RSS

Viver entre os 1%

01 nov

Quando se é trabalhador, de família de trabalhadores, todos cuidam de todos, e quando um se dá bem, ou outros vibram de orgulho – não só pelo que conseguiu ter sucesso, mas porque, de algum modo, um de nós venceu, derrotou o sistema brutal contra todos, que comanda um jogo cujas regras são distorcidas contra nós. Nós conhecíamos as regras, e as regras diziam que nós, ratos das fábricas da cidade, nunca conseguíamos fazer cinema, ou aparecer em entrevistas na televisão ou conseguíamos fazer-nos ouvir em palanque nacional. O artigo é de Michael Moore.
Michael Moore
Amigos,

Há 22 anos, que se completam nesta terça-feira, estava com um grupo de operários, estudantes e desempregados no centro da cidade onde nasci, Flint, Michigan, para anunciar que o estúdio Warner Bros, de Hollywood, comprara os direitos de distribuição do meu primeiro filme, “Roger & Me”. Um jornalista perguntou: “Por quanto vendeu?”

“Três milhões de dólares” – respondi com orgulho. Houve um grito de admiração, do pessoal dos sindicatos que me cercava. Nunca acontecera, nunca, que alguém da classe trabalhadora de Flint (ou de lugar algum) tivesse recebido tanto dinheiro, a menos que um dos nossos roubasse um banco ou, por sorte, ganhasse o grande prêmio da loteria de Michigan.

Naquele dia ensolarado de novembro de 1989, foi como se eu tivesse ganho o grande prêmio da loteria – e o pessoal com quem eu vivia e lutava em Michigan ficou eufórico com o meu sucesso. Foi como se um de nós, finalmente, tivesse conseguido, tivesse chegado lá, como se a sorte finalmente nos tivesse sorrido. O dia acabou em festa. Quando se é trabalhador, de família de trabalhadores, todos cuidam de todos, e quando um se dá bem, ou outros vibram de orgulho – não só pelo que conseguiu ter sucesso, mas porque, de algum modo, um de nós venceu, derrotou o sistema brutal contra todos, sem mercê, que comanda um jogo cujas regras são distorcidas contra nós.

Nós conhecíamos as regras, e as regras diziam que nós, ratos das fábricas da cidade, nunca conseguíamos fazer cinema, ou aparecer em entrevistas na televisão ou conseguíamos fazer-nos ouvir em palanque nacional. A nossa parte deveria ser ficar de bico calado, cabeça baixa, e voltar ao trabalho. E, como que por milagre, um de nós escapara dali, estava a ser ouvido e visto por milhões de pessoas e estava ‘cheio de massa’ – santa mãe de deus, preparem-se! Um palanque e muito dinheiro… agora, sim, é que os de cima vão ver!

Naquele momento, eu sobrevivia com o subsídio de desemprego, 98 dólares por semana. Saúde pública. O meu carro morrera em abril: sete meses sem carro. Os amigos convidavam-me para jantar e sempre pagavam a conta antes que chegasse à mesa, para me poupar ao vexame de não poder dividi-la.

E então, de repente, lá estava eu montado em três milhões de dólares. O que eu faria do dinheiro? Muitos rapazes de terno e gravata apareceram com montes de sugestões, e logo vi que, quem não tivesse forte sentido de responsabilidade social, seria facilmente arrastado pela via do “eu-eu” e muito rapidamente esqueceria a via do “nós-nós”.

Em 1989, então, tomei decisões fáceis:

1. Primeiro de tudo, pagar todos os meus impostos. Disse ao sujeito que fez a declaração de rendimentos, que não declarasse nenhuma dedução além da hipoteca; e que pagasse todos os impostos federais, estaduais e municipais. Com muita honra, paguei quase um milhão de dólares pelo privilégio de ser norte-americano, cidadão deste grande país.

2. Os 2 milhões que sobraram, decidi dividir pelo padrão que, uma vez, o cantor e activista Harry Chapin me ensinou, sobre como ele próprio vivia: “Um para mim, um para o companheiro”. Então, peguei metade do dinheiro – e criei uma fundação para distribuir o dinheiro.

3. O milhão que sobrou, foi usado assim: paguei todas as minhas dívidas, algumas que eu devia aos meus melhores amigos e vários parentes; comprei um frigorífico para os meus pais; criei fundos para pagar a universidade das sobrinhas e sobrinhos; ajudei a reconstruir uma igreja de negros destruída num incêndio, lá em Flint; distribuí mil perus no Dia de Ação de Graças; comprei equipamento de filmagem e mandei para o Vietnã (a minha ação pessoal, para reparar parte do mal que fizemos àquele país, que nós destruímos); compro, todos os anos, 10 mil brinquedos, que dou a Toys for Tots no Natal; e comprei para mim uma moto Honda, fabricada nos EUA, e um apartamento hipotecado, em Nova York.

4. O que sobrou, depositei numa conta de poupança simples, que paga juros baixos. Tomei a decisão de jamais comprar ações. Nunca entendi o cassino chamado Bolsa de Valores de Nova York, nem acredito em investir num sistema com o qual não concordo.

5. Sempre entendi que o conceito do dinheiro que gera dinheiro criara uma classe de gente gananciosa, preguiçosa, que nada produz além de miséria e medo para os pobres. Eles inventaram meios de comprar empresas menores, para imediatamente as fechar. Inventaram esquemas para jogar com as poupanças e reformas dos pobres, como se o dinheiro dos outros fosse dinheiro deles. Exigiram que as empresas sempre registassem lucros (o que as empresas só conseguiram porque despediram milhares de trabalhadores e acabaram com os serviços de saúde pública para os que ainda tinham empregos). Decidi que, se ia afinal ‘ganhar a vida’, teria de ganhá-la com o meu trabalho, o meu suor, as minhas ideias, a minha criatividade. Eu produziria produtos tangíveis, algo que pudesse ser partilhado com todos ou de que todos gostassem, como entretenimento, ou do qual pudessem aprender alguma coisa. O meu trabalho, sim, criaria empregos, bons empregos, com salários decentes e todos os benefícios de assistência médica.

Continuei a fazer filmes, a produzir séries de televisão e a escrever livros. Nunca iniciei um projecto pensando “quanto dinheiro posso ganhar com isso?”. Nunca deixei que o dinheiro fosse a força que me fizesse fazer qualquer coisa. Fiz, simplesmente, exatamente o que queria fazer. Essa atitude ajuda a manter honesto o meu trabalho – e, acho, ao mesmo tempo, que resultou em milhões de pessoas que compram bilhetes para assistir aos meus filmes, assistem aos programas que produzo e compram os meus livros.

E isso, precisamente, enlouqueceu a direita. Como é possível que alguém da esquerda tenha tanta audiência no ‘grande público’?! Não pode ser! Não era para acontecer (Noam Chomsky, infelizmente, não vai aparecer no Today View de hoje; e Howard Zinn, espantosamente, só chegou à lista dos mais vendidos do New York Times depois de morto). Assim opera a máquina dos meios de comunicação. Está regulada para que ninguém jamais ouça falar dos que, se pudessem, mudariam todo o sistema, para coisa muito melhor. Só liberais sem personalidade, que vivem de exigir cautela e concessões e reformas lentas, aparecem com os nomes impressos nas páginas de editoriais dos jornais ou nos programas da televisão aos domingos.

Eu, de algum modo, encontrei uma brecha na muralha e meti-me por ali. Sinto-me abençoado, podendo viver como vivo – e não ajo como se tudo fosse garantido para sempre. Acredito nas lições que aprendi numa escola católica: que se tens sucesso, maior é a tua responsabilidade por quem não tenha a mesma sorte. “Os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos.” Meio comunista, eu sei, mas a ideia é que a família humana existe para partilhar com justiça as riquezas da terra, para que os filhos de Deus passem por esta vida com menos sofrimento.

Dei-me bem – para autor de documentários, dei-me super bem. Isso, também, faz enlouquecer os conservadores. “Você está rico por causa do capitalismo!” – gritam. Hummm… Não. Não assistiram às aulas de Economia I? O capitalismo é um sistema, um esquema ‘pirâmide’ que explora a vasta maioria, para que uns poucos, no topo, enriqueçam cada vez mais. Ganhei o meu dinheiro à moda antiga, honestamente, fabricando produtos, coisas. Nuns anos, ganho uma montanha de dinheiro, noutros anos, como o ano passado, não tenho trabalho (nada de filme, nada de livro); então, ganho muito menos. “Como é que você diz que defende os pobres, se você é rico, exatamente o contrário de ser pobre?!” É o mesmo argumento de quem diz que, “Você nunca fez sexo com outro homem! Como pode ser a favor do casamento entre dois homens?!”

Penso como pensava aquele Congresso só de homens que votou a favor do voto para as mulheres, ou como os muitos brancos que foram às ruas, marchar com Martin Luther Ling, Jr. (E lá vem a direita, aos gritos, ao longo da história: “Hei! Você não é negro! Você nem foi linchado! Por que está a favor dos negros?!”). Essa desconexão impede que os Republicanos entendam por que alguém dá o próprio tempo ou o próprio dinheiro para ajudar quem tenha menos sorte. É coisa que o cérebro da direita não consegue processar. “Kanye West ganha milhões! O que está a fazer lá, em Occupy Wall Street?!”. Exatamente – lá está, exigindo que aumentem os impostos a ele mesmo. Isso, para a direita, é definição de loucura. Todo o resto do mundo somos muito gratos que gente como ele se tenha levantado, ainda que – e sobretudo porque – é gente que se levantou contra os seus interesses pessoais financeiros. É precisamente a atitude que a Bíblia, que aqueles conservadores tanto exaltam por aí, exige de todos os ricos.

Naquele dia distante, em novembro de 1989, quando vendi o meu primeiro filme, um grande amigo meu disse o seguinte: “Eles cometeram um erro muito grave, ao entregar tanto dinheiro a um sujeito como tu. Essa massa fará de ti um homem perigosíssimo. É prova do acerto do velho dito popular: ‘Capitalista é o sujeito que te vende a corda para se enforcar a ele mesmo, se achar que, na venda, pode ganhar algum dinheiro.”

Atenciosamente,

Michael Moore

MMFlint@MichaelMoore.com
27/10/2011

Tradução do coletivo da Vila Vudu

Fonte:

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=18864

Outro Post:

Tempos extraordinários:

antagonismo explícito na crise das finanças desreguladas. As marcas se sucedem a desmentir os teórico da endogamia entre produção de mercadoria e de cidadania; entre livres mercados e liberdade humana.

A estaca desta 3ª feira, porém, espetou um ponto de contradição indissimulável, quando o primeiro ministro Yorgos Papandreu acenou com uma consulta popular sobre planos de ajuste ortodoxo até agora sancionados à revelia da sociedade grega. Deu-se então um streap-tease histórico: o poder coercitivo invisível do capital revelou as avantajadas angulações de sua natureza excludente com a democracia.

Banqueiros e lideranças do euro foram ao ponto e à mídia obsequiosa: e dispararam recados ameaçadores a Atenas. Não importa o que digam. Seu nervosismo derruba o biombo da generosidade que cercou o anúncio de um ‘desconto’ de 50% da dívida do país. A dimensão insuportavelmente espoliativa do programa que vem sendo imposto à Grécia custa mais que o ‘default administrado’.

Taxas de suicídio disputam o ranking de velocidade com índices de desemprego e pobreza. Foi isso que a austeridade ortodoxa propiciou à Grécia. Execrado nas urnas gregas esse desempenho descredenciaria a mesma receita e seus chefs em outras praças e urnas. Os mercados farejaram o desastre e despencaram nesta 3ª feira (leia a reportagem do correspondente em Berlim, Flávio Aguiar).

Para coroar o festival de desnudamento, o partido socialista de Papandreu rebelou-se contra a idéia de consultar os cidadãos sobre o destino do país.

Quando a realidade dispensa metáforas com essa desenvoltura é porque vivemos tempos extraordinários. A Grécia é o berço da democracia aristocrática que percorreu uma longa trajetória de lutas e revoluções para que os direitos políticos fossem compartilhados pela plebe rude. No Brasil, analfabetos só chegaram às urnas a partir de 1988 e até hoje a elite lamenta o mal passo.

A crise do neoliberalismo, porém, revelou a insuficiência desses avanços. Emparedada entre o imobilismo da esquerda e a supremacia das finanças desreguladas, a democracia viu-se reduzida a uma liberdade desprovida de conteúdo econômico e social. O curto circuito causado pelo gesto de Papandreu ilustra – a exemplo do que tem demonstrado as ruas – a distância que precisa ser vencida para que a coação econômica não se sobreponha mais ao efetivo poder democrático.

Postado por Saul Leblon às 19:45

Fonte:

http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=6&post_id=802

🙂

 
71 Comentários

Publicado por em novembro 1, 2011 em Uncategorized

 

71 Respostas para “Viver entre os 1%

  1. surfando na jaca

    novembro 2, 2011 at 10:35 pm

    Eu gosto de avaliar experiências, é parte de meu trabalho profissional. Li, lá embaixo, a avaliação do Proftel sobre o blog do PD e concordo com ele. Mas com todas as falhas do PD, o espaço era arejado por vários participantes. Acho que estaríamos por lá, no Pandorama, se não fosse a saída do PD e o rolo que ele arranjou chamando aquela besta infernal do Lula Borges, que ninguém sabia quem era e hoje menos ainda, para dar uma de democrata. De um lado, ficava um blogueiro em defesa da esquerda e na direita babante, o mulo Lula Borges. E, saindo-se como bonzinho e equilibrado, o mediador Pedroca Doriana. Claro que a malandragem do PD foi logo descoberta e foi para o ralo. No desespero do Pandorama vir abaixo, pegou um bico no Estadão e deixou o resto com o menos capacitado dos mortais, o semi-analfa do Pax. Não deu outra. Achou que era o rei da cocada, o dono do parquinho. Acabou como começou, desaparecendo no blogsfera e deve estar censurando a ele próprio nesse momento, num profundo debate com a Carmem Miranda. E nós aqui. A vida é assim, dinâmica.

     
  2. BRANCALEONE

    novembro 2, 2011 at 9:25 pm

    Coisa bem minha e para descontrair.
    Pois é Proftel. A RDzona tá aqui e de novo precisando trocar o motor do YPVS – só tempo de achar um motorzinho de vidro elétrico no ferro velho. Levei um tombo perto de Bocaiúva que me valeu uma equimoses, um guidon e a pedaleira. A CBzona 360 tá com o filho em Curitiba, tratada como uma tiazona e causando comichões quando ele sai à rua com ela.
    DT180 e trilhas nunca mais. To com 50 anos e quebraduras e pancadas demoram a sarar – quando saram – Troquei ela por um motorzinho de popa nacional já que remar nas pescarias tava me cansando.
    E a propósito de idade e motos, minha mulher disse que o próximo tombo de RDzona vai ser o último. Ela vai moê-la em pedacinhos bem pequenos.
    Meu Uninho 2001 comemorou 250.000 Km com uma leve batidinha na parte de baixo e mais nada.

    E como não poderia faltar…

    O Moore é uma besta!!!!

    Boa noite a todos. Vou dar uma volta noturna com a cachorrada.

     
  3. Proftel

    novembro 2, 2011 at 8:04 pm

    HRP:

    Hoje deu um daqueles “pé de vento” que parecia Cubatão no Noroeste quando voa um monte de telhas e quase tudo não bem pregado vai prô saco daí, “caiu o mundo”, igualzim na Baixada.

    Quando rola um troço desses eu lembro do Chico Buarque cantando “Meu Caro Amigo”.

    🙂

     
  4. Proftel

    novembro 2, 2011 at 6:27 pm

    Pronto!

    Estou em casa com um baita sentimento de “dever cumprido”. A máquina do sub ficou tinindo, fiquei lá do meio-dia até seis e pouco da tarde quando o vigia quase me expulsou. kkkk

    A maioria do pessoal acha que computador é como panela de pressão, é só trocar uma borracha de vez em quando e pronto.

    Não é.

    Só pra desfragmentar um “Vista Bissness”, mesmo com uma máquina com processador de 3 Giga e 2 Giga de memória lá quase se vão uma hora e meia depois que a gente instala o Service Pack 2. (o “três” só está disponível pra sistemas operacionais em inglês).

    Bom, foi isso que rolou agora de tarde.

    De resto, já estou caindo nas “Skór”, pelo jeito o Surf, o Fred também estão nas respectivas preferências, o Compadre Brancaleone creio deve tá pendurado em cima de alguma torre de celular ou repetidora de internet com meia garrafa de Guiispi de Çatanáis na cachola e o resto na caixa de ferramentas.

    Pelo jeito o único abstêmio aqui é o HRP que não pode nem trazer três latinhas de Antártica prá casa. De minha parte, se a patroa regulasse tanto ficaria muito puto (não sou de “cair na cachaça” em tempos normais, o problema comigo é nos quinze dias que antecedem o aniversário, fico relembrando passagens que se me deixam deprimido pacas daí, tomo umas a mais prá relaxar, só isso.

    HRP:

    De minha parte, faça as vezes de moderador, tô meio chapado pra isso kkkkkkkkk.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs :- ))))))))))))))))))))))))))))))))

     
    • surfando na jaca

      novembro 2, 2011 at 6:46 pm

      Estamos nos entendendo, Proftel. No fundo, bateu uma saudade do PD no Fred. Ele era mais viciado que nós.

       
      • surfando na jaca

        novembro 2, 2011 at 7:19 pm

        Xiiiiiiiiiiiiiiiii. Será que o Pokemón de Jesus se aborreceu? Bjs na calva.

         
        • Jesus era Comunista

          novembro 2, 2011 at 8:21 pm

          Tava no Shopping fazendo um lanche seu doidim.

          Fica frio e para de falar besteira, ou melhor, insultar os outros.

          Beijão na Careca

           
      • Jesus era Comunista

        novembro 2, 2011 at 8:30 pm

        companheiro, tem gente que na hora agente se afina, como o Michael Moore, o Chomsky, o Jesus, tem outros que se escondem atrás do muro para manifestar sua pequenez, este é o caso do PD e de muitos babaquinhas que tinha lá. Masculinos e femininos, de uma pequenez impressionante. Pura vulgaridade e abstratividade.

        Não me fazem falta mas sei conviver com todos, mas não abro mãos das minhas verdades, sabendo que elas podem até não ser, por isso as ponho sempre em cheque e muitas vezes isto me ajuda a corrigir o rumo, o blog do PD me colocou numa comunidade que nunca pensei que poderia existir e não gostei.

        Não tenho saudade, tenho pena da pequenez de muitos, só isso.

         
        • surfando na jaca

          novembro 2, 2011 at 9:55 pm

          KKKKKKKKKK. Jurava que vc. iria escrever dizendo alguma coisa de bom do blog do PD, mas vi que ficou um rancor que se assemelha ao do Broncão com o Moore. No PD existia um leque muito amplo de participantes. Gente superficial e gente com análises consistentes. Era um liquificador de opiniões. Eu fui suspenso pelo Doria, expulso pelo reaça do nonsense, mas nada disso me incomodou. Ao contrário, foi uma condecoração virtual. E sinto falta de antigos participantes que poderiam estar aqui dividindo esse espaço numa boa. Espaços livres estão em falta na web, mas o pessoal prefere o facebook na atualidade ou twittar chatices. Nós vamos tocando o barco. Notícia boa foi ver o país seguindo em frente no índice de desenvolvimento humano. Teve direitoba reclamando e sempre dizendo que é pouco. Como é pouco um avanço tão considerável na distribuição de renda em dez, quando essa dívida é de 5 séculos???? O que não pode é retroceder nesse caminho.

           
          • surfando na jaca

            novembro 2, 2011 at 9:56 pm

            dez anos.

             
  5. surfando na jaca

    novembro 2, 2011 at 4:47 pm

    Não gostei desse arrazoado gigantesco com essas bobagens todas e xingamentos. Se comporte, seu chimpa kinderovo. Minha memória é gigantesca e lembro exatamente de tudo. Por isso te refresquei a mente embotada de cachaça curtida com cobra coral desse nordeste. Sei que foi um erro bestial de sua lavra e que vc. não é antissemita, mas a punição lhe fez bem, lhe purgou de ficar repetindo e citando baboseiras sem pensar. Não estou defendendo o PD, que era um derretido, um moleirão, mas defendendo o castigo perante qualquer estupidez. Veja como tudo isso lhe fez bem e como vc. se tornou um ser do bem! Agora, vai lustrar essa calva e não me amole. Nunca deixei de assistir os documentários do Moore,inclusive o programa dele, que nem sei se existe ainda. E por que não posso fazer ressalvas em algumas bobagens dele? Mas no principal ele sempre acertou em cheio e defendi isso lá no PD. Considero o 11 de setembro um ótimo documentário e foi esse mesmo que estava em discussão e que elogiei. Hummmm, já entendi, vc. quer mesmo que o Moore seja o Jesus Cristo redivivo. Esse carecão de jesus é piradaço.
    HRP, não me lembro desse jogo do Flamengo. Quem sente saudades de mim, que acá nunca apareceu? Vou conversar com o J. Walker.

     
    • Fred Schmidt

      novembro 2, 2011 at 5:26 pm

      Você fica tomando cachaça inglesa e eu que bebo cachaça com cobra coral, seu kindle.

      Eu só tomo água de côco. Tudo que falei no PD mantenho, e até deixei alguma coisa sem falar para ele não me mandar o Brancaleone com o cortador de unha.

      Quem melhorou foi você seu cérebro mole.

      Beijão na Careca e para de babar na gravata seu kindle.

       
    • surfando na jaca

      novembro 2, 2011 at 6:37 pm

      Kinderovo de Jesus, Bowl head de Deus, quase não bebo. Dificilmente sozinho. Mas acho que vc. pisou na bola no PD naquele comentário desembestado. Mas isso ficou no passado. Por que isso te aflige tanto? Saudades do PD? Foi um blog de boas discussões, deixou saudades, heim…

       
  6. Jesus era Comunista

    novembro 2, 2011 at 1:19 pm

    Uma coisa que eu noto aqui nos nossos comentários é que perdemos muitas vezes a oportunidade de refletir sobre certas coisas.

    É óbvio que se o povo americano estivesse com dinheiro no bolso, dois carros na garagem ele hoje não estaria envolvido no OCUPEM sua cidade.

    Mas já esteve nesta posição, tanto que gerou o O American Way of Life, a vida com fartura, com alegria.

    Porquê as coisas mudaram tanto?

    Outra coisa que deveríamos ter refletido é sobre a afirmação do Michael que estão tentando modificar o sistema de votação.

    Vira e mexe se fala em conspiração nos USA, dos illuminatti, das fraternidades dos super ricos, etc.

    O Michael Moore eu diria, é o Lula americano, o cara que tem sensibilidade com os menos favorecidos, por que ele já foi um. É genial como o Lula? Claro, como um candango americano pode fazer um filme, sem recurso nenhum e receber uma oferta de 3 milhões de dólares pelo seu primeiro filme. Por mais que o Brancão queira matar o gênio Michael Moore com alicate, nem sei porque, diz ele que o Michael é um cara enganador, mas se é enganador não deixa de ser gênio, porquê vender seu primeiro filme por 3 milhões de dólares, feito com somente algumas centenas de dólares, tem que ser genial.

    Tem que ser genial mesmo, para ter ganho um Oscar, ter sido execrado por 200 milhões de pessoas por ter dito no 11/09 o que disse e depois ser aplaudido por estas mesmos 200 milhões por ter dito o que disse do 11/09, realmente Michael Moore é um gênio.

    Me lembro bem quando falei do Michael Moore no PD, quase fui expulso, aliás lá, quase todo dia era quase expulso do blog do PD, me lembro quando surf e brancaleone me desancaram por causa do Michael Moore, me lembro daqui quando comecei a falar sobre o Michael Moore o surf fez umas ressalvas sobre ele, mas hoje me sinto contente, por trazer a verdade sobre o Michael Moore, um fenômeno, sim UM FENÔMENO, por ser como é, ONDE É.

    Este POST do Proftel me faz sentir mais admiração ainda pelo Michael Moore, me revelou informações que não conhecia.

    Michael Moore para presidente, a América voltando a ser a grande América.

    A ideia é do Brancaleone, aliás Brancaleone vai ser o Paulo do Michael Moore (aquele romano que perseguia Jesus, querendo cortar a cabeça e outras partes do Jesus e que hoje dá nome a maior cidade do Brasil) .

    MAKTUB

     
    • surfando na jaca

      novembro 2, 2011 at 2:42 pm

      Carecão estrelado, aqui vc. comete um erro. Se fiz ressalvas ao Moore são desse naipe que fiz aqui, uma certa confusão entre coisas: depositando em poupança não participo da jogatina do mercado financeiro = bobagem demagógica. Mas te repreendi e voltarei a repreender quem quer que seja, como o profterólis, que fica dando tiros a esmo e gastando munição, se apontar os Protocolos dos Sábios do Sião como coisa séria. Por isso vc. foi expulso pelo PD, que é judeu marrano. Ele teve toda razão para vc. deixar de lado esse antissemitismo nazi.

       
      • Jose Mario HRP

        novembro 2, 2011 at 3:08 pm

        Aí concordo com o Fred, o PD não me fez falta , não sou antissemita como ele(Fred) também não é, e foi estigmatizado pela diva do litoral sul paulista amiga do Paz e saudosa do Surf.
        Michael Moore com seu documentário sobre saúde matou a pau.
        Surf, o Ronaldinho está se tratando do ouvido de tanta vaia que levou em Porto Alegre.
        Aliás gostei daquele negócio de agua de coco, pinga do demonio, uisque e Skor!
        Sensacional!

         
        • Proftel

          novembro 2, 2011 at 9:14 pm

          HRP:

          PD também não me faz falta.

          O cara teve um insight de construir uma página logo depois do NoMinimo, aglutinou uma turma legal, botou umas estantes e implantou os Open da vida, até aí tudo bem, até entendo ele durango lá nos EUA com a página juntar uns trocados (pode crer que não fui só eu que clicou aos montes prá juntar uns trocos no Weblog).

          O PD cagou na retranca ao postar na maioria das vezes só a opinião dele, também fez merda ao tentar transferir a “milhagem” que adquiriu na Rede prô gaúcho pandorâmico.

          Nessa a meu ver os dois se queimaram tentando um continuar ganhando e o outro tentando reeditar o NoMinimo com idéias fixas versando sobre assuntos fechados.

          Vocês todos sabem que houve um hiato entre o NoMinimo e o Weblog, foi o “Orfãos do NoMinimo” do qual participei com o HRP e outros Confrades.

          Esse espaço criado pelo Fred é gratuito e não tem propaganda, raramente acharão um texto meu ou dele, a ideia sempre foi postar coisas interessantes por mais “tijolares” que sejam, sempre visando a compreensão do que rola no mundo e que a maioria dos mortais ligados só na TV ignora.

          De minha parte não considero o Alfalante só um blog como outros tantos. Aqui se pode dar um alerta sabendo a quem dirigir, é uma comunidade pensante única pode crer, ando sacando o número de acessos à página.

          Muita gente lê mas não comenta, fica com medo (eu também ficava quando lia os comentários do “Tropeiro Oculto” ou do “Brancaleone” ou ainda do “Chesterton”. por lá) mas creio que com o tempo o pessoal virá, não comemos criancinhas no almoço (só na janta kkkkkkk).

          Bicho, é isso, esse comentário meio que se perdeu, foi entre uma leitura e outra e, lembrei d’umas terceiras no permeio.

          Se não escrevesse isso hoje outra oportunidade só daqui uns meses.

          No fundo gostaria que esse povo que nos lê também comentasse.

          🙂

           
      • Jesus era Comunista

        novembro 2, 2011 at 3:43 pm

        Surfistinha na jaca,

        deixa de ser burro, hehehehe, como é que eu sou anti semita se os caras que mais eu gosto são judeus, seu tapado, hehehe, já tomou quantos wiskys seu kindle, hehehehe.

        Judeu Noam Chomsky – Professor no MIT, responsável ou foi pela área de filosofia da segunda melhor Universidade dos USA. O cara é fabuloso.

        Judeu Ury Avnery – Cara fabuloso, amante da PAZ, quer ambos os Estados, já tomou bala tentando fundar o Estado de Israel, que dou a maior força para existir, e hoje é perseguido por querer o Estado Palestino tanto quanto o de Isarel, o cara é tão maravilhoso que se casou com uma Palestina

        Judeu, aliás, Rei dos Judeus, Jesus Cristo, INRI, tava pregado lá na cruz, para mim ele acima de todos.

        Judeu Einstein que disse que quanto mais ele descobria mais tinha certeza da existência de Deus.

        Como seguidor de Cristo, sua besta jacuda, hehene, eu nunca poderia ser anti semita, seu jaquinha mole de cérebro.

        Nem sei se sou judeu sua anta. Minha familia está aqui desde antes de 1800 seu jacudo bestial.

        Muitos judeus trocaram de nome para sobreviver ás perseguições seu bunda mole, hehehe

        Tinha uma pessoa culta, bióloga, lá no PD, não me lembro do nome, não sei se era Rachel, judia, não sei se era parente do PD, uma vez cutuquei ela para me dizer o que quis ouvir, o povo judeu, depois de tanta diáspora e separados pór todo lugar do mundo, nem mais é puro, como gostam de afirmar, nem todos, diga-se de passagem. Além do mais com tanto judeu por aí espalhado, como sabemos que não temos um pouco dos judeus nos genes, sua anta.

        Puros, sua anta? Advindos de chimpanzés, seu bestial. Quem é puro vindo de chimpas Surf?

        Fica por aí que vou te ensinando. Já te mostrei quem era o Michael Moore, sua anta.

        Não estou falando do que você disse hoje:

        “Se fiz ressalvas ao Moore são desse naipe que fiz aqui, uma certa confusão entre coisas: depositando em poupança não participo da jogatina do mercado financeiro = bobagem demagógica.”

        Estou falando do que você disse lá no blog do PD quando eu introduzi o Michael Moore lá, se não lembra deve ser porque você é um blá blá blá de bosta.

        Você tava é com saudade de umas bordunadas no lombo, saudades do DAF né? heheheheh

        Beijão na careca seu seguidor de PD.

         
    • Proftel

      novembro 2, 2011 at 7:10 pm

      Fred:

      Assino embaixo, grato também pela cortesia.

      Quanto ao PD, veja bem onde ele tá hoje, não é atoa que você foi arrancado de lá.

      🙂

       
  7. Jose Mario HRP

    novembro 2, 2011 at 6:41 am

    09:28, PAULO MOREIRA LEITE POLÍTICA, ECONOMIA TAGS: CRISE, EUROPA, GRECIA
    O governo grego anunciou que pretende convocar um referendo sobre o mais novo pacote economico que – supostamente – irá ajudar o país a sair da crise.
    Eu acho dificil negar à população da Grécia o direito de dizer o que pensa sobre um plano econômico que vai ter um impacto tão profundo em seu futuro.
    Se os eleitores não podem se manifestar sobre isso, vão falar sobre o que?
    A reação das Bolsas européias, que despencaram logo depois da divulgação da notícia do referendo, já era esperada.
    As apostas dos mercados nem sempre são compatíveis com idéias democráticas. E é claro que as bolsas caem porque se imagina que, nas urnas, a população irá rejeitar o pacote.
    É uma certeza sintomática.

    Vamos admitir que ninguém consegue sair de uma crise econômica sem fazer algum esforço a mais. O problema é que os pacotes gregos tiveram um custo social altíssimo para produzir um resultado nulo. Corrigindo: a situação da economia grega, hoje, é pior do que antes.
    Embora não tenham resolvido nenhum problema passado, os empréstimos recebidos vieram somar-se a dívida anterior e fazem uma pressão mais elevada sobre os gastos do governo, forçando novas medidas de asteridade como mais demissões, reduções nas aposentadorias e diminuição nos investimentos públicos.
    A conta atual é a seguinte: se os bancos aprovarem mesmo o calote de 50% que os governos da União Européia quer lhes aplicar, em 2020 a Grécia terá uma dívida equivante a 120% de seu PIB. Mas o desemprego estará maior, a aposentadoria, mais baixa, e assim por diante.
    O impasse do Velho Mundo só se prolonga porque até o momento a União Européia não tomou a iniciativa mais importante para enfrentar a situação, que seria transformar seu Banco Central em emprestador de última instancia. Com isso, seria possível assegurar crédito a quem precisa e manter uma oferta de dinheiro em caso de necessidade.
    Até o momento, os governantes não deram o mais leve sinal de que pretendem agir nessa direção.
    E é por isso que a população não pára de demonstrar seu descontentamento. Não quer ser a única a pagar a conta.

    O Paulo colocou o dedo na ferida como sempre.
    Do Blog do Paulo Moreira leite, jornalista e homem sensato.

     
  8. Jose Mario HRP

    novembro 2, 2011 at 6:37 am

    Aqui 200 gatos pingados fazendo papel de “filhinhos do Mackenzie” na USP.
    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/estudantes-da-usp-pedem-pm

     
    • Proftel

      novembro 2, 2011 at 9:29 pm

      HRP:

      A pergunta que se me faço é a seguinte:

      Vou prá USP prá estudar ou, fumar maconha ?

      Se for pra estudar precisa de segurança, se for pra fumar maconha ou cheirar cocaina não quero a presença da PM por perto.

      Do meu ponto de vista é simples assim.

      Os caras acham que a USP é um campus como os que há nos EUA em cidades próprias pra isso, São Paulo nunca deveria ter uma Universidade dentro do jeito que é.

      :-/

       
  9. Jose Mario HRP

    novembro 2, 2011 at 6:35 am

    Talvez a Grécia deva fazer como a Argentina:
    Parar de pagar!
    Calote e pronto!
    Mas tem que ter peito e esses premier deles é um banana, como foram seu pai e avô!

     
  10. Proftel

    novembro 2, 2011 at 3:10 am

    Confrades e Confreiras:

    Quantos judeus vocês vêem nas delegações Chinesas, Francesas, Russas, Árabes?

    Quantos “representantes” de EUA, UK, e Israel há?

    Tá explicado…. .

    :-/

    Não tenho nada contra judeus, deixo bem claro.

    O que tenho é contra ser representado como cidadão por um que não votei, seria a mesma coisa d’um padre ou bispo ou ainda Papa falar em meu nome no encontro do G-20, não votei neles, eu votei na Dilma, não no padre, vocês não imaginam o que o segundo e terceiro escalões d’um país podem fazer (o exemplo tá na Grécia).

    :-/

     
    • Jose Mario HRP

      novembro 2, 2011 at 8:10 am

      Esse Pondé tem recebido todas as luzes da Folha SP e está se tornando um comentarista de variedades como o Mainardi, torce as palavras e conta com nossa falta de informação para não dizer nada o que parece ser o tudo, definitivo como verdade e nos fazer parecer culpados…..KKKKKK, me lembra aquele papo manso do P Doria nessa questão:

      http://www.paulopes.com.br/2011/10/terroristas-muculmanos-destruiram.html

       
      • Proftel

        novembro 2, 2011 at 8:30 pm

        HRP:

        Esse cara se acha o Príncipe de Condé, putz!

        Vai ser imbecil assim em Israel (a China não admite imbecis).

        hehe

         
  11. BRANCALEONE

    novembro 1, 2011 at 11:52 pm

    Genial a sacada do Lego!!!

    Boa noite.

    Vou tomar um golaço de Guspe do Çatanaiz e dormir.

     
    • Proftel

      novembro 1, 2011 at 11:57 pm

      Bom:

      Compadre Brancaleone: Guspe de Çatanaiz;

      Eu nas “Skór”;

      Surf deve tá nos “Wisky” da vida;

      Fred na água de côco no melhor lugar do mundo, uma pousada.

      kkkkkkk rsrsrsrsrsrsrsrs :- )))))))))))))

       
      • Jose Mario HRP

        novembro 2, 2011 at 8:12 am

        A mulherada não reclama não?
        Aqui , só de comprar umas tres latinhas chove e ronca trovoada!
        KKKKKKKKKKK………..

         
  12. Proftel

    novembro 1, 2011 at 11:35 pm

    OW!

    Ninguém fala da Grécia?

    Imaginem o Figueiredo ou o Geisel fazendo um plebiscito pra ver se a gente gostaria do FMI ditando a economia com o Simonsen, o Delfim Netto e outros?

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs :- ))))))))))))))))

    é isso que tá rolando na Grécia, o berço da democracia (que está deixando os “demo-cratas” da “Banca” de cabelos em pé)!

    hehe

     
    • BRANCALEONE

      novembro 1, 2011 at 11:44 pm

      Desaconselho fazer turismo na Grécia nos próximos mêses…
      O governo grego está pondo uma faca no pescoço dos credores e transferindo para o povo a “naba” que virá caso não aceitem os cortes.
      Simplesmente a Grécia gasta mais do que arrecada. Ela não é viável. Mesmo que perdoada hoje toda a sua divida, no mes que vem ela já estaria devendo de novo já que não tem caixa para bancar suas despesas.
      O governo grego é incompetente e o povo e os agiotas estão preocupados. Vai sobrar para todo mundo.

       
      • Proftel

        novembro 1, 2011 at 11:49 pm

        No fundo querem fazer da Grécia um enorme puteiro, literalmente.

        :-/

         
      • Proftel

        novembro 2, 2011 at 2:33 am

        Compadre Brancaleone:

        Discordo.

        A Grécia tinha o maior número de navios próprios, também vários licenciados lá, ainda tem as mais belas preservadas praias do Mediterrâneo ainda limpas, é como se a Juréia ou Cananéia estivessem ao “deus dará” a espera dos russos endinheirados.

        Sempre foram “armadores” de barcos (isso não é pouco, pode crer – tanto que submarinos de várias nações sempre aportaram lá buscando mantimentos – quem conhece as necessidades do mar sabe onde buscar).

        Já apresentou crescimento digno quase digno de Japão no passado, é um dos poucos países que, se fechar a fronteira, conseguira subsistir “alimentarmente” falando (a população não passará fome, tem uma estrutura de fornecimento decente).

        As outras regiões que conseguirão são: Eslováquia, Polônia e leste da Alemanha, talvez uma parte da Espanha e leste de Portugal.

        O resto véi, vai virar terra de ninguém, faltará bala prôs suiços, mesmo nos buracos que cavaram, talvez felizmente.

        Estou pessimista por enquanto, te juro.

        :-/

         
  13. BRANCALEONE

    novembro 1, 2011 at 11:32 pm

    Falando em bancos…

    O Itau acaba de anunciar o maior lucro já obtido por um banco em toda a história bancária brasileira. Coisa absurda. Tem coisa errada aí…

     
    • Proftel

      novembro 1, 2011 at 11:37 pm

      Compadre Brancaleone:

      Sim, tomara que tenha caído a ficha:

      Quem paga esse “lucro” é 90% o governo federal através de “taxas” de juros! (que saem do meu, do seu, do nosso bolso).

      hehe.

       
    • Jesus era Comunista

      novembro 1, 2011 at 11:39 pm

      Deve estar com os depósitos do Maluf

       
  14. BRANCALEONE

    novembro 1, 2011 at 11:31 pm

    Proftel, não julgue a humanidade pelas exeções.
    Usei o exemplo da família porque a regra é a que eu citei.
    Deveria ter me referido aos trabalhadores em geral e não de uma célula familiar.

    To aqui sozinhão. A família tá na Chapada dos Guimarães. Cortesia da economia de mercado que faz passagens áereas Curitiba-Cuibá custarem R$ 300,00 por pessoa… – ida e volta e a estadia é “de grátis” no hotel dos tios…

    Mandei as ambulâncias às favas. Virou mico. Passei pra outro. To só com a rede Weirless.

    E é claro, aguardando uma boa oferta pela cabeça do Moore. Já até afiei o cortador de unhas. Vou matar o sujeito devagarinho…

     
    • Proftel

      novembro 1, 2011 at 11:43 pm

      Compadre Brancaleone:

      Três anos atrás eu viajava só de ônibus pra São Paulo, dezesseis longas horas, uma vez por ano pra visitar meu pai, minha mãe, minha irmã, meu irmão e a patroa dele e meus dois filhos.

      Hoje em dia viajo duas vezes por ano de avião (tá certo que em uma delas recebo “ajuda”) mas, nem se compara com o sofrimento que era antes.

      Por aí você tem idéia de tanto que melhoramos.

      Se sua família está lá onde está, veja bem, você teria chance de fazer isso três anos atrás?

      🙂

      Melhorou ou não?

      🙂

       
      • Proftel

        novembro 1, 2011 at 11:45 pm

        Ah, antigamente prá entrar num avião da Varig você tinha que quase botar um “smoking”. kkkkk.

         
      • BRANCALEONE

        novembro 1, 2011 at 11:51 pm

        Tá doidinho pra fazer eu admitir que as coisas melhoraram com as Lulagens né?
        Pois já admiti que melhoraram. Aqui mesmo, dias atrás.
        Tambem admiti que Lula e Dilma são do tipo “roubam (ou deixam roubar) mas fazem”
        Que o diga o Lulinha…
        Nunca antes na história deste país a coisas melhoraram assim e tambem nunca antes se roubou tanto mas pelo menos as roubalheiras vieram acompanhadas de melhoras. Chego a me sentir cúmplice..

         
        • Proftel

          novembro 2, 2011 at 12:44 am

          Compadre Brancaleone:

          Não é bem por aí se “roubou ou não roubou”, o que acontece é o seguinte, vou te explicar:

          Antigamente tinha um povo todo certinho na administração pública, conferiam o ano todo o número de patrimônio até de chave de porta de fechadura daí, mudou a administração, chave de fechadura, mouse de computador e teclado deixou de ter número de patrimônio em alguns Ministérios. Com isso a administração pública ficou mais dinâmica. Por exemplo: se um equipamento deixa de ser útil, pode ser doado a instituição de caridade (pode crer, nenhum funcionário público concursado deixaria seu computador (ou “seu” grampeador) com todos os dados ser descartado); uma viatura sem manutenção vai prô leilão (e olha que muitas delas funcionaram através de “vaquinhas” por muito tempo), uma máquina de escrever nem é doada, é mandada pra alguma ONG pra ser reciclada, só com isso o governo federal acabou com um monte de diárias (algumas custavam até 350 reais por DIA quando o cara tinha nível superior só em contagem de número de patrimônio).

          Tem um cara desses comigo no trampo, pode crer, o que o cara ganhava era indecente, mais que muito Juiz.

          Isso acabou em parte, ao se extinguir órgãos como a Funai as outras “leis” funcionais indecentes caem também, isso eu acho justo, não dá mais pra segurar um cara que sai de Brasília prá conferir o patrimônio d’um escritório de três mesas e fica enrolando porque não achou um grampeador pra conferir a plaqueta de patrimônio que algum bugre filhote levou pra brincar (fora que o hotel, passagem de avião e tudo mais era bancado pelo Estado), pode crer que tinha muita gente levando uma baba desse jeito, pena que não dá prá citar nomes, datas e números senão tô lascado.

          Pois bem, a dinâmica da coisa mudou.

          Muito disso é feito on-line, até com fotos.

          Pior é que a gente (a maioria do povão) nem sabia disso.

          Há uma nova geração servindo no Funcionalismo Público Federal, é gente Concursada, estou acompanhando boa parte deles e, a saída de muitos indicados ainda pelo governo ditatorial anterior (esse povo está se aposentando agora).

          Entre três e cinco anos haverá uma grande leva de aposentados no sistema federal de benefícios, gente que não merece pelo cabedal que tem perceber os benefícios de hoje, gerarão uma gama de processos sem fim, gente que nunca prestou concurso e quer continuar a receber o que ganha.

          Isso será um grande problema.

          Bom, fazer o que né?

          :-/

           
          • Proftel

            novembro 2, 2011 at 1:07 am

            Pessoal:

            Colega meu quer desabafar:

            Outra coisa, eu fico puto da vida é com isso aqui:

            “Questionado sobre os estragos causados no carro da polícia, Souza afirmou que “o benefício” de apreender o avião compensa o dano –as imagens serão usadas em processo interno para justificar o prejuízo.

            Segundo o delegado, apenas o para-brisa do veículo foi danificado e o reparo deve ficar em aproximadamente R$ 400.”

            O link:

            http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1000264-pf-bate-com-carro-em-aviao-e-impede-fuga-de-suspeitos-veja.shtml

            O policial impede um AVIÃO de decolar, quebra a porra do para brisa da viatura e, provavelmente terá que pagar.

            O outro ainda fala: “não atira, não atira…” provavelmente pensando na munição que irá ter que pagar.

            Olha, já aconteceu isso comigo, dei cinco pipocos e tive que pagar a munição de trêsoitoão., isso é um dos absurdos que ocorrem no funcionalismo público.

            Quando se vê nos cursos nos EUA ou em outros países uma mesa com tudo que há direito em matéria de munição pra você usar num treinamento (e aí vai desde granadas de fumaça, munição de tudo quanto é tipo, até granadas “reais” sem carapaça, é de lascar a míngua daqui.

             
        • Proftel

          novembro 2, 2011 at 1:10 am

          Compadre Brancaleone:

          Isso é distribuição de renda.

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs :- ))))))))))))))))))))))))))))))

           
  15. BRANCALEONE

    novembro 1, 2011 at 11:20 pm

    Proftel, a maioria das frase é do tipo “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”

     
  16. Jesus era Comunista

    novembro 1, 2011 at 11:06 pm

    Quando o Michael Moore descobrir que Jesus era comunista aí é que ele vai pirar.

    Vai fazer um p… filme, aí é que a CIA vai ter que agir e contratar o Brancão.

     
    • BRANCALEONE

      novembro 1, 2011 at 11:12 pm

      Pior vai ser o dia em que Moore concluir que ele É Jesus Cristo…

       
      • surfando na jaca

        novembro 1, 2011 at 11:31 pm

        KKKKKKKKKK. Essa foi boa. KKKKKKK Deu um cascudo no espelho do céu.

         
        • Jesus era Comunista

          novembro 1, 2011 at 11:38 pm

          hehehehehe

           
          • Jesus era Comunista

            novembro 1, 2011 at 11:49 pm

            Imagine o papa falando que o comunismo é chuva ácida e logo depois Jesus pregando o comunismo. O mundo vai pirar, a ordem mundial vai entrar em síncope, o Papa vai querer botar o Moore na fogueira, a turma capitalista que vai pedir a Deus para dar mais um milhãozinho para comprar um aviãozinho, vai tirar as calças pela cabeça, hehehe. seria muito engraçado ver, ia dar um m… danada.

             
    • Proftel

      novembro 1, 2011 at 11:27 pm

      Fred:

      Acho que é por aí.

      🙂

       
  17. Proftel

    novembro 1, 2011 at 11:01 pm

    Compadre Brancaleone:

    Veja essas frases, adivinhe quem disse no Google:

    ” – Não é o empregador que paga os salários: é o cliente.

    – O segredo de meu sucesso é pagar como se fosse perdulário e comprar como se
    estivesse quebrado.

    – Questionar quem deve ser o patrão, é como discutir quem deve ser o saxofonista
    num quarteto: evidentemente, quem o sabe tocar.

    – Não aponte defeitos, aponte soluções. Qualquer um sabe se queixar.

    – Há um punhado de homens que conseguem enriquecer, simplesmente porque
    prestam atenção aos pormenores que a maioria despreza.

    – O verdadeiro objetivo da indústria não é o lucro: o Empresário deve sempre se
    propor a produzir bens e serviços úteis … a negação dessa idéia é a especulação.

    – Pensar é o trabalho mais difícil que existe, e esta é, provavelmente, a razão por
    que tão poucos se dedicam a ele.

    – Há dois tipo de pessoas que não interessam à uma boa Empresa: As que não
    fazem o que se manda e as que só fazem o que se manda.

    – Reunir-se é um começo, permanecer juntos é um progresso e trabalhar juntos é
    sucesso.

    – Um negócio que não produz nada além de dinheiro é um negócio “pobre”.

    – O passado serve para evidenciar as nossas falhas e nos dar indicações para o
    progresso do futuro.

    – Existem mais pessoas que desistem do que pessoas que fracassam.

    – Estar decidido, acima de qualquer coisa, é o segredo do êxito.

    – O fracasso é a oportunidade de começar de novo, com mais inteligência e
    redobrada vontade.

    – O homem que empenha todo o seu trabalho e imaginação em oferecer por um
    dólar o mais possível, em vez de menos, está “condenado” ao sucesso.

    – O dinheiro é a coisa mais inútil do mundo. Não estou interessado nele. Sómente
    nas coisas de que ele é apenas um símbolo.

    – A única história que vale alguma coisa é a história que fazemos hoje.

    – O melhor uso do capital não é fazer dinheiro, mais sim fazer dinheiro para
    melhorar a vida.

    – Economia, freqüentemente não tem relação com o total de dinheiro gasto, mas
    com a sabedoria empregada ao gastá-lo.

    – Se há algum segredo do sucesso, consiste na habilidade de aprender o ponto de
    vista do outro e ver as coisas tão bem pelo ângulo dele, como pelo seu.

    – Ninguém pode construir uma reputação com base no que ainda vai fazer.

    – O capital que não melhora, constantemente as condições e remuneração do
    trabalho, foge à sua mais alta missão.

    – Se o dinheiro for a sua esperança de independência, você jamais a terá. A única
    segurança verdadeira ,consiste numa reserva de sabedoria, de experiência e de
    competência.

    – Obstáculos são aqueles perigos que você vê quando tira os olhos de seu objetivo.

    – Nossos fracassos são, às vezes, mais frutíferos que os êxitos.

    – Sei que metade da publicidade que faço é inútil. Mas não sei qual é a metade
    inútil.

    – Não nos tornamos ricos graças ao que ganhamos, mas com o que não gastamos.

    – Um idealista é uma pessoa que ajuda os outros a prosperar.

    – Até um erro pode revelar-se um elemento necessário a um feito meritório.

    – Corte sua própria lenha. Assim, ela aquecerá você duas vezes.”

    🙂

     
    • surfando na jaca

      novembro 1, 2011 at 11:19 pm

      Dessa chusma de ditados e tiradas coligidas pelo Profterólis, só a ultima frase teve ter afetada a sensibilidade do Brincão. É a máxima do Broncão. KKKKKKKKK

       
  18. surfando na jaca

    novembro 1, 2011 at 10:34 pm

    KKKKK. Nem sei se comento os escritos do Broncão. Tenho é que rir.KKKKKKKK Esse fecho dos 99% dependendo dos 1% para melhorar de vida é mais engraçado ainda, pois é sem sentido algum, a não ser a do instinto de cachorro para com seu dono. KKKKKKK

     
    • BRANCALEONE

      novembro 1, 2011 at 11:09 pm

      Surf…
      Meu ultimo comentário onde admito as falhas do sistema que defendo é mais merecedor de seus comentários de que os meus arroubos cínicos e hiperbólicos.
      Claro que exagerei nos 1% sustentando os 99% mas se o Moore fala um monte de cretinagens e asneiras e faz sucesso, porque diabos eu não posso falar um tiquinho das minhas asneiras? Prefiro que me zoem aqui por conta das minhas asneiras do que ser zoado por repetir as asneiras dos outros.
      Moore espera que a humanidade se converta numa cooperativa gigantesca, anarquicamente administrada ou então gerida por deuses honestos e puros. Ele teve um sonho (ou alucinação) que isso pode acontecer e os pobres de espírito embarcaram nessa, esperando que o mundo melhores sózinho para que então cada um melhore.
      Moore tem realmente um discurso que a primeira vista é lindo, equânime, justo e sobretudo panacéico. Mas é papo. Os papos deles e do Chomsky não resistem à realidade, não sobrevivem a um teste prático nem tem a menor utilidade em termos de economia americana e mundial.
      Pode até aparecer que o mundo seria maravilhosamente fofo e justo se as teorias de Moore fossem aplicadas só que não existe uma “teoria”. O discurso dele é um amontoado de frases de efeito, textos esperançosos, tipico de livrecos de auto ajuda e de pregações evangélicas.
      Insisto que o Moore é como aquele cachorrinho que late atrás dos carros que passam. Se os carros param ele não faz nada pois não sabe pra que serve um carro…

       
      • surfando na jaca

        novembro 1, 2011 at 11:28 pm

        Ué, Broncão, pode sim e deve escrever o que pensa, se bem que já ouvi esses seus argumentos de forma mais elaborada nos meus anos de estudos universitários. Como todos sabem, não sou adepto da anarquia e nem vejo como uma sociedade pode existir harmonicamente sem um poder que organize a colméia. A questão é o caráter desse poder (Estado), que para mim não deveria servir aos 1%, mas aos 99% e se possível, aos 100%. E isso não é utopia, mas aprimoramento da democracia e cidadania. O resto, é piração, mas que seria do mundo sem as utopias???? É o processo histórico, que nunca regressa ao que foi destruído. Pelo menos isso demonstra que sabemos que nossos fracassos não servem de refúgios. As sociedades levam séculos para mudarem. Por isso, precisamos ser objetivos no imediato e utópicos ao longo prazo.

         
  19. BRANCALEONE

    novembro 1, 2011 at 10:34 pm

    Falando um pouco mais…
    Claro que o sistema capitalista atual esta num caminho perigoso e errado. É visível e inegável.
    Mesmo eu “direitoba” até a última gota de sangue dum esquerdista admito isso.
    O sistema bancário esta embasado em lama, sem sustentação, baseado num dinheiro que “ali, na batata mesmo” não existe ou se existe, está em mãos ineptas. – vide governos espanhóis, grecos, etc… –

    Isso não significa que devemos regredir pros cafundós marxistas e transformar o planeta numa Cuba Global ou numa Albânia dos tempos do Hoxa se bem que uns alucinados ou imbecis acham que o bolivarismo seria opção…

    Nem é a hora de esquartejarmos os ricos e milionários e atirar os pedacinhos aos pobrinhos do mundo – não tem rico e milionário suficiente para todos.

    Moore e Chomsky latem muito, assim como aqueles viralatas que saem latindo atras de carros. Se o carro parar, eles tambem param já que não tem a menor idéia do que fazer com o carro…

     
    • Jesus era Comunista

      novembro 1, 2011 at 10:50 pm

      hehehehe

       
    • Proftel

      novembro 1, 2011 at 11:12 pm

      Compadre Brancaleone:

      Não confunda Bolivarismo com bem estar.

      Os gregos conseguiram um “bem estar” social lá, lhes querem tirar, os “99%” lá nos EUA também tinham um “bem estar” explícito em algumas frases acima do Henry Ford (que era trabalho prá gerar grana no fundo, também um pouco de economia).

      Você e eu somos d’uma geração perdida, fudida pelo FMI, você labuta aí com suas conexões e ambulâncias, eu aqui nos quintos de Goiás longe da família de Sampa tentando sobreviver, nós somos o produto do que o FMI fez com o Brasil.

      Por isso eu fico féliz com o que vejo a molecada fazendo hoje.

      🙂

      Talvez o HRP entenda o que disse acima.

      🙂

       
  20. BRANCALEONE

    novembro 1, 2011 at 10:20 pm

    Parece que o Moore nunca assistiu uma aula sequer de biologia.

    “Quando se é trabalhador, de família de trabalhadores, todos cuidam de todos, e quando um se dá bem, ou outros vibram de orgulho – não só pelo que conseguiu ter sucesso, mas porque, de algum modo, um de nós venceu”

    Os cambau!!!

    Quando alguem duma família de trabalhadores melhora de vida ele se muda prum bairro melhor, deixa o resto do pessoal para trás e de vez em quando aparece (sempre com um carro “zerado”)- veja os jogadores de futebol…

    A mãe do bem sucedido e os demais irmãos continuam morando na “comunidade” e falam com orgulho do “mano que mora no bairro tal” e trabalha numa empresa estrangeira.

    Só na cabeça do Moore ( e de alguns sonhadores) que trabalhador tem este espírito cooperativo. O povo só é cooperativo na desgraça e na pobreza. Na felicidade e na riqueza são egoistas.

    A crise uniu este ianques choramingas. Deixa a economia melhorar e eles deixam os lugares que ocuparam, voltam a seus bons empregos, seus apartamentinhos e esquecem seus “companheiros”.

    O humano é apenas mais uma espécie animal. Um símio que evoluiu mais o cérebro que patas ou rabo e isso faz toda a diferença.

    Como diz o Adir, dono de dois mercadinhos aqui – Pra cada Audi fabricado, os operários da fábrica audi recebem uns trocados que dá para financiar um uninho usado ou seja, sem Audis não tem Unos.

    Sem os 1%, os 99% estariam pior que estão.

     
    • Proftel

      novembro 1, 2011 at 10:50 pm

      Compadre Brancaleone:

      Olha, seguinte:

      Você sabe a anos minha ascendência, nunca esqueci, sempre tive orgulho e até fui indelicado com um cara lá no PD por conta do “brasão” que o polaco (provavelmente israelense) não tinha.

      Estou casado a dezenove anos com a Tia que é descendente de portugueses com índios e negros da Bahia, gente de Novo Horizonte.

      A História da família é de altos e baixos, hoje eu vibro com o irmão dela mais novo (que trabalha numa firma de isopor aqui na cidade, ele tá lá desde os quatorze anos, é um dos melhores vendedores, tem casa própria e uma chácara – trabalha a 23 anos na firma, desde os 16 de idade), eu vibro com o outro cunhado que morou conosco em Cubatão, aprendeu a fazer barra de calça, lavar e ajeitar ternos, hoje tem uma loja de aluguel de roupas aqui na cidade, eu vibro com o sobrinho da patroa que está casado, toca um tipo de “páginas amarelas” na cidade e ganha mais que eu – mesmo tendo jogado fora o curso no SENAI que fiz ele fazer – ajustador de máquinas industriais onde estaria hoje percebendo uns 6.000 reais trabalhando todas as noites) , eu vibro com um outro sobrinho (na época eu pensava “que coisa imbecil” que resolveu gastar o tempo com faculdade de Psicologia e outro com Fisioterapia, os dois estão melhores que a maioria daqui.

      Fico triste é com meu mais velho que está desempregado fazendo o terceiro ano de Engenharia em Santos, com isso eu fico triste. Ainda mais que ele está com depressão por conta disso, o troço atrapalha os estudos.

      Bicho, eu vibro (e você que também serviu Exército sabe o que é “vibrar”) com todos esses caras que citei acima, são minha família, o cara quando casa vai para o lado da família da mulher, é bíblico e, eles, todos eles ganham melhor que eu, a tal “mistura” de “polaco com austríaco” que virou professor, tomara que meu filho melhore.

      🙂

       
  21. Proftel

    novembro 1, 2011 at 9:40 pm

    Fred:

    Sim, agora mesmo estava conversando com um colega Técnico de Goiânia no celular, o cara usa ” ebuddy”, coisa recém criada.

    Já vinha percebendo que minhas ligações prô cara estavam saindo caras, tanto quanto ele ligava pra mim quanto quando eu ligava pra ele.

    O celular dele tem o tal do “ebuddy”, estou pesquisando e talvez dê um outro post de como se furta na internet.

    Já te adianto uma coisa, não ligo mais prá celular de colegas que utilizam “ebuddy”, a conta sai cara pacas.

    Fica aqui o alerta.

    🙂

     
    • Proftel

      novembro 1, 2011 at 10:02 pm

      Vou explicar melhor prá vocês:

      Somos em três com mesmo chip de operadora, mesmo DDD, dois na mesma cidade outro em cidade próxima com mesmo DDD.

      O primeiro “A” que se cadastrou no ebuddy com celular de última geração, nós outros dois “B” e “C” começamos a sentir diferença nos créditos, eles diminuíam quando RECEBÍAMOS ligações!

      A coisa continuou por dois dias, percebemos também que quando “B” e “C” conversavam um com o outro os créditos eram debitados de forma normal.

      “B” continuou com o celular normal e aderiu ao ebuddy, ligou pra mim (“C”) e de doze e poucos reais numa conversa de cinco minutos na mesma cidade meus créditos baixaram pra nove e poucos reais (coisa que antigamente não daria vinte centavos, talvez nada porque tinha bônus de monte no meu número).

      No fundo tô achando mesmo é que o tal programa “come” os bônus como se “comesse” as “milhagens” d’uma operadora de avião.

      Bom, é isso que ando desconfiado, melhor fazer mais pesquisa antes de fazer um post, não quero problemas, só relatei o que percebi até agora nas condições acima.

      Se alguém souber mais sobre o funcionamento do ebuddy que diga, eu de minha parte por experiência acima estou cabreiro pacas com esse aplicativo.

      :-/

       
  22. Jesus era Comunista

    novembro 1, 2011 at 9:39 pm

    No post anterior um excelente vídeo do Eumir Deodato tocando Assim falou Zarathustra

     
  23. surfando na jaca

    novembro 1, 2011 at 9:38 pm

    Proftel, suas comunicações estão para o além. Desse jeito, amanhã, seu computador poderá se comunicar com os finados.
    Só quero ver o que o Broncão vai achar disso. Bobagem essa de poupança. Dinheiro é dinheiro. Deposita na poupança que o banco aplica em ações e na ciranda financeira. Gostei mesmo é dos argumentos da direita, que nem essa do Lula no SUS. O MM sabe chatear a direitagem ianque!

     
    • surfando na jaca

      novembro 1, 2011 at 9:38 pm

      Gostei dessa do Lego. Vou adotar.

       
      • Proftel

        novembro 1, 2011 at 10:16 pm

        Surf:

        Pode adotar e não cite a origem que não sei.

        🙂

         
  24. Proftel

    novembro 1, 2011 at 9:19 pm

    A patroa acabou de me contar uma coisa na forma de brincadeira, uma frase simples:

    “Relacionamento não é aquela coisa colorida onde tudo se encaixa perfeitamente…. . O nome disso é Lego…. .”

    Fiquei pensando no tanto de “Lego”, “quebra-cabeça”, “cubo mágico” se se enfiam na cabeça das crianças, isso só desenvolve um pensamento egoista entre a criança e o brinquedo, uma linha de raciocínio racional ao extremo onde sempre quem “ganha” é a infeliz criatura (se não conseguir terminar a coisa ela irá prô lixo como manda a sociedade de consumo).

    Sempre ouvi dizer que futebol não é aceito nos EUA porque num esporte ou na vida, na acepção deles, sempre tem que haver um vencedor, não admitem empate.

    Numa sociedade onde sempre haverá um vencedor creio, não há lugar para igualdade, senso comum de crescimento muito menos humildade e dação (Surf isso é pra você, faz tempo que não vejo em textos econômicos essa expressão no sentido que é – “datio in solutum” .

    Uma das coisas que se me interessou no primeiro texto acima foi exatamente isso:

    ” Sempre entendi que o conceito do dinheiro que gera dinheiro criara uma classe de gente gananciosa, preguiçosa, que nada produz além de miséria e medo para os pobres. Eles inventaram meios de comprar empresas menores, para imediatamente as fechar. Inventaram esquemas para jogar com as poupanças e reformas dos pobres, como se o dinheiro dos outros fosse dinheiro deles. Exigiram que as empresas sempre registassem lucros (o que as empresas só conseguiram porque despediram milhares de trabalhadores e acabaram com os serviços de saúde pública para os que ainda tinham empregos). Decidi que, se ia afinal ‘ganhar a vida’, teria de ganhá-la com o meu trabalho, o meu suor, as minhas ideias, a minha criatividade. Eu produziria produtos tangíveis, algo que pudesse ser partilhado com todos ou de que todos gostassem, como entretenimento, ou do qual pudessem aprender alguma coisa. O meu trabalho, sim, criaria empregos, bons empregos, com salários decentes e todos os benefícios de assistência médica.”

    Nas regras de mercado de hoje você nasce, vive e morre devendo, deixa para seus filhos outra dívida talvez ainda maior que a assumida quando jovem, é um círculo vicioso a ser quebrado talvez agora (há também russos se revoltando, não sei se vocês viram isso na Rede).

    Por mim a gente faz assim:

    🙂

     
  25. Proftel

    novembro 1, 2011 at 8:03 pm

    Fred,

    Confrades e Confreiras:

    Não é ressaca, é cansaço, vou explicar resumidamente sem dar detalhes porque a coisa é séria pacas.

    Desde quinta passada estamos com problemas de queda de energia e Rede em DUAS “intranet” (pra quem não sabe são redes corporativas, diferem em muito das redes que temos em casa), servidores no Rio de Janeiro e em Brasília não “conversavam”, uma página de suma importância ficou fora do ar, muitos ficaram sem fim-de-semana por conta do serviço, em oito anos nunca tinha visto duas “intranet” caírem do jeito que aconteceu na quinta passada, na segunda foi outra intranet também federal que estava com problema, soube por conta d’um amigo que também é da área.

    Amanhã irei trabalhar, os vigias estão com autorização, é coisa simples num terminal interno. O problema é que quem usa é um dos chefões (aquele tipo de chefe que não falta nunca, está sempre com a mesa cheia de processos até dois palmos de altura onde você mal consegue acessar o teclado e o mouse, até fica com medo de chegar perto e tirar algo do lugar, ler alguma anotação nem pensar – por conta do estilo de trabalho do cara e dessas panes a máquina dele está muito desatualizada, irei lá amanhã prá dar um jeito na bagaça).

    Bom, é isso, nadica de ressaca, só serviço mesmo, muito serviço.

    Aliás, por ter que dormir com meu computador ligado e o celular na cabeceira da cama sempre “stand-by”, creio que deveria perceber mais que os míseros “um conto e meio” que caem líquidos no banco todo mês.

    De boa.

    🙂

     
    • Jesus era Comunista

      novembro 1, 2011 at 9:25 pm

      Proftel

      Ressaca de trabalho, não deixa de ser.

      Excelente o post, agora descobrimos porque o Brancão ama o Michael Moore.

       

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: