RSS

2012 vai trazer uma nova atitude de Israel contra o Irã?

01 jan

Tanto quanto se sabe, os americanos não compartilham a observação feita no mês passado pelo ministro da Defesa, Ehud Barak, que apenas um ano continua a ser para um ataque efetivo contra as instalações nucleares iranianas.

Por Amos Harel:

Forças de Defesa de Israel Chefe de Gabinete o tenente-general Benny Gantz falou publicamente sobre a ameaça nuclear iraniana, pela primeira vez sexta-feira, após quase um ano em seu posto. Em resposta a uma pergunta de um estudante de ensino médio na cidade de Be’er Tuvia sobre se Israel deve atacar o Irã se ele tem a capacidade de fazê-lo, e se deve agir sozinho, Gantz disse: “preparação internacional é adequada e com preparação adequada de Israel, este desafio pode ser tratada. ” Gantz também realizou uma entrevista na Rádio do Exército como parte do teleton Shirutrom para os soldados das FDI.

O que era interessante sobre o chefe dos comentários do pessoal é que Gantz – que como seu antecessor, Gabi Ashkenazi, é visto pela mídia como sendo na extremidade moderada do espectro de Israel no debate sobre o Irã – escolheu o stress em primeiro lugar, uma organização internacional move contra os iranianos. Essa abordagem coincide com as observações feitas pelos EUA Secretário de Defesa Leon Panetta, quando ele estava em Israel, em outubro. Gantz está sendo cuidado para não aquecer a atmosfera, o que já é tensa na região, através da emissão de declarações ameaçadoras contra os iranianos.

Gantz observações foram feitas na véspera de um novo ano que, como anos anteriores, é descrito como um “ano decisivo” em termos de Iran. Uma série de percalços e acidentes misteriosos têm empurrado os iranianos de volta de sua meta de produzir uma ogiva nuclear, muito mais do que as previsões pessimistas dos serviços de inteligência ocidentais. Mas parece que o tempo está a esgotar-se gradualmente para o Ocidente. Progresso iraniano exige medidas mais duras.

Neste contexto, ao longo das últimas semanas os Estados Unidos tem emitido mais ameaças implícitas que poderia atacar o Irã. E o que é mais realista, nesta fase, é também avançar com uma nova rodada de sanções. Presidente Barack Obama está considerando mais restrições no comércio com o Banco Central iraniano, enquanto chanceleres europeus são esperados, em cerca de um mês, para discutir o embargo do petróleo iraniano.

A resposta iraniana a esses movimentos é dupla, mas típico. Na semana passada o Irã ameaçou fechar o Estreito de Ormuz (um movimento que iria paralisar um terço da oferta mundial de petróleo, que chega em navios através do Golfo Pérsico). Ontem, em contrapartida, Teerã anunciou que em breve estar disposto a renovar as negociações paralisadas com a União Europeia sobre a questão nuclear. É razoável supor que este é mais um jogo para o tempo, e uma tentativa de atrasar o aperto do anel de sanções em torno do Irã enquanto continua a avançar em seu projeto nuclear.

Embora os Estados Unidos, declarou alto e bom som que não quer que Israel ataque o Irã, ao longo dos últimos meses Israel e os EUA aproximaram no que diz respeito à análise da inteligência sobre o desenvolvimento nuclear iraniano. O entendimento entre os dois países é que o Irã está agora no “espaço limiar” que permitirá que ele se mova rapidamente para o status nuclear se o seu líder espiritual, Ali Khamenei, decide que é a hora certa. Mas se no passado os especialistas ocidentais falavam de um “break-out” – O Irã se movendo rapidamente e abertamente em direção a um objetivo que também envolveria ejetar o inspectores da Agência Internacional de Energia Atômica, e levaria cerca de um ano – uma alternativa está sendo discutido: um “sneak-out”.

Isso significa que o Irã aparentemente, agora acredita que um ano será muito longo para que ele cumpra o seu programa e, portanto, ele irá tentar acumular capacidades clandestinamente, o que, então, colocá-lo apenas alguns meses de uma bomba.

Ainda assim, tanto quanto se sabe, os americanos não compartilham a observação feita no mês passado pelo ministro da Defesa, Ehud Barak, que apenas um ano continua a ser para um ataque efetivo contra as instalações nucleares iranianas.

Barak se referia à possibilidade de que o Irã por ser impermeável a danos fatais, por meio de ataques aéreos, pois terá sido capaz de concentrar uma boa quantidade de sua infra-estrutura necessária em um local protegido no subsolo perto da cidade sagrada de Qom. Parece que o consenso geral em Washington, como entre vários especialistas na comunidade internacional (e em Israel), é que este é demasiado áspero cenário, e que o prazo é mais amplo do que o ministro da Defesa apresenta.

Fonte:

http://translate.googleusercontent.com/translate_c?hl=pt-BR&prev=/search%3Fq%3DHaaretz%26hl%3Dpt-BR%26biw%3D1280%26bih%3D899%26prmd%3Dimvns&rurl=translate.google.com.br&sl=en&u=http://www.haaretz.com/print-edition/news/will-2012-bring-a-new-israeli-attitude-toward-iran-1.404800&usg=ALkJrhibDHejHUQNS0GpHo6zPgKkA-dl6A

 
16 Comentários

Publicado por em janeiro 1, 2012 em Uncategorized

 

16 Respostas para “2012 vai trazer uma nova atitude de Israel contra o Irã?

  1. Proftel

    janeiro 5, 2012 at 1:17 am

    Tempo:

    Não sei se foi o Robertão ou outro Confrade que falou das minhas “previsões” só de olhar nas imagens de satélite mas, de novo, o que disse aconteceu, dêem uma olhada nisso (é cópia do meu primeiro comentário no Post), comparem com a merda que deu de lá prá cá:

    “Proftel

    janeiro 1, 2012 at 11:24 pm

    Não fosse só isso lá, dá medo de ver a imagem de satélite de agora pouco (creio que meia-noite, agora são meia-noite e vinte do “dia dois”.

    Do sul da Bahia ao norte de São Paulo incluindo aí leste até o centro de Minas Gerais o bicho tá pegando, é água a dá com o páu.

    O resto do povo leva água mas, não nessa quantidade.

    Divisa de Goiás (a noroeste) com Mato Grosso do Sul também tá levando uma água de fazer dó.

    :-/

    :-/

     
  2. surfando na jaca

    janeiro 4, 2012 at 11:21 am

    Belezura de artigo, Proftel. Era o que insistia para o Pedroca Doriana comentasse e ele nunca deu um pio sobre o assunto, embora se dedicasse exatamente à política externa. Era um vendido de dez costados. Pronto, vc. ganhou o dia.
    Robertão, esse FDA é um casca grossa, só vem aqui desancar os comentaristas e nem dá bom dia ou deseja boas festas para ninguém. Agora, por vergonha de sua grosseria, quem sabe se tem alguma consciência pesada (la mauvaise conscience dos franceses) e disappear do pedaço. Xingou todo mundo, a prima Nat, vc., a Gwin etc. É um espalha rodinha.

     
    • Proftel

      janeiro 4, 2012 at 7:45 pm

      Surf:

      Ainda bem que você gostou, estava na dúvida, não sabia se você tinha conhecimento desse monte de links que há permeando o texto.

      O que me chamou atenção foram os gráficos e mapas, lembrei que você disse certa vez algo sobre e também agradeceu a fonte do Confrade e o assunto era o mesmo: Bases Militares dos EUA.

      🙂

       
      • surfando na jaca

        janeiro 4, 2012 at 10:32 pm

        Dessa vez foi bem melhor, pois tenho as indicações das fontes. O anterior era legal também, mas da Wikipédia, que já conhecia. Eu já sabia desses dados por outra fonte, de um amigo envolvido com coisas desse tipo e assessoria governamental, mas nunca me forneceu a fonte. Por isso eu ficava chateando o Pedroca Doriana derretida. Mas o artigo é bótimo e com link para a versão em francês. Maneiríssimo! Era vc. lá no Firula? Será que vai dar certo um Facebook com o nome Reginaldo Roberto?

         
  3. Robertão

    janeiro 4, 2012 at 10:59 am

    aliás quando ele apareceu aqui tomou uma traulitada do FDA e nunca mais voltou.

     
  4. Robertão

    janeiro 4, 2012 at 10:55 am

    O Surf, não lembra do Luiz Costa comentarista do PD e do pandorama? o blog dele é este :http://deolhonofato.blogspot.com/

     
  5. surfando na jaca

    janeiro 4, 2012 at 10:03 am

    Robertão, acho que vou mesmo criar o Facebook do Reginaldo Roberto. Nem sei quem é esse Luiz. Mas soube do arrastão em Fortaleza. O primeiro que vou convidar vai ser o Proftel, que anda meio-sorumbático.

     
  6. Robertão

    janeiro 4, 2012 at 9:24 am

    acabou-se a greve da segurança em fortaleza. A coisa ficou feia por lá, conforme nosso amigo Luiz Costa descreveu no Facebook. E o pior é que não saiu nada na midia. o pouco que saiu foi desmentido ou minimizado pelas autoridades. Confio mais na palavra do Luiz.

     
  7. Proftel

    janeiro 3, 2012 at 1:27 pm

    Israel está preparando para desligar os reatores das Usinas Nucleares de Dimona e Nahal Sorek, notícia estava em destaque no Haaretz hoje de manhã, já botaram pra escanteio rapidim. Agora pouco estava em alguns jornais de Portugal e só.

    :-/

     
  8. Brancaleone, Broncão para os chegados...

    janeiro 2, 2012 at 11:11 pm

    O problema é o lucrativo fanatismo religioso-político de alguns povos árabes.
    Se realmente o Irã chegar perto de ter um traquezinho nuclear não se pode negar a Israel o direito de atacá-lo já que é óbvio e ululante que tal artefato será usado contra eles.
    O Irã testou hoje um foguetinho capaz de atingir navios no Estreito de Ormuz – por onde escoa boa parte do petróleo da região – e ameaça usar tal arma contra petroleiros caso as represálias contra seu projeto nuclear aumentem…
    Como pode-se observar, o tal do armedinejade é bem manipulado e bem maluquinho.

    Claro, tem os que acham que “os marvado” do mundo (na opinião deles) bem que merecem ter seu rabos explodidos nuclearmente mas deve-se admitir que os alucinados líderes muçulmanos do Irã não são santos e muito menos bonzinhos…

    O armedinejade é uma besta. Basta ele propalar pelo mundo que esta desenvolvendo armas nucleares com fins esquerdistas e pronto, a intelectualha esquerdopata vai babar nos ovos dele…

     
    • Proftel

      janeiro 4, 2012 at 8:28 pm

      Compadre Brancaleone:

      Olha, veja bem, reconsidere suas opiniões com o que vou colocar abaixo e, faça uma pesquisa decente sobre o que anda ocorrendo internamente em Israel, verá que tudo que você coloca pejorativamente sobre muçulmanos radicais também ocorre DENTRO de Israel, se bobear por lá também logo logo começarão a se matar.

      De boa,

      “O Estado Haredi
      O Estado Haredi é um estado de bem-estar que faria os escandinavos com ciúmes. A maioria dos habitantes são suportados por pensões e salários, e são quase que completamente isento de imposto de renda e impostos municipais.

      Por Aner Shalev

      Você sempre sonhou em viver para ver o estabelecimento de dois Estados para dois povos? O sonho há muito tempo já se realidade. Fantasiado sobre um estado de bem-estar? Não procure mais, está aqui. Demonstrada para habitação a preços acessíveis? Eis, agora é realidade. Lutando por um país não drenadas por enormes orçamentos de segurança? Você já conseguiu. Exigiu classes com poucos alunos, um dia de escola de comprimento, e ensino superior gratuito? Todos esses sonhos se tornaram realidade no Estado Haredi, vivendo em paz ao lado do Estado de Israel.

      O Estado Haredi é um estado de bem-estar que faria os escandinavos com ciúmes. A maioria dos habitantes são suportados por pensões e salários, e são quase que completamente isento de imposto de renda e impostos municipais.

      O Estado inicia projetos habitacionais enormes que são disponibilizados ao público por preços acessíveis. O sistema de ensino do Estado Haredi tem muitas vantagens em comparação com seus paralelos nos países vizinhos: menos alunos por turma, e os alunos que não são necessários mais estudos para suar ou núcleo de estudos práticos, permitindo-lhes calmamente se concentrar em questões espirituais.

      Felizmente, o Estado Haredi não tem exército e necessidades nenhuma, graças ao tratado de defesa com o seu vizinho mais próximo. Sim, é difícil ser uma mulher no Estado Haredi, mas não se pode interferir nos assuntos internos de um Estado soberano.

      Ultimamente, várias brigas de fronteira ocorreram entre Israel eo Estado Haredi, eventos que incluía cuspir, xingar e humilhar os cidadãos israelenses. Ainda assim, como primeiro-ministro de Israel, e muitos dos especialistas explicaram, estas foram as ações de grupos dissidentes minúsculos que não representam a maioria dos ultra-ortodoxos, que ansiosamente apoiar o acordo de paz com Israel, e seus benefícios. De acordo com estes especialistas, as vítimas dos grupos dissidentes fanático, tentando cumprir as leis Haredi dentro das fronteiras de Israel, não são as mulheres que foram atacadas, mas sim a população Haredi como um todo, que é completamente inocente.

      Alguns afirmam que os eventos mais recentes fronteira-tronco a partir de inocentes mal-entendidos territorial. Será que a linha de ônibus rodando a partir de Ashdod a Jerusalém, abordado por Tanya, executado em Israel ou Haredi território soberano? 49A e linha, abordado por Doron, o soldado do sexo feminino? E o pavimento em Beit Shemesh, onde 8 anos de idade Naama estava com medo de andar? Poderia ser que Tanya e Naama encroached soberania Haredi surpresa?

      Os acordos fiscais entre os dois estados, que regulamenta o financiamento do Estado Haredi pelos contribuintes israelenses, são rígidas, como são os acordos militares garantindo a proteção do exército israelense eo acordo judicial dando o controlo do Estado sobre Haredi matéria de divórcio matrimônio e enterro. No entanto, a linha de fronteira real entre os novos Estados nunca foi claramente estabelecida. Por isso, é natural que o rápido crescimento da população Haredi causas da linha de fronteira para ser movido a cada tantas vezes, como parte de um lento – a anexação de terras de Israel – e, finalmente, justificável. Este processo de expansão e retiros Haredi israelense só tem um perigo: O Estado Haredi possa vir a perder a mão que o alimenta.

      O ministro do Interior Eli Yishai declarou recentemente com honestidade surpreendente que uma cidade Haredi somente terá nenhuma renda, e uma vez que não irá recolher os impostos locais não podem sobreviver. Sim, é bom sentir-se necessária de vez em quando.

      A questão em torno da exclusão das mulheres pelos ultra-ortodoxos não deve ser reduzida para condenações forte e locais de aplicação da lei, como deseja o governo. Sua oportunidade de realizar um debate franco e honesto sobre dinheiro, poder e isenções distribuídas por todos os governos israelenses ao público Haredi em troca de apoio político, um acordo com um preço elevado para muitos israelenses. Esta foi uma das principais causas da instabilidade social no verão passado.

      Israel deve evitar este debate apenas se deseja cometer suicídio.”

      Fonte * :

      http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://www.haaretz.com/&ei=UZ3GTo2vKovegge1kbBS&sa=X&oi=translate&ct=result&resnum=1&sqi=2&ved=0CDQQ7gEwAA&prev=/search%3Fq%3DHaaretz%26hl%3Dpt-BR%26biw%3D1280%26bih%3D899%26prmd%3Dimvns

      *Instale o Chrome, vá no Google e digite “Haaretz”, a tradução é simultânea, melhor que no Firefox.

       
  9. Jose Mario HRP

    janeiro 2, 2012 at 9:39 am

    Vários meios de comunicação importantes dos EUA a esquerda especulam sobre a possivel preparação dos EUA para uma futura campanha no Irã.
    Falando até em depor os lideres religiosos e instaurando uma “democracia” a la EUA e sobre seu tacão.
    Será?
    Aí, vai estar tudo dominado!
    Como o ” diabo gosta”!
    Bom dia a todos feliz anos novo e saúde!
    Dezembro foi da estafa do trampo a gripe de 10 dias!
    Danou-se!

     
    • surfando na jaca

      janeiro 2, 2012 at 10:28 am

      HRP, como não podia deixar de ser em crises econômicas nos EUA, os candidatos republicanos à presidência começam a explorar a questão do programa nuclear do Irã. O Irã testou mísseis nesse final de ano e chamou atenção para esse fato. Só que os EUA não conseguiriam enfrentar essa guerra sozinhos e a Europa está também na pendura. Sobra Israel para fazer o serviço sujo. Mas Israel sem os EUA não vão entrar nessa. No momento é mais uma especulação para tirar o foco da crise econômica, aproveitada pelos republicanos. Uma guerra contra o Irã será bem mais complicada do que invadir o Iraque.

       
  10. Proftel

    janeiro 1, 2012 at 11:24 pm

    Não fosse só isso lá, dá medo de ver a imagem de satélite de agora pouco (creio que meia-noite, agora são meia-noite e vinte do “dia dois”.

    Do sul da Bahia ao norte de São Paulo incluindo aí leste até o centro de Minas Gerais o bicho tá pegando, é água a dá com o páu.

    O resto do povo leva água mas, não nessa quantidade.

    Divisa de Goiás (a noroeste) com Mato Grosso do Sul também tá levando uma água de fazer dó.

    :-/

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: