RSS

Notebooks:

26 nov

Pessoal, a maioria aqui sabe que conserto computadores.

Estou a três semanas com um notebook aqui parado, a “Anta” (com todo respeito aos animais) do dono, ao ver que a bateria acabou, catou a fonte d’um Desknote e ligou no notebook (um Acer Aspire 4520 – coicidentemente igualzinho ao da minha irmã que formatei em julho; Por falar em minha irmã, ela comprou um Acer igualzinho o meu a oito meses atrás e até hoje não tirou da caixa, prefere esse Aspire 4520 – uma máquina extremamente rápida quando está com 2Giga de RAM e Win Seven rodando).

Uma explicação para os leigos: a maioria dos notebooks funciona com fonte de 19 volts e os desknotes com fonte de 24 volts. NUNCA troquem fontes nesses equipamentos, há voltagens “quebradas” como “19,3” 19,8″ etc. e, ainda por cima, a amperagem é distinta também, muito mais variada que se pode imaginar.

Voltando ao dito note que está aqui, sempre foi problema sério montagem e desmontagem de notes pra qualquer Técnico decente, é ponto de honra não deixar faltando parafusos numa montagem (principalmente em notebooks com tela de 17″ – se faltarem parafusos o bicho fica “mole” como uma folha de papel).

Eu pessoalmente prefiro desmontar os notes e levar a placa com processador à um Técnico em eletrônica que tem ferramentas que custam até 4.500 reais (uma que solda chipsets por exemplo) e montar os notes aqui em casa. Meus clientes sabem da qualidade do meu serviço e há fila visto que só trabalho em casa nos fins-de-semana, Pior que eles esperam, preferem ficar com o note parado que a deixar noutro canto pra consertar.

Cada Técnico tem seus macetes na montagem e desmontagem. Alguns se gabam da boa memória, outros usam imãs de HD pra juntar todos os parafusos na fase de desmontagem e na hora de montar o que der certo vai; outros ainda nem querem saber de parafuso, colocam tudo numa caixa e que se foda na hora de montar, parafuso que entrar lá fica (o que é temerário, volta e meia num buraco você coloca um parafuso maior que fechará curto em algum ponto da placa, já vi isso acontecer várias vezes com notes que se me chegaram à mão).

Acordei lá prá dez da manhã, olhei bem prô bicho e pensei comigo: “é hoje!”.

Abri a tampa, catei o modelo, entrei no Google e fui direto em “Acer Aspire 4520 service manual”, achei um supimpa, com fotos coloridas explicando a desmontagem (aliás, só Técnicos bons fazem isso – desmontar um note visualizando o manual de serviço, a maioria desmonta “na tora” e arrebenta várias travas de plástico, na hora de montar usam super bonder pra consertar a cagada).

Eu nunca desmontei um note sem antes baixar e ler o “service manual”, principalmente dos Toshiba que são um saco cheio de travas com um plástico que quebra facim facim (alguns Itautec e Positivo também sofrem desse mal).

Baixado o manual de serviço com fotos coloridas a patroa chamou pra almoçar, a TV da cozinha ainda está no quarto da Duda onde Seu Chiquinho dormiu e ficamos batendo papo durante o almoço. Falei pra Duda: você me ajuda a desmontar o notebook? Ela topou.

Subimos e, (aí a grande sacada) enquanto ela via quais parafusos soltar primeiro, ao soltar fui colocando fita crepe em cima. Os parafusos do HD por exemplo, são dois, enrolamos os dois em fita crepe e grudamos no HD, o drive de CD é preso só com um parafuso, o dito cujo tá lá grudado nele, os parafusos da parte de baixo do note são fundos,soltei e botei fita no buraco, eles ficaram lá. O LCD apresenta três parafusos de cada lado, são quatro de aço inox e dois galvanizados em preto

Ao terminar a desmontagem reparei a limpeza da bancada, nada de parafusos soltos que o vento pode carregar.

Olhei bem o “trabalho” (a Duda sempre me ajudando), conferi o esquema de montagem meio que imaginando como será e, liguei pra dois colegas Técnicos como eu (há diferença entre “Técnicos” e “tecnicos”, já disse em outro comentário).

Um dos colegas achou a sacada genial, outro ficou céptico, disse que iria tentar mas, gostou da idéia.

Pra vocês terem idéia do que estou falando, vejam isso a partir da página 57:

http://tim.id.au/laptops/acer/aspire%204520%204220%204520g%204220g.pdf

No fundo o que acontecia era o seguinte:

Precisava d’uma bancada enorme pra desmontar um note, deixava as peças dispostas como numa linha de montagem, com esse “sistema” fica tudo empilhado.

Bom, a bagaça também é “prestação de serviço”, talvez alguém aí aproveite as dicas.

🙂

 
27 Comentários

Publicado por em novembro 26, 2011 em Uncategorized

 

27 Respostas para “Notebooks:

  1. Proftel

    novembro 27, 2011 at 2:22 pm

    Explosão solar, amanhã ( 28/11) é bom ficar velhaco com a Rede, talvez alguma coisa dê páu:

    http://www.apolo11.com/spacenews.php?titulo=Forte_explosao_solar_deve_atingir_a_Terra_nesta_segunda-feira&posic=dat_20111127-112558.inc

    Três e vinte da tarde hora de Brasília, sete horas a menos ou a mais de lapso, essa quero acompanhar de perto.

    🙂

     
  2. Patriarca da Paciência

    novembro 27, 2011 at 10:49 am

    Surf,

    então quer dizer que o irado FDA é mesmo o Pai Doria?

    Eu já há havia comentado isso, mas você não confirmou.

    Parece que o seu Francisco trocou a a mania de dizer que é parente de todo vulto importante da História do Brasil e passou a se imaginar um morador da França.

    É a velha “mania de grandeza”.

     
    • surfando na jaca

      novembro 27, 2011 at 2:28 pm

      Exatamente, caro Patriarca. E cada vez mais rabujento.

       
  3. Patriarca da Paciência

    novembro 27, 2011 at 10:41 am

    Sinceramente prefiro o meu velho PC.

    Aqui em casa a minha mulher e as duas filhas, cada uma tem o seu Notebook.

    Interessante é que, volta e meia, uma delas está no meu velho PC.

    E eu muito raramente utilizo notebook.

     
    • Proftel

      novembro 27, 2011 at 11:51 am

      Patriarca da Paciência:

      Também prefiro PC, esse meu aqui tem quatro anos e foi turbinado pra guentar tanto. A patroa tem o dela na sala (onde ficam três enormes máquinas de costura) e ainda há uma bancada de trabalho perto da cozinha onde fica o terceiro.
      Na verdade tenho duas bancadas de trabalho, a “de baixo” que é prá consertar desktops, aqui no escritório a bancada é de dois metros e vinte por um metro e pouco onde fica o meu de uso particular e é onde desmonto notebooks.
      O legal dessas bancadas é que foram feitas com ferragem comprada em ferro velho, os suportes de ar condicionado são excelentes, você parafusa na parede “de ponta cabeça” e joga uma chapa de compensado por cima.
      Se um parafuso cai, você não tem “pés”, por baixo está tudo livre, é fácil visualizar (e facilita o trabalho de limpar/varrer).

      🙂

       
      • Patriarca da Paciência

        novembro 27, 2011 at 1:24 pm

        Proftel,

        meu PC também foi turbinado com várias placas e tenho um técnico muito bom.

        Funciona que é uma beleza!

        Não me adapto principalmente com o teclado de notebook- meus dedos parece que ficam descontrolados.

         
        • Proftel

          novembro 27, 2011 at 3:03 pm

          Patriarca da Paciência:

          Sim, turbinar é importante a cada dois anos.

          Esse meu aqui, um HP comprado quatro anos atrás.

          Processador de um núcleo rodando 3.6 Giga (foi o último d’uma série da Intel antes de lançarem os “Dual” da vida. Quando veio tinha 1 Giga de RAM e HD de 250 Giga com SO Vista Home, a placa-mãe queimou quatorze dias depois de adquirido (o trouxe de Sampa, foi comprado na Saraiva), juro que fiquei muito puto da vida. Garantia na época só em Goiânia, fiz as contas e resolvi comprar outra placa e eu mesmo trocar (creio que foi a melhor coisa que fiz, meti uma Asus e o bicho tá que tá até hoje).

          De tanto meter o páu na HP por conta dessa máquina lá no Weblog até recebi e-mail deles solicitando meu endereço dizendo que buscariam o equipamento aqui em casa.

          Declinei falando que já tinha resolvido o problema e que a placa-mãe do equipamento vendido por eles, na raiva, tinha feito em pedaços (pior que foi mesmo, quebrei a dita cuja no joelho).

          Hoje ele conta com dois Giga de RAM, dois HD’s (um de 160 Giga prô Sistema Operacional e o outro de 250 só com arquivos (dividido em dois), coloquei uma placa de vídeo off-board de 256 Mega e no ano passado instalei o Win Seven Ultimate, é uma bela máquina, não deixa a desejar prá nenhum i5 da vida, esses dias fiz um teste, botei o note com i5 ao lado do desktop e liguei os dois, o desktop carregou mais rápido. kkkk

          🙂

           
  4. surfando na jaca

    novembro 26, 2011 at 11:13 pm

    Falar nisso, Proftel. Aviso que é bom colocar o netbook bem no meio das roupas quando embarcar, se não puder levá-lo na mão. Meses atrás perdi um deles quando desembarquei. Sei lá, mas não ligou mais e acho que foi pancada na viagem.

     
    • Proftel

      novembro 27, 2011 at 10:54 am

      Surf:

      Pode ter sido pancada ou, algo o fez entrar em funcionamento e ele “torrou”.

      Tente tirar a bateria, apertar o “power” algumas vezes, recoloque a bateria e tente ligar.

      Se não funcionar, tire a bateria e aguarde duas semanas, tente ligar de novo, já vi notes com energia estática acumulada que não ligam. É raro mas acontece e, aconteceu com um note d’um Procurador uns seis meses atrás também em viagem de avião.

      🙂

       
  5. BRANCALEONE

    novembro 26, 2011 at 10:13 pm

    Pois o meu note é uma antiguidade. Um Compaq Presário, com hd de 40, 512 de memória e a bateria é um amontoado de pilhas recarregáveis ching ling que duram uns 20 minutos.
    Uns 10 anos de bons serviços, nunca me deixou na mão, passou por umas trocentas formatações e aguenta!!! Fica jogado no uninho dias e dias, tomando calorão, anda pelo mato acoplado a uma antena rastreando rede. Já tomou chuva, sobreviveu a uma capotagem na toyota e duas batidas de carro

     
    • Proftel

      novembro 27, 2011 at 11:59 am

      Compadre Brancaleone:

      Sou fã dos Compaq!

      Principalmente os fabricados para o mercado canadense, formatei um parecido com esse seu, a dona é uma professora de matemática, o tirei da caixa a cinco anos quando ela comprou, formatei o bicho e daí prá frente foi só manutenção.

      Uns dois meses atrás ele voltou na minha mão, a filha dela andou instalando algumas porcarias que corromperam o sistema, precisei formatar (nunca tinha visto uma instalação durar tanto tempo, o record anterior tinha sido de quatro anos).

      Só não continuo recomendando a compra de Compaq aos meus fregueses por conta da HP ter comprado a Compaq (e já peguei algumas tralhas depois disso).

      🙂

       
  6. HRP LOVE AND MUSIC

    novembro 26, 2011 at 9:07 pm

    Olha de computador eu só preciso saber o inicio e o fim, das sessões!
    KKKKKKKKKKKKKKKK;;;;;;;;;;;;;;;;;;;

     
  7. Proftel

    novembro 26, 2011 at 7:46 pm

    Tenho um colega de infância, pai francês e mãe boliviana.

    Sempre fomos discriminados quando crianças porque éramos “de fora”, estrangeiros, aos quatorze/quinze anos nós dois andáva-mos de moto pela cidade (e eu vinha de São Vicente dirigindo de madrugada, três horas em cima d’uma Yamara RS-125) e “as minas” ficavam com a gente, era uma baita inveja dos caras por lá na década de 70/80 que só diziam “puisss isso, puiss isso” com todo sotaque dos caiçaras (HRP deve sacar, outros litorâneos também).

    Voltemos ao Michel:

    O cara é um gênio, o QI é o tamanho do corpo, fazia Engenharia em Sampa, largou no terceiro ano.

    A irmã nasceu na Bolívia, voltou pra lá e fez Medicina e ficou por lá.

    Ele sempre gostou de Iguape-SP e lá tá até hoje, tem seu barquinho, a loja e um monte de filhos, está no segundo casamento até onde sei da última vez que o encontrei.

    Volta e meia conversamos pessoalmente quando vou à Sampa ou no Messenger, ele tem uma loja (grande – atende Pariquera-Açú e tem contratos com firmas em Registro) de manutenção de computadores na principal avenida em Iguape, é Técnico dos bãos).

    Conversando sobre a maresia e os equipamentos que ele dá manutenção na Ilha Comprida ele soltou:

    “- Bicho, por aqui só guenta Dell e IBM, qualquer outra placa em seis meses vai prô saco, oxida tudo….” .

    Quando o Surf falou nos equipamentos dele jogados ao léu, lembrei disso.

    Aliás, Surf, se quizer doar peças, te mando o endereço, talvez alguma coisa do que você quer jogar fora se me sirva, eu pago o transporte da doação.

    É sério, você tem meu e-mail.

    🙂

     
    • surfando na jaca

      novembro 26, 2011 at 11:09 pm

      Ô, rapá! Se fosse jogar fora e depois de seu apelo, te mandaria sem cobrar postagem. Qualé, Proftel? Eu tenho uns net e quando sai ou viajo, jogo um na mala ou mochila e fim de papo. Vc. sabe que estou contra o consumismo e sou meio-ecológico sempre que posso. Tem neguinho no meu trabalho que não pode ver uma tralha nova de informática que começa a salivar que nem boi com aftosa. Eu mantenho meu Toshiba velho de guerra em casa, de 4 ram e 500 Hd, tudo direitinho. Quanto à bateria, o meu último net ianque da Asus dura umas 8 ou 10 horas testadas num dia inteiro de trabalho. Fone de ouvido é da Apple. E em avião, só uso o da Sony que produz ondas contra ruído. Podem comprar que funciona uma maravilha.
      Bração aí, kkkkkkkk.

       
      • Proftel

        novembro 27, 2011 at 12:14 pm

        Surf:

        Aqui na cidade a prefeitura montou um centro de reciclagem de equipamentos de informática.

        Os caras que trabalham lá são os mesmos que trabalhavam comigo na Oficina de manutenção dos computadores da Secretaria de Educação (aliás, a maioria das máquinas das escolas estão paradas depois que a equipe se desfez), é uma história longa, não dá pra contar aqui ainda, envolve muita gente que poderá ler e eu me lascar.

        Voltando à reciclagem, o pontapé inicial teve dedo meu principalmente no que tange à “linha de desmontagem”, coisa técnica; gosto dos caras que estão lá, são profissionais, trabalhamos por seis anos ombro a ombro.

        Aqui em casa mesmo, já há sucata pra encher meia caçamba, estou esperando juntar mais um pouco e vou despachar tudo já catalogado (você não imagina o tanto de tralha tecnológica que o povo descarta nos fins-de-ano), muitos fregueses meus sabem que reciclo (quando dá prá botar pra funcionar eu monto uma máquina e entrego pra pessoas carentes – não é doação, é empréstimo – eu chego na pessoa e digo: “- Olha, pega esse computador e vai usando, se der problema traz que eu conserto, se você comprar outro, devolve, eu repasso pra outra pessoa” (acho que já contei isso aqui). De sucata aqui em casa há três desknotes, quatro notebooks, cinco monitores, três LCD’s, duas caixas de fonte de energia, uma caixa de teclados e mouse, oito gabinetes, vários componentes diversos (drives de 3/5″, leitores/gravadores de cd/dvd etc., é muita tralha.

        Essa iniciativa de reciclar equipamentos de informática deveria ser adotada por todas as prefeituras de cidades com mais de 250.000 habitantes, é iniciativa louvável mas, aqui, falta divulgação. Eu fiz minha parte, os Técnicos conhecidos sabem e já despacham regularmente os equipamentos sucateados pra lá.

        🙂

         
  8. Proftel

    novembro 26, 2011 at 7:23 pm

    Outra “dica”:

    Quando forem “abrir” um notebook, sempre botem a mão no MEIO da tela pra levantar.

    Estou de saco cheio de trocar telas de LCD de note porque a maioria das Antas (com todo respeito aos animais) pega e levanta com a mão direita a porra da tela quebrando a peça, muitos notes antigos e novos tem trava (alguns como as bostas dos “Lenovo” tem trava dos dois lados, quebra o LCD só num canto) kkkkk.

    hehe.

     
  9. Proftel

    novembro 26, 2011 at 7:16 pm

    Surf:

    Ganhei da minha irmã um notebook em julho do corrente ano de Nosso Senhor Jesus Cristo de 2011.

    Estamos em novembro e portanto fazem quatro meses de utilização diária, ele vai comigo todo santo dia de buzum prô trampo da tarde/noite numa mochila própria, nos fins de semana a patroa leva ele pra cama e fica lá com a Duda brincando, assistindo videos do “Co-Có-Ricó” dentre outros.

    Tomo alguns cuidados por exemplo, só conecto pra carregar a bateria quando ela acaba (e daí já me programo pra ficar três horas com ele carregando).

    Uso o bicho como se fosse um celular.

    Só pra você “babar”, a bateria do dito cujo dura OITO sim, OITO horas!

    O processador é um Intel i5 com quatro núcleos, tem quatro giga de RAM e HD de 640 Giga.

    Máquina pra guentar no mínimo quatro anos rodando o Win Seven e talvez uns dois a mais com o outro SO que está vindo aí (ainda não botei a mão no DVD de instalação mas, um amigo já baixou).

    É um Acer (sou fã do Acer pode crer quase choro quando vejo um queimado), é a marca mundial da Texas Instruments lembra?).

    O bichim custou na Walmart 1.800 e poucos contos no cartão, foi entregue aqui em casa, tá barato prá tanta máquina.

    Ele roda o Autocad-2007 e o Corel X-5 ao mesmo tempo sem dó nem peso na consciência (usa 80%/90% da memória e uns 70 do processador nos testes que fiz).

    O bicho é leve como uma pluma, a tela fininha, ele todo fininho, parece um Vaio (aliás, tenho bronca com “vaios”, ô note nojento, só piloto de avião e “aerogostosas” p’ra usar aquela porcaria. Usam só porque é leve.

    Se interessar, o modelo é: Acer Aspire 4820T.

    Juro prôce, é máquina.

    🙂

     
  10. Proftel

    novembro 26, 2011 at 6:47 pm

    Já que estamos falando (hehe) de Notebooks, uma dica:

    Quando estiverem dentro do avião, chamem a “aerogostosa” e peçam um fone de ouvido (os melhores são os da TAM – daqueles tipo “cilindro” que entram nos tímpanos).

    Se for daqueles tipo “panela” que vem nas caixas de celular, esqueçam, joguem fora assim que saírem do avião.

    O som desses bichos quando plugados num notebook é incrível!

    Experimentem, é de graça (e descartáveis no avião – estou com um desses a três anos kkkk – só uso no notebook) kkkkkk.

    Esses do que falo (tipo “cilindro”) tem dois pinos como todos mas, são “óptemos” (como dizia a Alba) para notebooks, é só “dobrar” um dos pinos e pronto aliás, eles são feitos assim.

    Fica aí a dica.

    🙂

     
  11. surfando na jaca

    novembro 26, 2011 at 6:25 pm

    Proftel,
    sou pessoa facilmente “encontrável e localizável”. Besteira perderem tempo comigo rastreando celular. Mas isso pode ser alguma coisa complicada para reuniões fechadas, quando tratamos de estratégias da empresa etc., se alguém é capaz de transmitir essas informações a outrem ou outro trem. Quanto aos programas, veja que já estou enfrentando sérios transtornos com alguns que não rodam no w-7, por serem antigos e sem versão nova. Foi um bom aviso, pois esqueço dessa frescuragem do ambiente MAC. Sim, odeio essa pilantragem das atualizações da Microsoft. Monopólio é isso: a obrigação, a cada 1 ano, de renovar sua base operacional por uma nova versão do Windows.

     
    • Proftel

      novembro 26, 2011 at 6:37 pm

      Surf:

      Tenho sérios problemas com o pessoal que usa o PCalc na Rede, é um programa feito em Unix da década de 70.

      Só conheço um cara de Brasília e outro no Pará que conseguem configurar impressoras nessa bosta de programa, cada vez que falta tonner ou mudam o contrato da prestadora de serviço (e consequente mudança de equipamento) é um cú pra fazer o PCalc imprimir.

      A porra do programa foi gerado no tempo do acesso coaxial de Rede com impressoras matriciais.

      Só de lembrar disso fico arrepiado e vermelho de raiva (pior que um dos contadores (PHD em Economia – o cara foi consultor do Metrô em Sampa, trabalhou nos quintos dos infernos, morou no exterior e o escambau) que trabalha aqui tá me enchendo o saco a semana inteira, quer porque quer a porra do programa imprimindo) numa Kiocera de última geração que recebe fax, imprime, “sacaneia” qualquer imagem (é só colocar a pendrive na bicha que a coisa sai).

      Bom, eu te avisei sobre a merda que é migração de programas.

      🙂

       
      • Proftel

        novembro 26, 2011 at 6:40 pm

        As vezes até o programa funciona no novo Sistema Operacional mas, pode não imprimir.

        É um risco.

        :-/

         
  12. surfando na jaca

    novembro 26, 2011 at 4:06 pm

    Proftel, acho que meu próximo note será um MAcbook. Tenho um Toshiba veterano, dos tempos do NoMinimo, vários netbooks de viagem e comprados por peso, como critério fundamental. MAs hoje em dia, acho que o celular substituirá o netbook. Estou só de olho para ver se essas maquininhas melhoram. Ando anticonsumista, por isso apóio seu trabalho. Tomei bronca dos ipads, tablets, que nada oferecem de melhor em relação aos netbooks e ainda tem uma tela asquerosa, cheia de impressões digitais. Mas a economia precisa criar essas tralhas e movimentar o consumo. Nós, economistas, estudamos essas estratégias de fazer o burro andar colocando uma cenoura à vista. O capitalismo precisa disso e nunca compre uma inovação tecnológica logo de imediato, já que está sendo testada a preço de ouro para financiar novos modelos corrigidos.
    Caramujo Proftel, uma boa tarde para vc. e família, Reginaldo Roberto.

     
    • Proftel

      novembro 26, 2011 at 5:25 pm

      Surf:

      Olhe, ouça bem o que vou te dizer:

      O maior problema aí no litoral que afeta aos notes é em primeiro lugar a maresia, em segundo lugar (principalmente no Rio) são as cortinas e carpetes/tapetes.

      Faça o seguinte com esse Toshiba:

      Quando for num posto de gasolina pra lavar o carro, peça ao frentista aquele “gatilho de ar” que ele usa pra pulverizar.

      Bote o notebook debaixo do braço esquerdo (se for destro) com a saída de ar a sua frente onde você possa jogar o ar DENTRO do notebook.

      Cate o gatilho de ar, deixe uns dez segundos na palma da sua mão esquerda até não sair mais água (não esqueça que vc está com o note debaixo do braço dessa mão), quando parar de sair água, meta o jato no cooler do note sem dó.

      Verá que sairá uma poeira “da porra”, sopre também por onde o ar é “chupado” pelo cooler (geralmente fica “embaixo”), intercale a operação duas ou três vezes.

      Pode crer, funciona.

      Provavelmente seu Toshiba ficará até mais rápido visto que trabalhará melhor refrigerado.

      Na maioria das vezes o que “mata” um note é superaquecimento por excesso de poeira ou, usar o dito cujo em cima do travesseiro (que tampa a entrada e saída da refrigeração).

      Bração aí.

      Alexandre.

      🙂

       
  13. Proftel

    novembro 26, 2011 at 3:42 pm

    Quando ninguém aparece dá impressão de que estou postando assuntos não interessantes.

    :-/

     
    • Proftel

      novembro 26, 2011 at 5:55 pm

      Por aqui já lá se vão quatro horas de chuca ineterrupta. Chuva pesada sem raios, até parece aquelas chuvas de Iguape uns quarenta anos atrás…. .

      Tá bonito de ver, cês nem imaginam…. .

      🙂

       
  14. Proftel

    novembro 26, 2011 at 2:57 pm

    No fundo o que acontecia era o seguinte:

    Precisava d’uma bancada enorme pra desmontar um note, deixava as peças dispostas como numa linha de montagem, com esse “sistema” fica tudo empilhado.

    🙂

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: