RSS

Urariano Mota: A elite miserável não vê, mas raríssimos doutores possuem a educação de Lula

02 out

Aqui se sugere, aqui se posta.

Essa é do Patriarca da Paciência:

A elite miserável brasileira prefere insistir que a maior liderança da democracia das Américas nunca passou num vestibular, nem, o que é pior, defendeu tese recheada de citações dos teóricos em vigor.

Urariano Mota, via Pragmatismo Político

No dia em que Lula recebeu o título de doutor honoris causa na França, o diretor do Instituto de Estudos Políticos de Paris, Ruchard Descoings, chamou a imprensa para uma coletiva. É claro que jornalistas do Brasil não poderiam faltar, porque se tratava de um ilustre brasileiro a receber a honra, pois não? Pois sim, deem uma olhada no que escreveu Martín Granovsky, um argentino que honra a profissão, no jornal Pagina/12. Para dizer o mínimo, a participação de “nossos” patrícios foi de encher de vergonha. Seleciono alguns momentos do brilhante artigo de Martín, “Escravistas contra Lula”:

Para escutar Descoings foram chamados vários colegas brasileiros… Um deles perguntou se era o caso de premiar quem se orgulhava de nunca ter lido um livro. O professor manteve sua calma e deu um olhar de assombrado. Talvez Descoings soubesse que essa declaração de Lula não consta em atas, embora seja certo que Lula não tenha um título universitário. Também é certo que quando assumiu a Presidência, em 1º de janeiro de 2003, levantou o diploma que é dado aos presidentes do Brasil e disse: “Uma pena que minha mãe morreu. Ela sempre quis que eu tivesse um diploma e nunca imaginou que o primeiro seria de presidente da República”. E chorou.

Por que premiam um presidente que tolerou a corrupção?’, foi a pergunta seguinte. Outro colega brasileiro perguntou se era bom premiar alguém que uma vez chamou de “irmão” a Muamar Khadafi. Outro, ainda, perguntou com ironia se o honoris causa de Lula era parte da política de ação afirmativa do Sciences Po.

Descoings o observou com atenção antes de responder. “As elites não são apenas escolares ou sociais”, disse. “Os que avaliam quem são os melhores, também. Caso contrário, estaríamos diante de um caso de elitismo social. Lula é um torneiro mecânico que chegou à presidência, mas pelo que entendi foi votado por milhões de brasileiros em eleições democráticas”.

Houve todas essas intervenções estúpidas e deprimentes. Agora, penso que cabem duas ou três coisas para reflexão. A primeira delas é a educação de Lula. Esse homem, chamado mais de uma vez pela imprensa brasileira de apedeuta, quando o queriam chamar, de modo mais simples, de analfabeto, burro, jumento nordestino, possui uma educação que raros ou nenhum doutor possui. Se os nossos chefes de redação lessem alguma coisa além das orelhas dos livros da moda, saberiam de um pedagogo de nome Paulo Freire, que iluminou o mundo ao observar que o homem do povo é culto, até mesmo quando não sabe ler. Um escândalo, já veem. Mas esse ainda não é o ponto. Nem vem ao caso citar Máximo Górki em Minhas Universidades, quando narrou o conhecimento que recebeu da vida mais rude.

Fiquemos na educação de Lula, este é o ponto. Será que a miserável elite do Brasil não percebe que o ex-presidente se formou nas lutas e relações sindicais? Será que não notam a fecundação que ele recebeu de intelectuais de esquerda em seu espírito de homem combativo? Não, não sabem e nem veem que a presidência de imenso sindicato de metalúrgicos é uma universidade política, digna dos mais estudiosos doutores. Preferem insistir que a maior liderança da democracia das Américas nunca passou num vestibular, nem, o que é pior, defendeu tese recheada de citações dos teóricos em vigor. Preferem testar essa criação brasileira como se falassem a um estudante em provas. Como nesta passagem, lembrada por Lula em discurso:

Me lembro, como se fosse hoje, quando eu estava almoçando na Folha de S.Paulo. O diretor da Folha de S.Paulo perguntou pra mim: “O senhor fala inglês? Como é que o senhor vai governar o Brasil se o senhor não fala inglês?” E eu respondi: “Alguém já perguntou se Bill Clinton fala português?” Eles achavam que o Bill Clinton não tinha obrigação de falar português! Era eu, o subalterno, o colonizado, que tinha de falar inglês, e não Bill Clinton o português!

O jornalista argentino Martín Granovsky observa ao fim que um trabalhador não poderia ser presidente. Que no Brasil, a Casa Grande sempre esteve reservada para os proprietários de terra e de escravos. Que dirá a ocupação do Palácio do Planalto. Lembro que diziam, na primeira campanha de Lula para a Presidência, que dona Marisa estava apreensiva, porque não sabia como varrer um Palácio tão grande… Imaginem agora o ex-servo, depois de sentar a bunda por duas vezes no Planalto, virar doutor na França. O mundo vai acabar.

O povo espera que não demore vir abaixo.

Fonte:

http://limpinhocheiroso.blogspot.com/2011/10/urariano-mota-elite-miseravel-nao-ve.html

 

 
16 Comentários

Publicado por em outubro 2, 2011 em Uncategorized

 

16 Respostas para “Urariano Mota: A elite miserável não vê, mas raríssimos doutores possuem a educação de Lula

  1. Jesus era Comunista

    outubro 5, 2011 at 9:43 am

    Patriarca

    É verdade.

    Não adianta chegar aqui um ET com idéias de uma nova sociedade se os terráqueos estão absortos em ter, matando e se trucidando em crises capitalistas.

    O ter leva a essas situações virtuais. O papa acaba de dizer que o comunismo é igual a chuva ácida. A religião de Jesus dona de bancos e propriedades. É de rir.

    Quando Moisés subiu ao monte para receber a tábua dos dez mandamentos, o povo judeu ficou lá em baixo, como Moisés demorou um pouco ao descer do monte os caras já tinham feito um boi de ouro e estavam adorando ele. heheheheheheehe Só rindo. Eu queria estar lá para ver a cara de Moisés.

    Não a toa Deus disse a Moisés que não iria no meio do povo judeu para não passar a régua na turma. É nós somos assim. Totalmente virtuais.

    Constantino, imperador Romano, quando teve a visão salvadora no meio da batalha, que era impossível ganhar mas que ganhou, resolveu instituir a religião cristã ao império romano.

    A partir daí conseguiu o que não conseguia matando os cristãos: acabar com o cristianismo.

    A Igreja católica veio desta visão, que deveria ser salvadora para os homens, a propagação do cristianismo (comunismo).

    A partir daí o cristianismo acabou, foi dominado e passou a matar (cruzadas) e queimar vivo (inquisição) e se associar aos poderosos. Hoje em dia é a pedofilia. E muito mais coisas existem nos porões do Vaticano.

    Daí eu vejo que sempre que há algo que pode melhorar a humanidade é logo detonado, e eu penso se não estamos cumprindo pena de purgatório ou de inferno.

     
  2. BRANCALEONE

    outubro 4, 2011 at 10:11 pm

    Não se pode negar que Lula tem sua qualidades mentais e que o Lulinha gerado (ou engendrado?) por ele herdou tais qualidades já que enricou muito rapidamente durante os 8 anos de “papai é quem manda”.
    De fato não é preciso formação superior para administrar o País já que os assessores via de regra tem boa formação emboramente e tambem via de regra, usem tal formação superior para a locupletação ilícita – e bota ilícita nisso.
    Tambem não se requer cultura superior para gerir o País já que as “malditas elites” são tambem constituídas por pessoas estudadas e que conduzem a economia do Brasil pagando altérrimos impostos que no fim acabam sustentando o apedeuta e seus assessores e em especial, o Lulinha.
    Lula é inteligente sim. Um selvagem dos cafundós da amazonia tambem é, desde que a inteligencia se refira ao ambiente em que vive. Na floresta, um advogado é imbecil e o selvagem genio.
    Pena que a inteligencia de Lula evoluiu politicamente e degenerou moralmente quando este compactuou e participou de falcatruas tão comuns aos seus antecessores.
    Lula não precisa de formação superior e muito menos ser poliglota. Os que o servem sim é que devem ter formação superior e assim compensar o apedeutismo do chefe.

     
  3. surfando na jaca

    outubro 4, 2011 at 12:12 am

    Foi um ótimo post, pelo o que os colegas escreveram e o Carecão de Jesus resumiu: Cultura é coisa diferente de inteligência prática. Agora, um post que espantou de vez a socó do sul. É assim a vida, cheia de desencontros, adversidades e divergências.
    Um abraço para a caramujada.

     
  4. Jesus era Comunista

    outubro 3, 2011 at 11:07 am

    O grande problema do Lula para os adversários é a inteligência dele.

    Um quase analfabeto que conseguiu ser um líder sindical com um poder que assustava quem nos assustava – a ditadura militar.

    Um cara que botava quente como líder sindical e que a ditadura nunca conseguiu fazer nada com ele, a não ser uns dias na prisão que mais tarde lhe valeu mais do que um canudo da Sorbonne.

    Cultura é acumulo de conhecimento, inteligência é:

    Inteligência pode ser definida como a capacidade mental de raciocinar, planejar, resolver problemas, abstrair ideias, compreender ideias e linguagens e aprender. (wiki)

    O que nenhuma Faculdade ensina ou dá.

    O Lula não está mais na presidência. Por quê continuam a dar tanta importância a ele? Inclusive no exterior.

    Porquê o Lula é uma das maiores inteligências deste planeta.

    Tá morto não.

     
  5. Patriarca da Paciência

    outubro 3, 2011 at 9:12 am

    A título de esclarecimentos, quero deixar aqui para os caros companheiros do blog, que sou um grande admirador da cultura erudita. Gosto de música clássica, de literatura clássica, de filosofia etc. e reconheço o grande valor da cultura formal. O que acontece é que muitos dos grandes criadores da cultura formal não tiveram diplomas universitários, o que alguns teimosos insistem em negar. Machado de Assis é um grande exemplo. O maior escritor do Brasil não tinha sequer o ginásio completo.

    Sobre o assunto, tenho um texto:

    Educação Formal e Educação Informal
    Educação é, principalmente, adquirir cultura. Cultura seria uma espécie de ferramenta mental que nos proporciona uma melhor interação e compreensão do ambiente que nos cerca.
    Atualmente costuma-se dividir a cultura em três níveis: cultura erudita, centrada nos meios acadêmicos ou no estudo da obra de representantes de grande saber, cientistas, artistas e filósofos, universalmente reconhecidos; a cultura popular, transmitida oralmente através de lendas, artesanato, culinária, costumes etc.; e a cultura de massa, produzida principalmente pelos meios de comunicação, impondo padrões e homogeneizando gostos e hábitos.
    Poderíamos classificar a cultura erudita como educação formal, sendo a cultura popular e a cultura de massa, educação informal.
    De uma maneira geral, a cultura formal é repassada para a sociedade, através dos livros didáticos, e a cultura informal através dos meios de comunicação e ou tradição oral, mas sempre de acordo com os interesses da classe dominante em cada país. Desse modo a cultura serve também para manter a ideologia dominante em cada sociedade, seja ela formal ou informal.
    Haveria um tipo de cultura é superior à outra? Há muitos defensores célebres de ambos os lados, mas o consenso é que uma complementa a outra. Até mesmo a cultura de massa, que muitos intelectuais atacam, às vezes de modo violento, tem o seu papel no desenvolvimento humano.
    A cultura popular foi, durante muito tempo, relegada a um papel inferior. Os movimentos culturais classificados como modernistas a colocaram-na no mesmo nível da cultura erudita. O que se diz hoje é que cada uma tem a sua função específica para cada situação.
    A cultura formal é sistemática e planejada, exigindo ambientes, horários e métodos próprios o que a torna de certo modo inacessível a boa parte da população. Já a cultura popular é livre e espontânea, adequando-se aos interesses de cada um, o que a torna praticamente aceita por todas as pessoas.. Mas ambas fazem parte de um só corpo que se chama cultura humana.
    E é através da cultura, seja ela formal ou informal, que nos permite inserirmo-nos na sociedade e realizarmos nossos projetos profissionais, como carreira, empreendimentos; ou mesmo sentimentais como casamento, constituição de família ou mantermos círculos de amizades.
    REFERÊNCIAS:
    http://www.coladaweb.com/filosofia/educacao2.htm
    SILVA, Daniela Regina.

     
  6. Jose Mario HRP

    outubro 3, 2011 at 8:25 am

    Aqui mesmo nesse blog pitaqueia um integrante do prestigioso grupo daqueles que para atacar o Lula o chamam de apedeuta, com prazer e delicia.
    Também demonstram um tipo de carater.
    Bom dia.

     
    • Patriarca da Paciência

      outubro 3, 2011 at 10:42 am

      HRP,

      o que eu percebo nesse pessoal que vive chamando o Lula de “apedeuta”, é que conservam a idéia equivocada de que reconhecer o Lula como uma pessoa de grande saber implica em desvalorizar as pessoas de saber formal.

      É uma parte profunda do conservadorismo. A cultura sempre foi usada também como objeto de mistificação. Durante milênios a Igreja Católica conservou a Bíblia apenas para os “cultos”. Aí veio Lutero e provocou uma tremenda revolução ao traduzir a Bíblia para o alemão e dizer que “qualquer pessoa seria capaz de ler e entender a Bíblia”.

      Depois os luteranos viraram elitistas e hoje em dia a Igreja Católica é que é popular.

      É assim que a sociedade funciona.

       
      • Jose Mario HRP

        outubro 3, 2011 at 11:16 am

        Correto, mas estranho ainda ser tão comum esse tipo de pensar e se comportar, mesmo que estejamos numa democracia.

         
      • Jesus era Comunista

        outubro 4, 2011 at 11:15 am

        Patriarca

        A igreja não queria que se lesse a Bíblia para não descobrirem que Jesus era Comunista.

         
        • Patriarca da Paciência

          outubro 4, 2011 at 11:59 am

          Fred,

          acho que você tem razão. Para mim, uma das pessoas que me compreendeu Jesus foi o inglês, H.G. Wells. Tentei fazer um resumo de suas idéias:

          O que Jesus pregou foi um novo nascimento da alma humana; o que Paulo pregou foi a antiga religião sacerdotal, do derramamento de sangue para aplacar a ira divina, do extremo sacrifício do cordeiro pascal.
          Jesus havia chamado a humanidade para uma empresa gigantesca, a renúncia de si mesma e o nascimento no reino do amor. A classe sacerdotal transformou esta simples e aberta doutrina, mas dura e nua empreitada, em racionalizações por meio de complicadas teorias e cerimônias que preservassem o “espírito substancial” das velhas crenças. Quão mais fácil é borrifar-se de sangue que purgar-se da malícia e da competição; dar velas e círios que o próprio coração. Raspar a cabeça e manter dentro dela seu cèrebrozinho egoísta e calculista!
          O cristianismo completamente emplumado, embora conserve, como núcleo, os ensinamentos de Jesus, é principalmente, uma religião sacerdotal, já conhecida por milhares de anos, estabelecida e desenvolvida através de hierarquias. O que realmente o torna novo é a preservação dos ensinamentos de Jesus, apesar de tudo!

           
          • Patriarca da Paciência

            outubro 4, 2011 at 12:04 pm

            Correção:

            Uma das pessoas que melhor compreendeu Jesus foi o inglês, H.G. Wells.

             
  7. Proftel

    outubro 3, 2011 at 12:29 am

    Saideira:

    🙂

     
  8. Proftel

    outubro 3, 2011 at 12:13 am

    Um lance prá vocês sacarem:

    🙂

     
  9. Proftel

    outubro 2, 2011 at 11:01 pm

    Pessoal:

    De certa feita disse que instalaria um cabo de rede pra conectar notebook na beira da cama, isso foi a quatro ou cinco anos atrás quando eu morava a três casas de aluguel prá trás; Na época o Pax ficou cabreiro, disse que não era interessante e que cama era pra outras coisas melhores, fiquei na minha.

    Instalei o cabo e o note, usei por umas semanas mas a bagaça ficava com muitos fios atrapalhando, acabei desistindo do evento na época.

    Hoje, correndo notícias na Rede vi que 40% do povo fica com notebook, na cama, com TV ligada.

    Agora mesmo a Dalva e a Duda estão lá em cima da cama de casal, o note tem wireless.

    Com essa “conexãozinha” de 15 Mega aqui de casa, um note com bateria que dura oito horas, “touchpad” melhor que um mouse, quem precisa de mais?

    Daqui ouço “One Love”, por vezes tenho que pedir a elas que diminuam o volume do note prá conseguir ouvir alguma coisa aqui no escritório.

    O Notebook me expulsou do quarto, agora ele é que toma conta, inversão de valores talvez seja isso kkkkkkkkk.

    Bom, fico por aqui, amanhã a semana será novamente “dukarai”, bração prôceis.

    🙂

     
    • Patriarca da Paciência

      outubro 3, 2011 at 11:12 am

      Proftel,

      eu sempre uso o computador “normal”, na escrivaninha do “escritório”, na averdade um quarto reservado para tal fim.

      Já a minha esposa tem um notebook, inclusive com uma mesinha própria para ficar ao lado da cama.

      Ela diz que eu sou meio antiquado e deveria ter também um notebook.

      Brigadão aí pelo post.

       
  10. Proftel

    outubro 2, 2011 at 10:34 pm

    Post sugerido é post inserido, faz parte da filosofia da página.

    Patriarca da Paciência:

    Se nos desculpe a demora.

    Bração aí.

    🙂

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: