RSS

Para jornais, tomada da Rocinha foi ‘espetacular’, ‘determinante’ e ‘ambiciosa’

14 nov

Sugestão do Patriarca da Paciência:

Reportagens publicadas nesta segunda-feira na imprensa internacional avaliam que a operação de ocupação da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, foi “espetacular”, “determinante” e “ambiciosa”.

Os relatos publicados nos jornais europeus e americanos destacam ainda que a retomada de territórios então controlados pelo tráfico de drogas será importante para garantir a segurança da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

“Foi a operação mais ambiciosa até agora, em um esforço de aumentar a segurança antes que o Rio receba os jogos da Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016”, destacou o americano Washington Post.

“O governo está contando com esses eventos para sinalizar a ascensão do Brasil como potência econômica, política e cultural.”

Ainda nos EUA, o Wall Street Journal ressaltou que a operação foi “cuidadosamente orquestrada”.

Para o jornal, ainda que o Rio permaneça sendo “uma justaposição caótica de bairros, ilustrando a divisão sócio-econômica do Brasil”, a “pacificação” das favelas “aumenta a esperança de que a cidade, após décadas de desespero, consiga manter o crime sob controle” para os eventos.

Já o New York Times destaca que a ocupação da Rocinha e do Vidigal foi um “esforço determinante” e uma “fase crucial no combate aos traficantes de droga que controlam favelas da cidade”.

O diário lembra que a operação realizada nas primeiras horas foi diferente de anteriores que viram uma verdadeira batalha campal entre forças do tráfico e do Estado, deixando dezenas de mortos – como a ocupação do Morro do Alemão.

“Críticos dizem que a operação Choque de Paz pareceu um pouco exagerada, dada a tranquilidade da Rocinha em comparação com a atmosfera de outras favelas do Rio”, escreve o jornal.

“Ainda assim, a operação permitiu às autoridades destacar os avanços na segurança nos últimos anos, que tornaram partes da cidade consideravelmente mais seguras.”

‘Cena de guerra’

Na Europa, o espanhol El País descreveu a operação como “espetacular”. A ocupação “contou com uma cenografia própria de um Estado de guerra”, escreveu o correspondente do jornal.

“O grosso da operação se produziu de noite e com o máximo sigilo, quebrado depois pelo estrondo dos voos rasantes dos helicópteros e o avanço dos tanques.”

O britânico Independent descreveu a tomada da Rocinha como importante, dada sua “posição estratégica” para controlar o tráfico na zona sul do Rio.

Já o The Guardian descreveu com detalhes a suposta residência do traficante Sandro Luiz de Paula Amorim, o Peixe, apontado como um dos chefes do tráfico na facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA).

A visita dos jornalistas brasileiros e estrangeiros à residência de Peixe foi organizada pela própria polícia, em um esforço de marketing que conseguiu espaço na imprensa desta segunda-feira.

Muitos dos jornais também lembraram que a chegada da polícia foi recebida de maneira distinta pelos moradores: uns estavam otimistas, outros, pessimistas, e uma parte simplesmente não sabia o que pensar.

Como escreveu o El País, “quase ninguém espera grandes mudanças, e muitos comentam que sob o reinado do traficante Nem não viviam tão mal”.

Para o jornal, “parece que ainda será necessário esperar um pouco para que o plausível processo da reconstrução social empreendido pelo governador do Rio, Sérgio Cabral, deite raízes na favela”.

Fonte:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/11/111114_rocinha_press_pu.shtml

 
7 Comentários

Publicado por em novembro 14, 2011 em Uncategorized

 

7 Respostas para “Para jornais, tomada da Rocinha foi ‘espetacular’, ‘determinante’ e ‘ambiciosa’

  1. Patriarca da Paciência

    novembro 15, 2011 at 6:24 am

    Como cidadão brasileiro, patriota e trabalhador, como dizia o Mazzaropi, estou satisfeito e orgulhoso.

    É um exemplo concreto que nossa democracia está no caminho certo – estamos aprendendo com os erros, corrigindo falhas e procurando as melhores soluções.

    Beltrame tem a confiança de toda a população e dos políticos.

    Nunca vivemos tempos tão esperançosos.

     
  2. HRP LOVE AND MUSIC

    novembro 15, 2011 at 5:19 am

    Olha só o que esses chinocos estyão fazendo!
    Depois dizem que só aqui tem pirataria!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK……….

    http://cavok.com.br/blog/?p=41755

     
    • Patriarca da Paciência

      novembro 15, 2011 at 6:31 am

      “Dezenas de peças falsificadas suspeitas foram instaladas em equipamentos de defesa dos EUA das empresas Raytheon Co., L-3 Communications Holdings Inc. e Boeing Co., incluindo aviões destacados no Afeganistão. O Comitê dos Serviços Armados no Senado encontrou peças falsificadas – normalmente da China – em pelo menos sete tipo de aviões, incluindo as aeronaves de transporte C-130J da Lockheed Martin Corp, no avião de patrulha P-8A Poseidon da Boeing e nas aeronaves de transporte C-27 Spartan da L-3.”

      É isso aí, HRP, deve existir dezenas de militares norte-americanos corruptos.

      Mas para a direitona brasileira, só no Brasil há policiais corruptos!

      Há policiais corruptos no Brasil?

      Claro que há, mas são minoria. A prova disso é que estão sendo denunciados. Se fossem maioria ninguém ficaria sequer sabendo, como era no tempo da ditadura militar.

       
  3. surfando na jaca

    novembro 15, 2011 at 12:13 am

    A polícia monitorou essa operação. Sabia dos policiais corruptos e o próprio Nem havia se despedido, sabendo que o Bope entraria na Rocinha. O que esse cerco revelou, como nas outras operações, é que o tráfico conta com o envolvimento de policiais, que fornecem informações para os traficantes, já que vivem desse “bico”. Corrupção é coisa que existe desde quando o dinheiro corrompe. Não acho que o Nem negociou sua prisão, senão não precisaria tentar sair da Rocinha. Teria se entregado. Essas operações são fundamentais para a paz no Rio. Os reaças dirão que não resolve nada, que o tráfico vai continuar etc. Mas dificulta essas operações e leva o Estado até as favelas, com as UPPs e serviços públicos. Só existe esse caminho. Depois é cobrar a vigilância pelas UPPs e autoridades. As ações do tráfico no asfalto e da bandidagem diminuiu sensivelmente no Rio, desde a invasão do Alemão. Qualquer dia sairá esses dados.

     
    • HRP LOVE AND MUSIC

      novembro 15, 2011 at 5:18 am

      Especialistas internacionais da aerea militar e ou de segurança pública e anti terrorista elogiaram mundo afora o aprimoramento desse tipo de ação (UPPs) no Rio.
      Num crescendo as ações vem ganhando sofisticação e uma a uma corrigindo erros anteriores.
      Se alguém estiver descontente:
      pega o passaporte europeu e muda pra Espanha, Portugal ou Italia……. a gente agradece!

       
  4. Brancaleone, Broncão para os chegados...

    novembro 14, 2011 at 6:31 pm

    Como dizia o Sargento Nestor nos meu tempos de caserna – “Se no final do combate não tiver soldados capturados, feridos ou mortos de ambos os lados, é porque teve chuncho”

    Por mais “bunitinha” e pacífica que tenha sido a “ocupação” da Rocinha, o fato de não existirem corpos de traficantes e outros bandidos estendidos ao longo das rua principais demonstra que aconteceu um acerto. A própria prisão do tal de Nem me parece um bom acordo. O chefão mesmo entregou a cabeça de seu chefe operacional para poder sair na boa e continuar seus negócios assim que as coisas esfriarem.

    “TRabalho de inteligencia” – “Ocupação pacífica” – dizem os políticos. Bosta nenhuma!!! teve acordo ai.

    Parodiando uma frase dita por sei lá quem em sei lá quando – ” A árvore da segurança do povo tem que ser regada com sangue de bandidos”

    E tambem ta na hora de parar com esta merda de lei que assegura ao viciadinho o tratamento de “doente”. Viciado é cúmplice do tráfico e tem que sofrer as consequências.

    O caos social anda a passos largos e lei benevolentes (e tendenciosas) só asseguram o caminho para a desordem.

    Claro que teremos que abrir mão de alguns “direitos” individuais – como o de encher o rabo de cachaça e sair dirigindo até matar uns dois ou tres – e até teremos que atender a regras mais rígidas do tipo “Tolerância Zero” mas não se tem muita opção. Não se pode gozar de liberdade absoluta e se ter segurança.

    Aqui na cidadezinha que moro ta vigorando um toque de recolher informal. Dez horas da noite fecha tudo – igrejas, butecos e até o puteiro. Resultado – Os indices de brigas e pancadarias caiu a zero. Ta funcionando, mas abriu-se mão de alguns direitos.

    Uns dois ou tres “filhinhos de papai” andavam fazendo racha pela única rua asfaltada daqui. O “Mirto do Guincho” colocou o tratorzão Massey 695 de “travéis” na esquina da rua do Posto e PIMBA!! O Edinho, filho do dono do supermercado local arrebentou o astra zerado que o papai deu para ele e acabou o racha, pelo menos até o “boyzinho” consertar o que sobrou da arcada dentária e o papai dele comprar outro carro…
    Desnecessário dizer que o Mirto foi elogiado e protegido…

    Justiça pragmática é isso.

     
    • Proftel

      novembro 15, 2011 at 3:35 pm

      Putz!

      Essa foi de lascar!

      Só dá pra fazer em cidade pequena; daí meu sonho: aposentar e morar numa cidade pequena…

      🙂

       

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: