RSS

EXÉRCITO AGILIZA OBRAS NO PAÍS (E AS EMPREITEIRAS SE QUEIXAM)

23 fev

“A eficiência e a rapidez do Exército na execução de obras de construção e reforma pelo país estão incomodando as empreiteiras, que se queixam de “concorrência desleal” por parte da corporação.

O presidente da “Câmara Brasileira da Indústria da Construção” (CBIC), Paulo Safady Simão, reclamou esta semana da participação do Exército Brasileiro em obras desenvolvidas pelo governo federal. “O setor da construção civil não vê com bons olhos a atuação do Exército em obras como duplicação de estradas e construção de aeroportos. Não há necessidade de os militares assumirem obras desse tipo”, disse.

O Exército é hoje a maior empreiteira do país”, reclama também João Alberto Ribeiro, presidente da “Associação Nacional das Empresas de Obras Rodoviárias”. Segundo ele, poucas construtoras no país têm hoje uma carteira de projetos como a executada pelos batalhões do Exército. No PAC, há 2.989 quilômetros de rodovias federais sob reparos, em construção ou restauração, com gastos previstos em R$ 2 bilhões. Desses, 745 quilômetros – ou R$ 1,8 bilhão– estão a cargo da corporação. “Isso equivale a 16% do orçamento do “Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes” neste ano”, disse.

O general Jorge Ernesto Pinto Fraxe, da “Diretoria de Obras de Cooperação” (DOC), do “Departamento de Engenharia e Construção” do Exército (DEC), rebateu as declarações dos representantes das empreiteiras e afirmou que “a atuação dos militares só ocorre quando é bom para o país e para a instituição”. O general declarou que “algumas das obras assumidas pelos militares eram consideradas prioritárias e estavam tendo problemas para serem tocadas pela iniciativa privada”. “A gente não pleiteia obras. Elas são oferecidas e aceitamos quando elas são importantes para o desenvolvimento do país e para nosso treinamento”, destacou. No auge das obras, 12 mil soldados atuaram na construção civil para o governo.

Ele lembra, por exemplo, que havia uma briga no consórcio vencedor da licitação para a duplicação da BR-101 e que as empresas fugiam do início das obras da transposição do São Francisco. A alegação para o retardamento do início das obras era que o canteiro ficava no polígono da maconha. O general conta que o Exército fez um trabalho social na área e que dois hospitais chegaram ser montados na região, para atendimento à população.

Em função de “dificuldades” desse tipo, apresentadas pelas empresas privadas, uma parte expressiva das obras do “Programa de Aceleração do Crescimento” (PAC) estão sendo conduzidas pelos militares. Graças a convênios com o governo federal, os militares receberam R$ 2 bilhões nos últimos três anos para executar duplicações de estradas, construção de aeroportos, preparar novos gasodutos e iniciar a transposição do Rio São Francisco. No total seriam 80 obras.

A transposição do São Francisco é o caso mais emblemático. Enquanto os trechos que ficaram sob a responsabilidade do Exército estão quase prontos, a parte que cabe às empresas privadas está atrasada ou paralisada.

Tanto assim que, em recente visita aos canteiros da obra, a presidenta Dilma cobrou melhor desempenho e agilidade. Em Floresta (PE), onde a presidenta esteve, o percentual de execução não passa de 13%. Em outros lugares chega só a 16%. Nos trechos feitos pelo Exército, a obra avançou 3 vezes mais que os das empreiteiras no Eixo Norte (80% está concluída) e 5 vezes mais no Eixo Leste. Por sua vez, as empresas privadas estão pedindo mais dinheiro para continuar as obras.

As empresas privadas, algumas delas organizadas em cartéis, depois de retardarem obras importantes para o país, de exigirem reajustes absurdos nos preços, criticam quando o Exército é acionado para garantir as obras prioritárias. Elas alegam uma suposta “concorrência desleal’. Segundo os empreiteiros, a participação expressiva dos militares “inibe o investimento e impede a geração de empregos”.

Para o general Fraxe, “as obras ajudam a formar um contingente de 2.000 a 2.500 rapazes que passam pelo serviço militar obrigatório e que voltam para a sociedade com um ofício, quando são utilizados pela Engenharia dos militares”. Ele diz que também são geradas novas tecnologias: “No fim do ano passado, fizemos um boletim técnico que cedemos à “Associação Brasileira de Pavimentação” sobre novas técnicas na construção de pistas de concreto, que ficaram com qualidade das alemãs”, informou.

Ele diz que o assédio aos cerca de 600 engenheiros do Exército prova que a qualidade do trabalho é reconhecida. Entretanto, ele diz que não há debandada generalizada. Ele minimiza o medo das construtoras. “O Exército não é um construtor. Quem pensa que vamos concorrer com as empresas está equivocado. Só atuamos para treinar nosso pessoal”, disse o general, que afirma que contrata empresas privadas para a construção de pontes e viadutos.

Os militares também fizeram obras para estatais – como as clareiras na selva para a construção do gasoduto Coari-Manaus, e para outros níveis de governo, como a atual construção do “Caminho da Neve”, estrada que Santa Catarina quer abrir para unir Gramado (RS) a São Joaquim (SC), favorecendo o turismo de inverno.

Estima-se que, ao serem concluídas, as obras entregues ao Exército terão custo até 20% menor para os cofres públicos. “A corporação não pode lucrar com os serviços que presta”. Como emprega os próprios oficiais e soldados, já remunerados pelo soldo, o custo da mão de obra deixa de ser componente do preço final da empreitada.

Por tudo isso, o Exército está desempenhando papel fundamental na infraestrutura necessária para o Brasil sediar a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.”

Fonte:

http://www.outroladodanoticia.com.br/inicial/30389-exercito-agiliza-obras-no-pais-e-as-empreiteiras-se-queixam.html

 
15 Comentários

Publicado por em fevereiro 23, 2012 em Uncategorized

 

15 Respostas para “EXÉRCITO AGILIZA OBRAS NO PAÍS (E AS EMPREITEIRAS SE QUEIXAM)

  1. O sem nick!

    março 3, 2012 at 10:27 pm

    O terreno do Pinheirinho é propriedade particular e foi invadido.Quando da invasão,patrocinada e incentivada por políticos de esquerda,dando apoio,fornecendo materias e levando infraestrutura pro local em troca de votos,não estavam patrocinando uma violência com prazo de validade?A reintegração foi determinada pela justiça,a rebelião de novo incentivada por políticos e militantes infiltratos de esquerda,não é um ato de violência?O falatório sobre a PM e governo de SP é puramente ideológico.Polícia com rarissimas exceções,se houver,é polícia em qualquer lugar do mundo,o pau come.E,engraçado,como os abusos cometidos pelo governo,ou,seus aliados, são ignorados,vejam;
    http://espn.estadao.com.br/historiasdoesporte/noticia/211293_VIDEOS+DESAPROPRIACOES+NO+RIO+PARA+COPA+E+JOGOS+2016+IGNORAM+LEI+E+CIDADAOS
    Se o PT oportunista como sempre,vai usar o Pinheirinho na campanha,nada impede que a roubalheira da copa e olimpíadas,bem como seus abusos também sejam usados.Ou não?

     
  2. Patriarca da Paciência

    fevereiro 24, 2012 at 9:41 am

    E a tucanalha que agora anda se borrando de medo que o PT use o massacre do Pinheirinho na campanha política.

    Pois eu acho que o PT não só tem todo o direito de usar tal barbaridade na campanha política, como deve explorar ao máximo que puder.

    Os caras fazem a cagada e agora ficam se fingindo de bonzinhos!

    Seis mil pessoas escurraçadas de suas casas, tendo suas casas demolidas, não tendo para onde ir e agora ninguém deve saber disso?

    A sociedade tem todo o direito de saber o que está acontecendo e quem são os responsáveis.

    O PSDB que assuma suas truculências e desumanidades !

     
    • Jose Mario HRP

      fevereiro 24, 2012 at 10:02 am

      Bom, o Pinheirinho talvez seja a obra prima de uma politica praticada costumeiramente pelo estado em São Paulo.
      É um jogo bruto que soma juizes , deputados e o poder executivo no uso da violencia quando se encontra resistencia civil.
      Um caso muito sério de desrespeito diário, sem limites ou constrangimento em violar os direitos humanos, as leis, e com tocda a certeza a Constituição.
      É o PSDB na mais fina essência.

       
      • Jose Mario HRP

        fevereiro 24, 2012 at 10:04 am

        Maaaaaaas por causa da Copa , o PT tem feito vistas grossa em varios estados a outras desocupações meio que violentas ou ilegais.

         
  3. Patriarca da Paciência

    fevereiro 24, 2012 at 2:33 am

    É um ótimo exemplo da “eficiência” da iniciativa privada.

    Para quem diz que “funcionário público” não trabalha eis aí uma resposta muito eloquente.

    E as empreiteiras ainda tem o disparate de se defenderem “ideologicamente”, ou seja, de que os exército não “tem o direito” de realizar obras que são exclusividade da iniciativa privada.

    Agora, quem outorgou esse direito divino aos empeiteiros, de serem os exclusivos executores de determinadas obras?

    Por que os empreiteiros não “concorrem” lealmente com o exército?

    Eis aí bons motivos para os brasileiros refletirem.

     
  4. Proftel

    fevereiro 23, 2012 at 11:26 pm

    O pior de tudo é perder um note com processador Intel 2.1 Gz com 1Mega de cash L2 rodando a 533 Mgz, dois gigas e meio RAM. A tela do bicho é daquelas que da (dava) pra assistir na praia debaixo do meio-dia que todo mundo enxergava, alguns produtores de filmes ou Técnicos chamam de “tela furtiva”.
    Não vou discorrer aqui sobre tipos de telas de note ou desktop porque prefiro a tecnologia norte-americana que à japonesa no que tange, é questão pessoal.
    Dependendo do Acer que eu escolher pra patroa, será meu, podem crer kkkkkkk.

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs :- )))))))))))))))))))))

     
  5. Proftel

    fevereiro 23, 2012 at 11:11 pm

    Pronto!

    Bem no estilo da coisa, todo Post vira Open.

    Tá bão patroa, vou caçar um Desknote pra você amanhã, no máximo no sábado.

    Sem equipamento você não viaja nem a páu.

    🙂

     
    • Tia

      fevereiro 23, 2012 at 11:14 pm

      Boa marido. Assim eu viajo. Beijos!!

       
  6. Proftel

    fevereiro 23, 2012 at 8:15 pm

    Hoje o dia está puxado.

    Não consigo acessar o Hotmail pra ler meus e-mails mas entro no Messenger de boa – hoje é 23/02/2012 – 21:06h fuso de Brasília).

    Só me faltava essa pra detonar o dia.

    Ontem, sabido que é hoje a patroa tem o dia dela e não comemora resolvi desmontar o notebook (dela) pra trocar o cabo flat do monitor, desmontei o bicho inteiro.

    Fui na loja d’um colega meu e ele me arrumou um cabo flat novo, me garantiu que funcionaria. Cheguei em casa mais cedo pra montar o bicho. Montei e nada (da primeira vez que liguei não deu vídeo, desliguei e conectei meu monitor na bagaça, liguei de novo e nada…. só o cooler e o led do power funcionavam, o processador esquentava e coisa e talz.

    Desmontei a bagaça inteira de novo pra ver se não era problema de mau contato – o tar “Marco”, “marco’ntato”.

    Dessa vez nem o cooler rodou, fodeu tudo.

    Sete da noite tava entregando o notebook na mão do cara que me vendeu o cabo flet pra que ele desse um jeito na bagaça.

    A patroa viaja terça-feira pra Natal com minha irmã e a Duda, não vai ficar sem máquina nessa viagem (minha irmã tem dois notes caríssimos, já avisou que não irá levar, o meu não leva porque é mais caro que os dois da minha irmã).

    Talvez a saída seja comprar um desknote desses baratinhos pra ela levar.

    Tô tentando curar a puta dor-de-cabeça que me deu esse note com umas skór, só de raiva.

    :-/

     
    • Tia

      fevereiro 23, 2012 at 10:04 pm

      Vai marido compra um desknote, vai… É bem mais levinho pra carregar e vai caber na minha bolsa. Hehehe

       
      • Colafina

        fevereiro 23, 2012 at 10:32 pm

        E vai ter que aumentar o grau dos óculos prá ler as letriiiiinhas na teliiiiinha! Se é que vc os usa, claro. 🙂

         
        • Proftel

          fevereiro 23, 2012 at 10:54 pm

          Colafina:

          Quem precisa de lente pra perto sou eu, a patroa é costureira e enfia linha em agulha como ninguém.

          Não deixa de ser uma vantagem, ela enxerga de perto e eu de longe (será que é por isso que a gente não vai tanto na praia?) kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

          De qualquer forma, num desknote como num notebook, quando você não está enxergando direito a coisa é só dar “Ctrl +”.

          hehe.

           
          • Tia

            fevereiro 23, 2012 at 11:05 pm

            Colafina, eu usei óculos desde os vinte três anos pra miopia e “estigmatismo”. Hoje depois de “meio dia pra tarde”, os óculos de longe me atrapalham a ver de perto. Pra perto não preciso de óculos. Leio, escrevo e enfio agulhas muito bem de perto. De longe… Continua sendo aquela negação. kkkk

             
    • Colafina

      fevereiro 23, 2012 at 10:30 pm

      Eu conheço por “Osmar”. “Os mar” contato!

       
  7. Proftel

    fevereiro 23, 2012 at 7:59 pm

    Todo mundo sabe que as empreiteiras são um antro de corrupores.

    Talvez com know-how do Exército se consiga botar ordem na casa.

    Imaginem por exemplo um Batalhão do Exército (claro, os caras da Engenharia, Batalhões de Engenharia) monitorando o serviço d’uma Hidroelétrica, uma Companhia monitorando por exemplo a construção d’uma ponte…. .

    Alguém aí já deve ter ouvido que fiscais do TCU monitoram obras?

    Só quando liberam diárias.

    Cansei de buscar “corpos de prova” no laboratório que fiscalizava o material utilizado na primeira pista da Imigrantes com caminhão do Exército, sei do que tô falando, construímos um belo muro na época (HRP deve conhecer o pedaço lá em São Vicente).

    hehe.

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: