RSS

JUSTIÇA DOS pODEROSOS

03 maio
CASO 1 –

“No dia 7 de junho de 2011 o Superior Tribunal de Justiça decidiu anular toda a Operação Satiagraha, que resultou na condenação por corrupção da quadrilha do banqueiro Daniel Dantas, dono o grupo Opportunity, a 10 anos de prisão. O STJ concluiu que foi ilegal a participação de integrantes da Agência Nacional de Inteligência – Abin, nas investigações. Um alívio para Daniel Dantas e para o jornalista Leonardo Attuch.

Attuch, repórter da Revista Isto É Dinheiro, da Editora Três, foi flagrado trabalhando em benefício da quadrilha de Dantas e Naji Nahas que saqueava os cofres públicos. O “jornalista” usava a Revista para publicar matérias encomendadas pelo banqueiro, muitas delas redigidas por outras mãos e assumidas por Attuch. O “repórter” era pago pelo Caixa 2 comandado por Humberto Braz, homem da Construtora Andrade Gutierrez, a serviço do apelidado por FHC, “gênio do mal” Roberto Figueiredo do Amaral. ”

(http://quidnovi.com.br/novo/mino/detalhe.asp?c=403)

CASO 2 –

A diretoria-geral do Senado exonerou, a pedido, a enteada do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), que tinha cargo de confiança no gabinete do senador Demóstenes Torres (GO).
Conforme revelou a Folha no dia 25 de março, Ketlin Feitosa Ramos ocupava desde setembro o cargo de assessora parlamentar de Demóstenes no Senado, posto de confiança e livre nomeação.
A enteada do ministro do STF é servidora de carreira do Ministério Público Federal, nível médio, e foi cedida para ser funcionária comissionada do gabinete do senador.
O ato de exoneração — publicado no dia 2 de abril no Diário Oficial da União — tem data de 30 de março. No dia 27, o Procurador-Geral da República pediu ao STF a abertura de inquérito para investigar o envolvimento do senador Demóstenes Torres com o grupo do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, acusado de explorar jogo ilegal.
Por ter foro privilegiado, o senador só pode ser julgado pelos ministros do STF. Seus advogados, aliás, prometem recorrer ao Supremo nos próximos dias para pedir a anulação das provas colhidas contra Demóstenes na Operação Monte Carlo, que investigou a atuação de Carlinhos Cachoeira. Pressionado, ele pediu a desfiliação do seu partido, o DEM, e sofre ameaça de cassação de mandato.
O senador e assessoria do ministro negaram qualquer conflito de interesse na nomeação de Ketlin Feitosa em setembro do ano passado.
“O fato de ser parente de uma figura importante da República não deve ser levado em conta para o ingresso de alguém no serviço público, não deve ser também motivo de impedimento”, disse Demóstenes quando a Folha mostrou o caso. Segundo ele, a relação pessoal que tem com Gilmar não influenciou no emprego à enteada.

(http://murilopohl.wordpress.com/2012/04/08/senado-exonera-enteada-de-gilmar-dantas-de-gabinete-de-demostenes-cachoeira/)

CASO 3 –

Em 1º de julho de 2009, a Polícia Federal concluiu o inquérito do grampo sem áudio. Depois de dez meses de investigação, os delegados William Morad e Rômulo Berredo não encontraram qualquer registro gravado de uma conversa entre o ex-presidente do Supremo, ministro Gilmar Mendes, e o senador Demostenes Torres, do DEM de Goiás. Ninguém apresentou fita, CD ou dragão para comprovar o suposto grampo de uma conversa inócua.

Não foram encontrados indícios de que a Abin ou a PF estivessem ouvindo os telefonemas do presidente do STF – ao contrário do que alardeou a revista Veja em agosto de 2008, com ampla repercussão na imprensa, no Congresso e na Corte Suprema. Não se incriminou a Abin, como queriam a revista, o senador e o ministro, nem se chegou às origens da farsa, seus autores e suas motivações.

As investigações da operação Monte Carlo e suas predecessoras na Polícia Federal, agora de conhecimento público, trazem novos elementos para iluminar aquele episódio. O mais importante desses fatos novos é a revelação de que o bicheiro Carlinhos Cacheira detinha informantes bem posicionados na Polícia Federal, incluindo os delegados (hoje presos) Deuselino Valadares dos Santos e Fernando Byron, além dos arapongas “autônomos” Idalino Matias, o Dadá, e Jairo Martins, ambos associados à sucursal da revista Veja em Brasília.

(http://advivo.com.br/blog/luisnassif/fatos-exigem-a-reabertura-do-inquerito-do-grampo-sem-audio?page=2)

—————————————

E agora amigo?

O STF é o único órgão capaz de punir os deputados e senadores. No entanto, um de seus membros – Gilmar Mendes – tem um contrato de sua faculdade para prestar serviços de 999 anos, é 999 anos para o Congresso.

Esse mesmo membro do STF libera um ficha suja – Demóstenes Torres – para tomar posse no Senado alegando não usar a Lei Ficha Suja porque não tinha passado o tempo legal de um ano, necessário para a aplicação da lei. Outros membros do STF já tinham dado seu parecer favorável a não permitir a posse de Demóstenes Torres.

Esse mesmo membro do STF – Gilmar Mendes tem uma enteada trabalhando no gabinete do senado do senador ficha suja Demóstenes Torres.

A proximidade e intimidade do senhor Gilmar Mendes com o ficha suja, sócio do Sr Cachoeira, enlameia ainda mais o STF, a República e a nós cidadãos brasileiros.

O STF permitir a presença deste senhor na mais alta corte do país indica que o STF consente em que o Brasil não seja uma república, que seja apenas uma nau de piratas, desclassificados e assassinos seriais.

Assassinos seriais sim, porque o dinheiro das maracutaias não pagam impostos e na maioria dos casos é superfaturamento (DELTA), dinheiro roubado do povo que deveriam salvar milhares de cidadãos brasileiros que morrem nas portas dos hospitais que vivem á míngua de médicos, medicamentos e equipamentos.

A jUSTIÇA brasileira é falida sim, onde as provas de um processo são consideradas criminosas e o criminoso um pobre inocente.

——————————–

Abração mano,

Fred

 
13 Comentários

Publicado por em maio 3, 2012 em Uncategorized

 

13 Respostas para “JUSTIÇA DOS pODEROSOS

  1. Proftel

    maio 4, 2012 at 11:51 pm

    Vocês não sabem o alívio de ter acabado com aquela coisa.

    O troço vicia e se trata de espaço onde você não tem espaço, vive entubado com as coisas correndo. Você clica em “curtir”, escreve um tijolo de idéia, dali doze horas ninguém mais leu e dá uma puta frustração pelo tempo gasto no teclado (fora o tanto de neurônios utilizados).

    Dessa feita suicidei a bagaça por conta de não conseguir tirar uma propaganda d’uma série de TV sugerida pelo Robertão.

    Juro prôceis que a “manezada” não foi dele, foi do imbecil aqui que lhes escreve que topou ir até o fim pensando que iria achar uma palha da porra da série de TV.

    Fiquei puto, acabei com a terceira bagaça sem dó (ainda tenho o suricati, se alguém quizer eu mando por e-mail) kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

    🙂

     
  2. Proftel

    maio 4, 2012 at 8:16 pm

    Nesses poucos dias de Facebook estou aqui matutando a diferença que há entre escrever num Blog e escrever no Facebook.

    São mídias completamente distintas.

    Num Blog (tanto faz você ser o titular ou comentarista) você está como numa fazenda, dá para enxergar longe onde está a vaca e onde está a onça, onde está a horta e a porteira. É um ambiente mais relaxado onde, se você dá uma paulada ou tiro é só cavar um buraco e enterrar que “nem urubu acha”.

    O infeliz interlocutor, ele “some”.

    As vezes por raiva, outras por vergonha mesmo (a maioria são “sheep” como dizem os gringos).

    No Facebook a coisa é diferente pacas, parece uma estação de metrô. O cara entra naquela balburdia com cheiro de sovaco e todo mundo apressado, as coisas acontecem rapidamente, você só tem tempo de visualizar aquela gostosa e seguir catraca adentro até chegar no vagão pensando na próxima encochada.

    Daí aparece um marmanjo na sua frente e você precisa esperar a próxima composição (e nesse ínterim procurar outra para a próxima composição).

    A coisa toda é um estresse danado por conta de muitas variáveis (quem está aqui e ali, se está frio, quente, onde está o infeliz que quer sua carteira, o vento da próxima composição, se há ou não bilhete para o dia seguinte, se o bilhete usado hoje servirá no buzum etc.).

    Até agora estou aqui pensando nessa analogia sobre.

    Dificilmente alguém concluirá a diferença entre Blog (uma fazenda) e Facebook (um trem de metrô – ou de subúrbio como era o Orkut) mas, essa é por enquanto minha percepção.

    Talvez no futuro alguém tenha a ideia de comparar o Facebook com um projétil e a próxima mídia com um míssil e, daqui uns cem anos o míssil com uma nave espacial mas, até lá já estarei noutra vida repetindo esse mesmo comentário só que com nome diferente, carcaça diferente numa outra época.

    🙂

     
    • Proftel.

      maio 4, 2012 at 11:31 pm

      Acabei de “Faccidar” a terceira conta, agora tem mais jeito não.

      Quando fui expulso do Seminário em Araraquara por volta de 1974 o Irmão Sávio escreveu na carta ao meu pai que eu não conseguia viver em comunidade, o Irmão estava certinho.

      Bom, servi bem na Tropa depois disso, talvez não tenha sangue de ovelha.

      hehe.

       
  3. Patriarca da Paciência

    maio 4, 2012 at 5:30 pm

    Uma vez José Serra, sermpre José Serra.

    Começou a campanha eleitoral de Serra, como sempre, apelando para o que há de pior em termos de política:

    “Manifestantes católicos contrários ao aborto iniciaram nesta quarta-feira (21) a redistribuição de um panfleto elaborado nas eleições de 2010 recomendando que os brasileiros “deem seu voto somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalização do aborto”. O folheto também faz críticas ao PT e à então candidata Dilma Rousseff. ”

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/1065083-catolicos-antiaborto-voltam-a-distribuir-panfleto-contra-pt-em-sp.shtml

     
    • Proftel

      maio 4, 2012 at 8:05 pm

      Patriarca da Paciência:

      O cara tá lascado, deixa começar a merda garrar que o “Privataria Tucana” fará aqueles caras tomarem vergonha.

      🙂

       
  4. Patriarca da Paciência

    maio 4, 2012 at 3:27 am

    E aí, Proftel,

    o Fred reapareceu?

    Espero que ele esteja um pouco mais alividado da difícil fase que passou.

    Seja bem vindo ao convívio dos confrades, caro Fred.

     
    • Proftel

      maio 4, 2012 at 5:26 am

      Patriarca da Paciência:

      O Fred não desapareceu, foi ele quem criou a página, não sei porque ele não postou, ele tem a senha, ele me mandou por e-mail o texto.

      O Fred teve um entrevero onde eu não o defendi porque não cri na argumentação dele e ele se absteve por conta própria de passar por aqui.

      Não me sinto culpado de jeito nenhum, essa página foi feita a quatro mãos com princípios, se ele me manda por e-mail uma sugestão de Post aqui está, é uma bagaça aberta a qualquer Confrade, Confreira ou indicado.

      🙂

       
  5. Patriarca da Paciência

    maio 4, 2012 at 3:15 am

    Proftel,

    há um comentário de Jorge Furtado, em 11/04/2012, sobre o texto, que é muito esclarecedor:

    Uma obra prima este trecho do depoimento do ministro Nelson Jobim à CPI dos Grampos, um perfeito exemplar de falácia argumentativa.

    O SR. NELSON JOBIM – Veja, deputado, há um dado importante: tanto o Ministro Gilmar Mendes quanto o senador Demóstenes confirmam o diálogo.

    O DEPUTADO LAERTE BESSA – Confirmam.

    O SR. NELSON JOBIM – Logo, o diálogo houve. Se o diálogo houve, e confirmado pelos próprios integrantes, houve a gravação. E, se houve a gravação, a gravação foi ilícita.

    O DEPUTADO LAERTE BESSA – Foi ilícita.

    O SR. NELSON JOBIM – Então, não há que se discutir mais ter havido isso.

    Não é uma maravilha? Por partes:

    O SR. NELSON JOBIM – Veja, deputado, há um dado importante: tanto o Ministro Gilmar Mendes quanto o senador Demóstenes confirmam o diálogo.

    O DEPUTADO LAERTE BESSA – Confirmam.

    O SR. NELSON JOBIM – Logo, o diálogo houve.

    Falso. Eles podem estar mentindo. Um deles. Ou os dois.

    O SR. NELSON JOBIM – Se o diálogo houve, e confirmado pelos próprios integrantes, houve a gravação.

    Premissa falsa, como já demonstrado, e conclusão também falsa. Se mentiam, um deles pode ter anotado a conversa enquanto falava, ou reproduzido a conversa de memória. É possível que não haja gravação nenhuma, portanto.

    O SR. NELSON JOBIM – E, se houve a gravação, a gravação foi ilícita.

    O DEPUTADO LAERTE BESSA – Foi ilícita.

    Falso. Se um dos mentirosos – se mentiram – estivesse gravando sua própria conversa, a gravação não é ilícita, qualquer um pode gravar suas próprias conversas telefônicas e nem precisa dizer ao interlocutor que está fazendo isso. É uma sacanagem, talvez, mas não é crime. Pode não haver, portanto, ilicitude alguma na gravação, se é que houve a gravação.

    O SR. NELSON JOBIM – Então, não há que se discutir mais ter havido isso.

    Como? “Não há que se discutir ter havido isso?” Desculpe, mas há sim, há muito que se discutir ter havido isso.

    Cadê o áudio? Quem gravou? Alguém gravou? Quem ouviu?

    “Num país em que o presidente do Supremo Tribunal Federal se vê objeto de escutas telefônicas clandestinas, não há dúvida de que o direito à privacidade, garantia fundamental num regime democrático, encontra-se ameaçado.” Abertura do editorial da Folha de São Paulo, 12/09/08.

    A pergunta agora é: quem, afinal, ameaçou o regime democrático? A revista? O senador? O ministro? Um deles? Dois deles? Os três?

    http://www.casacinepoa.com.br/o-blog/jorge-furtado/veja-deputado

    .

    Média:
    Select ratingCancelarNota 1Nota 2Nota 3Nota 4Nota 5

     
    • Proftel

      maio 4, 2012 at 5:34 am

      Patriarca da Paciência:

      Esses dias estava de madrugada zapeando na parabólica e vi um discurso mais ou menos parecido mas, sobre a coisa do sigilo do cachoeira (aliás, Pirenópolis e Corumbá por aqui ninguém mais vai, “… tem muita cachoeira…” kkkkkkkkkkkkkk.).
      Os caras estavam discutindo se valia sigilo uma vez que já estava tudo nas mãos da Imprensa e da Rede, não sei se você viu isso… .
      De minha parte, a descoberta é página virada, vamos agora ver o páu quebrar (principalmente o governador de Goiás, é a torcida dos professores (não vinculados ao “SINTREGO”).

      🙂

       
      • Patriarca da Paciência

        maio 4, 2012 at 6:49 pm

        Proftel,

        o “negócio” aqui é que o “Nerson” Jobim “comprovou” uma acusação por simples afirmação.

        Ele simplesmente aceitou como prova a palavra do senador Demóstenes Torres.

        E o homem era ministro da defesa!

        Realmente lamentável!

         
  6. BRANCALEONE

    maio 3, 2012 at 9:29 pm

    Justiça não!!! Leis!!! só leis.

    Aliás, acabam de sacramentar que determinadas carteiras de salas de aula de universidades sejam reservadas aos negros, mais ou menos como faziam os ianques quando reservavam os bancos dos fundos do ônibus para negros.

    Neste pais a segregação é lei. Não é justiça, mas é lei!!

    Dureza mesmo foi aguentar os argumentos dos juízes segregacionistas!!! Cada cretinice!!!

     
    • Proftel

      maio 4, 2012 at 5:38 am

      Compadre Brancaleone:

      Hoje ouvi um velhinho injuriado quando fui comprar cigarro, o cara falando que precisou de Lei pra aumentar o preço do cigarro, disse que nunca viu isso na vida em 70 anos!

      Olha, como usuário também fiquei injuriado, não dou uma bituca pra ninguém na rua.

      Sustentar meu vício custa caro pacas.

      hehe.

       
  7. Proftel

    maio 3, 2012 at 6:32 pm

    Como sempre, texto sugerido é texto postado!

    🙂

    Bração aí Fred!

    🙂

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: