RSS

Sem destino.

Ainda combalido pela passagem do pai, não me sinto à vontade em continuar.

Ele faleceu em 23 de julho, em 15 de outubro faria 80 anos e, esse feriado de finados se me fez lembrar outras coisas.

A vida continua eu sei, Compadre Brancaleone sofreu algum acidente onde pelo jeito perdeu uma vista, HRP deixou uma música mui linda.

Fred lá em Natal fez cirurgia de câncer na próstata.

Todos que aparecem na Rede com quem troco idéia considero como amigos.

Creio que esse espaço voltará a funcionar em breve, deixem que passe outro trauma que é o meu aniversário.

Bração a todos (as):

http://www.youtube.com/watch?v=HVUf9XlDpi8&feature=related

🙂

 
6 Comentários

Publicado por em novembro 4, 2012 em Uncategorized

 

Ordenações Filipinas:

Ordenações Filipinas.

 

Meu pai tinha o “livrão” com capa de couro (segundo ele de carneiro).
“Ordenações Philliphinas” de 1800 e pouco, volta e meia o consultava.
O treco tinha cor de ouro nas letras, as folhas eram grossas e meio ensebadas.
Volta e meia ele me mostrava assim:
– “Olha, você levaria “tantas” nas costas se fizesse isso….”.
Legal, me ensinou pacas.

 

Deixo pra vocês on-line:

http://www1.ci.uc.pt/ihti/proj/filipinas/ordenacoes.htm

 

Divirtam-se.

 

🙂

 
12 Comentários

Publicado por em julho 31, 2012 em Uncategorized

 

Notas de Luto:

Recebi vários e-mails do pessoal que trabalhou com meu pai a saber:

1- Fabio Feldmann

2- Maria Aparecida Rangel

3- OABSV < sao.vicente@oabsp.org.br >

4- João Winther

5- Jarbas Penteado (Macedo de Camargo)

6- Jose Pedro (de oliveira costa)

7- Adriana (Mattoso)

Agradeço a todos mas, gostaria mesmo é de receber e-mails ou confirmação de que meu pai está no pedaço (lá no Céu) do Dom Apparecido José Dias – ex Bispo de Registro), do Padre João XXX (João 30 de Cananéia) e do Arnaldo Paschoalino dentre outros que se foram.

PS* O primeiro e o último não foram “justiçados”, só há um link para o João XXX a saber:

http://nomeiodopovo.blogspot.com.br/

🙂

 
4 Comentários

Publicado por em julho 30, 2012 em Uncategorized

 

Opem do Open:

Deixarei essa página aberta para conversarmos de “quando em quando”.

Funcionará como “valvula de escape” onde qualquer um pode falar o que lhe der na cachola.

A vida se me travou por enquanto.

🙂

 
52 Comentários

Publicado por em junho 17, 2012 em Uncategorized

 

Golpe midiático na Síria?

Países membros da OTAN e do Conselho de Segurança do Golfo (CCG) estão preparando um golpe de Estado e um genocídio sectário na Siria

Dentro de alguns dias, talvez a partir do meio-dia da sexta-feira 15 de junho, os sírios que assistem aos canais nacionais somente captarão em seus televisores outros canais criados pela CIA. Imagens filmadas em estudio mostrarão massacres imputados ao governo, manifestações populares, ministros e generais renunciando, presidente Al-Assad fugiu, os rebeldes reunindo-se no centro das grandes cidades assim como a chegada de um novo governo ao palácio presidencial.

O objetivo dessa operação, dirigida directamente desde Washington por Ben Rhodes, conselheiro adjunto de seguridade nacional dos Estados Unidos, é desmoralizar os sirios e permitir assim um golpe de Estado. A OTAN, após chocar-se com o veto duplo pela Rússia e pela China no Conselho de Seguridade da ONU, alcançaria assim conquistar a Siria sem ter que atacar ilegalmente. Seja qual for a opinião de cada um sobre o que está sucedendo na Siria, o certo á que um golpe de Estado colocaria fim a toda esperança de democratização.

De forma totalmente oficial, a Liga Árabe tem solicitado aos operadores dos satélites Arabsat e Nilesat que ponham fim a retransmissão dos medios sirios, tanto públicos como privados (Syria TV, Al-Ekbariya, Ad-Dounia, Cham TV, etc.). Ja existe um precedente dado que a Liga Árabe impostou anteriormente a censura contra a televisión Líbia para impedir que os dirigentes de la Yamahiria puderam comunicar-se com seu própio povo. No existe na Síria nenhuma rede hertziana em que os canais de televisão se captem exclusivamente vía satélite. Mas este corte no deixará as telas em branco.

Na realidade, esta decisão somente é a parte visível do iceberg. Segundo nossas informações, várias reuniões internacionais tiveram lugar esta semana para coordenar a operação de intoxicação. As duas primeiras reuniões, de natureza técnica, se aconteceu em Doha (Qatar). a terceira, de caráter político, teve lugar em Riad, (Arábia Saudita).

Na primeira reunião participaram os oficiais de guerra psicológica «incrustados» em várias televisões via satélites, como Al-Arabiya, Al-Jazeera, BBC, CNN, Fox, France24, Future TV e MTV – Já é sabido que desde 1998 oficiais da United States Army’s Psychological Operations Unit (PSYOP) tem sido incorporados na redação da CNN, prática que a OTAN extendeu depois a outras estações televisivas de importância estratégica. Estes oficiais elaboraram de antemão uma série de notícias falsas, em função de uma história falsa concebida pela equipe de Ben Rhodes, na Casa Branca. Se estabeleceu um procedimento de validação recíproca no que cada mídia deve citar nas mentiras dos demais para dar-lhes credibilidade aos olhos dos telespectadores. Os participantes decidiram a não limitar-se a requisição unicamente dos canais da CIA para Síria e o Líbano (Barada, Future TV, MTV, Orient News, Syria Chaab, Syria Alghad), mas também uns 40 canais religiosos wahabitas para desatar massacres e exortar a fé sob o lema «¡Los cristianos a Beirut, los alauitas a la tumba!»

Na segunda reunião participaram engenheiros e realizadores encarregados de planificar a fabricação de imagens de ficção, em que se mesclan sequências rodadas em estudios a céu aberto com imagens computadorizadas. Nestas últimas semanas se tem montado, na Arabia Saudita, vários estudios que imitan os dos palácios presidenciais sírios e as principais praças de Damasco, de Alepo e de Homs. Ja existia esse tipo de estudios en Doha, mas eram insuficientes, dada a escala da operação proposta.

Na terceira reunião participaram o general James B. Smith, embaixador dos Estados Unidos; um representante do Reino Unido e o príncipe saudita Bandar Bin Sultan, o mesmo a quem o presidente George Bush (pai) designava como seu filho adotivo, quando a imprensa americana começou a chamá-lo «Bandar Bush». O objetivo desta reunião foi coordenar a ação dos meios de comunicação com a ação do «Ejército Sirio Libre», essencialmente composto por mercenários a mando do príncipe Bandar.

A operação já vinha sendo planejada havia meses, mas o Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos decidiu acelerar depois que o presidente russo Vladimir Putin notificou a Casa Branca de que a Russia iria se opor pela força a todo intento ilegal de intervenção da OTAN contra a Síria.

Esta operação compreende duas etapas simultâneas: por um lado, inundar os meios de comunicação com notícias falsas, e por outro, censurar e bloquear toda possibilidade de resposta.

O fato de proibir as televisões via satélites para desencadear e dirigir uma guerra não é nada novo. Sob a pressão de Israel, Estados Unidos e a União Européia tem proibido sucessivamente canais de televisão libaneses, palestinos, iraques, libios e até iranianos. Nenhum tipo de censura foi imposta em canais por satélite de outras regiões.

A difusão de noticias falsas tampouco é novidade. Quatro avanços significativos na arte de propaganda ter sido dada pela primeira vez durante a última década.

– Em 1994, uma estação de música pop, a Radio Libre de Mille Collines (RTML) deu o sinal que desencadeou o genocídio de Ruanda para encorajar a «¡Matar a las cucarachas!».

– Em 2001, a OTAN utilizou os meios de imprensa para impor uma interpretação dos atentados do 11 de setembro e justificar os ataques contra Afeganistão e Iraque. Já naquela época foi Ben Rhodes o encarregado de redatar, por ordem da administração Bush, Kean Hamilton o informe da Comissão sobre os atentados.

– Em 2002, a CIA utilizou 5 canais (Televen, Globovisión, Meridiano, ValeTV e CMT, para fazer crer que enormes manifestações haviam obrigado o presidente democraticamente eleito da Venezuela, Hugo Chávez, a renunciar a seu cargo, quando na realidade estava sendo vítima de um golpe de Estado militar.

– Em 2011, France desempenhava de fato o papel de ministerio de Información de Consejo Nacional Libio, ao que estava vinculada por contrato. Durante a batalha de Trípoli, a OTAN fez filmar em estudios e difundir através da Al-Jazeera y de Al-Arabiya imagens que mostravam os rebeldes líbios entrando na praça principal da capital quando na realidade se encontravam longe da cidade, de maneira que os habitantes, convencidos de que a guerra estava perdida, cessaram toda resistência.

Os meios de imprensa já não se conformam com apoiar a guerra. Agora eles fazem a guerra.

Este dispositivo viola os princípios básicos do direito internacional, começando com o artigo 19 da Declaração Universal de Direitos Humanos que estipula o direito a «receber informações e opiniões, e o de difundi-las, sem limitação de fronteiras, por qualquer meio de expressão». E o mais importante é que viola as resoluções da Assembéia Geral da ONU, adotadas ao término da Segunda Guerra Mundial para prevenir as guerras. As resoluções 110, 381 e 819 proíbem «os obstáculos ao livre intercâmbio de informações e idéias» (neste caso, o bloqueio dos canais sírios) e «a propaganda tendenciosa a provocar ou estimular qualquer tipo de ameaça contra a paz, de ruptura da paz ou ato de agressão ». Na luz do direito, a propaganda a favor da guerra é um crime contra a paz. É crime ainda mais grave porque torna possíveis crimes de guerra e genocídio.

Leia mais:
 
5 Comentários

Publicado por em junho 14, 2012 em Uncategorized

 

Open do feriadão:

Cadê a Memento?

Cadê a Confetti?

?

 
6 Comentários

Publicado por em junho 7, 2012 em Uncategorized

 

Colapso financeiro: “Mais cedo ou mais tarde”:

por Dr. Paul Craig Roberts

Desde o início da crise financeira e flexibilização quantitativa, a questão tem sido diante de nós: Como pode o Federal Reserve manter a taxa zero de juros para os bancos e as taxas de juros negativas reais para os poupadores e detentores de títulos, quando o governo dos EUA é a adição de US $ 1,5 trilhão a dívida nacional a cada ano através de seus déficits orçamentários? Não muito tempo atrás, o Fed anunciou que vai continuar esta política por mais 2 ou 3 anos. Na verdade, o Fed está bloqueado na política. Sem as taxas de juros artificialmente baixas, o serviço da dívida sobre a dívida nacional seria tão grande que levantaria questões sobre a classificação do Tesouro dos EUA de crédito ea viabilidade do dólar, e os trilhões de dólares em swaps e outros derivados viria descolado.
Em outras palavras, a desregulamentação financeira levando a jogadas de Wall Street, a decisão do governo dos EUA para salvar os bancos e para mantê-los à tona, ea política da Reserva Federal de taxa de juro zero colocaram o futuro econômico de os EUA e sua moeda em um insustentável e posição perigosa. Não será possível continuar a inundar os mercados de títulos, com US $ 1,5 trilhão em novos temas a cada ano quando a taxa de juro das obrigações é inferior à taxa de inflação. Todo mundo que compra um título do Tesouro está comprando um ativo sofrendo depreciação. Além disso, o risco de capital de investir em Treasuries é muito elevado. A baixa taxa de juros significa que o preço pago para o título é muito alto. Um aumento nas taxas de juros, que deve vir mais cedo ou mais tarde, vai cair o preço dos títulos e infligir perdas de capital aos detentores de títulos, nacionais e estrangeiros.
A questão é: quando é cedo ou tarde? O objetivo deste artigo é examinar a questão.
Comecemos por responder à pergunta: como é que uma política tão insustentável conseguiu durar tanto tempo?
Uma série de fatores estão contribuindo para a estabilidade do dólar e do mercado de títulos. Um fator muito importante é a situação na Europa. Há problemas reais lá também, ea imprensa financeira mantém o nosso foco na Grécia, Europa, eo euro. Será que a Grécia sair da União Europeia ou ser expulso? Será que o problema da dívida soberana espalhar para Espanha, Itália, e, essencialmente, em todos os lugares, exceto para a Alemanha e nos Países Baixos? 

Será o fim da UE e ao euro? Essas são questões muito dramáticas que manter o foco fora da situação americana, o que provavelmente é ainda pior.
O mercado de títulos do Tesouro também é ajudado pelo medo dos investidores individuais têm do mercado de capitais, que foi transformado em um cassino por alta freqüência de negociação. 

Alta frequência de negociação é de comércio eletrônico com base em modelos matemáticos que tomam as decisões. As empresas de investimento competem na base da velocidade, capturando ganhos em uma fração de um centavo, e talvez cargos por apenas alguns segundos. Estes não são investidores de longo prazo. Conteúdo com seus ganhos diários, eles fechar todas as posições no final de cada dia.
De alta frequência trades agora respondem por 70-80% de todas as negociações de ações. O resultado é azia importante para os investidores tradicionais, que estão deixando o mercado de capitais. Eles acabam em títulos do Tesouro, porque eles não tem certeza da solvência dos bancos que pagam quase nada para os depósitos, enquanto que de 10 anos do Tesouro vai pagar cerca de 2% nominal, o que significa que, usando o Índice de Preços no Consumidor oficial, que estão a perder uma % do seu capital a cada ano. Usando John Williams ( shadowstats.com ) medida correta da inflação, eles estão perdendo muito mais. Ainda assim, a perda é de cerca de 2 pontos percentuais a menos do que estar em um banco, e ao contrário dos bancos, o Tesouro pode ter o Federal Reserve imprimir o dinheiro para pagar seus títulos. Assim, o investimento vínculo, pelo menos, retorna o valor nominal do investimento, mesmo que seu valor real é muito menor. (Para uma descrição de alta frequência de negociação, ver: http://en.wikipedia.org/wiki/High_frequency_trading )
Os meios de comunicação presstitute financeiros nos diz que vôo de dívida soberana europeia, o euro a partir de condenados, e do desastre imobiliário continua real em títulos do Tesouro dos EUA prevê o financiamento de US $ 1,5 trilhão de Washington déficits anuais. Investidores influenciados pela prensa financeira pode estar a responder desta forma. Outra explicação para a estabilidade da política insustentável do Fed é o conluio entre Washington, o Fed, e Wall Street. Nós vamos estar a olhar para isto como nós progredimos.
Ao contrário do Japão, cuja dívida nacional é o maior de todos, os americanos não possuem sua própria dívida pública. Grande parte da dívida dos EUA é de propriedade no exterior, especialmente por China, Japão e da OPEP, os países exportadores de petróleo. Isto coloca a economia dos EUA em mãos estrangeiras. Se a China, por exemplo, foram encontrar-se indevidamente provocada por Washington, a China poderia despejar até US $ 2 trilhões em dólares norte-americanos dominados ativos nos mercados mundiais. Todos os tipos de preços entraria em colapso, eo Fed teria que criar rapidamente o dinheiro para comprar o dumping chinês em dólar instrumentos financeiros.
Os dólares impressos para comprar as participações de dumping chinês de ativos em dólar dos EUA seria ampliar a oferta de dólares nos mercados de câmbio e reduzir a taxa de câmbio do dólar. O Fed, na falta de moedas estrangeiras para comprar os dólares teriam de apelar para os swaps de divisas para a dívida soberana conturbado da Europa de euros, para a Rússia, rodeada pelo sistema antimísseis dos EUA, por rublos, para o Japão, um país sobre sua cabeça em compromisso americano, por iene, para comprar os dólares com euros, rublos e em ienes.
Estes swaps cambiais seria sobre os livros, e fazendo uso irredimível adicional de swaps tais problemáticas. Em outras palavras, mesmo se o governo dos EUA pode pressionar seus aliados e fantoches para trocar suas moedas mais difíceis para uma moeda dos EUA depreciação, não seria um processo repetitivo. Os componentes do Império Americano não quer estar em dólares mais do que os BRICS.
No entanto, para a China, por exemplo, para despejar seus haveres em dólares de uma só vez seria dispendioso como o valor dos activos em dólares poderia diminuir à medida que eles despejado. A menos que a China enfrenta EUA ataque militar e precisa defang o agressor, a China como um ator econômico racional preferiria sair lentamente do dólar dos EUA. Nem Japão, Europa, nem da OPEP querem destruir a sua própria riqueza acumulada de déficits comerciais da América pelos dólares de dumping, mas as indicações são de que todos eles desejam sair do seus haveres em dólares.
Ao contrário do financeiro dos EUA imprensa, os estrangeiros que possuem ativos em dólar olhar para o orçamento anual dos EUA e do défice comercial, olhar para a economia afundando EUA, olhar para apostas descobertas de Wall Street de jogo, olhar para os planos de guerra do hegemon delirante e concluem: ” Eu tenho que cuidadosamente sair dessa. “
Bancos norte-americanos também têm um forte interesse em preservar o status quo. Eles são detentores de títulos do Tesouro dos Estados Unidos e os titulares potencialmente ainda maiores.Eles podem tomar emprestado do Federal Reserve a zero as taxas de juros e comprar Treasuries de 10 anos em 2%, ganhando assim um lucro nominal de 2% para compensar perdas com derivativos.Os bancos podem emprestar dólares do Fed, grátis e aproveitá-los em operações com derivativos.Como Nomi Prins coloca, os bancos norte-americanos não querem operar contra si e sua fonte livre de financiamento através da venda de seus haveres em títulos. Além disso, em caso de vôo estrangeiros de dólares, o Fed poderia aumentar a demanda externa por dólares, exigindo que os bancos estrangeiros que queiram operar em os EUA a aumentar seus valores de reserva, os quais são baseados dólar.
Eu poderia continuar, mas eu acredito que isso é suficiente para mostrar que até mesmo os atores no processo que poderia denunciá-lo tem-se um grande interesse em não balançar o barco e preferem calma e lentamente caio fora de dólares antes de estourar a crise. Isso não é possível indefinidamente como o processo de retirada gradual do dólar resultaria em contínuas pequenas quedas nos valores em dólar que acabariam com pressa para sair, mas os americanos não são as únicas pessoas delirantes.
O próprio processo de lentamente ficando fora pode trazer a casa americana para baixo. O BRICS – Brasil, a maior economia da América do Sul, Rússia, armada nuclear e economia independente de energia em que a Europa Ocidental (fantoches da OTAN de Washington) são dependentes de energia, Índia, armada nuclear e um dos dois da Ásia gigantes emergentes, China, nuclear armado, o maior credor de Washington (exceto para o Fed), o fornecedor de produtos manufaturados e avançada da América de tecnologia, ea bogyman novo para a guerra rentável do complexo militar-segurança de próxima frio e África do Sul, a maior economia da África – estão em o processo de formação de um novo banco. O novo banco vai permitir que as cinco grandes economias para realizar o seu comércio sem uso do dólar dos EUA.
Além disso, o Japão, um estado fantoche americano desde a Segunda Guerra Mundial, está à beira de entrar em um acordo com a China em que o iene japonês eo yuan chinês vai ser diretamente trocados. O comércio entre os dois países asiáticos seriam realizadas em suas próprias moedas, sem a utilização do dólar dos EUA. Isso reduz o custo do comércio exterior entre os dois países, porque elimina os pagamentos de comissões cambiais para converter yen e yuan em dólares e outra vez para ienes e iuanes.
Além disso, esta explicação oficial para o novo relacionamento direto evitando o dólar dos EUA é simplesmente falar em diplomacia. Os japoneses estão esperando, como o chinês, para sair da prática de acumular dólares cada vez mais por ter que estacionar seus excedentes comerciais em títulos do Tesouro dos Estados Unidos. O governo fantoche japonês EUA esperam que a hegemonia de Washington não exige que o governo japonês para nix o negócio com a China.
Agora chegamos a nitty e corajoso. A pequena percentagem de americanos que estão sensibilizados e informados estão intrigados por que os banqueiros tenham escapado com os seus crimes financeiros, sem acusação. A resposta poderia ser que os bancos “grandes demais para falir” são adjuntos de Washington e do Federal Reserve em manter a estabilidade do dólar e os mercados de títulos do Tesouro, em face de uma política de Fed insustentável.
Vamos primeiro ver como os grandes bancos podem manter as taxas de juro dos Treasuries de baixa, abaixo da taxa de inflação, apesar do aumento constante da dívida dos EUA como um por cento do PIB – preservando assim a capacidade do Tesouro para o serviço da dívida.
Os bancos ameaçados grandes demais para falir tem um enorme interesse em baixas taxas de juros e do sucesso da política do Fed. Os grandes bancos estão posicionados para tornar a política do Fed um sucesso. JPMorganChase e outra gigante do tamanho de bancos podem reduzir as taxas de juros do Tesouro e, assim, elevar os preços das ligações, produzindo uma jogada, com a venda de swaps (IRSwaps).
Uma empresa financeira que vende IRSwaps está vendendo um acordo para pagar taxas de juros flutuantes para taxas de juros fixas. O comprador está comprando um acordo que o obriga a pagar uma taxa fixa de juros em troca de receber uma taxa flutuante.
A razão para um vendedor para tirar o lado mais curto do IRSwap, isto é, a pagar uma taxa flutuante para uma taxa fixa, é a sua crença de que as taxas vão cair. Short-selling pode fazer as taxas caem, e assim elevar os preços dos Treasuries. Quando isso acontece, como as cartas nohttp://www.marketoracle.co.uk/Article34819.html ilustrar, há um rali no mercado de títulos do Tesouro que o presstitute financeira mídia atributos de “fuga para o porto seguro de os EUA dólar e títulos do Tesouro. “De fato, a evidência circunstancial (veja os gráficos no link acima) é que os swaps são vendidos por Wall Street, sempre que a Reserva Federal precisa evitar um aumento das taxas de juro a fim de proteger a sua política de outra forma insustentável . As vendas de swap criar a impressão de um vôo para o dólar, mas nenhum vôo real ocorre. Como os IRSwaps não requer troca de qualquer ativo principal ou real, e são apenas uma aposta em movimentos da taxa de juros, não há limite para o volume de IRSwaps.
Este conluio aparente sugere a alguns observadores que a razão os banqueiros de Wall Street não foram processados por seus crimes é que eles são uma parte essencial da política do Federal Reserve para preservar o dólar EUA como moeda mundial. Possivelmente, o conluio entre o Federal Reserve e os bancos está organizado, mas não tem que ser. Os bancos são beneficiários da política de zero, o Fed taxa de juros. É do interesse dos bancos para apoiá-lo. Conluio organizado não é necessária.
Passemos agora para barras de ouro e prata. Com base numa análise sólida, Gerald Celente e outros talentosos videntes previram que o preço do ouro seria de US $ 2000 por onça até o final do ano passado. Ouro e prata ouro continuou em 2011 a sua ascensão de dez anos, mas em 2012 o preço do ouro e prata foram derrubados, com o ouro sendo US $ 350 por onça fora de sua alta US $ 1900.
Em vista da análise que eu apresentei, qual é a explicação para a reversão dos preços de ouro? A resposta novamente é curto-circuito. Algumas pessoas conhecedoras do sector financeiro acreditam que o Federal Reserve (e talvez também o Banco Central Europeu) coloca vendas a descoberto de ouro através dos bancos de investimento, garantindo as perdas pressionando uma tecla no teclado do computador, como os bancos centrais podem criar dinheiro do ar.
Insiders informam-me que como uma porcentagem pequena de pessoas no lado buy de curto vende realmente deseja receber a entrega em barras de ouro ou prata, e se contentam com a liquidação financeira de dinheiro, não há limite para a venda a descoberto de ouro e prata. A venda a descoberto pode realmente ultrapassar a quantidade conhecida de ouro e prata.
Algumas pessoas que foram assistir o processo por anos acreditam que o governo dirigido a venda a descoberto já se arrasta por um longo tempo. Mesmo sem a participação do governo, os bancos podem controlar o volume de comércio de papel em ouro e lucros nos balanços que eles criam.Recentemente, a venda a descoberto é tão agressiva que não apenas retarda o aumento dos preços de ouro, mas leva o preço para baixo. É este um sinal de agressividade que o sistema equipado está à beira de se tornar descolado?
Em outras palavras, “nosso governo”, que supostamente nos representa, mais do que os poderosos interesses privados que elegem “nosso governo”, com suas contribuições de campanha multi-milionários, agora legitimada pelo Supremo Tribunal republicano, está fazendo seu melhor para nos privar meros cidadãos, escravos, servos e “extremistas domésticos” de proteger a nós mesmos e nossa riqueza restante da política de libertinagem moeda do Federal Reserve. Naked short selling impede a crescente demanda por ouro físico de elevar preço de ouro.
Jeff Nielson explica de outra forma que os bancos podem vender bermudas de ouro quando eles não possuem o ouro. http://www.gold-eagle.com/editorials_08/nielson102411.html Nielson diz que JP Morgan é o guardião do maior fundo de prata muito tempo sendo o maior vendedor de curta duração de prata. Sempre que o fundo de prata acrescenta a suas participações de ouro, o JP Morgan calções um montante equivalente. Os deslocamentos venda a descoberto a subida do preço que resultar do aumento da procura de prata física. Nielson também relata que os preços de ouro podem ser suprimidos, elevando as exigências de margem sobre aqueles que compram ouro com alavancagem.A conclusão é que os mercados de ouro pode ser manipulado, assim como pode o mercado de títulos do Tesouro e as taxas de juros.
Quanto tempo pode continuar as manipulações? Quando será que a proverbial bater no ventilador?
Se soubéssemos exatamente a data, que seria o próximo mega-bilionários.
Aqui estão alguns dos catalisadores de espera para inflamar o incêndio que queima o mercado de títulos do Tesouro eo dólar dos EUA:
A guerra, exigida pelo governo israelense, com o Irã, começando com a Síria, que interrompe o fluxo de óleo e, assim, a estabilidade das economias ocidentais ou traz os EUA e seus fantoches fracos da OTAN em conflito armado com a Rússia e China. Os picos de petróleo iria diminuir ainda mais os EUA e as economias da UE, mas Wall Street se fazer dinheiro com os negócios.
Uma estatística desfavorável que acorda os investidores quanto ao verdadeiro estado da economia dos EUA, uma estatística que a mídia presstitute não pode desviar.
Uma afronta à China, cujo governo decide que bater os EUA para baixo algumas poucas estacas em estado de terceiro mundo é valor de um trilhão de dólares.
Erros mais derivados, como um recente JPMorganChase do, que os EUA enviam sistema financeiro cambaleando e nos lembra que nada mudou.
A lista é longa. Há um limite de quantos erros estúpidos e corruptos políticas financeiras do resto do mundo está disposto a aceitar a partir de os EUA. Quando esse limite é atingido, é todo de “única superpotência do mundo” e para os detentores de instrumentos denominados em dólar.
Desregulamentação financeira converteu o sistema financeiro, que anteriormente serviu empresas e consumidores, em um cassino onde as apostas não são cobertos. Estas apostas descobertas, juntamente com a política zero, o Fed taxa de juros, expuseram os americanos “padrão de vida e riqueza para grandes quedas. Idosos reformados, as suas poupanças e investimentos, IRAs e 401 (k) s pode ganhar nada em seu dinheiro e são forçados a consumir seu capital, privando assim os herdeiros de herança. Riqueza acumulada é consumida.
Como resultado de empregos para o exterior, os EUA se tornaram um país dependente da importação, dependente de estrangeiros realizados bens manufaturados, roupas e sapatos. Quando a taxa de câmbio dólar cai, os preços domésticos dos EUA vai subir, e os EUA consumo real vai levar um grande sucesso. Norte-americanos vão consumir menos, e seu padrão de vida vai cair drasticamente.
As graves consequências dos erros enormes feitos em Washington, em Wall Street, e em escritórios corporativos estão sendo mantidos à distância por uma política insustentável de baixas taxas de juros e uma imprensa corrupta financeiro, enquanto a dívida rapidamente constrói. O Fed passou por essa experiência antes. Durante a Segunda Guerra Mundial a Reserva Federal manteve as taxas de juros baixas, a fim de auxiliar de finanças do Tesouro guerra, minimizando a carga de juros da dívida de guerra. O Fed manteve as taxas de juros baixas, comprando as questões da dívida. A inflação do pós-guerra que resultou levou ao Acordo de Reserva do Tesouro Federal em 1951, no qual ficou acordado que a Reserva Federal deixaria de monetizar a dívida e taxas de juros de autorização para subir.
Presidente do Fed, Bernanke falou de uma “estratégia de saída” e disse que quando a inflação ameaça, ele pode impedir que a inflação, levando o dinheiro de volta para fora do sistema bancário.No entanto, ele pode fazer isso apenas com a venda de títulos do Tesouro, o que significa taxas de juros aumentariam. Um aumento nas taxas de juros poderia ameaçar a estrutura derivada, causar perdas de títulos, e elevar o custo do serviço da dívida privada e pública. Em outras palavras, para evitar que a inflação de monetização da dívida traria em problemas mais imediatos do que a inflação.Ao invés de fechar o sistema, não seria o Fed será mais provável para inflar longe as enormes dívidas?
Eventualmente, a inflação corroer o poder de compra do dólar e usar como moeda de reserva e dignidade do governo dos EUA de crédito iria definhar. No entanto, o Fed, os políticos, e os gangsters financeiros preferem uma crise mais tarde do que cedo. Passando o navio afundando para o relógio próximo é preferível ir para baixo com o navio a si mesmo. Enquanto swaps de taxa de juro pode ser usada para impulsionar os preços dos títulos do Tesouro, e enquanto calções nuas de ouro pode ser usado para manter a prata eo ouro de subir de preço, a imagem falsa de os EUA como um porto seguro para os investidores pode ser perpetuado. 
No entanto, os US $ 230.000.000.000.000 em apostas com derivativos pelos bancos norte-americanos podem trazer as suas próprias surpresas. JPMorganChase teve de admitir que a sua perda anunciou recentemente derivado de US $ 2 bilhões é mais do que isso. Como muito mais continua a ser visto. De acordo com a Controladoria da Moeda dos cinco maiores bancos detêm 95,7% de todos os derivados . Os cinco bancos detentores de 226 trillion dólares em apostas com derivativos são jogadores altamente alavancadas. Por exemplo, JPMorganChase tem ativos totais de 1,8 trillion dólares, mas detém 70 trillion dólares em apostas com derivativos, uma relação de US $ 39 em apostas com derivativos para cada dólar de ativos. Tal banco não tem a perder as apostas muitas antes que seja preso.
Activos, é claro, não são baseados no risco de capital. De acordo com a Controladoria da Moeda relatório, em 31 de dezembro de 2011, realizada JPMorganChase $ 70200000000000 em derivados e apenas US $ 136 bilhões em capital baseado em risco. Em outras palavras, as apostas derivados do banco são 516 vezes maior do que o capital que cobre as apostas.
É difícil imaginar uma posição mais imprudente e instável de um banco para colocar-se em, mas Goldman Sachs leva o bolo. Esse banco 44000000000000 $ apostas em derivativos é coberto por apenas US $ 19 bilhões em capital baseado em risco, resultando em 2.295 apostas vezes maior do que o capital que os cobre.
As apostas em taxas de juros compreendem 81% de todos os derivados. Estes são os derivados que suportam altos preços dos títulos do Tesouro dos EUA, apesar dos aumentos maciços nos EUA dívida e sua monetização.
As apostas dos bancos norte-americanos de derivados de 230 trillion dólares, concentrados em cinco bancos, são 15,3 vezes maior do que o PIB dos EUA. Um sistema político falido que permite que os bancos não regulados a apostar a descoberto 15 vezes maior do que a economia dos EUA é um sistema que é dirigido para uma falha catastrófica. Como a palavra se espalha da falta fantástico de julgamento nos sistemas políticos da América e financeira, a catástrofe na espera se tornará uma realidade.
Todo mundo quer uma solução, então vou dar uma. O governo dos EUA deve simplesmente cancelar a 230.000.000 milhões dólares em apostas com derivativos, declarando-os nulos. Como não existem ativos reais estão envolvidos, apenas apostando em valores nocionais, o único efeito principal do fechamento para fora ou compensação de todos os swaps (principalmente over-the-counter contratos entre contra-partes) seria a de tomar 230 trillion dólares de risco alavancada fora do sistema financeiro. Os gangsters financeiros que querem continuar a usufruir os ganhos de apostas, enquanto o público subscreve as suas perdas iria gritar e gritar sobre a santidade dos contratos. No entanto, um governo que pode assassinar os seus próprios cidadãos ou jogá-los em masmorras sem o devido processo pode abolir todos os contratos que quer em nome da segurança nacional. E certamente, ao contrário da guerra contra o terror, purgar o sistema financeiro dos derivados de jogo iria melhorar muito a segurança nacional.
Dr. Roberts foi Secretário Assistente do Tesouro dos EUA, Editor Associado do Wall Street Journal, colunista da revista Business Week, e professor de economia. Seu livro, economias em colapso, está sendo publicada na Alemanha este mês.
Fonte:
 
16 Comentários

Publicado por em junho 6, 2012 em Uncategorized