RSS

Open da Raquel (Quequel) e, Féliz Natal a todos (as) Confrades e Confreiras!

23 dez

Quequel e Natal creio andam juntos, ela faz um trabalho insano de bom lá onde mora, dou maior valor (juro prôceis, se tivesse grana assumiria a parte logística comprando tudo que ela precisa para a execução do trabalho).

🙂

 
88 Comentários

Publicado por em dezembro 23, 2011 em Uncategorized

 

88 Respostas para “Open da Raquel (Quequel) e, Féliz Natal a todos (as) Confrades e Confreiras!

  1. El Torero

    dezembro 31, 2011 at 9:42 am

    Buenas…

    Vim deixar meu desejo de um 2012 lindo para todos vocês. Não passei por aqui no Natal pois estava sem conexão em Machu Pichu, uma viagem que sempre quis fazer, consegui realizar com minha mulher e que reparto e que reparto aqui com vocês…
    Forte abraço aos camaradas, e um beijo pras moças…

     
  2. Tia

    dezembro 28, 2011 at 7:52 am

    Bom dia pessoal! Só aqui pra eu saber notícias do marido. kkk Esse desnaturado ligou uma vez e não aparece no msn. Bem, pelo menos aqui eu fico sabendo o que ele anda fazendo e fico sabendo que ele observa as bundinhas redondas das moças. kkk Não tem problema não marido. É muito difícil não prestar atenção na beleza das goianas. Só não se esqueça de duas coisas: Eu já moro ha tanto tempo aqui que me tornei goiana a outra eu falo por telefone ou no msn. kkkk Quando você saiu a Duda falou: Vamos pedir a Deus que ele não tome outro tiro por lá. Tadinha! Então, fique pianinho que estamos com saudades! Beijos pra você e pros amiguinhos que vão ler essas bobagens!

     
    • surfando na jaca

      dezembro 28, 2011 at 8:08 am

      Ué, Dona Tia, aqui é para isso mesmo. Bom dia. Proftel, comporte-se que vc. já ganhou um tiro. Vai deixar a Duda preocupada mexendo com a mulher dos outros? Belo filme, Colafina e Proftel. KKKKKKKK. Vai ver que essa internet ruim é para que ninguém em SP baixe o livro do Amaury. Um tópico com câncer??? Vou olhar.

       
    • Proftel

      dezembro 28, 2011 at 1:45 pm

      Pessoal, falei com a patroa hoje na hora do almoço, tudo em paz por aqui.

      🙂

       
  3. Proftel

    dezembro 28, 2011 at 2:30 am

    Dica do Colafina com atalho do “Vimeo” que já tá no YouTube:

    Valeu Colafina!

    🙂

     
  4. Proftel

    dezembro 28, 2011 at 1:36 am

    Vocês se lembram daquele e-mail que enviei ao CNJ com tudo que escrevi no Post abaixo?

    Pois bem, recebi resposta, tá aqui:

    “Registro Ouvidoria/CNJ: 47XXX
    Ao Senhor

    Alexandre XXXXXXX XXXXXXXXXX

    Agradecemos pelos elogios dirigidos ao CNJ e nos colocamos à disposição.

    Ouvidoria
    Conselho Nacional de Justiça
    Telefone: (61) 2326-4607 / 2326-4608
    Anexo I – Supremo Tribunal Federal, Praça dos Três Poderes, S/N – Brasília (DF) – 70175-900”

    Fiz minha parte, tô de alma lavada, juro prôceis.

    🙂

     
    • Proftel

      dezembro 28, 2011 at 2:00 am

      Bom, vamos à análise da coisa:

      Mandei o e-mail dia 22 de dezembro de madrugada, quase no mesmo horário que enviei prá muita gente e fiz o Post. A bagaça foi recebida no dia 23 de dezembro (sexta-feira) e respondida no dia 27 de dezembro (uma terça-feira).

      Na minha percepção alguém leu (não foi resposta atutomática) daí que, creio (posso ser ingênuo mas, no Serviço Público Federal, se não é “resposta automática” é porque alguém leu, se não foi respondido numa segunda-feira, é porque alguém imprimiu).

      Bom, é isso.

      🙂

       
  5. Proftel

    dezembro 28, 2011 at 1:27 am

    Pessoal, olha, essa é uma percepção que confirmei com meus dois filhos hoje.

    Consiste no seguinte:

    Se você sair de Anápolis a 1.100 metros de altitude e vier pra Santos a “0” metros (nível do mar), seu organismo precisará de no mínimo 24 horas pra voltar ao normal (tanto física quanto psiquicamente).

    Já fiz esse trajeto de buzum, de carro e de avião.

    De ônibus você gasta de dezoito a vinte horas, de carro umas quatorze horas e de avião uma hora e meia mais três horas de buzum de Sampa a Santos, dá na mesma, seu organismo não fica normal, não se aclimata facilmente com a diferença de altitude.

    Se você sai de Goiânia pra Sampa ou de Salvador prô Rio é uma coisa mas, de 1.100m pra 0 m é outra completamente diferente.

    Isso que irei relatar não é sacanagem, a conferir, aqui vai;

    Quando se está em Anápolis e se chega em Santos o que destaca é o cheiro – da maresia, da água com cloro, da poluição, há percepção de que há mais gente do que o espaço comporta.

    A gente passa uma semana aqui, se acostuma com tudo de boa.

    Quando se volta pra Anápolis os sentidos aguçam para a luz, as cores são mais vibrantes, há falta de ar, a gente fica mais cansado, os tons são mais delineados e as bundas das moças mais redondas (a patroa que se me desculpe mas, foi isso que meu mais novo falou, estou apenas relatando kkkk).

    De boa, a hipótese está lançada, os pressupostos são dados, confirmem a experiência, quem sabe a gente ganha um “Nóbel” quiçá um “Ig-Nóbel” kkkk.

    🙂

     
  6. Proftel

    dezembro 28, 2011 at 12:52 am

    Surf:

    Tô estranhando o HRP sumir, fora isso, li hoje a Folha de São Paulo impressa de ontem e de hoje aqui na casa do meu pai, estranho muito só críticas à Dilma, é coisa indecente o que estão fazendo, é duro ouvir de pai e mãe o que está no jornal.

    É difícil ter que chamar o Mubo ( neto d’um japonês – contemporâneo do meu pai quando veio residir aqui no Bairro em 1958 que morou dez anos no Japão) pra explicar o que é conexão decente.

    O cara explicou pra minha irmã, minha mãe e meu pai que lá, a dez anos atrás a conexão mínima era de 32 Mega, que hoje passa de 200 Mega e, que aqui em São Paulo ele também tem uma conexão de 1 Mega como a nossa e anda de saco cheio com as contas que são absurdas por tão pouco.

    Te juro, precisei encontrar com o japa aqui do lado, chamar o cara aqui dentro de casa prá que eles acreditassem no que sempre disse, isso é o poder da imprensa, fazer “carneirinhos”.

    Creio muito na autenticidade dos blogs, se a gente souber “peneirar” encontrará a real situação.

    De boa.

    🙂

     
  7. Proftel

    dezembro 28, 2011 at 12:33 am

    Colafina, Robertão e Surf:

    Aqui por São Vicente no Shopping com meu filho mais velho entrei numa livraria e não sabem o que é o livro “Privataria Tucana”, mandei a moça pesquisar no estoque e ela viu que não receberam aí, falei pra ela dar uma olhada no Google, a fiz ler algumas páginas. Tadinha dela, quase caiu dura!

    Os vizinhos do bairro nunca ouviram falar do livro, a maioria assinantes da Folha, Estadão, Tribuna de Santos e Veja kkkkkk.

    Já espalhei o livro que tá na minha Pendrive pra alguns computadores, ficaram interessados na coisa kkkk.

    Não falei com a patroa até agora creio que estejam bem (Duda é sobrinha-neta da patroa, filha d’uma sobrinha da patroa).

    Intermitente estou sim mas, pelo menos a conexão aqui voltou ao normal, estou ainda no computador da minha mãe, meu note não aceita o 3G da Vivo da minha irmã por conta do Seven ser de 64 bites e o normal pra essa conexão seria um Seven de 32 bites kkkkkk, puta que o pariu, você vem com um computador de Goiás que não conecta num “3G” em São Paulo é o fim da picada kkkkkk.

    Amanhã testarei meu note nessa conexão, talvez fique mais presente.

    🙂

     
  8. Colafina

    dezembro 27, 2011 at 11:47 pm

    A Pirataria Tucana já chegou aos cinemas: http://vimeo.com/33883016

     
  9. Robertão

    dezembro 27, 2011 at 3:40 pm

    O livro do Aumary tá provocando um silencio ensurdecedor na “grande imprensa”, né?

     
  10. Proftel

    dezembro 27, 2011 at 3:35 pm

    Pessoal, estou meio que quase sem internet por aqui, o 3G funciona quando quer e o Speedy ainda está fora do ar.

    Não estranhem se ficar intermitente.

    🙂

     
    • surfando na jaca

      dezembro 27, 2011 at 7:16 pm

      Nosso papo já é intermitente, Profterólis.Ninguém vai reparar.
      Tudo em paz com a Tia e a filha-sobrinha-filha?
      Veja como são as coisas. O FDA, que não dá nem bom dia ao porteiro, também não deu nem feliz natal para ninguém.

       
  11. surfando na jaca

    dezembro 27, 2011 at 1:32 pm

    Seus caramujões e caramujonas, o Facebook não é um lugar democrático. Um blog é muito mais procurado por pessoas diferentes. No Facebook só se conversa com amigos ou quem vc. deseja conversar. Nada alguém te desagrada vc. corta da lista.Aqui o debate é democrático, ouve o que quer e o que não quer.Exemplo extremo: um fascista terá que debater com um comunista. É uma geração de frouxos internéticos. Assim não dá, assim não pode! Que coisa desabonadora! Venham para a resistência! Sejam maquis da liberdade de expressão!

     
    • Proftel

      dezembro 27, 2011 at 3:33 pm

      Surf:

      Foi por essas e outras que encerrei a conta lá.

      🙂

       
  12. surfando na jaca

    dezembro 27, 2011 at 11:27 am

    O contra-ataque da mídia com o governo é permanente. Se a economia brasileira apresenta um dado incontestável, de seu vigor e crescimento estável, batendo a Inglaterra e se colocando como sexta economia do mundo, vem a mídia tentar menosprezar o resultado positivo. É sinal do temor que a reaçada possui da vitória do Haddad em Sampa. Por outro lado, esconde o resultado favorável na queda da concentração de renda e que o governo tem se comprometido a aprofundar.,como toda a razão, já que estaremos em breve batendo a França e chegando ao quinto lugar. Ninguém comenta mais o livro do Amaury Ribeiro Jr. A Mídia vendida mostra a bunda de fora. Só não vê quem não quer.

     
  13. surfando na jaca

    dezembro 27, 2011 at 11:21 am

    Bem possível que o Fred esteja por lá, Betão.

    Hoje acordei e dei de cara com duas notícias escandalosas na mídia vendida: 64% dos empregos na sexta economia do mundo (Brasil) são ocupados por baixos salários. E logo depois, Marinha gasta não sei quanto para manter a residência onde a Dilma passa as férias. Vejam bem a sacanagem da coisa:

    1) Mal remunerado o trabalho sempre foi, mas esquecem o seguinte (comentário tirado de um blog):

    Em 1960, antes da ditadura, o índice de Gini era de 0,537 e, em 1995, estava em 0,600. A concentração de renda foi brutal, no período.
    Mas o fato mais contemporâneo também é surpreendente é que durante o primeiro mandato de FHC, a desigualdade permaneceu praticamente intocada e só caiu um pouco a partir do segundo mandato. Já no governo Lula, a queda foi impressionante, fazendo o índice de Gini cair a 0,530 – quanto mais próxima de zero, menor é a concentração de renda.

    O IBGE também explica por que os estratos superiores da pirâmide social odeiam tanto Lula. Entre os 20% mais ricos, que se concentram no Sul e no Sudeste, a escolaridade aumentou 8,1% e a renda cresceu 8,9%. No recorte dos 20% mais pobres, que ficam no Norte, no Nordeste e no Centro-Oeste, a escolaridade aumentou 55,6%, e foi acompanhada de um aumento de renda de 49,5%.

    Por etnia, os negros também experimentaram aumento de renda muito maior do que os brancos, vale dizer. Sobretudo porque negros e descendentes de negros são muito mais numerosos no Norte e no Nordeste.

    Lula virou as costas para a elite e promoveu a maior distribuição de renda da história deste país. Por isso a elite branca do Sul e do Sudeste o odeia com tanto fervor.

    2) A Marinha possui imóveis e quartéis pela costa brasileira e gasta para a manutenção desse patrimônio com ou sem Dilma. Só faltam dizer que está se beneficiando do cargo para passar as férias em um patrimônio do governo, como se ela não fosse a presidenta do país. Até os milicos fazem isso.

     
  14. Robertão

    dezembro 27, 2011 at 10:47 am

    Surf, vou ver se acho o Fred no facebook.

     
  15. Proftel

    dezembro 27, 2011 at 1:59 am

    Pessoal, tô aqui na casa da minha mãe, cheguei uma e meia da manhã, já liguei pra patroa avisando, tive que ligar no celular porque o fixo daqui não “fala” com Goiás, só diz que lá em casa está “ocupado”, que merda, nem telefone funciona direito em São Paulo, parece que se separaram do resto do País!

    O vôo atrasou (um pouco por conta do tempo, outro tanto porque não sei o motivo, sempre há um mané que embarca em Goiânia e erra a porra da porta de embarque, vai parar noutro avião; “de novo novamente – como sempre” toca o pessoal a conferir as passagens até achar o mané.

    Por sorte peguei o último buzum de Cumbica pra Santos pela “Litoral” que me deixou no “Canal 2”, de lá passei num buteco, peguei uma Skór, fui prô ponto de ônibus sem não antes passar por uns dois “psico” (viciados em crack como são chamados por aqui) que, só de baterem o olho no brasão que havia no bolso da minha camiseta de serviço pediram um cigarro e cascaram fora ( trabalhei hoje de manhã em Anápolis, acabou a energia e me ligaram prá dar um jeito naquele Servidor que tá sem no-breack, daí que botei a camisa do uniforme e, do trampo fui direto prô Aeroporto em Goiânia, o nó cego do outro Técnico deu o cano, sobrou pra mim).

    Graças a Deus deu tudo certo e já estou aqui no computador da minha mãe, usando a conexão wireless da minha irmã (um Nokia 3G se não me engano da Vivo), a porra do Speedy (parece praga) não funciona (como sempre).

    Repetirei pela milésima vez: Não sei como o Estado mais industrializado da Nação deixa sua população à mercê da “Teleafônica”, tem dó.

    Tirando tudo isso acima relatado, nunca peguei um vôo com tanto “chaqualhão” como o de hoje, até parecia que estava numa canoa de matar manjuba em Iguape na década de 70! kkkkkkkk.

    Bom, de boa, pelo menos tô aqui vivim tomando uma “Itaiparva”.

    hehe,

     
    • surfando na jaca

      dezembro 27, 2011 at 9:13 am

      Caraco, as viagens do Proftel mas parecem circo de assombração. Ele tomando Skór e eu vendo umas papeladas de trabalho. Proftel, o Fred deve estar no Facebook. Até o transformista Ed Lascar tem Facebook. Podia ter aparecido por aqui. Não tem jeito.

       
  16. surfando na jaca

    dezembro 26, 2011 at 4:55 pm

    Patriarca, esse é um dos defeitos do socialismo real, não foi capaz de criar instituições democráticas que pudessem impedir os pequenos tiranos e também impedir o retorno ao capitalismo. Restou essa coisa mandarinesca da Coreia do Norte. Os seres humanos precisam de líderes, mas esses líderes precisam estar submetidos à vontade popular. E essa vontade popular precisa ser socialista, que é a parte mais difícil da coisa e que ainda não aconteceu na História.

     
  17. Patriarca da Paciência

    dezembro 26, 2011 at 1:37 pm

    Acredite, se quiser!

    “Uma série de fenômenos naturais estranhos teria sido testemunhada na Coreia do Norte desde a morte do líder do país, Kim Jong-il, pelo menos segundo os relatos da agência de notícias estatal norte-coreana KCNA.

    A agência informou que um lago congelado teria rachado de ”forma tão ruidosa que parece sacudir os céus e a Terra” e um misterioso brilho teria sido avistado em uma montanha que é considerada um local sagrado na Coreia do Norte.”

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/12/111222_kim_natureza_luto_bg.shtml

     
    • surfando na jaca

      dezembro 26, 2011 at 1:55 pm

      Patriarca, isso é que o foi de pior na experiência do socialismo real, a crença no líder infalível, feito Stalin etc. Isso é a coisa mais atrasada que existe, se confunde com os mandarins feudais, com o absolutismo divino. Melhor é ler ao lado da reportagem a entrevista com o Hobsbawm, com 94 anos e lúcido.

       
      • Patriarca da Paciência

        dezembro 26, 2011 at 4:14 pm

        Surf,

        mais estranho ainda é tentar mistificar uma pessoa que, pelo que dizem, era um tremendo aproveitador e boa vida. Na mesma coluna lemos:

        “3.Célebre por seu amor ao cinema, Kim era um fã de Elizabeth Taylor. Ele teria ainda acumulado uma coleção de 20 mil vídeos, que iam de faroestes americanos a películas de monstro japonesas. Ele seria um apreciador das séries de filmes Rambo, Sexta-Feira 13, Godzilla e do agente 007, mas teria se desencantado com o agente secreto britânico após o filme Um Novo Dia Para Morrer, no qual os vilões são agentes norte-coreanos que torturam o espião James Bond
        4.O amor do ”Querido Líder” pela sétima arte era tal que ele chegou a escrever diversos tratados sobre cinema.
        5.O evento mais extremo causado por sua paixão pelo cinema foi o sequestro – realizado por ordens dele-, em 1978, do então mais célebre diretor de cinema sul-coreano, Shin Sang-ok, para ele dirigir filmes na Coreia do Norte. Entre os longas realizados sob o comando de Kim estão uma versão comunista de Godzilla e um drama que exibiu um beijo diante das telas pela primeira vez no país.
        6.O cinema não era a única de suas paixões. Ele teria ainda composto seis óperas
        7.Kim jamais viajava de avião. Todas as visitas oficiais que realizou foram feitas à bordo de um trem particular. Acredita-se que ele teria medo de voar – fobia que seria compartilhada por seu pai. Mas há versões também de que ele sentia que estaria mais exposto a sofrer um atentado durante um voo.
        8.Consta que outra de suas paixões era a gastronomia e que ele primava pela sofisticação e a excentricidade à mesa. Ele teria dado ordens para que os chefs que trabalhavam para ele fizessem viagens internacionais só para a aquisição de ingredientes, como idas ao Japão para comprar sushi, excursões ao Irã para comprar caviar, à Dinamarca para comprar carnes de porco curadas, à Tailândia para adquirir mangas e mamões e à China para comprar uvas.
        9.Há relatos de que ele teria se apaixonado por hambúrgueres durante uma viagem ao exterior e que, por isso, ele resolveu introduzir uma variante do sanduíche nas refeições servidas aos universitários norte-coreanos. Mas o quitute, desenvolvido pelo próprio Kim, ganhou outro nome, “gogigyeopbbang”, que em coreano significa ”pão duplo com carne”.
        10.O requinte do líder norte-coreano também era refletido em seu amor por vinhos. Ele teria 10 mil garrafas em sua adega. E vez por outra encomendava conhaques provenientes da França. “

         
        • Proftel

          dezembro 27, 2011 at 2:32 am

          Patriarca da Paciência:

          Pra mim o cara era um tremendo escroto, enquanto a população está morta de fome ele mobilizou boa parte da mão de obra que deveria estar no campo nas forças armadas, se bom estadista fosse, teria mandado ver num primeiro momento a assinatura d’um armistício com a Coréia do Sul, num segundo momento, com comunismo ou o que seja, mandado o povo plantar (e lá há boas terras, pode crer, seria um “mini celeiro” se bem aproveitado o solo) daí, com cash, fazer o que desse.

          Ninguém come chumbo, por lá se come arroz, aos montes. Se não há quem plante, dá no que dá.

          Infelizmente.

          :-/

           
    • Proftel

      dezembro 27, 2011 at 2:16 am

      Surf:

      O lago “rachou” porque o ego do cara era tão grande que não poderia ter baixado ao inferno por “vias normais”; o brilho que apareceu no topo da montanha foi d’Algum Arcanjo que apareceu pra empurrar o dito cujo prô lugar d’onde nunca deveria ter saído, a tempestade subsequente foi pra tampar o buraco deixado e, a tradução da frase não foi feita, estava escrito em ídiche com sotaque norte americano assim : “Um a menos”.

      hehe.

       
  18. surfando na jaca

    dezembro 26, 2011 at 12:26 pm

    Betão, é um gigantesco esforço que esse país tem que promover para distribuir renda. Sim, um verdadeiro país rico tem um povo em boas condições de vida.

     
  19. Robertão

    dezembro 26, 2011 at 11:17 am

    mas concordo contigo. não temos mais que bancar o primo pobre lá fora.

     
  20. surfando na jaca

    dezembro 26, 2011 at 10:34 am

    E aí, Robertão?

    A notícia hoje é economia: O Brasil se torna a sexta economia do mundo. No entanto, tem de choramingar pela segurança nacional, participação no Conselho de Segurança da ONU etc.

     
    • Robertão

      dezembro 26, 2011 at 11:02 am

      É verdade, mas como diz a propaganda oficial, país rico é país sem pobreza… ainda temos bolsões até aqui no Rio. imagine lá no Piauí?

       
  21. Robertão

    dezembro 26, 2011 at 9:26 am

    crie sim, Surf. E me adiciona.

     
  22. surfando na jaca

    dezembro 26, 2011 at 9:09 am

    Vou criar um perfil no Facebook para falar mal do Facebook.

     
  23. surfando na jaca

    dezembro 26, 2011 at 9:08 am

    Proftel, acho que o Facebook continua vencendo a gente.

     
  24. surfando na jaca

    dezembro 26, 2011 at 8:56 am

    Nós, socialistas e comunistas democráticos, sempre sonhamos com os EUA se erguendo contra o capitalismo, ou a Europa. O novo mundo terá de surgir das economias mais desenvolvidas. A minha crença num mundo fraterno e ecologicamente correto é inabalável. Como dizia meu capitão: Não há vento favorável para quem não sabe a que porto se dirige. Pergunto-me, será que os ianques sabem lutar por seus direitos, depois de detonarem os sindicatos e movimentos de massa?

     
  25. Robertão

    dezembro 26, 2011 at 8:51 am

    Tô na área e tô de olho!

     
  26. surfando na jaca

    dezembro 26, 2011 at 8:49 am

    Já surfei em ondas maiores do que esta do clip, Proftel. Tirava jacaré numa dessas. Prezado Broncão avariado das idéias, isso é um pianinho de minimalista, é musica de fundo mesmo. Os minimalistas são uns chatos, fazem música dentro da concepção de que a repetição constante de um trecho musical marca o ritmo e é o que caracteriza a audição atual, influenciada pela música popular de massa. Provavelmente é coisa do Win Mertens. Escute alguma coisa dele que vc. irá gostar.
    Proftel, vc. é o único que percebe que estou de brincadeira e não se ofende. Eu lhe daria o título de carioca honorário. Ao Fred daria o de casmurrão oficial do blog e ao FDA, de boca de trapo,o resmungador.
    Proftel, Tiazinha, sobrinha e gatos, que Deus lhes abençoe e seja generoso com todos nós nesse 2012. Que Xangô zele pela justiça na Terra e Maomé nos guie.

     
  27. Colafina

    dezembro 26, 2011 at 12:31 am

    Quequel!!
    Desde quinta à noite sem ligar o micro, cheguei ‘inda pouco em casa, só vi agora o seu Open! Bom Natal à você e sua família (atrasado, mas chegado). Volto mais tarde, depois de me recuperar da canseira de comer e beber e comer e beber e … rsrsrs
    E a todos os demais amigos, também votos que o Natal tenha sido de muita paz e confraternização!
    Grande abraço a todos!

     
  28. BRANCALEONE

    dezembro 25, 2011 at 11:28 pm

    “nos próximos anos a luta de classes nos EUA terá lugar na rua e na política” (Cornel West, professor da Universidade de Princenton e ativista norte-americano’

    Du-vi-de-o-dó!!!
    Já já se arruma uma boa guerra e daí dá-lhe encomendar quinquilharias pra matar os outros e alistar ativistas….

    O planeta usa esta tática faz tempo e tem dado certo sempre.

     
    • surfando na jaca

      dezembro 26, 2011 at 10:16 am

      OS EUA não aguentam nem a guerrinha no Afeganistão. Aliás, quem entrou lá, perdeu dinheiro e saiu sem vencer (Inglaterra, URSS, EUA).

       
  29. BRANCALEONE

    dezembro 25, 2011 at 11:26 pm

    Este vídeo do cargueiro apanhando do tempo é coisa pouca.
    Aqui no tanque grande lá nos fundos do terrenoi já peguei coisa pior e nem me incomodei por conta da taraíra que tava na briga

    Mas que a música que acompanha é boa isso é. Eita pianinho arretado!! Alguem sabe que música e quem esta tocando?

     
    • Proftel

      dezembro 25, 2011 at 11:30 pm

      Compadre Brancaleone:

      Olhe, sei não a trilha sonora da bagaça, você tem uma irmã pianista que deve sacar melhor do assunto.

      Féliz Nátar Prôce! (d’um polaco perdido no Centro Oeste).

      Bração aí.

      Alexandre.

      🙂

       
      • Proftel

        dezembro 25, 2011 at 11:34 pm

        Pessoal, té semana que vem, vou nessa.

        🙂

         
  30. Proftel

    dezembro 25, 2011 at 11:04 pm

    Essa aqui deixo exclusivamente pr’á patroa, é coisa pessoal:

    🙂

     
    • surfando na jaca

      dezembro 26, 2011 at 4:56 pm

      Como fui aparecer nesse clip?

       
  31. Proftel

    dezembro 25, 2011 at 10:20 pm

    Duas coisas pra se pensar:

    Primeira:

    “nos próximos anos a luta de classes nos EUA terá lugar na rua e na política” (Cornel West, professor da Universidade de Princenton e ativista norte-americano; Folha)

    (Carta Maior; Domingo; 25/12/ 2011).

    Segunda:

    http://www.tecmundo.com.br/internet/16930-john-titor-o-viajante-do-tempo.htm

    Parece que a merda garra logo logo, infelizmente.

    :-/

     
    • surfando na jaca

      dezembro 26, 2011 at 5:06 pm

      Prefiro extraterrestres, são mais viáveis.

       
  32. Proftel

    dezembro 25, 2011 at 10:05 pm

    Esse vídeo é impressionante, lá prô meio da coisa, mostra o casco do navio “torcendo” numa tempestade.

    Juro prôceis, tenho medo do mar e do “ar”, como diz meu pai, não sou nem “marujo” nem “araújo”.

    A bagaça tá aqui:

    hehe.

     
  33. Proftel

    dezembro 25, 2011 at 6:09 pm

    Um pouco de humor vai bem!

    http://www.targetofopportunity.com/USS_Clinton.htm

    🙂

     
  34. Proftel

    dezembro 25, 2011 at 5:26 pm

    Pessoal, vejam o vídeo que há nessa matéria:

    http://g1.globo.com/ceara/noticia/2011/12/irmaos-criam-maquina-para-extrair-feijao-da-vagem-em-caninde-ce.html

    Por essas e outras é que eu acho que, se uma crise mundial pegar mesmo, o Brasil se safa, criatividade há.

    🙂

     
  35. Proftel

    dezembro 25, 2011 at 4:24 pm

    O Ed Lascar colocou no Facebook e a patroa achou interessante, assisti e fiquei aqui pensando com meus botões: “se o Surf fosse paulista provavelmente teria escrito e cantado….”.

    hehe

     
  36. Proftel

    dezembro 25, 2011 at 3:25 pm

    Aqui há um cara desiludido com o Obama:

    http://www.truthdig.com/report/item/the_obama_deception_why_cornel_west_went_ballistic_20110516/

    Não sei como abrirá aí pra vocês, aqui foi um saco com os caras querendo doações.

    hehe.

     
  37. Proftel

    dezembro 25, 2011 at 1:18 pm

    Pessoal, amanhã estarei “fora do ar”, 18:35h saio de Goiânia rumo a Cumbica (uma hora e meia de vôo), de lá gastarei do dobro do tempo pra chegar na Baixada.

    Já preparei o note, transferi vários filmes que quero assistir com meu pai (gastei mais de duas horas transferindo filmes do meu computador “titular” para o note), crimpei um cabo de rede d’uns três metros pra plugar o note na conexão da casa da minha mãe (sei que sofrerei com o Speedy, toda vez passo raiva) e só falta agora separar umas “roupas de baixo”, vários shorts e algumas camisetas porque está um calor do cão em Sampa (e eu aqui passando frio de ter que dormir com edredon).

    Bom, é isso.

    Provavelmente a página ficará com esse Open da Quequel, não achei nada interessante pra postar nem estou assim com inspiração para.

    🙂

     
  38. surfando na jaca

    dezembro 25, 2011 at 11:22 am

    Falou, Robertão. Um bom Natal para vc.
    Fundo musical para a Quequel: Ela só quer saber de namorar.

     
    • Proftel

      dezembro 25, 2011 at 1:24 pm

      Mandou bem Surf:

      🙂

       
  39. robertao

    dezembro 25, 2011 at 4:33 am

    Então bom natal!

     
  40. Quequel

    dezembro 24, 2011 at 6:24 pm

    APARECIIII!!!
    Realmente, eu fiquei viajando de sábado passado até quinta-feira. Demoramos mais do que imaginamos, namorando por aí. hehe. Depois que cheguei, após três meses sem passar em casa, foi uma correria. Entrei agora prá desejar um Feliz natal, e descubro que sou a homenageada da semana. Obrigada, Proftel!!!
    Obrigada a todos!
    Desejo um ótimo Natal a todos vocês, que seja comemorado da forma como cada um gosta, e com amor. Bom imagino que todos gostem de amor.
    Já são 19:21h do dia dia 24, e sou a anfitriã aqui em casa, então tô saindo. Depois vou ler com calma os outros comentários. Abraços. .

     
    • Proftel

      dezembro 24, 2011 at 8:46 pm

      Quequel ! :

      Até que enfim!

      Féliz Natár Prôce !

      Pelo jeito todos estamos cheios de compromisso, claro que o pessoal compreende a situação!

      Bração aí, você merece!

      🙂

       
  41. Proftel

    dezembro 24, 2011 at 5:35 pm

    Natal em alto mar no HMS Ocean:

    Achei inusitado e interessante, dêem uma olhada.

    🙂

     
    • Proftel

      dezembro 25, 2011 at 7:14 pm

      Creio que só eu e o Bitt pra assistir um vídeo desse no YouTube.

      A primeira parte mostra um agregado tentando enfrentar ondas no Mar do Norte junto ao Porta-aviões russo (só tem um), a segunda parte é interessante, como eles estão treinando (isso em 2004 – creio que hoje já são operacionais). A bagaça toda tá aqui:

      🙂

       
      • Proftel

        dezembro 25, 2011 at 8:59 pm

        “Japão e China fecharam acordo para restabelecer as conversas sobre um pacto de livre comércio que também incluiria a Coreia do Sul, disse, neste domingo (25), o primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, depois de conversas na capital chinesa com o premiê Wen Jiabao.”

        Tá aqui:

        http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/12/japao-e-china-prometem-negociar-pacto-de-livre-comercio.html

        Eua talvez cada vez mais “indo prô saco”. Aquele lance do Obama dar uma volta pela Austrália e falar muito com o pessoal nas Filipinas talvez tenha a ver.

        :-/

         
  42. surfando na jaca

    dezembro 24, 2011 at 4:55 pm

    Prezado Proftel, acho que vc. bem merece um open. Pois bem, como se auto-elogiar? Deixa isso com a gente. KKKKKKKK
    Um Bom Natal, polaco do planalto.

     
    • Proftel

      dezembro 24, 2011 at 5:18 pm

      Surf:

      Creio que você fala isso por conta do comentário abaixo sobre o CNJ né?

      🙂

       
    • Proftel

      dezembro 24, 2011 at 5:19 pm

      Surf, “Féliz Natár Prôce”!

      🙂

       
  43. surfando na jaca

    dezembro 24, 2011 at 1:36 pm

    Um belo texto, Patriarca. Será que já fomos seres racionais como esse chefe indígena? Triste humanidade que não sabe conviver com sua própria casa e perdeu seu contato com a natureza. Numa época em que uma árvore vale menos do que um carro. Quando o ar é fétido e poluído. Não conseguimos até o momento conciliar tecnologia com vida em equilíbrio com o meio ambiente. Como já sabemos, nada se cria, tudo se transforma. O mundo do homem branco será sua própria danação. E depois de nossa extinção, o universo seguirá como sempre foi.

     
    • Patriarca da Paciência

      dezembro 24, 2011 at 4:45 pm

      Realmente, Surf, é um texto fantástico.

      E diz muito sobre o modo de vida dos “selvagens” que habitavam as Américas antes do homem branco.

      “Esta água brilhante que corre nos rios e regatos não é apenas água, mas sim o sangue de nossos ancestrais. Se te vendermos a terra, terás de te lembrar que ela é sagrada e terás de ensinar a teus filhos que é sagrada e que cada reflexo espectral na água límpida dos lagos conta os eventos e as recordações da vida de meu povo. O rumorejar d’água é a voz do pai de meu pai. Os rios são nossos irmãos, eles apagam nossa sede. Os rios transportam nossas canoas e alimentam nossos filhos. Se te vendermos nossa terra, terás de te lembrar e ensinar a teus filhos que os rios são irmãos nossos e teus, e terás de dispensar aos rios a afabilidade que darias a um irmão.”

      Não é o São Francisco de Assis mais puro?

      Podemos vislumbrar aí uma ética e um sentimentos religioso do mais profundo valor.

       
      • Proftel

        dezembro 24, 2011 at 4:52 pm

        Patriarca da Paciência:

        Conheci o texto na década de 80, creio que se pegar alguns DVD’s de back-up encontrarei num .doc perdido em algum canto.

        É um texto franco que faz pensar, refletir, mostra as cagadas que fizemos no Planeta.

        Se não me engano na mesma linha há um texto dos Hopy (outra tribo indígena norte-americana) e outro d’alguma tribo indígena brasileira mas a memória está falhando.

        🙂

         
      • Proftel

        dezembro 24, 2011 at 5:21 pm

        Patriarca da Paciência, “Féliz Natár Prôce”!

        🙂

         
        • Patriarca da Paciência

          dezembro 24, 2011 at 6:06 pm

          Feliz Natal procê também meu caro Proftel.

          E um próspero e feliz 2012.

          Tudo de bom para você, Tia, Duda e toda os seus familiares e amigos.

           
  44. Tia

    dezembro 24, 2011 at 12:35 pm

    Olá amiguinhos. Um vídeo muito lindo que eu achei por aí pra vocês:

    Beijos da Tia!

     
    • surfando na jaca

      dezembro 24, 2011 at 1:38 pm

      Gostei das imagens, Tia. Um Bom Natal.

       
    • Proftel

      dezembro 24, 2011 at 4:38 pm

      Bem!

      Lindo!

      🙂

       
  45. Patriarca da Paciência

    dezembro 24, 2011 at 11:10 am

    Link da Carta do Chefe Seattle:

    http://www.ufpa.br/permacultura/carta_cacique.htm

     
  46. Patriarca da Paciência

    dezembro 24, 2011 at 10:59 am

    Outro grande filósofo que levo muito a sério, para mim, comparável a Spinoza:

    Chefe indígena – Chefe Seattle (Duwamish)
    English Version
    Os índios Duwamish habitavam a região onde hoje se encontra o Estado americano Washington – no extremo Noroeste dos Estados Unidos, divisa com o Canadá,
    logo acima dos Estados de Montana, Idaho e Oregon.
    No passado era um “paraiso na Terra”, região inspiradora de uma das mais lindas ‘poesias’ dedicadas á natureza – o discurso que o Chefe indígena Duwamish (Chefe Seattle) fez ao Governo Americano na época -, hoje, ainda sendo bela, mas não mais um ‘paraiso’, sua cidade mais famosa é Seattle (nome dado em homenagem ao Chefe),
    uma beleza de outro tipo que infelizmente vem gerando graves problemas ecológicos.
    Os índios migraram pelo Puget Sound para a Reserva Port Madison. O Chefe Seattle e sua filha estão enterrados lá.
    Existem muitas controversias sobre o conteúdo original do discurso.
    O primeiro registro escrito que se conhece, foi feito no Jornal Seattle Sunday Star em 1887
    pelo Dr.Henry Smith, que estava presente no pronunciamento – ele publicou suas próprias
    anotações com comentários sobre o Grande Chefe, que segundo ele, era uma pessoa profundamente impressionante e carismática.
    Nos anos 70 (1970) foram divulgadas várias versões deste discurso em conexão com movimentos ecológicos e a favor da preservação da natureza; o discurso ficou muito conhecido, quase mitificado, ficando de lado as discussões sobre sua originalidade.
    Aqui, após a tradução portuguesa de uma das mais famosas versões da década de 70, transcrevemos a publicação americana original do Dr.Henry Smith-1887.
    A foto do Grande Chefe Seattle (1787-1866), abaixo, é de E.M.Sammis e o original encontra-se na: “University of Washington Special Collection #NA 1511”.
    ________________________________________
    “O que ocorre com a Terra recairá sobre os filhos da Terra.
    Há uma ligação em tudo”.
    O grande chefe de Washington mandou dizer que desejava comprar a nossa terra, o grande chefe assegurou-nos também de sua amizade e benevolência. Isto é gentil de sua parte, pois sabemos que ele não precisa de nossa amizade.
    Vamos, porém, pensar em sua oferta, pois sabemos que se não o fizermos, o homem branco virá com armas e tomará nossa terra. O grande chefe de Washington pode confiar no que o Chefe Seattle diz com a mesma certeza com que nossos irmãos brancos podem confiar na alteração das estações do ano.
    Minha palavra é como as estrelas – elas não empalidecem.
    Como podes comprar ou vender o céu, o calor da terra? Tal idéia nos é estranha. Se não somos donos da pureza do ar ou do resplendor da água, como então podes comprá-los? Cada torrão desta terra é sagrado para meu povo, cada folha reluzente de pinheiro, cada praia arenosa, cada véu de neblina na floresta escura, cada clareira e inseto a zumbir são sagrados nas tradições e na consciência do meu povo. A seiva que circula nas árvores carrega consigo as recordações do homem vermelho.
    O homem branco esquece a sua terra natal, quando – depois de morto – vai vagar por entre as estrelas. Os nossos mortos nunca esquecem esta formosa terra, pois ela é a mãe do homem vermelho. Somos parte da terra e ela é parte de nós. As flores perfumadas são nossas irmãs; o cervo, o cavalo, a grande águia – são nossos irmãos. As cristas rochosas, os sumos da campina, o calor que emana do corpo de um mustang, e o homem – todos pertencem à mesma família.
    Portanto, quando o grande chefe de Washington manda dizer que deseja comprar nossa terra, ele exige muito de nós. O grande chefe manda dizer que irá reservar para nós um lugar em que possamos viver confortavelmente. Ele será nosso pai e nós seremos seus filhos. Portanto, vamos considerar a tua oferta de comprar nossa terra. Mas não vai ser fácil, porque esta terra é para nós sagrada.
    Esta água brilhante que corre nos rios e regatos não é apenas água, mas sim o sangue de nossos ancestrais. Se te vendermos a terra, terás de te lembrar que ela é sagrada e terás de ensinar a teus filhos que é sagrada e que cada reflexo espectral na água límpida dos lagos conta os eventos e as recordações da vida de meu povo. O rumorejar d’água é a voz do pai de meu pai. Os rios são nossos irmãos, eles apagam nossa sede. Os rios transportam nossas canoas e alimentam nossos filhos. Se te vendermos nossa terra, terás de te lembrar e ensinar a teus filhos que os rios são irmãos nossos e teus, e terás de dispensar aos rios a afabilidade que darias a um irmão.
    Sabemos que o homem branco não compreende o nosso modo de viver. Para ele um lote de terra é igual a outro, porque ele é um forasteiro que chega na calada da noite e tira da terra tudo o que necessita. A terra não é sua irmã, mas sim sua inimiga, e depois de a conquistar, ele vai embora, deixa para trás os túmulos de seus antepassados, e nem se importa. Arrebata a terra das mãos de seus filhos e não se importa. Ficam esquecidos a sepultura de seu pai e o direito de seus filhos à herança. Ele trata sua mãe – a terra – e seu irmão – o céu – como coisas que podem ser compradas, saqueadas, vendidas como ovelha ou miçanga cintilante. Sua voracidade arruinará a terra, deixando para trás apenas um deserto.
    Não sei. Nossos modos diferem dos teus. A vista de tuas cidades causa tormento aos olhos do homem vermelho. Mas talvez isto seja assim por ser o homem vermelho um selvagem que de nada entende.
    Não há sequer um lugar calmo nas cidades do homem branco. Não há lugar onde se possa ouvir o desabrochar da folhagem na primavera ou o tinir das assa de um inseto. Mas talvez assim seja por ser eu um selvagem que nada compreende; o barulho parece apenas insultar os ouvidos. E que vida é aquela se um homem não pode ouvir a voz solitária do curiango ou, de noite, a conversa dos sapos em volta de um brejo? Sou um homem vermelho e nada compreendo. O índio prefere o suave sussurro do vento a sobrevoar a superfície de uma lagoa e o cheiro do próprio vento, purificado por uma chuva do meio-dia, ou recendendo a pinheiro.
    O ar é precioso para o homem vermelho, porque todas as criaturas respiram em comum – os animais, as árvores, o homem.
    O homem branco parece não perceber o ar que respira. Como um moribundo em prolongada agonia, ele é insensível ao ar fétido. Mas se te vendermos nossa terra, terás de te lembrar que o ar é precioso para nós, que o ar reparte seu espírito com toda a vida que ele sustenta. O vento que deu ao nosso bisavô o seu primeiro sopro de vida, também recebe o seu último suspiro. E se te vendermos nossa terra, deverás mantê-la reservada, feita santuário, como um lugar em que o próprio homem branco possa ir saborear o vento, adoçado com a fragrância das flores campestres.
    Assim pois, vamos considerar tua oferta para comprar nossa terra. Se decidirmos aceitar, farei uma condição: o homem branco deve tratar os animais desta terra como se fossem seus irmãos.
    Sou um selvagem e desconheço que possa ser de outro jeito. Tenho visto milhares de bisões apodrecendo na pradaria, abandonados pelo homem branco que os abatia a tiros disparados do trem em movimento. Sou um selvagem e não compreendo como um fumegante cavalo de ferro possa ser mais importante do que o bisão que (nós – os índios ) matamos apenas para o sustento de nossa vida.
    O que é o homem sem os animais? Se todos os animais acabassem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Porque tudo quanto acontece aos animais, logo acontece ao homem. Tudo está relacionado entre si.
    Deves ensinar a teus filhos que o chão debaixo de seus pés são as cinzas de nossos antepassados; para que tenham respeito ao país, conta a teus filhos que a riqueza da terra são as vidas da parentela nossa. Ensina a teus filhos o que temos ensinado aos nossos: que a terra é nossa mãe. Tudo quanto fere a terra – fere os filhos da terra. Se os homens cospem no chão, cospem sobre eles próprios.
    De uma coisa sabemos. A terra não pertence, ao homem: é o homem que pertence à terra, disso temos certeza. Todas as coisas estão interligadas, como o sangue que une uma família. Tudo está relacionado entre si. Tudo quanto agride a terra, agride os filhos da terra. Não foi o homem quem teceu a trama da vida: ele é meramente um fio da mesma. Tudo o que ele fizer à trama, a si próprio fará.
    Os nossos filhos viram seus pais humilhados na derrota. Os nossos guerreiros sucumbem sob o peso da vergonha. E depois da derrota passam o tempo em ócio, envenenando seu corpo com alimentos adocicados e bebidas ardentes. Não tem grande importância onde passaremos os nossos últimos dias – eles não são muitos. Mais algumas horas, mesmos uns invernos, e nenhum dos filhos das grandes tribos que viveram nesta terra ou que têm vagueado em pequenos bandos pelos bosques, sobrará para chorar, sobre os túmulos um povo que um dia foi tão poderoso e cheio de confiança como o nosso.
    Nem o homem branco, cujo Deus com ele passeia e conversa como amigo para amigo, pode ser isento do destino comum. Poderíamos ser irmãos, apesar de tudo. Vamos ver, de uma coisa sabemos que o homem branco venha, talvez, um dia descobrir: nosso Deus é o mesmo Deus. Talvez julgues, agora, que o podes possuir do mesmo jeito como desejas possuir nossa terra; mas não podes. Ele é Deus da humanidade inteira e é igual sua piedade para com o homem vermelho e o homem branco. Esta terra é querida por ele, e causar dano à terra é cumular de desprezo o seu criador. Os brancos também vão acabar; talvez mais cedo do que todas as outras raças. Continuas poluindo a tua cama e hás de morrer uma noite, sufocado em teus próprios desejos.
    Porém, ao perecerem, vocês brilharão com fulgor, abrasados, pela força de Deus que os trouxe a este país e, por algum desígnio especial, lhes deu o domínio sobre esta terra e sobre o homem vermelho. Esse destino é para nós um mistério, pois não podemos imaginar como será, quando todos os bisões forem massacrados, os cavalos bravios domados, as brenhas das florestas carregadas de odor de muita gente e a vista das velhas colinas empanada por fios que falam. Onde ficará o emaranhado da mata? Terá acabado. Onde estará a águia? Irá acabar. Restará dar adeus à andorinha e à caça; será o fim da vida e o começo da luta para sobreviver.
    Compreenderíamos, talvez, se conhecêssemos com que sonha o homem branco, se soubéssemos quais as esperanças que transmite a seus filhos nas longas noites de inverno, quais as visões do futuro que oferece às suas mentes para que possam formar desejos para o dia de amanhã. Somos, porém, selvagens. Os sonhos do homem branco são para nós ocultos, e por serem ocultos, temos de escolher nosso próprio caminho. Se consentirmos, será para garantir as reservas que nos prometestes. Lá, talvez, possamos viver o nossos últimos dias conforme desejamos. Depois que o último homem vermelho tiver partido e a sua lembrança não passar da sombra de uma nuvem a pairar acima das pradarias, a alma do meu povo continuará vivendo nestas floresta e praias, porque nós a amamos como ama um recém-nascido o bater do coração de sua mãe.
    Se te vendermos a nossa terra, ama-a como nós a amávamos. Proteja-a como nós a protegíamos. “Nunca esqueças de como era esta terra quando dela tomaste posse”: E com toda a tua força o teu poder e todo o teu coração – conserva-a para teus filhos e ama-a como Deus nos ama a todos. De uma coisa sabemos: o nosso Deus é o mesmo Deus, esta terra é por ele amada. Nem mesmo o homem branco pode evitar o nosso destino comum.

     
  47. Patriarca da Paciência

    dezembro 24, 2011 at 10:30 am

    Correção – Uma vida onde “a real compreensão das coisas” seja o objetivo.

     
  48. Patriarca da Paciência

    dezembro 24, 2011 at 10:29 am

    A outra alternativa, que eu também acredito, é aquela apontada por Spinoza.

    Uma vida tranquila, sem grandes emoções mas também sem grandes sustos ou stress. Uma vida onde o “real compreensão das caisas” seja o objetivo.

    É onde melhor me adapto e onde melhor vivo.

     
    • surfando na jaca

      dezembro 24, 2011 at 10:34 am

      O filósofo de Treveris já nos advertia: Não basta entender o mundo, mas trata-se de mudá-lo.

       
  49. Patriarca da Paciência

    dezembro 24, 2011 at 10:11 am

    Esta é a única “receita” de felicidade que ainda acredito hoje em dia:

     
  50. surfando na jaca

    dezembro 24, 2011 at 9:59 am

    A homenageada irá aparecer? A Quequel é assim, vive viajando e tem um olhar especial para as imagens, cenários e coisas da mãe-natureza. Um olhar de passarinho.

     
  51. surfando na jaca

    dezembro 24, 2011 at 9:57 am

    surfando na jaca
    dezembro 24, 2011 at 9:53 am
    HOHOHOHOHOHOHO,
    Feliz Natal para todos e todas. Solidariedade, é a palavra.

    E para o Broncão: boas compras.

    Uma abraço especial para a Quequel e faço votos que esse seja de novo o espaço da galera ex-doriana rançosa.
    ———————————————————–

    Prestes gostava da frase: Não há vento favorável para quem não sabe a que porto se dirige. Então, reflitam sobre suas metas para 2012.

     
  52. Patriarca da Paciência

    dezembro 24, 2011 at 7:56 am

    “No fundo isso tudo toma um tempo lascado (ainda por cima por conta do Governo do Estado de Goiás ter mudado os pagamentos do Itaú para a Caixa Econômica Federal, minha vida tá virando um inferno).

    Patriarca, o que estou escrevendo não é só pra você, tomara que outros Confrades e Confreiras se me dêem um desconto também.”

    De minha parte tudo bem, caro Proftel, final de ano é sempre um período tumultuado para todos. É o período dos “urgentes”. Parece que as pessoas ficam querendo resolver em poucos dias aquilo que não resolveram no ano todo.

    Compras, viagens, parentes etc.

    Grato pelo post, mas parece que o pessoal não se animou a comentar.

    Eu também estou, como todos, na correria de fim de ano, com pouco tempo, por isso estou respondendo apenas agora.

    Gostei muito do pronunciamento da Dilma. Acredto, com toda a sinceridade, que o Brasil nunca esteve tão bem e em tão boas mãos.

    E tudo de bom para a Quequel. Ela merece. E um Feliz Natal e um excelente ano novo para todos os companheiros de blog.

    Grande abraço.

     
  53. robertao

    dezembro 24, 2011 at 4:53 am

    Oi, povo! feliz natal pra todos! a quequel tá off line… logo na hora do seu open!
    a uma semana ela postou no face abre aspas:
    Pessoárr, farei minhas malas daqui a pouco e pegarei estrada rumo a Franca. Serão 3 ou 4 dias “no trecho”, razão pela qual darei uma leve desaparecida. see you. fecha aspas.
    mas assim como eu, a nossa amiga é fã do anfitrião. lendo aí embaixo descobri que apesar de ter feito Letras até o sexto período, minha gramática sofre bastante atentados. mas valeu o desabafo.

     
    • Proftel

      dezembro 24, 2011 at 4:47 pm

      Robertão:

      “Três ou quatro dias”!

      Putz! Se ela está vindo de carro, bem que poderia passar aqui em Anápolis e fazer um pouso.

      Se tivesse sabido antes daria um jeito de falar com ela e sugerir ficar aqui em casa ao menos uma noite economizando uma baba com hotel.

      Féliz Natar prôce!

      🙂

       
  54. Proftel

    dezembro 23, 2011 at 11:42 pm

    Pessoal, a Quequel trabalha instalando telas contra mosquitos e fazendo treinamento junto às famílias na Amazônia.

    De minha parte o que fiz foi uma homenagem e relevo de boa ela não aparecer por aqui, volta e meia converso com ela no Messenger e a conexão por lá chega a 48 Kbps na maioria das vezes, é como se fosse um acesso discado, uma única vez ela alcançou 256 Kbps.

    Quequel pra mim é lutadora, busca um ideal, dou mó valor nisso que ela faz e a respeito muito, pena que não tenho recursos pra dar uma mão.

    🙂

     
  55. Proftel

    dezembro 23, 2011 at 11:14 pm

    Achei nos meus “guardados” :

    “Robertão 12/4/2009 – 04h33

    é, prof, como sempre, você enxerga longe! sartou de banda do pan antes de se estressar! agora me diz, como alguem pode, talvez por vaidade, destruir um pedaço, onde se reúnem inteligencias do kilate da alba, do irmão paulo, do torero, do Surf, entre outros? não vi motivo pra nada, aqui nesse pedaço, o pax sempre teve embates históricos e democraticos, pricipalmente com surf, e quando alguem extrapolava, o Dória simplismente apagava o comen~tário ofensivo, geralmente a pedido dos próprios frequentadores. e olha que o Pedro era provocado as pampas, mas sempre levou fé no povo daqui. Agora, tem coisa que voce tem que conquistar, não se pode exigir. o respeito e até e pricipalmente o carinho que o PD tem do povo daqui, foi conquistado pela sobriedade, bom humor, e um enorme saco pra nos aturar. e outra coisa, achei que faltou vóz da nossa parte pra defender o proftel. cara imprescindivel, por ser agregador e de bom papo. da minha parte peço desculpas, pois desde episódio eu fiquei com o pé atrás, por ver o moderador fazer as coisas e nem explicar o que tá fazendo e por qual motivo. mas vida que segue. um abraço!”

    _____________________________________________________________________________

    Outro achado nos meus “guardados”:

    Aqui uma “lista pequena”:

    fleur-de-lis

    Localização:

    Surf – Rio de Janeiro
    HRP – Mogi das Cruzes
    Alba – Itanhaém
    Éd Lascar – Bertioga
    Chest – Rio de Janeiro
    Gwyn – Inglaterra
    Barba Negra – México
    Mr. X – Argentina
    Zictor – China
    Gabriel – Israel
    Mordechai Cano – Canadá
    Sabrina – Itália
    Caco – Angola
    André Fucs – Austrália
    Confetti – França
    Nat – Rio de Janeiro
    MaGioZal – São Paulo
    Nhé – São Paulo/São José dos Campos
    Pax – São Paulo
    Monsores – Santa Catarina
    Darwinista – São Paulo
    Luiz – Ceará (Fortaleza)
    Fred – Rio Grande do Norte

    🙂

     
  56. BRANCALEONE

    dezembro 23, 2011 at 9:59 pm

    Boa festas a todos voces – incluo até os esquerdopatas já que nesta época eles adoram o capitalismo e atiram-se as compras…

    Sério agora.

    Boa festas.

     
    • Proftel

      dezembro 23, 2011 at 11:24 pm

      Compadre Brancaleone:

      Boas festas!

      Tenho saudade do tempo que a gente fazia aquelas listas, lembra?

      Bom, somos poucos por aqui, não precisa muita gente pra se divertir numa festa.

      Recomendações à patroa, ao garoto e à moça (se não me engano você tem uma menina também né?).

      🙂

       
  57. Proftel

    dezembro 23, 2011 at 7:27 pm

    Com a palavra, nossa Confreira;

    Quequel!

    🙂

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: