RSS

Guerra é crime contra o estado de Israel

11 out

Jesus era Comunista

Ury Avnery: “Guerra é crime contra o estado de Israel”

Quantas divisões?*

Uri Avnery*, 10/1/2009

HÁ QUASE 70 ANOS, durante a II Guerra Mundial, cometeu-se um crime de ódio em Leningrado. Por mais de mil dias, uma gang de extremistas, chamada “o Exército Vermelho” sequestrou e manteve sob sítio os milhões de habitantes da cidade, o que provocou ação de retaliação pela German Wehrmacht, que teve de agir em áreas superpovoadas. Os alemães só tiveram essa escolha: bombardear e encurralar a população e impor total bloqueio, o que matou centenas de milhares.

Pouco antes disso, crime similar foi cometido na Inglaterra. A gang de Churchill infiltrou-se entre os moradores de Londres, servindo-se de milhões de seres humanos como escudo humano. Os alemães foram obrigados a despachar para lá sua Luftwaffe e muito relutantemente reduziram a cidade a ruínas. Chamaram de “a Blitz”.

Essa seria a narrativa da história, que veríamos hoje nos livros escolares se os alemães tivessem vencido a guerra.

Absurdo? Tão absurdo quanto o que se lê diariamente nos jornais em Israel, repetido ad nauseam: os terroristas do Hamás “sequestraram” os habitantes de Gaza e exploram mulheres e crianças como “escudos humanos”. Não deixam alternativa ao exército de Israel, que é obrigado a bombardear furiosamente, processo durante o qual, Israel lamenta muito, Israel mata e mutila milhares de mulheres, homens desarmados e crianças.

NA GUERRA EM CURSO EM GAZA, como em todas as guerra modernas, a propaganda desempenha papel de protagonista. A disparidade entre as forças, entre o exército de Israel aviões de última geração, metralhadoras, fuzis, lança-granadas, navios de guerra, tanques, carros blindados de todos os tipos e uns poucos milhares de combatentes do Hamás, que só têm armas leves, é disparidade absoluta: de um, para mil, talvez de um, para um milhão. Na arena política a diferença é ainda mais ampla. Mas na guerra de propaganda, a diferença é quase infinita.

Praticamente toda a imprensa ocidental só fez repetir, de início, a linha oficial da propaganda de Israel. Ignoraram completamente o outro lado, o lado palestinense da história, para não dizer que jamais noticiaram as manifestações diárias que acontecem, feitas pelos militantes israelenses dos grupos pela paz. O mundo aceitou como verdadeiro o argumento de propaganda do governo de Israel (”O Estado tem de defender os cidadãos contra os foguetes Qassam”). Nenhum jornal lembrou que os Qassams são reação ao sítio, cerco, bloqueio que mata de fome 1,5 milhão de seres humanos na Faixa de Gaza.

Só depois que as televisões ocidentais começaram a exibir cenas horrendas, imagens da Faixa de Gaza, então, a opinião pública gradualmente começou a mudar.

É verdade que as televisões ocidentais e israelenses só mostraram uma pequena porção dos horrores que aparecem, 24 horas por dia, mostrados ao mundo árabe pelo canal árabe da Al-Jazeera, mas uma única imagem de um bebê morto, nos braços de um pai alucinado é mais poderosa do que o infindável palavrório de frases bem construídas do porta-voz do exército israelense. No final, aquele pai e aquele bebê comprovaram-se mais poderosos que o exército e o porta-voz do exército de Israel.

A guerra qualquer guerra é o império das mentiras. Chamem-nas “propaganda”, ou “guerra psicológica”, aceita-se em geral que muitos mintam a um país inteiro. E quem tente dizer a verdade corre o risco de ser acusado de traição.

O problema da propaganda é que ela sempre convence mais o propagandista, que o resto do mundo. E depois de alguém passar a crer que uma mentira é verdade, que o falso é real… já ninguém é capaz de tomar decisões racionais.

Exemplo desse processo viu-se no episódio mais chocante, até agora, da guerra de Gaza: o bombardeio da Escola Fakhura, da ONU, no campo de refugiados de Jabaliya.

Imediatamente depois de o mundo tomar conhecimento do crime que ali se cometeu, o exército de Israel “revelou” que combatentes do Hamás estariam disparando granadas de área próxima à entrada da escola. Como prova, exibiram uma foto aérea na qual, sim, se via uma escola e uma granada. Minutos depois, o mentiroso de plantão no exército teve de admitir que a foto era antiga, de mais de um ano. Em resumo: a foto foi falsificada.

Depois, outro mentiroso armado ‘declarou’ que “nossos soldados estavam sendo atacados a tiros, de dentro da escola”. Dia seguinte, o exército foi obrigado a reconhecer frente aos funcionários da ONU, que também a segunda ‘declaração’ era mentira. Ninguém foi atacado a tiros, de dentro da escola, nem havia combatentes do Hamás dentro da escola. Dentro da escola só havia refugiados desarmados e apavorados.

De qualquer modo, o desmentido não fez grande diferença. Àquela altura, a opinião pública já estava cegamente convencida de que “estavam atirando de dentro da escola” o que jornalistas continuaram a ‘noticiar’ pela televisão, como se fosse verdade.

E assim por diante, a cada nova atrocidade, uma nova mentira. Cada bebê metamorfoseava-se, no momento de morrer, em terrorista do Hamás. Cada mesquita bombardeada convertia-se instantaneamente em base do Hamás. Cada prédio de apartamentos, em esconderijo de armas; cada escola, em posto de comando do terror; cada prédio da administração pública, em “símbolo do poder dos terroristas do Hamás”. Assim, o exército de Israel travestiu-se, mais uma vez, de “o mais moral exército do mundo”.

A VERDADE é que as atrocidades são consequência direta do plano de guerra. Refletem a personalidade de Ehud Barak homem cujo modo de pensar e agir são exemplo do que se conhece como “insanidade moral”, desordem sociopática.

O objetivo real da Guerra de Gaza (além de conquistar algumas cadeiras nas eleições próximas) é destruir o Hamás na Faixa de Gaza. Na imaginação dos estrategistas sociopatas do exército de Israel, o Hamás é um invasor que controla um país estrangeiro. Claro que a realidade é outra.

O movimento Hamás venceu eleições perfeitamente legais e democráticas realizadas na Cisjordânia, em Jerusalém Leste e na Faixa de Gaza. Venceu, porque os palestinenses chegaram à conclusão de que a abordagem pacífica do Fatah nada obtivera, que prestasse, de Israel sequer foi interrompida a construção de novas colônias; nenhum prisioneiro político foi libertado; nenhum passo significativo foi dado para pôr fim à ocupação ilegal e criar o Estado da Palestina.

O Hamás está profundamente enraizado na população não só como movimento de resistência que combate a ocupação ilegal, como foi, no passado, o movimento Irgun e o Grupo Stern, mas também como corpo político e religioso que oferece serviços de assistência social, educacional e serviços de saúde.

Do ponto de vista da população da Palestina, os combatentes do Hamás não são um ‘corpo estranho’: são os filhos das famílias que vivem na Faixa e em outras regiões da Palestina. Eles não são nem estão “infiltrados na população”, nem “usam a população como escudos humanos”. A população da Palestina vê os combatentes do Hamás como os seus, como os seus soldados, como os seus defensores.

Portanto, toda a operação que levou a essa guerra baseou-se em premissas erradas. Transformar o dia-a-dia da Palestina em inferno jamais levará os palestinenses a levantar-se contra o Hamás. Acontecerá exatamente o oposto: a população unir-se-á cada vez mais firmemente em torno do Hamás; a cada dia aumentará a decisão de não se render. Os habitantes de Leningrado não se levantaram contra Stalin. Nem os ingleses de Londres levantaram-se contra Churchill.

Quem ordena que os soldados façam o que têm feito, mediante os métodos que o exército de Israel tem usado em área densamente povoada, sabe que massacrará civis. Aparentemente nada disso o perturba. Ou, então, ele pensa que “mudarão de opinião” e “acordarão para o bom-senso”, de modo que, no futuro, nunca mais se atreverão a resistir contra Israel.

A prioridade do exército de Israel era minimizar o número de soldados mortos, porque sabem que a opinião dos eleitores mudará, no instante em que Israel comece a enterrar seus filhos. Aconteceu exatamente assim, nas duas guerras do Líbano.

Essa consideração teve papel particularmente importante, porque toda a guerra é item da campanha eleitoral. Ehud Barak, que chegou ao topo das pesquisas nos primeiros dias da guerra, sabe que despencará de lá, se as televisões começarem a mostrar imagens de soldados israelenses mortos.

Portanto, Israel implementa hoje outra doutrina: evitar baixas; para tanto, destruir tudo o que apareça à frente dos tanques ou abaixo dos aviões ou na mira dos canhões dos barcos. Os estrategistas estão trabalhando, não só para matar 80 palestinenses para salvar um soldado, como está acontecendo; estão preparados para matar 800 palestinenses, por israelense. Evitar baixas é, hoje, o primeiro mandamento em Israel. Para tanto, estão matando número recorde de civis palestinenses.

O que aí se vê é a escolha consciente de um tipo particularmente cruel e injusto de estratégia de guerra. Esse erro é o calcanhar de Aquiles do exército de Ehud Barak.

Um homem sem imaginação como Barak (seu slogan eleitoral é “Não um bom sujeito. Um líder!”), não faz idéia de como gente de bem, em todo o mundo, reage ante assassinatos de famílias inteiras, destruição de casas, soterramento de mães e filhos, pilhas de cadáveres de meninos e meninas envoltos em mortalhas brancas, a relatórios que informam sobre feridos que sangram até morrer, porque o exército de Israel impede o trânsito de ambulâncias; ante assassinatos médicos e paramédicos que tentam cumprir seu dever; ou de motoristas de caminhões da ONU que dirigem caminhões que transportam farinha. O mundo está horrorizado com o que está vendo. Nenhum argumento eleitoral ou estratégico terá jamais qualquer força, ante a imagem de uma menina ferida, no chão, procurando a mãe.

Os estrategistas de Israel supuseram que impediriam o mundo de ver essas cenas; que bastaria impedir o trabalho dos jornalistas. Os jornalistas israelenses, para sua perpétua vergonha, deram-se por satisfeitos com os releases e imagens oficiais, fornecidas pelo porta-voz do exército, como se fossem notícia e fato; ao mesmo tempo, preservaram-se, a quilômetros de distância de qualquer perigo.

A imprensa estrangeira também foi proibida de trabalhar, mas os jornalistas estrangeiros, pelo menos, protestaram. Conseguiram ser levados em tours rápidos pelas cidades, em grupos pequenos, selecionados e fiscalizados.

Fato é que, nas guerras modernas, esse tipo de noticiário estéril e manufaturado já não exclui completamente outras vias de obter e distribuir informação. Há máquinas fotográficas e filmadoras com a população, na Faixa, no meio do inferno. E, essas, não podem ser controladas. As equipes da rede Al-Jazeera distribuem imagens e boletins 24 horas por dia. E todas as casas recebem as imagens.

Essa batalha, pelas telas de televisão, é hoje uma das mais decisivas de toda a guerra de Gaza.

Centenas de milhões de árabes, da Mauritânia ao Iraque, mais de um bilhão de muçulmanos, da Nigéria à Indonésia vêem e horrorizam-se. Não se subestime o impacto dessas redes, sobre o desenrolar da guerra de Gaza. Milhões de pessoas estão assistindo ao que fazem e dizem os políticos do Egito, da Jordânia e da Autoridade Palestinense. Para muitos, todos esses aparecem como colaboracionistas, como parceiros de Israel, nas atrocidades de que são vítimas, hoje, seus irmãos palestinenses.

Os serviços de segurança de vários regimes árabes já registram uma fermentação perigosa em vários países. Hosny Mubarak, de todos os líderes árabes o que está mais exposto, por ter fechado a passagem de Rafah, praticamente diante de multidões de refugiados apavorados, está sendo forçado a pressionar Washington, que, até há pouco tempo recusava-se a cogitar de qualquer tipo de acordo para o cessar-fogo. Todos já começam a pressentir algum tipo de grave ameaça aos interesses vitais dos EUA no mundo árabe. De fato, já mudaram de atitude o que causou consternação entre os complacentes diplomatas israelenses.

Gente que sofra de insanidade moral não pode, mesmo, entender os motivos que regem a ação de gente normal. “Quantas divisões tem o Papa?” perguntou Stálin. “Quantas divisões têm os seres humanos decentes?” deve estar-se perguntando, agora, Ehud Barak.

Fato é que os seres humanos decentes têm, sim, algumas divisões. Não muitas. Nem capazes de reação muito rápida. Nem são muito poderosas, nem muito bem organizadas. Mas num determinado momento, quando as atrocidades cometidas por Israel começaram a vazar por todos os lados, começaram a surgir protestos em massa, de grande envergadura. Esses protestos podem decidir uma guerra.

O erro, o fracasso, a incapacidade para perceber a real natureza do Hamás levou a outros erros, de resultados previsíveis. De um lado, Israel é incompetente para vencer. De outro lado, o Hamás não perderá essa guerra.

Ainda que Israel conseguisse matar todos os combatentes do Hamás, até o último homem, ainda assim o Hamás venceria. Os combatentes do Hamás passarão a ser vistos como exemplos para o mundo árabe, heróis do povo da Palestina, exemplo a ser copiado para todos os jovens árabes. A Cisjordânia cairá no colo do Hamás, como fruta madura. O Fatah naufragará num mar de escárnio, vários regimes árabes estarão sob risco de colapso.

Se, ao final dessa guerra, ainda houver Hamás, dilacerado, que seja; em frangalhos, que seja, mas ainda vivo, sobrevivente à fuzilaria da máquina militar de Israel, será a mais prodigiosa das vitórias, será fantástico, será como o espírito que derrotou a matéria.

Na consciência do mundo estará fixada a imagem de uma Israel sedenta de sangue, pronta para, a qualquer momento, cometer os mais atrozes crimes de guerra, que nada detém, nenhuma rédea moral. As consequências serão muito severas, para o futuro de longo prazo de Israel, para nossa existência no mundo, para as chances de Israel algum dia poder viver em paz e sossego.

No fim a guerra de Gaza é, sobretudo, guerra contra Israel, também. É crime contra o Estado de Israel.

* URI AVNERY, 10/1/2009, “How Many Divisions?”, é do Gush Shalom [Grupo da Paz], Israel, distribuído por e-mail, hoje. Tradução de Caia Fittipaldi, autorizada pelo autor

http://picica.net/?p=3374

 
58 Comentários

Publicado por em outubro 11, 2011 em Uncategorized

 

58 Respostas para “Guerra é crime contra o estado de Israel

  1. ANA GENILIA da COSTA

    outubro 13, 2011 at 1:18 pm

    ANA GENILIA da COSTA

    outubro 12, 2011 at 1:00 pm

    Um adendo ao comentário de ontem qdo escrevi “embróglio” qdo o correto é imbróglio.

    Mais: abr também para TIA, e Duda.

    Obrigada.
    Ana

     
    • Surfando na jaca

      outubro 13, 2011 at 5:20 pm

      Abraços, Ana. O pessoal estava discutindo Deus no open. Aqui ficou parado.

       
  2. ANA GENILIA da COSTA

    outubro 13, 2011 at 11:37 am

    “Olhe, o texto acima quem postou foi o Fred.”

    Ooops! Peço desculpas ao Fred, e Gracias pelo ótimo texto. Jesus, você disse tudo a respeito do ano de 1492, pois eu pensei em postar com mais detalhes, mas pensando melhor, resolvi fazê-lo em outra ocasião.

    Estou postando algo sobre a nação “produzida” pela ONU em 1947/1948 em benefício de outra nação Norte Americana, e Europa. No entanto, esta nação, a meu ver, tem pouquíssimo dos Israelitas (Judeus ortodoxos) exceto a Golda Meir que mesmo sendo da linhagem da VERDADEIRA nação ISRAEL (bíblico) foi estudar nos EUA, que consequentemente, todos já conhecem a história. Pobre do povo Palestino!!!

    Proftel, Surf, e demais amigos do blog! Abração pra vocês!

    Hrp, outro pra você.

    Ana

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 13, 2011 at 8:12 pm

      Ana

      Beleza Ana, estamos esperando.

       
  3. Proftel

    outubro 12, 2011 at 2:55 pm

    Uai!

    Numa troca de e-mails recebi do FDA gentil solicitação para excluir seu nome da Confraria no que foi prontamente atendido (pelo menos aqui na minha caixa ele não existe mais).

    Até pensei que não apareceria no pedaço dalí pra frente, até comentei isso nalgum canto aí prabaixo.

    Sempre o tive em muita consideração com o FDA. Juro prôceis que, assim que a Síria invadir França e ele tiver que voltar darei um jeito de trocar uma idéia pessoalmente com ele.

    Ah, mesmo assim assinei a bagaça (só não entendo o que o cara foi fazer lá, é tipo daqueles que sobem o Everest só prá bater uma foto? Porque o cara não foi ANTES da praticamente Guerra Civil de lá pra saber como o povo se sentia (quiçá escrever um belo livro ou artigo))?

    Pô, se o cara sabe que lá tá uma merda, que fique longe.

    Mas, tudo bem, pela causa tá meu nome e e-mail, tomara que soltem o cara vivo pelo menos.

    O cara ir prô Norte da África hoje em dia é mais ou menos como isso:

    🙂

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 12, 2011 at 3:36 pm

      Proftel

      O Alfalante é o crack do FDA.

      Faz um mal danado para ele, mas ele não consegue largar.

      De repente, quem sabe, não é a salvação dele?

      Esse crack aqui é do bem, tem uns efeitos colaterais, mas quebra um galho.

       
      • Proftel

        outubro 12, 2011 at 6:05 pm

        Fred:

        Todos que não conseguem ver seus comentários publicados no Fiuza, Sakamoto, quiçá blogs tipo “pandorama” vem pra cá e vêem que aqui são ouvidos

        Te juro que me sinto grato com isso.

        Como você bem mandou logo de início: “Aqui você fala”.

        🙂

         
        • surfando na jaca

          outubro 12, 2011 at 6:27 pm

          Aqui vc. é ouvido. Faz favoire de usar cotonete, ô pá!
          Alguém falou em Pandareco? Odeio aquela espelunca, fiquei feliz de ver aquilo se esbagaçar. Virar bagaça! kkkkkkkkkkk Uma Paxbagaça geral!

           
          • Proftel

            outubro 12, 2011 at 7:54 pm

            Surf:

            KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs :- ))))))))))))))))))))))

            Putz!

            Moeu!

            kkkkkkkkkkkk

             
            • Proftel

              outubro 12, 2011 at 8:03 pm

              Realmente Surf, aqui se fala e se é ouvido (tirando as segundas e terças que todo mundo tá ferrado no trabalho e a coisa fica meio ao léu).

              De quarta pra diante, principalmente a noite a maioria tá por aqui, fins-de-semana com chuva também.

              Na minha concepção há uma tênue linha entre escrever e ouvir nos blogs, a maioria que lê como se ouvisse responde.

              Há um diferencial aqui que não é tão “tênue” assim, o espaço é frequentado por gente que pensa (por incrível que pareça, tá difícil encontrar gente que “pense” – de sindicatos a políticos.

              Há muito individualismo na Rede, nas interrelações no dia-a-dia.

              Te juro, isso me deixa triste.

              Dá vontade de arrumar um emprego de caseiro em fazenda e me mandar com a patroa (há caseiros ganhando por volta de 4.000 reais por aqui – o dobro do que percebo concursado no Município e no Estado como professor).

              :-/

               
          • surfando na jaca

            outubro 12, 2011 at 9:06 pm

            Uns dirão, vc. é mal como o pica-pau. Nequinhas, o Pandoreba foi uma migração estimulada pelo Doriana derretida e foi uma traição aos antigos residentes daquele blog. Por isso a minha bronca. Se fosse expulso pelo Doriana, aceitaria.

             
  4. Tia (@tiadalva)

    outubro 12, 2011 at 2:49 pm

    Queria um open novo pra fazer meus comentários estilo Facebook: No que está pensando agora? : ((((

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 12, 2011 at 3:43 pm

      Tia

      Use e abuse do espaço, porque a liberdade é total, nesta bagaça, como diz o maridão ou gaiola de loucos, como digo eu.

       
  5. surfando na jaca

    outubro 12, 2011 at 2:26 pm

    Abraços a todos e a todas e bom feriado.
    O Fred me lembrou aquela poesia de que só o poeta é capaz de fingir a dor que não sente. Assim já é demais, Carecão! O Uri Geller Avoê Nero é craque, é um Zico da questão da palestina, mas dor mesmo é daquela criançada jogando pedras em soldados de Israel e levando bomba de fósforo na cachola! E mesmo assim não dá para sofrer o sofrimento alheio.
    Querido antropófago cacique caeté FDA, o demônio interior socrático sempre trabalha, embora hoje seja feriado. Já eu estou coçando pois é feriado! Feriado, esqueceu??? E a chuva atrapalhou meus planos. Quando chove, a serra despenca. De qualquer forma, sua sinceridade lhe desculpa por essas selvagerias que escreves e aquele livrinho sobre a genealogia dos primeiros cangaceiros do nordeste e os primórdios da família Sarney. Estou tentado a escrever mais um livro, que lhe dedicarei, sobre como obter riqueza e sabedoria na Igreja do Bispo ou seita do mago (esse negócio de mago é que é meio boiolístico, mas faz sucesso) Surfando na Jaca, o único descendente do bispo Sardinha e aquele que fez o Paulo Coelho ventar, embora fosse falta de educação.
    Beijos na calva.

     
    • surfando na jaca

      outubro 12, 2011 at 2:33 pm

      Como consultora de texto e estratégias na Net, convidarei a Socócoricó. Ela sabe tudo do assunto.

       
    • Jesus era Comunista

      outubro 12, 2011 at 3:32 pm

      Pois é Surf, com a idade e a baixa de testosterona, ficamos muito mais sensíveis ao problema dos outros.

      Fósforo branco da mesma marca que a luta pela democracia derrubou em cima das crianças Iraquianas.

       
  6. ANA GENILIA da COSTA

    outubro 12, 2011 at 1:00 pm

    “foi um navegador e explorador genovês, responsável por liderar a frota que alcançou o continente americano em 12 de Outubro de 1492, sob as ordens dos Reis Católicos de Espanha, no chamado descobrimento da América. Empreendeu a sua viagem através do Oceano Atlântico com o objectivo de atingir a Índia”

    Caros comentaristas, uma boa tarde! Não vou comentar o ótimo texto neste momento, mas sinto o desejo de lembrar uma coisa que aprendi desde minha infância, e que no contemporâneo, está sendo gradativamente esquecida, que é a data de hoje exposta acima. Louvo a comemoração do dia da Criança quando no meu tempo, só era lembrada no Natal, mas também, respeito uma outra comemoração que para quem tem fé, e é devoto, não custa comemorar. Enfim, a fé faz parte de nossa existência, não é mesmo?

    Obrigada pelo texto do Proftel que com muito conhecimento de causa, aborda um assunto que para muitos, é de extrema polêmica, mas para mim, que conheço os embróglios da história, não representa uma grande novidade.

    Abraços.
    Ana

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 12, 2011 at 1:38 pm

      A partir desta data, 12 de outubro de 1492, os chipas brancos começaram um do mais terríveis HOLOCAUSTOS de diversas civilizações em nome de democracia ( Ah não, me enganei, esta desculpa da democracia é dos atuais chipas brancos do norte para roubar o petróleo dos outros) digo em nome da CIVILIZAÇÃO (ai ai ai, hahahahaha estou morrendo de rir, porque o melhor seria me escalpelar mas não tenho coragem de fazê-lo).

      Nesta data os chipas brancos de mais do norte ainda, começaram o mais terrível HOLOCAUSTO de CIVILIZAÇÕES da face deste Planeta dos Macacos.

      Triste data, do início da mais vergonhosa faceta des-humana, (que se propaga até hoje, com muito mais força) dos chipas terráqueos.

      Como nós chipas brancos fizemos, nos vangloriamos, porque o fizemos.

      Exatamente o que o Ury falou no que se refere a versão dos alemães caso tivessem ganho a guerra.

      Acho que está na hora de mudarmos de comemoração para arrependimento, Dona Ana.

       
    • Jose Mario HRP

      outubro 12, 2011 at 1:47 pm

      Abração Ana!

       
    • Proftel

      outubro 12, 2011 at 2:21 pm

      Ana Gelilia da Costa:

      Olhe, o texto acima quem postou foi o Fred.

      No meu tempo, mês de outubro era pra comemorar o dia do professor.

      Quem inventou essa história de “dia da criança” foi a fábrica de brinquedos Estrela na década de 70 do século passado.

      Sou do tempo em que se abriam os portões da escola e todos formáva-mos fila, ouvia-mos o Hino Nacional e se hasteava a bandeira daí, as filas iam pra sala de aula. Lá nos sentáva-mos.

      Quando o professor entrava em sala ficáva-mos de pé.

      Não se ouvia um “pio”.

      Após a chamada era conferida a tarefa do dia anterior, “ai” de quem não tivesse feito, ia parar na diretoria, os pais eram chamados na hora. Quem fez alguma coisa errada levava puxão de orelha ou reguada (com aquelas réguas de 30 cm de madeira) na cabeça (o castigo variava de professor pra professor).

      Quem tirava notas baixas era discriminado, no ano seguinte “baixava” também de sala – na minha época havia, por exemplo, a “sétima série” A, B, C e D. Na “A” estavam os melhores alunos, na “B” os “bons”, na “C” os sofríveis e na “D” os repetentes, ninguém queria parar na “D”.

      Juro prôce, era um mundo mais disciplinado.

      🙂

       
  7. Jesus era Comunista

    outubro 12, 2011 at 12:30 pm

    Sentir o sentimento verdadeiro do outro é muito difícil, porque nós somos muito individualistas.

    Mas, eu sofro pelo sofrimento do Ury Avnery, tanto que cancelei a leitura semanal que o Gush Shalom me mandava semanalmente, todos podem receber é só ir lá e se cadastrar.

    Ver um homem – com mais de 80 anos,ver que sua pátria, que brigou por fazer pegando em armas contra os ingleses, arriscando sua vida, vendo amigos jovens como ele morrendo por ela, com um sonho de uma pátria feliz, atrás de uma terra só sua, depois de ver sua gente sendo assassinada, massacrada, pelo monstro do Hitler em pátrias distantes, dos outros, diferente da que Deus a eles destinou – sofrer por ver que os dirigentes de Israel são tão carniceiros como Hitler, me doía demais. Eu assimilava seu sofrimento. E covardemente parei de lê-lo.

    E não consigo mais lê-lo. Procuro somente divulgar aqui seus pensamentos, nobres que são, muito acima da capacidade intelectual da maioria dos chipas desta Terra dos Macacos.

     
  8. Jose Mario HRP

    outubro 12, 2011 at 11:16 am

    Ury Avnery sempre terá de minha parte um eterna admiração.
    Um homem da humanidade e não de uma só pátria.
    São eles que nos levam nos caminhos da história e do tempo nos intervalos em não temos os profetas de Deus nos guiando aqui em baixo!

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 12, 2011 at 11:53 am

      Companheiro HRP

      Falou tudo. Eu acrescentaria ainda Noam Chomsky.

      Lembrando-me agora, bem, muito bem, que no blog do jornalista falaram muito mal do Chomsky, com um leve, muito leve, quase com medo de falar bem da Confetti. Aí foi que fui ver quem era esse tal de Chomsky, quando li as escritas dele me identifiquei imediatamente.

      Com certeza eu não tinha nada a ver com o que se falava no blog do jornalista, tinha que ser expulso de lá mesmo. Graças a DEUS.

      Com Ury Avnery a mesma coisa.

       
  9. surfando na jaca

    outubro 12, 2011 at 10:31 am

    Prezado Proftel e demais urubuservadores, estou feliz com o povo ianque começando a primavera deles bem atrasados. Manifestação contra a vampiragem o dinheiro público e a guerra. Coisa bonita de se ver naquela terra que é o reino da reaçada impedernida e assumidéssima. Faz tempo que isso não acontecia. Porém, a crise chegou a seu ponto de “ou vai, ou racha”. Está chegando a hora do povo europeu enfrentar a reaçada deles também. Gostei da piada, Proftel. Tudo nublado.

     
    • surfando na jaca

      outubro 12, 2011 at 11:20 am

      E também vi uma situação complicada para Israel. Para libertar seus soldados tiveram que trocar por outros presos palestinos. Uma autoridade do Hamás declarou que isso só foi possível pela ação armada. Ou seja, vão continuar a se matar até a última bala. Esse Uri Avariado é muito bom. A imagem de Israel é essa mesma. Parece que o Broncão andou pelo outro post. O Broncão é como um mico leão dourado nesse blog. Eu diria mais, um direitão castrati.

       
      • Proftel

        outubro 12, 2011 at 3:18 pm

        Surf:

        Tá na cara que tenho muito em comum com o Brancaleone a saber:

        O cara é descendente de polaco, também sou, serviu Exército eu também, casou várias vezes, ibidem, não ter “papas na língua” é comum a nós.

        Não sei se para por aí, em algum momento ele se distanciou do centro e foi pra direita, eu mais à esquerda.

        No fundo gosto do cara, não se pode negar que é idealista, infante bravio e nacionalista até onde conseguir sustento à família.

        🙂

         
        • surfando na jaca

          outubro 12, 2011 at 3:27 pm

          Que que é isso, Proftel???? O Broncão e um Broncão, mas jamais um nacionalista. Vende o país todo por qualquer gorjeta. Mas ficou um direitoba amansado de tanto tomar paulada na bronquice.

           
    • Proftel

      outubro 12, 2011 at 2:24 pm

      Surf:

      Você viu que só hoje “caiu a ficha” na Globo?

      Foi agora na hora do almoço no “Jornal Hoje” – sobre os protestos em NY.

      hehe.

      🙂

       
  10. Jose Mario HRP

    outubro 12, 2011 at 8:20 am

    Dia cheio hoje?
    Padroeira, Cristo 80 anos, dia das crianças……
    Feriado!
    A europa em chamas financeiras…..
    Passarada cantando e um dia nublado e calmo!Agora só falta combinar o almoço e por mãos a obra.
    Bom dia a todos.

     
  11. Patriarca da Paciência

    outubro 12, 2011 at 5:33 am

    Artigo ótimo e muito bem escrito.

    Esclarece coisas nebulosas e é bem profético, pois como se vê foi escrito em 2009 e oferece um novo ponto de vista sobre a tal “Primavera Árabe”.

    Inclusive apontando qual seria o primeiro regime a cair.

    “Os serviços de segurança de vários regimes árabes já registram uma fermentação perigosa em vários países. Hosny Mubarak, de todos os líderes árabes o que está mais exposto, por ter fechado a passagem de Rafah, praticamente diante de multidões de refugiados apavorados, está sendo forçado a pressionar Washington, que, até há pouco tempo recusava-se a cogitar de qualquer tipo de acordo para o cessar-fogo. Todos já começam a pressentir algum tipo de grave ameaça aos interesses vitais dos EUA no mundo árabe. De fato, já mudaram de atitude o que causou consternação entre os complacentes diplomatas israelenses.”

    Sempre achei muito estranho que o mundo árabe reagisse apaticamente às atrocidades de Israel.

    Agora entendi – governos corruptos, aliados a Israel, com apoio dos Estados Unidos.

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 12, 2011 at 12:05 pm

      Patriarca

      Perfeito.

       
  12. FDA

    outubro 12, 2011 at 3:18 am

    Caro Proftel e comentaristas do Blog..

    Gostaria muito de agradecer aos que assinaram “a corrente do FDA” ou a todos que participaram desta “corrente” de solidariedade pela liberação de Nached Rafah, divulgando a informação, ou assinando a petição…

    Li a lista dos assinantes, fiquei feliz constatar a presença de muitos brasileiros que até estavam ausentes desta “corrente” ou petição..

    Nos pedimos à Embaixada da França de interferir, obter informações sobre o estado de saúde de Nached Rafah. Ultimas informações:

    10/10/2010: França encontra os dirigentes da oposição da Síria. Confiram aqui:

    http://tempsreel.nouvelobs.com/monde/20111011.OBS2176/juppe-serre-la-main-du-dirigeant-de-l-opposition-syrienne.html

    http://liberationrafahnached.org/

    Obrigando a todos e vão estudar cambada de punheteiros intelectueis, vcs jà demostraram que podem ser Uteis nesta vida..

    Ps.: Surfando seu miserável, seu demônio (no senso socrático do termo) vai trabalhar desgraçado…
    Para quem ainda não assinou a petição, segue aqui link:

    http://www.oedipe.org//phpPetitions/index.php?petition=3

     
    • Jesus era Comunista

      outubro 12, 2011 at 12:09 pm

      FDA

      Beijão na Careca!

      Se precisar de nós estamos aí.

      Se achegue que nós gostamos de você. Afinal de médico, louco, monstros e masoquistas, todos nós temos um pouco.

       
    • Proftel

      outubro 12, 2011 at 3:23 pm

      FDA:

      Assinei, taí:

      “Danielle STRUTZ , Françoise PLUSS (Céramiste bas-rhin) , Catherine RENAULT , Patricia GREY (London) , Alexandre a. TELEGINSKI (Professor, brasil, goiás, anápolis) , Hélène GALICHET (Conseillère d’orientation-psychologue) , Carole MARAIS (Nantes).

      Bração aí, volte sempre, o espaço também é seu.

      🙂

       
  13. Proftel

    outubro 12, 2011 at 2:47 am

    Melô dos nossos dias (ou para a Social Democracia de Tatcher, Regan e FHC/Serra/ou getulismo do mineiro, acrescentaria ainda a sadomasoquisse goiana):

    🙂

     
  14. Proftel

    outubro 12, 2011 at 2:26 am

    Uma coisa me deixou grilado no Clipper de hoje, foi isso aqui:

    “Erupção submarina nas Canárias obriga a evacuação de bairro portuário

    11.10.2011 – 16:36 Por PÚBLICO”

    Não é só um jornal, não é só um bairro, é uma ILHA inteira na Canárias!

    Já falei sobre isso aqui, se me preocupa por conta de ter dois filhos, pai e mãe em São Vicente além de alguns amigos em Natal-RN, Rio de Janeiro e Santos-SP (tomara que o HRP leia isso).

    O motivo é esse:

    http://www.apolo11.com/perguntas_e_respostas_sobre_terremotos.php?faq=11

    :-/

     
    • Proftel

      outubro 12, 2011 at 2:34 am

      Não é só um jornal, não é só um bairro, é uma ILHA inteira na Canárias! = Não é um jornal tacanho (é o “Estadão” de Portugal), não é só um “bairro”, é uma das ilhas que mais gera riqueza para Espanha (na verdade um conjunto de Ilhas) e, não é só um “bairro”, é um troço muito mais próximo a nós que se nos imaginamos.

      :-/

       
  15. Proftel

    outubro 12, 2011 at 2:11 am

    Surf:

    Ainda tenho uns minutos de tempo antes da bosta do back-up terminar.

    Tanto você quanto eu, falta menos de um mês prá completar outra bagaça de aniversário, estamos na “TPM” anual.

    Te juro, esse ano tá foda..

    Farei “49” e você não sei quantos, tomara que menos mas, já lhe adianto, não está fácil.

    (teclado não há “carinhas” ou, meu óculos tá fraco).

    Se bem, que, achei “/” em “control-alt “Q” kkkk

    Que bosta….

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs :- )))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

     
    • surfando na jaca

      outubro 12, 2011 at 12:03 pm

      Prezado Proftel, novembro está chegando. Mais um velório de um ano. Até chegar aos enta eu me sentia um homem do meu tempo. Agora começo a pensar se não estou num museu de cera. Quase tudo que existe na realidade desses tempos de dupla corneleja me irrita e dá fastio. Isso deve ser a idade pesando como bloco de cimento em pé de mafioso.

       
      • Proftel

        outubro 12, 2011 at 2:39 pm

        Surf:

        Na segunda feira de manhã chegou um Fiat “dobô” ou “dobê” com um a carreta no engate, haviam caixas e mais caixas d’um acervo de escola que fechou – caixas e mais caixas com documentação de alunos, desde 1967.

        Só eu e outro cara descarregando a bagaça, tô com dor nas costas até hoje.

        Como se diz aqui, “é veirêra”.

        🙂

         
  16. Proftel

    outubro 12, 2011 at 1:26 am

    Pessoal, é uma e vinte da manhã, já entreguei dois dos computadores empacados aqui em casa, estou fazendo o back-up do terceiro que é de 32 Giga (só salvando arquivos), Tô um caco, cêis nem imaginam.

    Se me desculpem sumir desde domingo mas, tenho compromissos sérios por aqui.

    Dá vontade de escrever, fazer e acontecer no pedaço mas nem sempre estou com conexão boa ou num computador decente (detesto digitar coisa séria no notebook, podem crer).

    Bom, é isso, voltarei lá prá baixo onde fica a bancada.

    Se Deus quizer amanhã conversarei direito com vocês.

    🙂

     
  17. Proftel

    outubro 12, 2011 at 1:20 am

    Surf:

    Acho que o Fred tentou dizer isso (parafraseando uma piada do Zizek):

    “Um fulano da Alemanha Oriental foi mandado para trabalhar na Sibéria. Ele sabia que o seu correio seria lido pelos censores, por isso disse aos amigos: “Vamos estabelecer um código. Se receberem uma carta minha escrita em tinta azul, será verdade o que estiver escrito; se estiver escrita em tinta vermelha, será falso”. Passado um mês, os amigos recebem uma primeira carta toda escrita em tinta azul. Dizia: “Tudo é maravilhoso aqui, as lojas estão cheias de boa comida, os cinemas exibem bons filmes do ocidente, os apartamentos são grandes e luxuosos, a única coisa que não se consegue comprar é tinta vermelha.”

    🙂

     
  18. Jesus era Comunista

    outubro 11, 2011 at 8:26 pm

    Surf

    Não entendi:

    Puxa, fiquei falando sozinho. Sinceramente… Vou porpor um blog em parceria com o FDA, assim a gente poderá sentar a borduna em todo mundo, sem precisar fazer média.

    Carácoles. Você devia é ir no consultório do Dr FDA. Aí os dois iam poder se satisfazer, hehehehe

     
    • surfando na jaca

      outubro 11, 2011 at 8:40 pm

      Fred, não me referia ao sua nobre pessoa, mas ao resto da humanidade. Não faz mal. Vc. é o único que não percebeu quem é o FDA. Não existe pessoa mais sincera na face da Terra que o FDA. Espanca os amigos e os inimigos. Nenhum comentário lhe agrada e ainda nos chama de vagabundos. Agora, imagine ser filho desse caeté desembestado?

       
      • Jesus era Comunista

        outubro 11, 2011 at 8:57 pm

        Como é o nome do FDA? Eu acho que você não sabe de quem se trata. A não ser que ele não use o Doria.

         
        • surfando na jaca

          outubro 11, 2011 at 9:08 pm

          Fred, vc. já ouviu falar de anagrama?

           
          • Jesus era Comunista

            outubro 11, 2011 at 9:13 pm

            Surf, o nome do FDA eu sei e não tem Doria.

            Pelo menos você assinou a corrente do FDA?

            Por incrível que pareça é por uma boa causa.

             
  19. surfando na jaca

    outubro 11, 2011 at 8:14 pm

    Camarada Fred, parque de diversões de mosquito, não pegaram no meu pé, mas estou de péssimo humor. Já bati nuns direitobas e necas. Bom, entendi a confusão. Será que o FDA virou o pior tipo de chato, que fica mandando correntes e abaixo-assinados? Uma genealogia complicada dessas só podia dar nisso. Puxa, fiquei falando sozinho. Sinceramente… Vou porpor um blog em parceria com o FDA, assim a gente poderá sentar a borduna em todo mundo, sem precisar fazer média. O nome do blog será Os Troglotidas Onicientes.

     
    • Proftel

      outubro 12, 2011 at 1:52 am

      Papo de Técnico:

      Quem envia correntes ou coisas do tipo é porque tá com spyreware no computador.

      Vão por mim, é fria.

      (não tem “carinha de triste” nessa porra de teclado, que bosta)

      ;

       
  20. Jesus era Comunista

    outubro 11, 2011 at 7:17 pm

    Surf

    Pegaram no teu pé hoje, hehehehe

    O post anterior não é do Chongas é o Dois artigos do profiterólis.

     
  21. surfando na jaca

    outubro 11, 2011 at 7:09 pm

    Fred, não parece o comentário do FDA para mim no post do Noam Chongas. Aqui chove e o tempo fica assim meio-embolorado. Esse FDA é um troglodita culto e intratável. Deve ter sido a aculturação dos descendentes dos doria caetés na sinagoga daqueles judeus de Recife, que depois migraram para Nova Iorque. Deu nesse samba de crioulo doido que é o FDA.

     
  22. Jesus era Comunista

    outubro 11, 2011 at 7:00 pm

    Surf

    O horário é 3:49 am.

    O bicho não pega não. FDA é apenas um troglodita inculto. O azar dele é que o Alfalante é o crack dele.

    Tenta, tenta, mas não consegue largar.

    Mas é um crack do bem, pode ficar viciado, que este ao contrário do outro, só faz bem.

     
  23. surfando na jaca

    outubro 11, 2011 at 6:43 pm

    Fred, nada vi e nada achei. O FDA deve estar só no seu computador. KKKKKKKK. Afinal, o bicho pega entre vcs. dois.

     
  24. Jesus era Comunista

    outubro 11, 2011 at 6:21 pm

    FDA está solicitando ajuda para uma causa humanitária e social, no post anterior. Talvez vocês não tenham visto porque o comentário ficou retido pelo wordpress (ele deve ter mudado algo nas informações para postagem do comentário).

    Quando o comentário é liberado ele entra na ordem horária que foi feito pelo comentarista.

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: