RSS

Open do “alinhamento galáctico de 20/05/2012”

19 maio

Muita gente aguardando pra ver o que pode acontecer… .

🙂

 
23 Comentários

Publicado por em maio 19, 2012 em Uncategorized

 

23 Respostas para “Open do “alinhamento galáctico de 20/05/2012”

  1. Jose Mario HRP

    maio 29, 2012 at 9:50 am

    Um baita ato falho do tiozinho!
    No blog do Mello!

     
  2. Jose Mario HRP

    maio 29, 2012 at 8:02 am

    Em 55 anos de vida vi muita coisa , mas acho que verei pela primeira vez um ministro do Supremo ser deposto por calunia e difamação!
    Fala o que quiserm as se tiver provas.
    Da boca do Gilmar e bunda de nene sempre sai a mesma coisa.

     
  3. Jose Mario HRP

    maio 29, 2012 at 7:04 am

    Do Correio do Brasil:
    Agrava-se o ambiente de suspeição quanto às ligações do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes e seu ex-amigo Demóstenes Torres, senador de Goiás, ex-líder do DEM hoje no centro da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga os atos da quadrilha de Carlos Augusto Ramos, o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Escutas telefônicas interceptadas pela Polícia Federal (PF), com autorização da Justiça, durante a Operação Monte Carlo, reveladas nesta segunda-feira, questionam se o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, “pegou carona” em um jatinho fornecido por Cachoeira, no dia 25 de abril de 2011, quando teria retornado da Alemanha ao Brasil, na companhia do senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO).
    Uma ligação interceptada pela PF no dia 18/4/2011, às 18:08 horas, mostra Carlinhos Cachoeira informando ao ex-funcionário da Delta e ex-vereador pelo PSDB, Wladimir Garcez, também preso durante a Operação Monte Carlo, que Demóstenes estava em Berlim. Em nova ligação, no dia 23/4/2011, às 19:31 horas, Wladimir pede autorização à Cachoeira para buscar o “Professor” (um dos codinomes de Demóstenes, segundo a PF), em São Paulo, no jatinho de alguém chamado Ataíde. Diz que está ele e Gilmar. Na degravação, a PF questiona entre parênteses (“?Mendes?”).
    Mais tarde, às 20:24 horas, Wladimir liga novamente para Cachoeira dizendo que não conseguiu falar com Ataíde e que mandaria o avião de Rossini. Cachoeira pegunta qual é o avião de Rossini e Wladimir responde: um jatinho King Air.
    Cachoeira: ‘um pequeno, né?’
    Wladimir: é… aí eu peguei falei com ele. Ele falou não, não preocupa que eu organizo. Porque tá vindo ele e o GILMAR, né? Porque não vai achar vôo, sabe?
    Cachoeira se despede falando que ligaria para Demóstenes em Berlim.
    Às 20:38 horas, Cachoeira liga novamente para Wladimir. Tratam de outros assuntos. Depois, voltam a discutir a “carona”. Wladimir diz que Demóstenes chegará às seis da manhã do dia 25/4 e que deixará tudo organizado para o piloto ir buscá-lo.
    No dia 25/4, às 12:10 horas, Wladimir diz à Cachoeira que o senador já chegou.
    Gilmar Mendes foi à Europa participar de um congresso internacional em homenagem ao jurista italiano Antônio D’Atena, promovido pelo Fundação Peter Häberle e pela Universidade de Granada, da Espanha. O congresso foi aberto no dia 13/4/2011, mas a participação de Mendes se deu na manhã do dia seguinte, com a palestra “A integração na América Latina, a partir do exemplo do Mercosul”.
    Não há registro públicos do que Mendes teria feito no restante do tempo em que permaneceu fora do Brasil. À revista Veja, ele teria dito que se encontrou com Demóstenes em Berlim, na Alemanha. Ainda segundo a Veja, o ministro teria uma filha residente em Berlim e, por isso, frequentaria a cidade com regularidade.
    Não há registros públicos de quais atividades Demóstenes teria ido desenvolver na Europa, mas levantamento feito por Carta Maior demonstra que ele não participou das votações realizadas no plenário do Senado entre 13 e 25/4/2011.
    Em nota oficial, Lula manifesta indignação

     
  4. Jose Mario HRP

    maio 28, 2012 at 7:40 pm

    Gilmar mentiu?
    Tudo indica, mas se mentiu tem que ser posto fora do STF!
    IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

     
  5. Jose Mario HRP

    maio 28, 2012 at 6:20 am


    Olha nosso ministro aí!

     
  6. Jose Mario HRP

    maio 26, 2012 at 8:39 am

     
  7. Proftel

    maio 25, 2012 at 1:36 pm

    Meu Pai está num excelente Hospital (Ana Costa) em Santos.
    De antiontem para ontem fiquei lá com meu filho mais velho durante a noite, minha mãe durante o dia.
    Essa noite ficou minha irmã, agora de manhã eu e meu mais velho, agora de tarde minha mãe e, de hoje pra amanhã ficarei com meu mais novo.

    A coisa está feia, muito feia.

    É questão de dias e horas, infelizmente.

    Dou graças a Deus por, mesmo morando longe, ter bons chefes em Goiás que me liberaram nessa hora de dor e tristeza.

    :-/

     
    • Nina Rosa

      maio 25, 2012 at 4:43 pm

      Proftel,

      perdi minha mãe dia 30/04 próximo passado. Foi tudo muito triste, por isso sei o que estás passando. Podes crer, estou solidária no teu sofrimento.
      Fique com Deus!

       
    • Colafina

      maio 26, 2012 at 12:18 am

      Força, Proftel!

       
    • Jose Mario HRP

      maio 26, 2012 at 8:22 am

      Só não esqueça uma coisa:
      Quando voce precisou ele estava do teu lado, e quando ele precisou voce estava do lado dele…….
      O resto é vida !

       
  8. Jose Mario HRP

    maio 25, 2012 at 7:01 am

    Santos sempre Santos!

     
  9. Patriarca da Paciência

    maio 23, 2012 at 7:13 am

    Uma opinião perfeita sobre meio ambiente e questões ecológicas:

    Mauro Santayana

    A Presidente da República, segundo as informações da imprensa, deverá vetar, em parte, o novo Código Florestal, aprovado pelo Congresso Nacional. Deixando de lado as questões técnicas, que reclamam a opinião dos especialistas, a decisão se relaciona a uma das mais cruciais questões de nossa tempo: até quando poderemos sobreviver com o atual modelo de sociedade industrial, baseado no consumo exacerbado de energia e de outros recursos naturais?
    Dentro de duas semanas fará 40 anos que se reuniu (de 5 a 16 de junho de 1972) , em Estocolmo, a Primeira Conferência das Nações Unidas sobre o Homem e o Meio Ambiente. Acompanhei, para este Jornal do Brasil, os trabalhos da reunião, recordo que a principal questão continua em aberto, até os nossos dias, e é de natureza política. Alguns especialistas concluíram que era necessário interromper o crescimento industrial, a fim de preservar o ambiente natural e, assim, manter a vida na Terra.
    A tese dos países industriais, retomando as conclusões do Clube de Roma, era a do crescimento zero, a partir de então. Ora, se esse projeto fosse adotado pelo mundo, os paises ricos continuariam ricos, e os paises pobres se manteriam na miséria.
    A melhor intervenção – confirmada em uma entrevista coletiva a que pude assistir – foi a da Senhora Indira Gandhi, primeira-ministra da Índia. Ela disse, com lucidez e coragem, que se o mundo queria sobreviver, não seria mantendo em situação infra-humana as populações dos paises subdesenvolvidos, mas, sim, reduzindo o consumo de energia (nele incluídas as calorias dos alimentos) dos povos ricos.
    Como demonstrou, com informações estatísticas, os norte-americanos consumiam, per capita, quase duzentas vezes mais do que os africanos, dezenas de vezes mais do que os indianos e tantas vezes mais do que os habitantes de regiões mais atrasadas da América Latina.
    O impasse levou a Conferência de Estocolmo ao malogro, mas provocou novos debates, sobre que providências políticas poderiam ser tomadas, a fim de desatar esse nó górdio. As nações menos desenvolvidas não concordavam, e continuam não concordando, com toda a razão, a sacrificar os seus povos, privando-os do desenvolvimento e de padrões de consumo e de saúde obtidos pela tecnologia, em favor da sobrevivência privilegiada dos ricos.
    Os ricos, com seu poder econômico e militar, não admitem reduzir o padrão de bem-estar, baseado no consumo exagerado de energia. Uma saída desonrada foi a do neoliberalismo, com a chamada globalização da economia. O objetivo foi o de construir uma “governança mundial”, não fundada na discussão e decisão de todos os povos, mediante as Nações Unidas, mas, sim, no poderio militar e econômico dos maiores paises do mundo, cujos governos são controlados pelas grandes corporações industriais e financeiras internacionais. Como efeito colateral do neoliberalismo e do governo mundial, bilhões de pessoas permaneceram excluídas da sociedade econômica, e centenas de milhões de outras a elas se somaram, expulsas da vida que conhecemos.
    Alguns cientistas argumentam que, para estender a todos os homens os padrões de conforto e consumo dos países ricos, dentro de poucos anos serão necessários os recursos de dois planetas e meio. Sendo assim, e a menos que a ciência nos ofereça saídas inimagináveis, como usinas de montagem atômica de metais, gases e outras matérias, no volume exigido pelo aumento da população, a vida se extinguirá. Provavelmente na luta brutal pela conquista e exploração dos últimos recursos naturais da Terra, entre eles a água limpa, se algum meteoro não nos conceder rápida eutanásia universal. A outra solução está na busca de outros padrões de vida, baseados na austeridade e na solidariedade, de maneira a substituir o volume das coisas consumidas pela melhor qualidade da existência.
    Já no início dos anos 40, o pensador alemão Friedrich Georg Junger, então companheiro de Marcuse e outros pensadores da Escola de Frankfurt, publicou um dos mais instigantes ensaios do século, Die Perfektion der Technik, para desmontar o mito da tecnologia. Junger demonstra que, no fundo, a técnica se baseia no movimento circular que se limita em si mesmo, apesar da aparência do avanço. A partir do relógio, instrumento tecnológico por excelência, para medir e controlar o tempo, Junger mostra que toda a produção técnica está fechada em círculos, em ciclos repetitivos (as engrenagens, os discos, os motores, as turbinas). E conclui, depois de exaustivo excurso, que a técnica não significa mais produção e, sim, mais consumo; não alivia o trabalho humano, embora possa reduzir o esforço físico, mas, sim o exacerba; não traz mais liberdade e, sim, mais submissão aos opressores capitalistas.
    Conter a destruição do meio-ambiente em nosso país é necessário, daí a administração pelo Estado do avanço da agricultura sobre a cobertura florestal. Mas é preciso, da mesma forma, reduzir a histeria – com o perdão das mulheres – dos ecologistas, grande parte deles, conscientes ou não, agentes dos interesses externos. Os ricos pretendem, por outros meios, conseguir o que desejavam, no Clube de Roma, em Estocolmo e nos demais encontros internacionais (como o que ocorrerá no Rio, também dentro de alguns dias): conservar o seu bem-estar à custa de nossa renúncia ao desenvolvimento, e, ao mesmo tempo, apossar-se do que preservamos de recursos naturais – entre eles nossos minérios raros, nosso petróleo e nossa biodiversidade.
    Uma coisa é certa: a ciência e a tecnologia – quando privadas de ética e da filosofia prática, isto é, daquilo a que chamamos política – não serão capazes de resolver a questão. O problema é político, e só o poder político poderá resolvê-lo.
    No exercício da política, que lhe cabe, a presidente deverá conter a ânsia destruidora do projeto, dentro de sua possibilidade de ação disciplinadora. Outras medidas são esperadas, na exploração racional de nossa natureza, mas pelas nossas próprias razões – não pelo interesse dos outros.

    (blog do PHA)

     
  10. Proftel

    maio 21, 2012 at 6:56 pm

    Pessoal, espero que compreendam o “sumiço” que darei nos próximos dias.
    Meu pai está internado em Santos, o estado dele piorou. Provavelmente quarta-feira estarei em Santos (e só Deus sabe o que acontecerá nos próximos dias).
    É uma situação difícil, podem crer.

     
    • Jose Mario HRP

      maio 21, 2012 at 7:49 pm

      Muita força e energia a seu paizinho, e a Voce amigão!
      Tudo de bom a todos e Deus é mais!

       
      • Proftel

        maio 22, 2012 at 9:33 pm

        HRP:

        Grato.

        Chegarei em Guarulhos 12:50h, de lá há buzum direto pra Santos. Creio que entre três e meia e quatro da tarde estarei no “Ana Costa” (ala “A” – quarto não lembro).

        Que tudo de certo.

         
    • Nina Rosa

      maio 22, 2012 at 10:07 am

      Estimo a melhora de teu pai. Entregue a Deus, já que tudo a Ele pertence e tenha paz no seu coração.
      Abs.

       
      • Proftel

        maio 22, 2012 at 9:28 pm

        Nina:

        Grato.

        Hora difícil essa, você nem imagina como está minha cabeça.

        :-/

         
  11. Jose Mario HRP

    maio 21, 2012 at 9:58 am

     
  12. Jose Mario HRP

    maio 21, 2012 at 6:15 am

    Fala sério, que entrevista a ridicula entrevista da Xuxa!
    Patinou na maionese!

     
  13. Brancaleone, Broncão para os chegados...

    maio 20, 2012 at 7:38 pm

    Os aztecas eram burros. Não previram a chegada dos espanhóis. Achavam que homens montados em cavalos eram um monstro ´so…

     
  14. Proftel

    maio 19, 2012 at 10:32 pm

    Facebook terá mesmo fim do Orkut. Aliás, será mais trágico, infelizmente.

    :-/

     
  15. Proftel

    maio 19, 2012 at 3:49 pm

    Não acredito que o mundo irá acabar mas, passa por grandes transformações, o povo está emburrecendo com maior rapidez.
    Não entendo as ações do Facebook darem tanto ibope quando se já viu outras modas na Rede até maiores (como o Orkut) serem relegadas aos ostracismo, são vários exemplos.
    Há muito que se pensar e prioridades a priorizar.

    :-/

     
  16. Jose Mario HRP

    maio 19, 2012 at 12:18 pm


    Rapaziada olha só que legal!

     

Obrigado pelo seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: