aqui em Anápolis meu relógio registra 30ºC, a sensação é de 40.

    Umidade do ar abaixo de 15%, sinto o nariz explodindo, quase sangrando, o encosto da cadeira parece que saiu da máquina de lavar de tanto suor.

    Estou preocupado com a Duda que foi “prá roça” com a mãe, se aqui está ruim, lá então, nem se fala… .

    :-/

     
    • Patriarca da Paciência

      agosto 28, 2011 at 7:11 pm

      Proftel,

      já aqui no Sul a sensação é de estar o tempo todo dentro de uma geladeira. Não aparece o sol há mais de uma semana e o o tempo inteiro é um chuvisquinho fino.
      O Fred demorou a aparecer, mas apareceu com um verdadeiro tratado. Sobre isso que vocês falaram, havia uma comentarista no PD, o Darwinista, que sempre saia com essa história de que “para o bem da Terra seria melhor que os seres humanos desaparecessem”.
      Eu, pessoamente, sou otimista com os humanos. Olhando a história, já evoluímos muito.
      O conforto melhorou uma barbaridade, a saúde melhorou, até a convivência melhorou. Nossos descendentes provavelmente viverãoi mais e melhor que nós. No Brasil, faz pouco tempo, escravidão era legal. Faz pouco mais de meio século que as mulheres votam no Brasil. Olha, aos trancos e barrancos a vida melhora sim.

       
  30. surfando na jaca

    agosto 28, 2011 at 4:00 pm

    ô Carecão, deixa de frescurinha de paca, sô! O cara chega e cita os Protocolos dos sábios do Sião é quer ser chamado do que? De garoto bonzinho? É por isso que só chamo as coisas pelo nome certo, nada de metáforas. Bom, tá melhor? O domingo está em paz? Bom, vou ver o Mais-Querido.

     
    • Proftel

      agosto 28, 2011 at 4:05 pm

      Surf:

      Esse negócio de “mais querido” é coisa de boiola kkkk.

      :-))))))))))

       
    • Fred Schmidt

      agosto 28, 2011 at 4:16 pm

      Surf

      beijão na careca

       
    • Tia

      agosto 28, 2011 at 5:13 pm

      É o Silvio Santos Surf?

       
      • Proftel

        agosto 28, 2011 at 5:16 pm

        Pô!

        A Tia tá de sacanagem.

        Grita lá debaixo “COMENTEI ! ”

        E só fala algumas sílabas! Tem dó…. .

        :-/

         
        • Tia

          agosto 28, 2011 at 5:20 pm

          E ainda comento no lugar errado. Eu queria era perguntar pro Surf se o mais querido é o Silvio Santos. kkkk

           
  31. Proftel

    agosto 28, 2011 at 3:30 pm

    “O Surf logo no primeiro dia ou segundo, me chamou de anti semita. Pecha que ganhei no blog do jornalista.”

    Não é prerrogativa só sua.

    De certa feita, disse que Israel até hoje procura extorquir a Alemanha, até recebeu empréstimos a fundo perdido.

    Quase fui trucidado.

    Lembro bem que havia lido nalgum lugar sobre esse empréstimo da Alemanha mas não lembrava onde, um (provavelmente judeu) que comentava no PD me socorreu, foi um dos grandes embates que tive por lá.

    Pena que aquela “judeuzada” inteligente que frequentava o PD não apareça por aqui, há muitos “sangue bão” naquela turma.

    🙂

     
  32. Fred Schmidt

    agosto 28, 2011 at 3:17 pm

    O Surf logo no primeiro dia ou segundo, me chamou de anti semita. Pecha que ganhei no blog do jornalista.
    Porque é assim que são tratados os que ousam falar contra os judeus. Mesmos falando a verdade.
    E os pobres de espírito assim os seguem.
    O holocausto é hoje um perdão para todos os desatinos dos judeus, e quem não aceitar estes desatinos são simplesmente tachados de anti semitas.
    No entanto, como no resto do mundo, os desatinos são os mesmos dos outros povos.
    Falta de fraternidade, egoísmo, avareza.
    Seja o praticado por empresas ou por pessoas.
    No entanto, desde o início da nossa existência, o povo é representado por um grupo que hoje intitulamos líderes, presidentes, deputados, senadores, juízes, etc que conduzem a população.
    Uma vez chegado ao poder estes líderes fazem o que querem, muitas vezes contra o próprio querer da população que os colocou lá.
    Uma grande parte do povo de Israel, não aceita este comportamento. Precisamos entender bem isto.
    Poderíamos pensar: quem cala consente.
    Mas nem todos se calam. Muitos judeus ficam indignados contra estes acontecimentos, pessoas como Noam Chomsky, Ury Avnery, Cecile Jurasky, e centenas de outros lutam contra os que assim agem.
    Judeus estão na prisão, outros foram mortos, por lutarem, contra esta atitude dos governantes de Israel.
    Uma grande parte da juventude está empenhada em mudar esta situação. São ativistas discriminados inclusive por terem ideias contra a situação atual.
    Existe até um grupo de judeus que são totalmente contra Israel estar lá – os Neturei Karta.
    Vejamos a Wiky:

    ——————————————————————————

    Neturei Karta (em hebraico נטורי קרתא do aramaico “guardiões da cidade”) é um grupo de judeus ultra-ortodoxos, que rejeitam o sionismo [1] e se opõem ativamente à existência do Estado de Israel,[2] sendo por isso acusados, por outros grupos judaicos, de serem “pró-árabes”. O grupo é constituído por cerca de 5.000 membros, concentrados principalmente em Jerusalém, mas há outros grupos menores, associados aos Neturei Karta em Israel, nos E.U.A. e na Inglaterra.

    Ideologia

    Os Neturei Karta crêem que a Diáspora judaica é resultado dos pecados do povo judeu, e que qualquer forma de tentar recontruir um estado judaico é uma violação da vontade de D-us (Talmude Babilônico, tratado Kesubos 111a).[3]

    Os líderes do movimento também defendem que o Holocausto é uma punição divina sobre o povo judeu, principalmente pela adoção do sionismo como ideologia. O sionismo é por eles considerado como uma afronta a Deus, por ser uma tentativa humana de estabelecer um estado judaico.

    Os Neturei Karta defendem que os judeus devem permanecer no exílio até que este estado judaico lhes seja trazido não por homens, mas por D-us, quando ocorrer a vinda do Messias. Suas declarações de apoio aos palestinos e ao governo do Irã,[4] assim como sua crença de que o sionismo provocou o holocausto, valeram-lhes o desafeto e a oposição por parte de diversas comunidades judaicas.

    Se quiserem saber mais tem umas referências que podem ser consultadas lá na Wiky
    —————————————————————————–

    bem, mais isto é um problema deles, por mim, eu canso de me manifestar contra fronteiras e religiões e meu hino é Imagine, do John Lennon.

    Pois é, minha conclusão sobre tudo isso é que somos apenas uns macacos metidos a besta, egoístas, sem o mínimo de fraternidade, interessados em acumular desbragadamente bens, sem se importar um mínimo com os outros.

    Daí estarmos presenciando estas barbáries mundo afora.

    No filme o Planeta dos Macacos (vem uma continuação aí) os macacos somos nós. O nosso planeta, nós os macacos, o dominamos.

    E parece que nossa evolução vai a passos de cágado, não de macaco. Minha dúvida é saber se vamos nos destruir antes de ver a verdade.

    Ao querido Surf não precisa surtar, te amo do mesmo jeito, nem comentei o fato na época em que me insultou, já estou consciente de como é o comportamento humano.

    Os judeus se acham especiais, e o são, como todos os demais povos da Terra, não tivéssemos vindo da mesma espécie.

    Teve um cara que disse para os judeus:

    “Eu não ando com vocês para não os exterminar.”

    Mas estas palavras servem também para todos os outros povos da Terra.

    Somos muito ruins mesmo.

     
    • Proftel

      agosto 28, 2011 at 3:24 pm

      Ô Fred!

      Até que enfim!

      Tava preocupado.

      🙂

      Olha, há na Web um texto dizendo que para a “Segurança Galática” os humanos devem ser exterminados. Somos “chucros” demais para interagir com outras raças.
      Por isso até hoje os extraterrestres não apareceram.

      🙂

       
      • Fred Schmidt

        agosto 28, 2011 at 3:29 pm

        Meu maior medo é conseguirmos implantar algo fora da Terra, seria uma ameaça ao Universo.

        Companheiro, um post que eu colocaria aqui sem sombra de dúvida. Parabéns a você e ao HRP.

        De resto, o mundo vai girando.

         
        • Proftel

          agosto 28, 2011 at 3:33 pm

          Fred:

          O HRP soltou o link e não comentou nada, quando abri quase caí duro, senti que valeria um Post e fiz.

          Brigadão aí por enviar a senha e, principalmente, ensinar esse pobre diabo a postar e liberar comentários.

          :-))))))))))))))

           
          • Fred Schmidt

            agosto 28, 2011 at 3:48 pm

            Companheiro, te dei as asas, agora é só batê-las.

             
            • Proftel

              agosto 28, 2011 at 4:36 pm

              Fred:

              🙂

               
  33. Proftel

    agosto 28, 2011 at 2:55 pm

    Cadê o Fred?

    :-/

     
    • surfando na jaca

      agosto 28, 2011 at 2:58 pm

      O Fred Carecao de Jesus foi internado depois das coças que levou do FDA. Não sabe se é o Batman,o Robin ou o Alfafafalante. Acho que esles darão jeito nele.

       
      • Proftel

        agosto 28, 2011 at 3:17 pm

        Surf:

        Olha, o Fred está passando por uns problemas sérios, muito sérios no que tange a hospital e família.

        Estou preocupado com ele.

        :-/

         
  34. Proftel

    agosto 28, 2011 at 2:31 pm

    Uai!

    Cadê o HRP?

    Acabei de responder no Open sobre Cananéia a ele, coloquei o Post de assunto que ele sugeriu e, o cara some?

    🙂 🙂 🙂

     
  35. surfando na jaca

    agosto 28, 2011 at 2:10 pm

    CAdê a ONU? Cadê os direitos humanos? Unicef?

     
  36. Proftel

    agosto 28, 2011 at 1:35 pm

    Noutros tempos, um post desses lá no PD daria pano pra manga kkkk.

    :-))))

     
  37. surfando na jaca

    agosto 28, 2011 at 1:07 pm

    Eu não posso ler essas coisa. Tenho logo vontade de mandar dinheiro para o Alcaida, começo a achar o Bin Laden um cara injustiçado etc. Meu Deus, esses caras se matam desde quando eu usava calça curta, será que não dá para entrar num acordo????? Culpa dos EUA que não cobram nada de seus aliados israelenses. Ao contrário, o bushismo safado ainda animou Israel para uma invasão ao Irã. A sorte foi que o negão Obaoba mudou de rumo e os EUA estão passando o pires para controlar a dívidazinha de mais de 14 trilhões de dólares.

     
    • Proftel

      agosto 28, 2011 at 1:12 pm

      Surf:

      Israel está para os EUA como Cuba estava para a URSS, o dia que a “boquinha” acabar (no caso de Israel é militar, menos financeira) a coisa degringola.

      🙂

       
    • surfando na jaca

      agosto 28, 2011 at 1:17 pm

      Antes que alguém venha me encher o saco, uso o termo negão porque um colega do MNB pedia para ser chamado assim, ao invés de escurinho,mulatinho, preto clarinho etc.

       
      • Proftel

        agosto 28, 2011 at 1:25 pm

        Negão! kkkkkk

        Surf, lá em Caldas Novas eu a patroa e a Duda almoçamos e jantamos num “restaurantezinho” muito simpático.
        Havia um garçon que logo de cara chamamos de “Jurandir” – e ele atendeu sempre que o chamamos assim.
        Na última noite ele perguntou porque sempre o chamava-mos de “Jurandir” no que de pronto a patroa disse: “É que você se parece com aquele ator da Globo, o “Jurandir” do “Tapas e Beijos” kkkkk.
        O cara, muito bem humorado, deu uma baita gargalhada, disse que era melhor que ser chamado de “garçon”.

        🙂

         
        • surfando na jaca

          agosto 28, 2011 at 2:17 pm

          Eu concordei com esse amigo do movimento negro. Escurinho é no cinema, para namorar. Mulatinho é tipo de feijão, deriva de mula, preto clarinho é muita viadagem. É negão e ponto.

           
          • surfando na jaca

            agosto 28, 2011 at 2:18 pm

            Afinal, alguém iria chamar o Broncão de burrinho? É Broncão e ponto.

             
  38. Patriarca da Paciência

    agosto 28, 2011 at 12:36 pm

    “Os críticos de Israel dizem que a política em relação às crianças palestinas está criando uma nova geração de ativistas com os corações cheios de ódio contra Israel. Outros dizem que ela mancha o caráter do país. “Israel não tem nada que prender estas crianças, julgá-las ou oprimí-las”, a srta. Lalo diz, com os olhos marejados. “Elas não são nossas crianças. Meu país está fazendo muitas coisas erradas e as justificando. Nós deveríamos servir de exemplo, mas nos tornamos um estado opressor”.
    Pena que Israel ainda esteja no velho testamento e não tenha ouvido as palavras do Grande Carpinteiro”:
    “assim como medirdes seireis medidos, assim como julgueis sereis julgados”.
    Não sei se haverá futuro para Israel.

     
    • Proftel

      agosto 28, 2011 at 1:19 pm

      Patriarca da Paciência:

      Se todos os países árabes do entorno de Israel virarem democracia o Likud tá no sal. kkk.

      Do jeito que a coisa vai, um dia você verá terroristas israelenses explodindo bombas contra eles mesmos.

      :-/

       
  39. Proftel

    agosto 28, 2011 at 12:15 pm

    O HRP colocou um link para essa matéria (que embrulhou meu estômago), não é o tipo da coisa que se vê na mídia daí que, virou post.

    🙂

     
    • Proftel

      agosto 28, 2011 at 3:38 pm

      Esse Post é, como se dizia antigamente “só prá botar a cabecinha” num assunto polêmico.

      A intenção é a mesma de sempre, buscar assuntos inéditos e interessantes sugeridos ou de nossa cachola mesmo

      :-).

       

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: