RSS

Noam Chomsky – JEJU

08 out

Jeju Island, 50 km a sudeste do continente sul-coreano, tem sido chamado o local mais idílico no planeta. 706 milhas quadradas de ilha vulcânica é composta por três Patrimônios Natural da Humanidade da UNESCO.

História de Jeju, no entanto, está longe de ser idílica. Em 1948, dois anos antes da eclosão da Guerra da Coréia, os ilhéus encenaram um levante para protestar, entre outras questões, a divisão da Península Coreana em Norte e Sul. O governo do continente, então sob ocupação militar dos EUA, reprimiram os rebeldes de Jeju.

A polícia sul-coreana e as forças militares massacrou os ilhéus e destruíram aldeias. O historiador John Merrill da Coreia estima que o número de mortos pode ter ultrapassado 30 mil, cerca de 15 por cento da população da ilha.

Décadas mais tarde, uma comissão do governo investigou a revolta em Jeju. Em 2005, Roh Moo-hyun, então presidente da Coréia do Sul, pediu desculpas pelas atrocidades e Jeju foi designada como “Ilha da Paz Mundial.”

Hoje Jeju Island é novamente ameaçada pela militarização e violência USA/Sul-Coreana : a construção de uma base naval no local em que muitos consideram ser a mais linda costa de Jeju.

Por mais de quatro anos, moradores da ilha e ativistas pela paz têm se engajado na resistência determinada à base, arriscando suas vidas e liberdade.

As apostas são altas para o mundo também. Recentemente, o coreano JoongAng Daily, em Seul, descreveu a ilha como “a ponta de lança da linha de defesa do país” – uma linha localizada de forma imprudente localizada a 300 quilômetros de China.

Nestas águas turbulentas, a base de Jeju acolherá até 20 navios de guerra americanos e sul-coreanos, incluindo submarinos, porta aviões, aeronaves e destróieres, vários dos quais equipados com o sistema de defesa de mísseis balísticos Aegis.

Para os Estados Unidos, a finalidade da base é de projetar força em relação à China – e fornecer uma instalação para a frente de operação em caso de um conflito militar. A última coisa que o mundo precisa é uma guerra entre os EUA e a China.

Os protestos que ocorrem agora em Jeju são uma luta crucial contra uma guerra potencialmente devastadora na Ásia, e contra as estruturas institucionais profundamente enraizadas que estão a conduzir o mundo cada vez mais na direção de conflitos.

Não surpreendentemente, a China vê a base como uma ameaça à sua segurança nacional. No mínimo, a base é susceptível de desencadear o confronto e uma corrida armamentista entre Coréia do Sul e China, com os EUA, inevitavelmente envolvidos.

Falhar em impedir esse projeto, perigoso e destrutivo, pode muito bem ter consequências que vão muito além da Ásia.

Não precisamos especular como o Washington reagiria se a China estabelecer uma base perto da costa dos EUA.

A nova base em Jeju está localizado no Gangjeong, uma aldeia de pescadores e agricultures que relutantam em tornar o local uma batalha épica pela a paz.

A resistência é um movimento popular que vai muito além da questão da militarização da ilha. Direitos humanos, meio ambiente e liberdade de expressão também estão em jogo. Apesar de pequeno e remoto, Gangjeong é um campo de batalha importante para todos que acreditam em justiça social em todo o mundo.

A Coreia do Sul começou a construção da base em janeiro, mas os protestos pararam o trabalho em junho.

Uma testemunha relata que a resistência não-violenta dos moradores levou a prisões de cineastas, bloggers, os ativistas de redes sociais em websites, clérigos, – e principalmente, os líderes do movimento.

No mês passado, a polícia dispersou uma manifestação não-violenta e prendeu mais de três dezenas de ativistas, incluindo o prefeito de Gangjeong; o líder de um dos grupos de paz mais eficaz na Coréia, e um padre católico.

Ideais básicos democráticos também estão sob ameaça. Na votação de 2007 para autorizar a construção da base naval, 87 pessoas, alguns dos quais supostamente foram subornados, decidiram o destino de uma vila inteira de 1900 pessoas e uma ilha de mais de meio milhão de pessoas.

Ilhéus foram informados de que a base militar irá dobrar o turismo com um porto para navios de cruzeiro – o único meio para esses navios poderem atracar na ilha, gerando benefícios comerciais. A alegação é pouco crível, mesmo porque, ao mesmo tempo, em uma praia diferente, um projeto de expansão de um porto está em andamento e poderá ser concluída até ao Verão de 2012. Já foi anunciado que este novo porto vai acolher navios de cruzeiro.

 Os moradores de Gangjeong sabem muito bem o que seu futuro reserva, se o seu clamor pela paz não é atendida: um fluxo de sul-coreanos e estrangeiros militares, armamentos avançados, e um mundo de sofrimento serão destinados a uma pequena ilha que já sofreu o suficiente. A ironia é que as sementes de futuros conflitos de superpotências estão sendo semeadas em uma reserva ecológica de uma ilha de paz.

(Mais recente livro de Noam Chomsky é –    ”11/09: Houve uma alternativa”    – Chomsky é professor emérito de lingüística e filosofia no Instituto de Tecnologia de Massachusetts em Cambridge, Massachusetts?)

http://www.truth-out.org/threat-warships-island-world-peace/1317996246

 
35 Comentários

Publicado por em outubro 8, 2011 em Uncategorized

 

35 Respostas para “Noam Chomsky – JEJU

  1. surfando na jaca

    outubro 10, 2011 at 2:07 pm

    Fred,que aconteceu? Vc. desapareceu? Voltou para Ilha Grande? Virou um Mutante?

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 10, 2011 at 7:04 pm

      Dia todo no hospital, desde ás 7:00 dando uma força para Beth, cheguei agora, Morto. Que 67 anos pesa, hehehe

       
      • surfando na jaca

        outubro 10, 2011 at 7:18 pm

        Caraco, que vai com tudo não dança… Falou, Fred. Começo a sentir essa proximidade com o mei-século de existência.

         
  2. surfando na jaca

    outubro 9, 2011 at 5:10 pm

    Um tema interessante: a China se desenvolve criando máxima tensão entre economia e natureza. Com a poluição do crescimento industrial, criou vilas em que a população morre de câncer com a água contaminada por metais pesados. No portal Terra:

    Estudo realizado pelo Banco Mundial em 2007 em 341 cidades, intitulado “Custos da Poluição na China” revela que o avanço tecnológico atingido pelo país foi relativamente positivo para o meio ambiente. A China é hoje três vezes mais eficaz no uso de energia em comparação ao início do processo de reforma. Os níveis de poluição, entretanto, seguem uma crescente: o consumo de energia subiu 70% entre 2000 e 2005, e o uso de carvão subiu 75% no período.

    O documento foi elaborado com base no 10º Plano Quinquenal mandarim (um plano de metas do governo que dura cinco anos e lança as diretrizes do desenvolvimento nacional). Emissões de dióxido de enxofre (SO2) e chumbo aumentaram 42% e 11%, respectivamente, em relação aos valores estipulados como meta. Entre 2001 e 2005, 54% dos sete principais rios do país eram impróprios para o consumo – um crescimento de 12% em relação à década de 1990.

    As províncias mais poluídas concentram-se no norte (Qinghai, Nigxia, Beijing, Tianjin, Shaanxi e Shanxi), além de Hunan, que fica ao sul do país. Casos de morte prematura relacionados à poluição custaram, em 2003, 157,3 bilhões de yuans ao país (quase US$ 25 bilhões), o que representa 1,16% do PIB. Com dois terços da população rural ainda sem acesso à água encanada, diarreia e câncer do sistema digestivo comprometem 1,9% do PIB rural. A falta de água tratada e a poluição dos rios criam despesas de 147 bilhões de yuans ao ano. O comprometimento da saúde, que aumenta custos de hospitais e tira as pessoas da produção, consome 3,8% do PIB nacional. Chuva ácida, causada pelas emissões de SO², custa 30 bilhões de yuans em plantações e 7 bilhões de yuans na destruição de bens materiais (como prédios) anualmente. As províncias mais afetadas pela chuva ácida são Guangdong (Cantão), com 24%; Zhejiang (16%) e Jiangsu (16%).

    A irrigação de plantações com água poluída gera despesas de 7 bilhões yuans ao ano, ao passo que a pesca perde 4 bilhões de yuans anualmente. A poluição de água custa entre 0,3% e 1,9% do PIB rural (o valor não contabiliza as mortes por câncer). Ainda assim, casos de diarreia na zona rural chinesa são menos volumosos que muitos outros países (inclusive os que têm água tratada), conforme o estudo.

    De acordo com o Banco Mundial, o total de recursos comprometido pela poluição do ar e da água na China foi de 362 bilhões de yuans em 2003 – 2.68% do PIB. Isso se considerados os custos com comprometimento da saúde (mortes prematuras e doenças), se contado pelo valor estatístico de uma vida (o que uma pessoa pode produzir, em média), que é de 1 milhão de yuans, o valor chega a 781 bilhões, 5,78% do PIB.

    Em termos de poluição do ar, 58% da população urbana do país está exposta a partículas suspensas de até 10µg/m3 (PM10), percentual duas vezes superior à média norte-americana. Somente 1% da sociedade vive abaixo dos 40µg/m3. Em 2005, a qualidade do ar em 52% das cidades avaliadas ficava na média (até 50µg/m3); 38% no nível 3 (entre 50µg/m3. e 100µg/m3), 10% pior que nível 3 (acima de 100µg/m3). Os valores de referência são estipulados pela OMS.

    Nas zonas urbanas, problemas causados pela poluição incluem redução da capacidade pulmonar, bronquite crônica, doenças cardiovasculares, hospitalizações, ausência em trabalho e escola. Problemas graves são ligados à exposição em longo prazo. As taxas são mais altas em adultos que crianças.

    Conforme OMS, a concentração de SO² no ar deve ficar, no máximo, em 50µg/m3. Das 341 cidades chinesas monitoradas, 26% ficam acima da média, com 60µg/m3. 50% das cidades apresentam concentração de PM10µm de 100µg/m3. A concentração de dióxido de nitrogênio (NO2) em todas as cidades fica na média dos 50µg/m3. Cerca de 11% da população urbana está exposta à concentração acima de 150µg/m3, percentual três vezes mais alto do que a média anual norte-americana. A província de Shaanxi é a que tem mais moradores expostos à poluição de PM10, porém 41% da população de Sichuan ficam expostas a concentrações acima de 150 µg/m3.

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 9, 2011 at 7:32 pm

      A rapidez na expansão da indústria e a obstinação em manter os preços super baixos, para fazer dólares, vai custar um pouco caro para a China.

      Todo falso milagre cobra um preço.

       
      • Surfando na jaca

        outubro 9, 2011 at 7:46 pm

        Calvudo, me responda por favor, não é o capitalismo que está detonando o meio-ambiente? A China não é a fábrica do nossos brinquedinhos eletrônicos? De nossas roupas? De carros? E do raio-que-os-parta do consumo idiota e não idiota? Responda-me, Carecão de Jesus! É só a China a culpada?

         
        • Surfando na jaca

          outubro 9, 2011 at 7:56 pm

          Como diria um chinês: Tem culpa, eu?

           
          • Jesus era Comunista

            outubro 10, 2011 at 7:17 pm

            Surf

            Bem de um ponto de vista direto, a China é culpada pelo que faz na China e de quebra ajuda a poluir o mundo como um todo.

            Essa pressa de se desenvolver a 12% ao ano só é admissível até que a grande maioria da população tenha seu padrão de vida melhorado. Mas o preço a pagar é poluição, desabamento de minas de carvão todo dia (até que melhorou um pouquinho), afinal para o desenvolvimento, energia é fundamental, contaminação das águas, etc.

            A melhoria da produção no que se refere ao meio ambiente necessitaria toda uma adaptação das indústrias o que reduziria ao índice de crescimento.

            È falso milagre por que é conseguido a um custo social imediato alto – baixa remuneração. Não existe milagre, o que eu vejo é um desespero de crescimento, que trará consequências no meio ambiente e social que vai ficar mais caro para resolver na frente.

             
  3. surfando na jaca

    outubro 9, 2011 at 2:57 pm

    Como fica claro no gráfico que apontei no link do Fred, que a queda do muro desmobilizou a militarização do mundo pelos EUA. Lembro do governo Clinton prometer e não cumprir com a retirada das bases ianques na Europa. MAs vejam que o governo reaça do troglodita Bush armouuma escalada impressionante dos efetivos militares dos EUA no mundo. Trabalhou mesmo para a indústria de armamento e para os falcões. Até agora o Obanana nequinhas de desmontar essa máquina que expande os gastos públicos deles, como já se referiu o Patriarca.

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 9, 2011 at 7:33 pm

      O comando dos USA está dominado.

      Só resta ao povo deixar de ser gado.

       
  4. Jose Mario HRP

    outubro 9, 2011 at 9:56 am

    Existem algumas almas que vem a terra só para fazer o bem, talvez através das lições que recebeu na vida esse HOMEM tenha mesmo sofrendo enfrentado sua cruz para nos dar um grande exemplo de solidariedade, humildade e amor:

    http://www.google.com.br/search?q=general+dallaire&hl=pt-BR&biw=800&bih=537&prmd=imvns&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ei=SpmRTo6wAcW5tgfZp9ihDA&sqi=2&ved=0CDQQsAQ

     
  5. surfando na jaca

    outubro 9, 2011 at 1:53 am

    Ops, pessoal. Ninguém esqueceu o HRP, nosso companheiro José Mário. Quanto ao link, pombas era brincadeira. Vcs. sabem que já escrevi livros encalhados como os do Firula e a minha surpresa foi vê-los citados na wikipédia em língua inglesa. Como sou sério no que faço, por isso os livros encalham, posso dizer que a wiki é séria e poucos devem lê-la. São inferências desse fato. Quem diria que o surfando na jaca acabaria na wikipédia…

     
    • surfando na jaca

      outubro 9, 2011 at 2:20 am

      Essa tal de wikipédia vai acbar encalhando na net!

       
  6. Jose Mario HRP

    outubro 8, 2011 at 9:41 pm

    Sem tempo para comentário:
    Só quero, para, Alex me esqueceu, Surf, detona os direitistas, Geni, escreva, Jesus/Fred, escreva, Patriarca, escreva, Roberto/Mengão?, e demais /pau puro!

     
    • Proftel

      outubro 8, 2011 at 10:55 pm

      HRP:

      Pra começar não te esqueci.

      Até falei num comentário que cogito com o Fred transformar a bagaça em Sociedade Anônima, você e o Surf seriam os primeiros, citei seu nome e o dele, pode conferir.

      Quando citei Confrades e Confreiras tive em mente os ausentes, só isso.

      Os “do coração” são como mãe ou pai, não precisa lembrar que existe (por falar nisso, eu sempre lembro a data de aniversário do meu pai e da minha mãe, nunca lembro a dos meus filhos que moram em São Vicente-SP, só lembro que os dois são de “abril”), infelizmente.

      🙂

       
  7. Jesus era Comunista

    outubro 8, 2011 at 8:40 pm

    Aos companheiros, obrigado pelas felicitações, beijos nas carecas para todos.

     
  8. GENI ZEPELIN

    outubro 8, 2011 at 5:22 pm

    Muito interessante o mapa mesmo, Jesus.

    Mostra o apetite geopolítico do império e prá onde ele aponta seus interesses.

    Amei!

    Beijocas e Namastê, Jesus

    GENI ZEPELIN

     
  9. surfando na jaca

    outubro 8, 2011 at 3:49 pm

    Se vcs. forem na wiki, no link postado pelo Fred de Jesus, existe outro gráfico fantástico sobre o crescimento de tropas e efetivos militares a partir de 2002. Ou seja, a queda do muro foi aproveitada para o avanço militar dos EUA de forma considerável, com vistas a estabelecer seu poder de polícia do mundo. Interessante é que isso demorou uma década para acontecer. É de dar caraminholas para entender essa decolagem militar dos EUA no novo milênio.

    Tropas dos USA no Mundo ao longo do tempo

    Tropas dos USA na Alemanha

    http://en.wikipedia.org/wiki/File:Overseas_Troops.gif

     
    • Proftel

      outubro 8, 2011 at 5:21 pm

      Surf:

      Após a Guerra da Independência os EUA se contrairam, se fecharam para o mundo, desenvolveram tecnologia própria e ficaram na moita até a I Guerra mundial. Terminada esta em 1918, em matéria de tecnologia/forças bélicas voltaram à moita (tanto que o McArthur teve um trabalhão pra conter manifestantes na época da depressão – o que foi uma nódoa séria no curriculum dele).
      Veio a segunda Guerra, fodeu tudo e, eles ao invés de se recolherem de novo, quizeram se expandir com a desculpa de que era o “comunismo” réu.

      Deu no que deu. Um monte de desempregados, gente gorda pacas, comida pronta, banqueiros sem rédeas ferrando todo mundo.

      Antes eles tivessem (os EUA) se recolhido de novo, pelo menos tería-mos prá onde ir.

      Como diz a patroa: “-Não é do Homem que anda dirigir o seu passo…”

      Juro prôceis, fico com dó quando vejo aqueles enormes porta-aviões, aqueles enormes submarinos, aquele monte de caças uns na ativa outros jogados em portos ou no deserto como sucatas.

      Esses dias mesmo vi fotos de como foi desmontado o Porta Aviões Minas Gerais num canto do Glogo e fiquei pensando: “pra quê?”.

      Quantos caras trabalharam naquela bagaça, quantas noites de vigia, quanto de comida se consumiu lá, quanto de tudo na vida se foi só por conta d’um vaso de guerra?

      Fico pensando nas minhas noites mal dormidas com um fuzil municiado nas costas, o tanto de pernilongos, as estopas que queimava-mos com óleo diesel pra amenizar as madrugadas, o cara que um colega meu de companhia matou porque entrou no quartel (e era doido, não tinha noção do que fazia), o outro colega que atirou no pé porque não sabia usar a arma.

      Pra quê!

      Todos deveriam estar em casa dormindo prá acordar no dia seguinte e trabalhar decentemente, nada de armas como os EUA optaram.

      Deu no que deu.

      Arma creio, só para defender a família.

      :-/

       
    • GENI ZEPELIN

      outubro 8, 2011 at 5:30 pm

      Surf, não te parece que a arma da dominação sempre foi a economia, o capital? E que a parte

      bélica apenas e tão somente serviu e serve de aparato “aparente” de desnudador da situação?

      E que a força da China, por exemplo, é o poder econômico, muito maior que o do seu exército, o

      maior do mundo?

      Queria saber da tua opinião, como economista que és.

      Beijocas e Namastê,

      GENI ZEPELIN

       
      • surfando na jaca

        outubro 8, 2011 at 7:38 pm

        Geni, não se vc. está falando domomento atual. O imperialismo capitalista sempre usou a intimidação militar e até a invasão por meios militares. Os fatos como o da Coréia e Vietnam comprovam que o uso militar sempre foi uma forma de manutenção dos negócios do capital. Agora, o que faz funcionar esse aparato militar é o dinheiro e o capital tem se deslocado da matriz faz tempo. A história do socialismo real comprova o cerco que se montou na defesa das grandes companhias capitalistas e que não assistiram passivamente esse construção, mas ajudaram a criar um estado permanente de agressão militar que resultou no stalinismo e na vitória do capitalismo com o custo da aventura da Guerra Fria. A URSS não podia concorrer com o pool das principais economias do mundo, capitaneado pelos EUA. No cerne de tudo é o capital que move a máquina de guerra. Quanto à China, temia-se a guerra nuclear e agora teme-se também pela perda econômica que uma guerra poderá causar ao capital estrangeiro fortemente investido na grande fábrica que é a China. Interessante é que não conseguiram democratizar o regime. Ou seja, onde o capital obtém lucros tanto faz o regime político. Agora, onde ele não consegue se estabelecer, usa a força militar para criar a democratização do regime. É o que se quer fazer no Irã.

         
        • GENI ZEPELIN

          outubro 9, 2011 at 10:32 am

          Surf, falei sim sobre o momento atual e imediatamente próximo futuro.

          Mas entendi seu ponto de vista e concordo, com relação ao passado. No momento atual, acredito que os chineses são mais temidos pela possível dominação econômica e dependência do que pela força do maior exército do mundo.

          Beijocas e Namastê, Surf

          GENI ZEPELIN

           
  10. Proftel

    outubro 8, 2011 at 3:20 pm

    Se Obama chamar de volta tudo quanto é militar no exterior tá ferrado, dá guerra civil, será “um mundo véio” de desempregados, provavelmente os EUA se dividiriam em “feudos” como na Idade Média fizeram os “bárbaros” (se bem que há feudos por lá já hoje, é só sacar as notícias sobre leis de imigração…)

    Não precisa ver ou ir muito longe na História pra sacar o que pode ocorrer, é só dar uma olhadinha no desmonte da máquina de Guerra da ex URSS. Um monte de ruinas, muito material em sucateamento, consumo de vodka extremo, aumento de violência urbana etc. .

    Volta e meia passo nesse link aqui:

    http://www.englishrussia.com/

    Mostra muita coisa interessante de lá.

    🙂

     
    • Jose Mario HRP

      outubro 8, 2011 at 3:43 pm

      Que merda né?
      O país das armas e neuróticos ……
      E do hamburguer com gosto de papel…..

       
  11. surfando na jaca

    outubro 8, 2011 at 3:11 pm

    Repito aqui meus elogios ao Fred.

    surfando na jaca

    outubro 8, 2011 at 3:10 pm

    Obrigadíssimo, Fred. A escolha foi excelente. Vc. está tinindo na jaca. Fui lá na Wiki, onde sou mencionado em bibliografia vasta e irrestrita, fiquei impressionado. Sou conhecido no maior pai dos burros da internet! É só digitar surfando na jaca na wikipédia. Olhei os mapas e tudo mais, maravilha. Já havia dito para aquele Doriana derretido, filho do FDA que comeu o bispo Sardinha, que esse era um assunto importante e que ele evitava tocar. Ou seja, o crescimento militar dos EUA na América do Sul. Então, parabéns por vc. ser mais corajoso e perspicaz que aquele mateigão desmilinguido. Um beijo na calva, companheiro.

     
  12. surfando na jaca

    outubro 8, 2011 at 2:16 pm

    Carecão, não é só de venda de armamento que os EUA vivem. É preciso manter o Império, que cada vez mais sustenta investimentos ianques fora do país. Portanto, a manutenção do Império é imprescindível para se sugar os lucros da periferia e no velho continente já apodrecido, mas ainda poderosos economicamente. Falou, Fred?

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 8, 2011 at 2:35 pm

      Surf

      Falou e bem.

      Eu estava pensando aqui no seguinte: vamos botar os exércitos dos outros países neste mapa aí?

      Por exemplo, os exércitos dos bicho papões – Rússia – China e Irã – fora de seus países.

      Aí eu ri – cacilds, têm?

      Daí a gente vê o intuito dos USA, não do povo, que no momento só consegue participar da socialização dos prejuízos, dos empresários das armas, mas que falam em nome do povo.

      Mas o povo já começa a entender isso, veja as atuais manifestações.

      Um troço engraçado – um dos principais ativista desse movimento nos USA é um brasileiro que está há 2 anos nos USA. Será que o vírus Luso-Brasileiro da paz, do amor e da boa vida está sendo disseminado nos USA?

       
      • Proftel

        outubro 8, 2011 at 3:27 pm

        Fred:

        Excelente Post!

        🙂

         
        • Proftel

          outubro 8, 2011 at 3:41 pm

          Fred:

          Tentei ligar no seu celular, deu caixa de mensagem… .

          Era só prá dar os Parabéns pessoalmente e dizer que desbloqueei dois comentários que estavam na lixeira (um deles aliás, com foto d’uma moça).

          Tocar um blog a “quatro mãos” é legal pacas, pode crer.

          🙂

           
          • Jesus era Comunista

            outubro 8, 2011 at 8:38 pm

            A moça é Bete, minha ex mulher. Eu tinha emprestado meu laptop para ela. Depois ela me devolveu. Quando outro dia eu troquei o Chrome pelo Firefox, sugestão sua, começou a sair no firefox a limkagem com ela, não sei por que.

            Quando eu fiz o comentário apareceu ela, aí eu editei os comentários e mudei para Jesus, acho que faltou eliminar o que você aprovou. hehehehe

            Tenho ótima relação com ela, acho que sou melhor como ex do que marido. hehehehe

             
            • Proftel

              outubro 8, 2011 at 9:32 pm

              Fred:

              Mandei ver na aprovação por conta da nossa crença de nunca bloquear ou excluir comentário (aliás, havia um meu também, liberei os dois).

              Se me desculpe se fiz alguma cagada.

              Bração aí.

              Alexandre.

               
              • Jesus era Comunista

                outubro 8, 2011 at 10:31 pm

                Proftel

                Nada disso companheiro, sem problema algum.

                 
  13. Jesus era Comunista

    outubro 8, 2011 at 12:18 pm

    E eu pergunto: Os USA estão com problemas financeiros?

    Um país com duas guerras – Iraque – Afeganistão, bases em todo o mundo inclusive no Paraguai, milhões, é, MILHÕES DE SOLDADOS espalhados pelo MUNDO.

    O que podemos pensar dos USA?

    1 – Quer dominar o mundo?

    2 – Morre de medo de ser atacado pelas hordas terroristas?

    3 – Está dominado por loucos que só vêm a violência como solução para tudo?

    4 – Precisa que haja guerra no mundo para que suas mega empresas de armas continuem funcionando.

    5 – Está fazendo um haraquiri financeiro?

    6 – Todas as respostas acima juntas?

    Efetivo militar dos USA:

    Bases do USA

    Interessante não, o efetivo na América do Sul?

      More than 1,000 US personnel

      More than 100 US personnel
      Use of military facilities

    A era dos impérios – Turco – Grego – Romano, etc, não acabou.

    Será que um dia vai acabar?

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: