RSS

Carta do Zé agricultor

14 fev

Prezado Luis, quanto tempo.

Eu sou o Zé, teu colega de ginásio noturno, que chegava atrasado, porque o transporte escolar do sítio sempre atrasava, lembra né? O Zé do sapato sujo? Tinha professor e colega que nunca entenderam que eu tinha de andar a pé mais de meia légua para pegar o caminhão por isso o sapato sujava.

Se não lembrou ainda eu te ajudo. Lembra do Zé Cochilo… hehehe, era eu.

Quando eu descia do caminhão de volta pra casa, já era onze e meia da noite, e com a caminhada até em casa, quando eu ia dormi já era mais de meia-noite. De madrugada o pai precisava de ajuda pra tirar leite das vacas. Por isso eu só vivia com sono. Do Zé Cochilo você lembra né Luis?

Pois é. Estou pensando em mudar para viver ai na cidade que nem vocês.

Não que seja ruim o sítio, aqui é bom. Muito mato, passarinho, ar puro…

Só que acho que estou estragando muito a tua vida e a de teus amigos ai da cidade.

To vendo todo mundo falar que nós da agricultura familiar estamos destruindo o meio ambiente.

Veja só. O sítio do pai, que agora é meu (não te contei, ele morreu e tive que parar de estudar) fica só a uma hora de distância da cidade. Todos os matutos daqui já têm luz em casa, mas eu continuo sem ter porque não se pode fincar os postes por dentro uma tal de APPA que criaram aqui na vizinhança.

Minha água é de um poço que meu avô cavou há muitos anos, uma maravilha, mas um homem do governo veio aqui e falou que tenho que fazer uma outorga da água e pagar uma taxa de uso, porque a água vai se acabar. Se ele falou deve ser verdade, né Luis?

Pra ajudar com as vacas de leite (o pai se foi, né?) contratei Juca, filho de um vizinho muito pobre aqui do lado. Carteira assinada, salário mínimo, tudo direitinho como o contador mandou.

Ele morava aqui com nós num quarto dos fundos de casa. Comia com a gente, que nem da família.

Mas vieram umas pessoas aqui, do sindicato e da Delegacia do Trabalho, elas falaram que se o Juca fosse tirar leite das vacas às 5 horas tinha que receber hora extra noturna, e que não podia trabalhar nem sábado nem domingo, mas as vacas daqui não sabem os dias da semana ai não param de fazer leite.

Ô, bichos aí da cidade sabem se guiar pelo calendário?

Essas pessoas ainda foram ver o quarto de Juca, e disseram que o beliche tava 2 cm menor do que devia. Nossa! Eu não sei como encumpridar uma cama, só comprando outra né Luis?

O candeeiro eles disseram que não podia acender no quarto, que tem que ser luz elétrica, que eu tenho que ter um gerador pra ter luz boa no quarto do Juca.

Disseram ainda que a comida que a gente fazia e comia juntos tinha que fazer parte do salário dele.

Bom Luis, tive que pedir ao Juca pra voltar pra casa, desempregado, mas muito bem protegido pelos sindicatos, pelo fiscais e pelas leis. Mas eu acho que não deu muito certo.

Semana passada me disseram que ele foi preso na cidade porque botou um chocolate no bolso no supermercado. Levaram ele pra delegacia, bateram nele e não apareceu nem sindicato nem fiscal do trabalho para acudi-lo.

Depois que o Juca saiu, eu e Marina (lembra dela, né? casei) tiramos o leite às 5 e meia, ai eu levo o leite de carroça até a beira da estrada onde o carro da cooperativa pega todo dia, isso se não chover.

Se chover, perco o leite e dou aos porcos, ou melhor, eu dava, hoje eu jogo fora.

Os porcos eu não tenho mais, pois veio outro homem e disse que a distância do chiqueiro para o riacho não podia ser só 20 metros. Disse que eu tinha que derrubar tudo e só fazer chiqueiro depois dos 30 metros de distância do rio, e ainda tinha que fazer umas coisas pra proteger o rio, um tal de digestor. Achei que ele tava certo e disse que ia fazer, mas só que eu sozinho ia demorar uns trinta dia pra fazer, mesmo assim ele ainda me multou, e pra poder pagar eu tive que vender os porcos as madeiras e as telhas do chiqueiro, fiquei só com as vacas.

O promotor disse que desta vez, por esse crime, ele não vai mandar me prender, mas me obrigou a dar 6 cestas básicas pro orfanato da cidade.

Ô Luis, ai quando vocês sujam o rio também pagam multa grande né?

Agora pela água do meu poço eu até posso pagar, mas tô preocupado com a água do rio.

Aqui agora o rio todo deve ser como o rio da capital, todo protegido, com mata ciliar dos dois lados.

As vacas agora não podem chegar no rio pra não sujar, nem fazer erosão.

Tudo vai ficar limpinho como os rios ai da cidade. A pocilga já acabou, as vacas não podem chegar perto.

Só que alguma coisa tá errada, quando vou na capital nem vejo mata ciliar, nem rio limpo.

Só vejo água fedida e lixo boiando pra todo lado. Mas não é o povo da cidade que suja o rio, né Luis? Quem será?

Aqui no mato agora quem sujar tem multa grande, e dá até prisão.

Cortar árvore então, Nossa Senhora!. Tinha uma árvore grande ao lado de casa que murchou e tava morrendo, então resolvi derrubá-la para aproveitar a madeira antes dela cair por cima da casa.

Fui no escritório daqui pedir autorização, como não tinha ninguém, fui no Ibama da capital, preenchi uns papéis e voltei para esperar o fiscal vim fazer um laudo, para ver se depois podia autorizar. Passaram 8 meses e ninguém apareceu pra fazer o tal laudo ai eu vi que o pau ia cair em cima da casa e derrubei. Pronto! No outro dia chegou o fiscal e me multou.

Já recebi uma intimação do Promotor porque virei criminoso reincidente. Primeiro foi os porcos, e agora foi o pau.

Acho que desta vez vou ficar preso.

Tô preocupado Luis, pois no rádio deu que a nova lei vai dá multa de 500 a 20 mil reais por hectare e por dia. Calculei que se eu for multado eu perco o sítio numa semana. Então é melhor vender, e ir morar onde todo mundo cuida da ecologia. Vou para a cidade, ai tem luz, carro, comida, rio limpo.

Olha, não quero fazer nada errado, só falei dessas coisas porque tenho certeza que a lei é pra todos.

Eu vou morar ai com vocês, Luis. Mais fique tranquilo, vou usar o dinheiro da venda do sítio primeiro pra comprar essa tal de geladeira. Aqui no sitio eu tenho que pegar tudo na roça.

Primeiro a gente planta, cultiva, limpa e só depois colhe pra levar pra casa. Ai é bom que vocês e só abrir a geladeira que tem tudo. Nem dá trabalho, nem planta, nem cuida de galinha, nem porco, nem vaca é só abri a geladeira que a comida tá lá, prontinha, fresquinha, sem precisá de nós, os criminosos aqui da roça.

Até mais Luis.

Ah, desculpe Luis, não pude mandar a carta com papel reciclado pois não existe por aqui, mas me aguarde até eu vender o sítio.

(Todos os fatos e situações de multas e exigências são baseados em dados verdadeiros)

A carta acima – tão somente adaptada por Barbosa Melo – foi escrita por Luciano Pizzatto que é engenheiro florestal, especialista em direito sócio ambiental e empresário, diretor de Parques Nacionais e Reservas do IBDF-IBAMA 88-89, detentor do primeiro Prêmio Nacional de Ecologia.

Enviado por José Flávio Abelha

Fonte:

http://redecastorphoto.blogspot.com/2012/02/carta-do-ze-agricultor.html

 
33 Comentários

Publicado por em fevereiro 14, 2012 em Uncategorized

 

33 Respostas para “Carta do Zé agricultor

  1. Jose Mario HRP

    fevereiro 17, 2012 at 9:18 am

    O Vampirão não vai resistir !
    E nós vamos entrar bem!
    http://www.tijolaco.com/serra-e-o-espirito-de-32/

     
  2. Patriarca da Paciência

    fevereiro 17, 2012 at 8:36 am

    Proftel,

    sugiro o open da Ficha Limpa.

    É uma data histórica para o Brasil.

    “O Supremo Tribunal Federal considerou válida a Lei da Ficha Limpa. A norma deixa inelegíveis por oito anos políticos cassados, condenados por órgão colegiado ou que renunciaram para evitar uma punição. A regra vale já nas eleições deste ano. Ela é fruto de iniciativa popular. Foi enviada ao Congresso depois de obter mais de 1,3 milhão de assinaturas de eleitores.”

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/

     
  3. Proftel

    fevereiro 17, 2012 at 1:51 am

    Pessoal, vou dormir, são dez prás três da manhã, acordo seis e vinte.

    Manhã a noite eu vorto.

    🙂

     
  4. Proftel

    fevereiro 16, 2012 at 10:42 pm

    O papo bão por aqui.

    Quero saber de vocês se precisa d’um Open amanhã.

    Sugestões tendo em vista que não vi nada de muito interessante na mídia até agora que justifique homenagem ou artigo decente pra compartilhar.

    Aliás, gostaria de saber se faltou alguém dos Confrades ou Confreiras para fazer “Open”.

    Como já assumi, ando meio que caducando, se me falta a memória várias vezes (talvez por conta do tanto de “senhas” e procedimentos no dia-a-dia do (s) trampo (s)).

    De minha parte a gente continua por aqui sem Open, façamos da bagaça um mas, qualquer sugestão (a primeira) eu mando bala.

    🙂

     
  5. Proftel

    fevereiro 16, 2012 at 10:22 pm

    Alguém aqui é fã de Jornada nas Estrelas?

    Aqui há um episódio inteiro da década de 60, requer boa conexão e máquina “azeitada”:

    http://www.nativawebtv.com/2012/02/jornada-nas-estrelas-episodio-teia-para.html

    🙂

     
  6. Patriarca da Paciência

    fevereiro 16, 2012 at 9:11 pm

    “Outra coisa que pode ter acontecido é “pico” de energia”.

    Caro Proftel,

    foi o que o técnico falou. Meu ténico é ótimo, nada tenho a reclamar. Inclusive eu quis pagar pela visita e ele fez questão de nada cobrar. Ele sempre faz limpeza e manutenççao de seis em seis meses pelas quais cobra normalmente e, por problemas de sistema, etc, cobra pela visita, sempre a preços compatíveis. É uma ótima pessoa.

    Brigadão pelas informações.

     
    • Proftel

      fevereiro 16, 2012 at 10:01 pm

      Patriarca da Paciência:

      Olhe, se seu Técnico fez isso, dou PARABÉNS a ele !

      Eu também não cobraria!

      Imprima ou mostre a ele o que escrevi.

      A patroa não quer postar no “Facebosta” porque achou o texto muito grande, ela diz que o pessoal não lê mais que três linhas!

      Putz!

      Onde viemos parar!

      “QI” de formiga (uma formiga tem memória de 10 segundos, vi isso num documentário) ou, neurônios radionizados ?

      🙂

       
    • Proftel

      fevereiro 16, 2012 at 10:04 pm

      Patriarca da Paciência:

      Só mais uma coisa, quando se referir ao cara que faz manutenção dos seus computadores, escreva aqui “Técnico” com letra maiúscula, “técnico” são os picaretas que há por aí.

      Grato!

      Te juro, pelo jeito cê tem um cara bão de serviço.

      🙂

       
  7. Proftel

    fevereiro 16, 2012 at 8:15 pm

    Hoje não é dia de encarar “skór” (os dias são: sextas, sábados, domingos e quartas-feiras).

    Segundas, terças e quintas são para o descanso/regeneração do “figueiredo”.

    A porra do dia foi incomum, estava no trampo da manhã (onde entro às sete) e, nove e quarenta me ligam do trampo da tarde assim: “Bicho, chegaram nove computadores aqui, você precisa conferir….”, virei prô cara e disse: “em vinte minutos tô aí…”.

    O outro Técnico tá “de atestado” acompanhando a mulher que fez uma baita cirurgia na segunda passada. Sobrou pra mim.

    Lá fui eu, em chegando abrir caixa por caixa, conferir número de série e patrimônio da bagaça toda, sem ajuda, foi de lascar.

    Tudo conferido, avisei prô pessoal que a chefe do trampo da manhã não gostou nada da saída, avisei que cumpriria o resto do “horário” e que se desse alguma merda, me ligassem como sempre ou deixassem prá amanhã de manhã (toda sexta inverto o horário dos trampos, fica bom para os dois porque nas sextas há reunião de programação de trabalhos para a semana seguinte num e, no outro fica sem “homem” (vigia) durante a tarde.

    Por conta dessa “troca” de hoje, a chefe do trampo da manhã me pegou pra “pato”. Agora de tarde disse: “-em troca disso você trabalha na quarta-feira de cinzas aqui, vai tá todo mundo viajando, você ficará sozinho tocando a bagaça, atendendo telefone e quem aparecer…. “.

    De pronto liguei no celular do outro Técnico e intimei assim: “Cara! eu sei que tua mulher tá de alta amanhã, você estará em casa, independente do teu “atestado”, se vira, cobre a tarde na quarta lá pra mim poque hoje de manhã aconteceu “isso e aquilo”, quebra esse galho nó cégo… “.

    Ele topou, tudo nos conformes.

    Ah, umas explicações, hoje é 16/02/2012, a mulher do outro Técnico foi “cirurgiada” na segunda-feira dia 13/02, quarta-feira de cinzas é 22/02 (quando há expediente só à tarde e eu estarei onde é o “trampo” da manhã às quartas).

    Trampo da Manhã = Acervo;

    Trampo da Tarde = Procuradoria.

    Tive que ficar pianinho, né?

    :-/

     
  8. Patriarca da Paciência

    fevereiro 16, 2012 at 3:11 pm

    Dias Toffoli, por enquanto, é o único que votou contra a constitucionalidade da lei.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1049691-maioria-do-supremo-decide-pela-validade-da-lei-da-ficha-limpa.shtml.

    Considero um dos poucos erros do presidente Lula a nomeação do Toffoli como ministro do STF.

    Até agora seus votos são todos na contramão.

     
    • Proftel

      fevereiro 16, 2012 at 9:52 pm

      Patriarca da Paciência:

      Uma “Sociedade Secreta” atua desde o Império aqui no Brasil, ainda é mui influente, pode crer.

      Democracia, Rede, por incrível que pareça “Prouni” dentre outros fatores estão tolhendo o poder dos caras, a corja que está lá ainda é forte pacas, enclausurada no maior Estado da Federação (economicamente falando) mas, nos próximos quinze/vinte anos você (ou seus filhos) verá (ão) a coisa mudar.

      Pobre é nacionalista por natureza porquanto a única coisa que tem é onde pisa, quando se lhe dá instrução por mínima que seja, esse sentimento aflora de tal jeito que não há como parar.

      Tenho cá comigo que no Império a coisa era estruturada pacas, com a Proclamação da República não haviam tantos para suprir cargos, alianças políticas começaram a ser feitas e muitos que não eram da Sociedade começaram a entrar na coisa. Por um tempo funcionou com influência dos pais mas, netos que eram muitos continuaram na dualidade política/jurídica, a coisa se esgotou na constituição última.

      Necessidade há de suprir cargos e a elite não apresentava mais candidatos, a solução foi abrir a guarda e, daí, entrou muita gente “não elite” com gana (é só sacar o que fazia a Polícia Federal antes e, hoje – antigamente se entrava por nomeação, passaram para concurso com exigência de segundo grau, hoje em dia se o cara não tiver faculdade não entra, nem presta concurso).

      Ainda há muitos “nós” administrativos, tenho fé que em no máximo 15 anos a coisa arranca.

      Tenho mais fé ainda que minha querida Terra Natal ressurgirá como Fênix pelo voto, sem outro “1932”.

      Tenho fé.

      🙂

       
  9. Patriarca da Paciência

    fevereiro 16, 2012 at 1:59 pm

    Por falar nisso, tenho ouvido um zum zum zum de que os jovens capitalistas brasileiros estão se inspirando no Eike Batista.

    Ou seja, são empresários que não tem vergonha de ser ricos, de desfrutar das benesses da riqueza, de ganhar dinheiro etc. mas que também são nacionalistas, pagam seus impostos, tem responsabilidade social, procuram dar uma vida digna aos seus empregados etc.

    Este é, na minha opinião, a única maneira de uma “partido de direita” ter sucesso no Brasil.

    A velha direita sangue-suga de não pagar impostos, de falir para não pagar bancos, de explorar ao máximo os empregados, de parasita do Estado está morrendo de inanição.

     
    • Proftel

      fevereiro 16, 2012 at 8:43 pm

      Patriarca da Paciência:

      Deveriam se inspirar no Barão de Mauá, no Monteiro Lobato quiçá Antonio Ermírio de Morais.

      Tenho cá algumas lembranças de “Roda Viva” do Antonio Ermírio de Morais e outras das aulas de O.S.P.B. na infância.

      🙂

       
  10. Patriarca da Paciência

    fevereiro 16, 2012 at 1:52 pm

    O Brasil é hoje o maior produtor de carne bovina, carne de frango, soja, café, sempre foi faz muitas décadas e deve ser o maior exportador de produtos agrícucolas do mundo e ainda tem gente que diz que agricultor brasileiro não planta nada!

    Caramba!

    É enxergar uma formiga e não enxergar um elefante.

     
    • Proftel

      fevereiro 17, 2012 at 1:40 am

      Patriarca da Paciência:

      Acrescente “putas e travestis”, cacau de boa qualidade, frutas (como abacate, uva, figo, laranja dentre outros) aos bens exportados.

      Patriarca, deixem que pensem assim, é bão passado prô futuro dos nossos filhos.

      O Brasil não tem infraestrutura para suprir o planeta e creio que isso é uma puta vantagem, o que produzimos é de consumo interno no que tange à comida (pode crer, há muita gente passando fome lá fora), o “grosso” nós exportamos, o que necessitamos é produzido localmente, não importamos “comida” (tá certo, um pouco de trigo da Argentina mas, dá pra fazer pão de mandioca ou milho ou, ainda, soja).

      Os gringos tentaram tirar leite do páu aqui e se lascaram na “fordolândia”, tentaram tirar madeira industrial e um outro milionário levou tora no rabo depois de trazer do Japão uma usina de tratamento de madeira, no meio disso os caras construíram “Parnamirim Field” que era, na década de 1940, a maior base aérea estadunidense em território estrangeiro e inventaram algumas modas por lá mas, estão lá hoje?

      Não né? kkk

      Até japoneses se lascaram no Vale do Ribeira, havia uma companhia de colonização chamada KKKK (Kaigai Kogyo Kabushiki Kaisha), compraram terras, ganharam terras, veio a guerra e um monte de japas sifu (maiores informações aqui:

      http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.bb3205c597b9e36c3664eb10e2308ca0/?vgnextoid=91b6ffbae7ac1210VgnVCM1000002e03c80aRCRD&Id=f4031aa56faac010VgnVCM2000000301a8c0____

      Patriarca, as asneiras que citei acima são reais, puxei da lembrança. Servem apenas para provar que gringo que chega aqui “peitudo” se fode.

      Vou de dar um exemplo mui próximo, um cunhado meu trabalha nessa firma a 24 anos, ela foi construída por um grupo alemão, ficaram aqui cinco anos, uns catarinenses compraram a bagaça a troco de nada, meu cunhado tinha 16 anos na época e hoje é um dos melhores vendedores da fábrica de isolantes térmicos do Brasil.

      Não venham dizer sobre controle acionário que não rola, Know-how é o que manda na maioria das indústrias geridas por “nacionais”, uns caraminguás pagos em ações de bloco com um contador esperto dão jeito.

      O que pega é a busca por matéria prima, não dá pra meter farofa de mandioca em remédio nem meter gasolina pra fazer isolante muito menos queimar pneus pra fazer gás!

      Em caso de crise como contas bancárias bloqueadas como no Irã, a Petrobrás supiria a matéria prima básica (tudo é feito de petróleo) e, a água salgada (soda cáustica) se arruma em Cubatão. Se ela não for de mesma qualidade, há engenheiros para dar um jeito na coisa.

      Basicamente os produtos do dia-a-dia são feitos com petróleo e soda cáustica, há outra classe, a dos cimentos que são com outros minerais, o alumínio e o ferro que passam por outras cadeias de arrecadação/assimilação/produção.

      O Brasil tem TODAS, repito: TODAS as matérias primas. Quer urânio? Vá a Peruíbe ou Ponta Grossa, quer diamantes? Vá a Bahia ou Minas, quer Ouro? Vá à Amazônia. Quer minério de ferro? Vá a Minas Gerais… e por aí vai…

      O dia que acabarem de transferir o “Eneias” (Nióbio) de Minas e Goiás para os EUA, a gente arranca uns bugres da Amazônia e mete os ferros nos 90 % do que restou no mundo de Nióbio lá, daí, espero, nossos filhos exportem em chapas, não em minério cru como fazemos hoje!

      Quem sabe também exportaremos água engarrafada a troco de petróleo para Oriente Médio né?

      hehe.

       
  11. Patriarca da Paciência

    fevereiro 16, 2012 at 1:38 pm

    Proftel,

    Meu computador “fez greve” por três dias, por isso andei sumido.

    Você que é do ramo, veja o que aconteceu e me dê alguma idéia.

    Terça-feira liguei o computador cedo, tudo normal. Lá pelas nove horas, minha esposa peguntou se eu tinha desligado e disse que não.

    Ela tentou ligar, eu tentei ligar nada.

    Apertei todo aquele amontoado de conexões para ver se havia algum mal contato, nada.

    Chamei o técnico que só pode vir hoje. Chegou, simplesmente ligou e estava tudo funcionando normalmente.

    Fiquei até sem jeito.

     
    • Proftel

      fevereiro 16, 2012 at 7:13 pm

      Patriarca da Paciência:

      Nesses tempos de energia fraca e muita umidade no ar podem ser duas coisas se o computador não estiver entupido de poeira e sobreaquecendo, vou te dar um exemplo, o computador da patroa que fica na sala com três máquinas de costura eu tenho que, a cada seis meses, tirar a tampa lateral, levar num posto de gasolina ou na borracharia e “bater um ar” pra limpar, se não for isso:

      1 – Memória com mau contato (se o equipamento liga e não “abre”), é só tirar o (s) pentes de memória, passar uma borracha daquelas brancas do MEC e passar um pincel para tirar o que ficou. Os contatos devem ficar com “cor de ouro”, se ficarem com “cor de cobre velho” estão oxidadas.

      2 – Fonte de energia já “baleando” ou “indo prô saco”, esquenta demais e algum componente sobrecarrega, deixa o fluxo de energia inconstante, a bagaça desliga sozinha.

      Os procedimentos básicos de detecção são esses (e pode crer que muito “técnico” inventa coisa e ganha “placa-mãe” “de grátis” enganando leigos.

      Verifique primeiro a situação interna da máquina, ele pode ter desligado automaticamente por conta de superaquecimento (a maioria dos setup vem configurados para desligar tudo automaticamente quando o processador chega nos 85º C).

      Outra coisa que pode ter acontecido é “pico” de energia ou ainda, sua máquina não estar com aterramento (a maioria do pessoal não liga pra isso mas é de suma importância), sem aterramento uma máquina pode magnetizar demais, apresenta um comportamento estranho pacas, geralmente a gente desconecta tudo que há, deixa só o gabinete e aperta o “power” várias vezes pra “descarregar” a energia cinética, deixa uns dez minutos, religa todos os cabos e mete os ferros, se funcionar tá bão.

      Se você mora em apartamento já te digo que acima do quinto andar, problemas com desktops/energia cinética são comuns.

      Você não encontrará esse texto em nenhum lugar da Rede, é experiência de Técnico velho que mexe com computadores desde a década de 80.

      Espero que lhe tenha dado umas dicas, pode imprimir, divulgar pra quem quiser, conhecimento não se guarda, se divulga.

      Bração aí.

      🙂

       
  12. Jose Mario HRP

    fevereiro 16, 2012 at 11:42 am

    Hoje lá na minha querida Santos está sendo inaugurado o novo e grande e moderno prédio da UNIFESP baixada santista, com a presença de pessoas que contribuiram para a chegada da primeira universidade pública federal em minha cidade……
    Mariangela Duarte, Fernando Haddad, e PRESIDENTE LULA o meu Muito Obrigado!
    Precisamos eleger o Lula para termos uma verdadeira universidade na cidade de Jose Bonifácio!
    EITA CABRA SAFADO ESSE NORDESTINO IGNORANTE !!!!!!!!!!!!!
    Fazendo e espalhando saber e conhecimento por todo o país!
    Dia 16 de fevereiro de 2012!

     
    • Proftel

      fevereiro 16, 2012 at 8:51 pm

      HRP:

      Te juro que tô com inveja, como vicentino “calunga” (e você sabe que na Baixada Vicentino tem essa alcunha), creio que até o Martim Afonso de Souza tá se remoendo no túmulo.

      Bem poderiam desapropriar aquele ridículo Campo de Golfe perto da casa da minha mãe pra construir essa Universidade ou, aquela bosta de “Jockey” em São Vicente para tal fim.

      Justifico minha indignação por conta de São Vicente ter sido fundada em 1532, Santos, sua “terra” veio depois véio !

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs :- )))))))))))))))))))))))))))))

       
  13. BRANCALEONE

    fevereiro 16, 2012 at 8:40 am

    Proftel…
    Falando em imposto de renda…
    Faz uns 8 anos que meu CPF tá “cassado”. Não existo fiscalmente.
    Dá uma trabalheira danada com banco, cadastros, etc. mas no fim compensa.
    Já pago muitos impostos embutidos na gasolina, cigarros, feijão, arroz, caviar, champagne, iptu, ipva etc. etc. etc. – Não vejo motivo para pagar mais nada.
    Se depender de mim, o leão não engorda…

     
    • Jose Mario HRP

      fevereiro 16, 2012 at 11:06 am

      Sensacional!
      Desobediencia civil pura!
      Estou pensando em depois dos filhos estarem formados em fazer assim!
      Será que vou ter coragem?
      Depois tem a parceira que provavelmente vai discordar e mandar ver no meu ouvido!
      Bom dia colegas!

       
    • Proftel

      fevereiro 16, 2012 at 7:28 pm

      Compadre Brancaleone:

      Não tenho esse privilégio, infelizmente.

      Quando passei no segundo Concurso, não sabia que quem tem “dois trampos” é obrigado a declarar Imposto de Renda, mifu!

      Chegou uma carta dizendo que meus percebimentos seriam bloqueados por falta de não declarar.

      Resumindo, paguei uma multa de na época 160 e poucos contos e tive que declarar a bagaça.

      O interessante é que as duas fontes de renda juntas, durante um ano, não chegava, como é que dá prá explicar… ; Hoje em dia, quem ganha abaixo de 24.000 num ano não precisa declarar né? Intão, na época eu, juntando os dois, não chegava nesse “teto” – da época – nem a páu (não lembro bem mas, creio que o “teto” era 16.000 e eu tinha percebido o ano inteiro uns 12/13.000).

      Infelizmente não dá pra ser “desobediente civil” – como bem colocou o Patriarca da Paciência – com dois trampos no funcionalismo público!

      🙂

       
  14. Proftel

    fevereiro 15, 2012 at 8:02 pm

    Pessoal, dei uma sapeada lá no Firula, a pauleira continua a mesma, é como briga de trânsito.

    Vocês não imaginam quão sou grato a Ele por ter levado um tiro na barriga e mudado para Goiás!

    Entendo bem nuances e a verborragia naquelas caixas de comentário aqui, vendo a coisa de longe – nasci em São Vicente-SP, morei….. – vocês já conhecem a história toda e, nunca mais quero voltar pra tão estressado Estado (e) “estado de espírito”.

    Se me desculpe o HRP, isso não é vida.

    🙂

     
    • Proftel

      fevereiro 15, 2012 at 8:31 pm

      Em Sampa se encontrasse dois empregos concursados, um a quatro minutos a pé de minha casa, outro a 1.600 metros (que por preguiça vou de ônibus pagando R$ 2,20 a passagem) de minha casa (que é um sobrado com três quartos (a suíte da Duda, meu escritório e o quarto meu e da patroa em cima, na parte de baixo uma sala enorme onde ficam as máquinas de costura da patroa, uma saleta onde a Duda faz tarefa da escola, outra saleta onde há uma bancada de trabalho para Desktop, um lavabo (com “cagadoiro”), uma cozinha do tamanho da sala mais, lavanderia e outro quartinho “de bagunça”), encontraria uma casa assim aí em Sampa por R$ 556,00 por mês?

      Certamente não.

      Por aqui a gente ganha pouco, mora melhor, o custo de vida é relativamente baixo, estressa menos.

      Fora que a conexão de internet é de 15 Mega pagando R$ 149,00 ao mês com “trocentos” pulsos “de grátis” pra local com bloqueio para ligação a celular e interurbano.

      Conta de energia em média R$ 140,00, conta de água em média R$ 80,00.

      De IPTU nessa casa paguei no último ano R$ 118,00 de “lixo”, R$ 235,60 de “área” mais R$ 63,72 de “garagem”. Aárea do terreno 182 m2, área edificada 108 m2.

      De comida a patroa faz uma “compra de mês” com o básico que dá uns 400 contos (a maioria produtos de limpeza/higiene pessoal/café/arroz/feijão/açúcar/macarrão/sal/etc. e, o resto a gente compra no dia-a-dia.

      Ela tira a graninha dela durante a semana como costureira e eu tiro a minha consertando computadores.

      É uma vida espartana e feliz. Nunca tive isso em Sampa.

      🙂

       
      • Proftel

        fevereiro 15, 2012 at 8:39 pm

        Ah, poderia viver melhor se não tivesse um empréstimo de “130” mais um de “85”, a pensão alimentícia que tá por volta de “500” por mês mais o fato de não poder descontar a patroa do Imposto de Renda (o pai dela usa o CPF dela na firma) e a Duda não ser minha dependente; Só por conta disso foram dez parcelas de “78 contos” de Imposto de Renda ano passado.

        Bom, a gente vai levando, a gente vai levando… :

        🙂

         
    • Jose Mario HRP

      fevereiro 16, 2012 at 11:08 am

      Tá certo Alex!
      Isso aqui está f……
      Eu moro no mato , mas quem não mora vive em stress!
      Fico pensando no que vão fazer com meu sitio depois que eu me for!

       
      • Proftel

        fevereiro 16, 2012 at 7:52 pm

        HRP:

        Provavelmente virará “Condomínio Fechado” se a área for grande.

        Quando meu pai se aposentou e tinha um restinho de saúde física (mental nem tanto mas, dava prô gasto, pelo menos entendia as coisas e não ficava perguntando como estavam as coisas em “Catalão” – d’onde já tinha mudado a dois anos – , minha mãe questionou o que deveria fazer com meu pai dentro de casa daí pra frente.

        Eu disse a ela: Vendam o Casarão de Iguape (que na época tinha comprador), vendam umas duas casas (sobraria uma pá de coisas rendendo), tirem passaportes, caiam numa agência de Turismo e dêem as caras, visitem Áustria, Polônia (de onde minha mãe e pai são originários de ascendência), uma passadinha nas Pirâmides do Egito, de lá uma conexão em Dubai e, de lá, prá Austrália, dê uma passadinha, na volta, em Portugal e me tragam um bacalhau e 200 ml de azeite de oliva.

        Ela foi?

        Não!

        Ficou apegada àquele enorme elefante branco que é o casarão de Iguape que hoje tá “tombando” de tanto que o Condephaat “tombou” (na época a oferta era de 400.000 contos na bagaça – hoje tá lá que os vizinhos temem aquelas paredes de 1,5 m caírem em cima deles, uma lástima.

        Bicho, te juro, se apegar a bens materiais no fim da vida “pra deixar prôs filhos” é o fim da picada, daqui você não leva porra nenhuma.

        Acho que meus filhos puxaram a mim, o Renan (o mais novo) disse assim: “pai, se algum dia você comprar uma casa, bota no nome da Duda”. O mais velho o Hernani me disse num particular: “pai, um dia compro uma casa pra você”.

        Essas duas frases ocorreram em momentos e tempos distintos, as duas só eu com um deles.

        Meus garotos também não entendem essa gana de acumular patrimônio, os dois são despojados como eu.

        Se eu morrer amanhã, patroa e Duda não estarão desamparadas, perceberão uma boa grana mensal que dará pra sobreviverem de boa, creio que por isso sou tranquilo pacas (a patroa pode (e deve) casar de novo, dormir no inverno só, depois de véio, é de lascar kkkkkk).

        HRP, é isso que passa na minha cachola quando se fala em patrimônio.

        🙂

         
  15. Proftel

    fevereiro 15, 2012 at 7:35 pm

    HRP:;

    Patriarca da Paciência:

    Provavelmente o Surf está de férias reais ou do computador (pelo menos daqui, não fucei lá no G1 pra conferir, não tive tempo nem saco pra isso).

    De minha parte, anda chovendo pacas por aqui, muitas descargas elétricas e algumas impressoras que ficaram ligadas no trampo foram prô saco – perdemos três das quinze.

    Só não perdemos os Servidores por conta d’uns fusíveis a gás que eu instalei (e comprei do meu bolso) senão, dois servidores “nossos” mais um do outro órgão teriam ido prô saco (um prejú de mais de 120.000 contos se for contar a bagaça como “usada”).

    O outro Técnico está cuidando da patroa que fez cirurgia na segunda passada (tirou um enorme cisto já necrosando do útero – em Brasília) e nem contato por celular consigo com o cara desde sábado.

    Por aqui período de chuva Técnico nenhum de Informática tira férias (até parece quando eu trabalhava no “Meio Ambiente” em Sampa – por conta da Defesa Civil entre Outubro e Abril ninguém tirava férias). Saí d’uma área e caí na outra sem “paraquedas, em salto livrinho da silva kkkk”

    🙂

     
  16. Brancaleone, Broncão para os chegados...

    fevereiro 15, 2012 at 1:54 pm

    Este Zé é uma besta.
    No lugar dele teria ido ao Banco do Brasil, pego uns 500 mil pra plantar alguma coisa – não plantava b… nenhuma, comprava um baita picapão bem caro depois ficava esperando os dePUTAdos aprovarem alguma lei de anistia de dívida ou então entrava com uma ação e conseguia o “direito” de pagar os 500 mil em digamos uns 50 anos, com carência de 10 anos e juros de 0,005…
    Fazem assim lá pras bandas do Mato Grosso.
    “Fazenda” lá é só pra pegar financiamento.
    Tenho um amigo por lá que é gerente agricola do BB (tava pescando nas terras dele).
    Ele contou que boa parte dos “agricultores” fazem isso, no BB sabem que eles fazem isso sempre e não dá em nada…
    Tem fazenda com cinco penhoras em cima e o sujeito ainda conseguiu mais uma linha de crédito para 2012.
    Advogado por lá enrica fácil brigando com bancos.
    Conheci um sujeito que nunca plantou nada. A maior área plantada dele é a floreira do apartamento em Cuiabá e com uns documentos frios comprou um tratorzão dos bem caros, com jurinhos de marido para amante (menores que de pai pra filho…) – Trocou o tratorzão por um destes carros muito caros só que pagando uma prestaçãozinha de Uno Mille Básico…

    Que inveja!!!
    Não critiquei ninguem!!! Permaneço firme na minha decisão de não criticar ninguem que faz aquilo que eu faria se estivesse no lugar dele!!!

     
    • Proftel

      fevereiro 15, 2012 at 6:10 pm

      Putz!

      !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

       
  17. Patriarca da Paciência

    fevereiro 14, 2012 at 10:59 am

    Proftel,

    bem dentro do clima:

     
    • Proftel

      fevereiro 15, 2012 at 6:06 pm

      Patriarca da Paciência:

      Se me desculpe só responder hoje (quarta-feira 15/02/2010).

      Só coloquei esse Post por conta d’um amigo que mostrou no note dele e fiquei entusiasmado com a “trama”, no próprio note do cara postei a bagaça.

      De fato, sua lembrança foi “na lata”!

      Grato!

      🙂

       
      • Proftel

        fevereiro 15, 2012 at 7:47 pm

        Ops!

        (quarta-feira 15/02/2010) = (quarta-feira 15/02/2012)!

        hehe!

        Tô ficando ruim de teclado (talvez meio gagá) kkkkkkkkkkkkk..

        Bração aí.

        🙂

         

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: